Argentina e México, candidatos ao BRICS?

MOSCOU (Sputnik) – Um especialista russo apontou a Argentina e o México como potenciais candidatos a integrar o BRICS, grupo atualmente formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.
“A expansão poderia ser por meio do Egito ou da Indonésia, cuja forte capacidade de responder às ameaças de segurança transfronteiriças traria novos tópicos e abordagens. Além disso, Irã e Turquia são candidatos em potencial, pois desenvolvem ativamente setores de alta tecnologia que são de interesse dos BRICS. Em Numa perspectiva mais ampla, a eventual entrada da Argentina ou do México deve ser assumida”, disse à Sputnik Vladimir Nezhdanov, pesquisador do Instituto de Problemas Atuais Internacionais vinculado à Academia Diplomática do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

O especialista russo fez esse comentário um dia após o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, durante uma videoconferência com seus colegas do BRICS, pedir “iniciar o processo de expansão, explorar os critérios e procedimentos para a expansão e chegar gradualmente a um consenso”.
Na opinião de Nezhdanov, “os membros do BRICS poderiam lançar as bases para uma nova ordem internacional policêntrica, e a expansão do grupo, um consenso mais abrangente dos países em desenvolvimento, contribui para resolver essa tarefa”.

Sputnik

Não há lugar para delírios neoplatistas

Autor: Pedro de la Hoz

Cento e vinte anos depois, o espírito de quem aplaudiu o advento da República, em 20 de maio de 1902, algemado por uma potência estrangeira, aparece, ora abertamente, ora insidiosamente, em atos e atitudes que não devem passar despercebidos.

A Emenda Platt mutilou a República de Cuba desde sua certidão de nascimento. Quase um ano antes, em 12 de junho de 1901, o Congresso dos Estados Unidos sancionou uma monstruosidade legal, anexada à Constituição da entidade nascente, que concedia ao vizinho do norte o poder de intervir nos assuntos internos da Ilha. de Martí, Maceo e os mambises do Exército de Libertação. De colônia a protetorado. O governador ianque instalado em Havana pelas forças de ocupação, Leonardo Wood, escreveu sem a menor vergonha em uma carta a Theodore Roosevelt: “Cuba obteve pouca ou nenhuma independência com a Emenda Platt, e a única coisa indicada agora é buscar a anexação.

Já se sabe que este último não poderia ser. Sabe-se também que o apêndice constitucional foi desativado em 1934, é claro, quando existiam outros mecanismos para submeter Cuba à órbita da Casa Branca. Mas no es casual que en la propia misiva de Wood, el procónsul deslizara una idea que viene a cuento a estas alturas: «La isla se americanizará gradualmente y, a su debido tiempo, contaremos con una de las más ricas y deseables posesiones que haya no mundo”.

Os círculos do poder em Washington, agora com a ajuda do núcleo duro da indústria anticubana sediada naquele país, não desistiram de “alterar” nossa soberania nem de “americanizar” a Ilha.

O que implica a Lei Torricelli (1992), ou a Lei Helms-Burton (1997) – batizada eufemisticamente uma como Lei para a Democracia em Cuba e a outra como Lei para a liberdade e solidariedade democrática cubana – senão versões recicladas de o Plattista vai ao ar? Nenhum foi revogado. Tampouco é o programa puramente intervencionista que George W. Bush queria lançar em 2004, supostamente para “ajudar uma Cuba livre”, ou seja, para nos recolonizar.

Diante da menor trégua da atual administração da Casa Branca para moderar a escalada anticubana sem precedentes adotada pelo governo anterior – como as decisões recentes, de alcance muito limitado, mas positivo – os neoplatistas incitam o ódio e o ressentimento. Não esqueçamos que no ano passado, após os acontecimentos de 11 de julho, houve pedidos de intervenção, de fogo pelos quatro lados, a partir daí, com ecos entre sipaios domésticos. Estes não querem nem um 20 de maio de 1902, mas o status vigente durante a ocupação.

Há uma outra forma de ser neoplatista, também a partir daí com certos ecos aqui: nos fazer entender que sem os Estados Unidos, ou seja, sem o capitalismo, Cuba não é possível; que a prosperidade e o sucesso dependem de seguir as fórmulas neoliberais; que a “americanização” do modo de vida, de que falou Wood, é a melhor coisa que pode nos acontecer.

Completar a República de Martí em uma sociedade socialista, participativa, plenamente democrática, absolutamente independente e soberana, justa, autêntica, incorruptível, criativa e digna é a melhor resposta a tal loucura.

Granma

#Cuba e #Vietnã lembram #JoséMartí e #HoChiMinh, heróis da independência

A obra revolucionária do líder vietnamita Ho Chi Minh foi elogiada hoje no 132º aniversário de seu nascimento, durante uma homenagem realizada no parque que leva seu nome na capital cubana.

Representantes do Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP) e da embaixada da nação asiática, juntamente com alunos e membros da comunidade, lembraram Tio Ho, que por coincidência histórica nasceu em 19 de maio de 1890, no mesmo dia de a queda em combate em 1895 do Herói Nacional José Martí.

O vice-presidente da Associação de Amizade Cuba-Vietnã, Fredesmán Turró, destacou o legado de Ho Chi Minh, a clareza de seu pensamento e a coincidência de suas ideias com a ideologia de José Martí e do comandante em chefe Fidel Castro.

Ele fez referência à vitória definitiva dos vietnamitas em 1975 “realizando o sonho de Ho Chi Minh, que não viu a bandeira da liberdade tremular em Saigon, cidade que hoje leva seu nome e onde o povo faz os ideais de mais uma nação se tornando realidade. linda, pacífica e próspera.”

Concluiu assegurando que Cuba e Vietnã continuarão fortalecendo seus laços de fraternidade e solidariedade, em defesa da paz e do socialismo.

Nguyen Van Du, vice-presidente da Suprema Corte Popular do Vietnã, agradeceu a homenagem e evocou o tio Ho, “uma grande personalidade da história universal, muito amada por todos os vietnamitas, um fervoroso combatente comunista, sempre pronto a dar até a própria vida por o trabalho revolucionário, reverenciado Pai da Nação”.

Recordou as palavras de Fidel, durante sua visita ao Vietnã em 1973, quando disse: (…) na vida do camarada Ho Chi Minh, em seu pensamento político, em sua clara concepção tática e estratégica, todos os povos oprimidos têm uma fonte muito rica de sabedoria e conhecimento para serem capazes de enfrentar seus próprios problemas.

O vice-presidente da Suprema Corte Popular do Vietnã, que está em Havana liderando uma delegação, desejou que a irmandade entre Vietnã e Cuba se fortaleça, desejando que o trabalho revolucionário nas duas nações alcance novas e maiores vitórias.

Participaram da homenagem Víctor Gaute, vice-presidente do ICAP; o embaixador vietnamita Le Thanh Tung e Nancy Coro Aguiar, funcionária do Departamento de Relações Internacionais do Comitê Central do Partido.

Eles se lembram do Apóstolo e Ho Chi Minh no Vietnã

A histórica amizade entre Cuba e Vietnã ficou mais clara quando se realizou em Hanói uma cerimônia em que cubanos e vietnamitas homenagearam seus dois grandes heróis nacionais, José Martí e Ho Chi Minh.

Os esforços de um e de outro para conquistar a independência de suas nações foram destacados durante um ato de colocação de oferendas florais diante de um busto do apóstolo cubano em um parque central de Hanói.

A segunda chefe da embaixada da ilha no Vietnã, Joy Puentes, destacou que, apesar das realidades particulares de suas terras e da distância geográfica entre elas, José Martí e Ho Chi Minh compartilham ideias e princípios que continuam a reger a construção de sociedades mais justas em seus países.

Essas ideias e esses princípios, postos em prática pelos partidos comunistas das duas nações, também forjaram uma amizade especial entre Ho Chi Minh e o líder histórico da Revolução Cubana, Fidel Castro, apesar de também não se conhecerem. , apontou.

Prestamos homenagem ao presidente Ho Chi Minh no mausoléu que leva seu nome em Hanói, por ocasião do 132º aniversário do nascimento do herói da independência nacional do #Vietnã.

Por sua vez, Nguyen Viet Thao, vice-presidente da Associação de Amizade Vietnã-Cuba, lembrou que foi Martí quem semeou a semente da amizade entre os dois povos com sua crônica Um passeio pela terra dos anamitas.

José Martí e Ho Chi Minh não tiveram a felicidade de ver o culminar das obras a que dedicaram suas vidas, mas seus sucessores sentem-se presentes em cada nova vitória e valorizamos seu legado revolucionário como um guia válido de ação para o presente e futuro, disse.

Puentes e Thao destacaram que aqueles dois homens universais também contemplam hoje, desde a imortalidade, as relações de profunda amizade, afeto e respeito que os dois países professam em seus mais de 60 anos de relações diplomáticas.

Mais tarde, os participantes do evento colocaram uma oferenda floral em frente ao mausoléu do arquiteto da independência vietnamita e visitaram a modesta casa que o respeitado Tio Ho viveu de preferência ao Palácio Presidencial, e outros lugares associados à sua frutífera existência.

Participaram de ambas as atividades membros da embaixada cubana, estudantes e trabalhadores da ilha que estão em missão na nação indochinesa, representantes do Partido Comunista do Vietnã e vietnamitas que estudaram na maior das Antilhas.

(Con información de ACN y Prensa Latina)

Cuba, a Cumbre do Povo e a anti-democracia do #EEUU.

#CumbreSinLasAméricas #SinCubaNoHayCumbre #LatinoAmericaUnida #CumbreSinExclusión

Alma Cubanita

A recusa de vistos à delegação cubana convidada para a Cimeira Popular em Los Angeles reafirma a natureza anti-democrática da forma como os Estados Unidos lidam com a sua política externa, advertiu o activista Manolo de los Santos.

Aqueles de nós que estão a coordenar o evento, que terá lugar paralelamente à 9ª Cimeira das Américas de 8 a 10 de Junho, tinham grandes esperanças de poder partilhar com os cubanos, disse o director da organização The People’s Forum.

Manolo de los Santos.

Para De los Santos, “uma grande oportunidade para gerar o diálogo que a reunião oficial estava a excluir foi encurtada”.

Muitos jovens, apesar da recusa do Presidente Joe Biden, tinham feito este convite”, disse ele, “mas isto não é o fim da nossa luta para manter sempre abertas as linhas de comunicação com o povo cubano.

Para nós, este facto é preocupante porque, apesar do facto de a administração Biden ter anunciado medidas, embora limitadas, são positivas em relação a Cuba, salientou.

No entanto, esta decisão de negar vistos “mostra-nos que não há maior interesse em normalizar realmente as relações entre os dois países e os povos”, sublinhou.

De los Santos disse que, embora a administração Biden retome as remessas, reautorize as viagens interpessoais e o programa de reunificação familiar, e expanda os serviços consulares na sua embaixada em Havana, entre outras disposições, “os regulamentos do bloqueio em geral continuam a funcionar da mesma forma”.

Numa entrevista exclusiva alguns dias antes, comentou que, como a 9ª Cimeira é marcada pela exclusão e pela imposição de uma agenda política, “a nossa reunirá diversas vozes de todas as Américas”.

Vários movimentos políticos e sociais da América Latina e uma ampla participação de diferentes sectores nos Estados Unidos da América irão reunir-se na cidade californiana.

“Temos uma coligação de mais de 150 organizações nos Estados Unidos e em Los Angeles que irão apoiar e mobilizar para esta Cimeira Popular”, acrescentou ele.

Entre as 23 pessoas da sociedade civil da ilha que serão impedidas de viajar para o encontro encontram-se a conhecida cientista e médica cubana Tania Crombet, o medalhista olímpico Reineris Salas, o líder estudantil cristão Jorge Gonzalez e outros, incluindo jornalistas, artistas, sindicalistas e líderes comunitários.

“Apelamos à administração de Joe Biden e à sua embaixada em Havana para inverterem a sua decisão”, disse The People’s Forum após a notícia.

De Miami, a cidade do ódio, dois cretinos atacam o nosso Herói Nacional José Martí.

#MafiaCubanoAmericana #ManipulaciónMediática #RedesSocoales #CubaVive #MartíVive #FidelEntreNosoteros

Lapso mental: Antigo #Presidente #Bush confunde #Iraque #guerra com #Guerra da Ucrânia.

#InjerenciaDeEEUU #Ucrania #Rusia #GuerrasDeEEUU

O ex-Presidente dos EUA George Bush confundiu a invasão do Iraque durante o seu mandato com a actual guerra na Ucrânia num discurso, de acordo com reportagens dos meios de comunicação social dos EUA na quinta-feira.

Bush, 75 anos, corrigiu imediatamente o erro depois de descrever a ocupação do Iraque como “totalmente injustificada e brutal” num discurso em Dallas em que falou sobre a integridade das eleições americanas, informou o The New York Post.

Ex-presidente dos EUA George W. Bush

“O resultado é a ausência de controlos e equilíbrios na Rússia e a decisão de um homem de lançar uma invasão totalmente injustificada e brutal do Iraque”, disse ele.

“Estou a falar da Ucrânia, heh”, disse o antigo líder republicano imediatamente a seguir enquanto abanava a cabeça, esguichava e sorria, disse o jornal nova-iorquino.

“Iraque também”, acrescentou então calmamente antes de dizer, “de qualquer forma… uh… 75,” no que parecia ser uma aparente referência à sua idade, enquanto a audiência ria, o jornal citou-o como dizendo.

Os EUA invadiram o Iraque em 2003 depois de acusar o seu presidente, Saddam Hussein, de abrigar armas de destruição maciça que nunca foram encontradas.

Organizações de solidariedade jordanianas doam material médico a #Cuba.

#LigaDeGraduadosPalestinosEnJordania #Cuba #Salud #Covid19

Alma Cubanita

A Liga dos Graduados Palestinianos na Jordânia e membros da comunidade cubana naquele país doaram hoje 270.000 seringas e 540.000 agulhas para a campanha de vacinação Covid-19 nesta nação das Caraíbas.

A Associação de Amizade Jordânia-Cubana também participou no processo de recolha destas provisões médicas, avaliadas em 16.400 dólares.

A chefe do departamento de colaboração do Ministério da Saúde Pública, Yamira Palacios, disse que esta doação chega à ilha no meio de uma guerra económica promovida por Washington que impede o seguro médico dos equipamentos e materiais essenciais para os cuidados de saúde.

Apesar deste cenário complexo, Cuba conseguiu conter a doença e expandir a sua produção farmacêutica e biotecnológica em 85%, o que levou ao desenvolvimento de vacinas e produtos inovadores.

Watan Al Abadi, membro da Associação dos Graduados Palestinianos na Jordânia, enviou uma mensagem de solidariedade à nação das Caraíbas e elogiou os progressos realizados na luta contra a Covid-19, apesar do aperto do bloqueio dos EUA.

“A Revolução Cubana tem sido um exemplo de solidariedade internacionalista desde os primeiros dias do seu triunfo e continua a ser um farol inspirador para todos os revolucionários e patriotas em todo o mundo”, disse ele.

O vice-presidente da Associação Cubano-Árabe, Alfredo Deriche, agradeceu em nome da sua organização e do Instituto Cubano de Amizade com os Povos o apoio dos palestinianos, e condenou o recente assassinato do jornalista, Sheerin Abu Aklej, às mãos do exército israelita.

“Ratificamos a nossa posição de defesa da causa justa do povo palestiniano e da necessidade de alcançar uma solução justa, abrangente e duradoura para o conflito israelo-palestiniano com base na criação de dois Estados que permitam ao povo palestiniano exercer o seu direito à autodeterminação”, afirmou.

Avisos sobre o aumento da produção de armas nos #EEUU.

#SOSVilenciaEnUSA #ArmasDeFuego #LasGuerrasDeEEUU

Alma Cubanita

O número anual de armas de fogo fabricadas nos EUA nos últimos três anos triplicou em relação à produção de há mais de duas décadas, de acordo com os meios de comunicação locais. Mais de 11,3 milhões de armas de fogo foram produzidas em 2020, em comparação com pouco mais de 3,9 milhões em 2000, segundo o Gabinete de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos (PL)

%d bloggers like this: