Municipalização de saúde em Angola (participação cubana)

ANGOP: Municipalização de saúde melhora condições sanitárias 

Benguela

Ganda – O programa de municipalização dos serviços de saúde permitiu a extensão da rede sanitária de 12 para 32 unidades no município da Ganda, 201 quilómetros a Sudeste da cidade de Benguela.

Em declarações hoje à Angop, o chefe da Repartição Municipal de Saúde local, Albano Weia, disse que, com base nesse programa, estão em construção mais outros postos de saúde e em fase de acabamentos nas povoações da Kapala, Cassipera, Lukuakua, Chikandula e Lundungo (comunas da Chikuma, Casseque e sede da Ganda).

Avançou que o programa está a contribuir para melhor qualidade da assistência e condições de saúde junto das populações locais e tem ainda em carteira outro projecto de construção de um posto de saúde na área de Ecovongo e Bongola (Ebanga), respectivamente.

Segundo o responsável, com a disponibilização de 134 milhões e 446 mil kwanzas/ano, o programa de municipalização deu outra dinâmica aos serviços de saúde de rotina, através de campanhas de imunização, aquisição de duas viaturas, microscópios, 24 motorizadas, apetrechamentos da rede sanitárias com cadeias de frios e outros equipamentos.

Albano Weia afirmou que, por mês, o sector recebe 11 milhões e 203, 85 mil kwanzas para investir na implementação deste programa, incluindo a deslocação dos médicos de família que vão duas vezes por semana em algumas áreas das comunas sem unidades sanitárias, para fazer assistência médica mais próximo das comunidades.

Deu a conhecer que os postos de saúde são abastecidos diariamente com medicamentos para a cobertura da assistência sanitária às comunidades.

Para o responsável, o programa dos cuidados primários de saúde permite ainda fazer aquisição de medicamentos para evitar roturas em stocks de farmácias hospitalares.

Referiu que perto de 298 técnicos de saúde e auxiliados por um médico angolano e duas médicas de nacionalidade cubana garantem actualmente o funcionamento de toda a rede sanitária da área periférica e do hospital municipal.

Afirmou que com a conclusão das obras de reabilitação do hospital municipal e consequente entrada em funcionamento dos serviços de Raio X e bloco operatório, o sector vai precisar de mais especialistas.

Os serviços do hospital municipal são actualmente prestados numa instalação provisória com capacidade de 75 camas e assistem 30 doentes/dias em internamento e perto de 70 pacientes no banco externo.

Categories: ÁFRICA, CUBA - ÁFRICA, SAÚDE | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.