UNIVERSIDADE DE HAVANA: Moderna, comprometida, socialista (#Cuba #universidadedehabana #estudiosencuba)

Fonte: Granma Internacional

EM 5 de janeiro de 1728, os padres dominicanos criaram a Real e Pontifícia Universidade de São Gerônimo de Havana, no Convento de San Juan de Letrán.

Nesse dia, começou o empenho de formar pensadores e patriotas, ligados às tradições de luta revolucionária, que hoje se reflete — para só citar os dados mais recentes — nos mais de 3 mil graduados, no ano letivo passado, um claustro de excelência, onde mais de 70% dos docentes são professores em ciência ou doutores e a oferta de 32 carreiras que se ajustam aos requisitos do país.

São muitas as arestas a partir das quais se pode medir a participação da Universidade de Havana (UH) na atualização do modelo econômico que o país vem implementando.

O processo de discussão e implementação das Diretrizes da Política Econômica e Social do Partido e a Revolução, e a participação de vários de seus professores em Comissões de Trabalho criadas para o efeito, são só alguns exemplos.

Contudo, como instituição, a UH tem objetivos que cumprir, seguindo a política traçada pelo Congresso do Partido.

Neste sentido, Gustavo Cobreiro, reitor do Centro, sublinha “a necessidade de incrementar a eficiência acadêmica, de que os perfis das carreiras e a oferta de cursos de pós-graduação se correspondam com as exigências do desenvolvimento econômico e social do país, e que a ciência tenha maior impacto”.

Uma parte significativa da ciência que se gera na Ilha sai das universidades, daí a importância de que os resultados científicos signifiquem contribuições e soluções para problemas da nação.

Tão necessário como estes aspectos é a formação das novas gerações, que se preparam como futuros profissionais nas salas de aula universitárias.

“Temos que trabalhar para formar jovens mais cultos, mais preparados, mais comprometidos com a Revolução, capazes de dar continuidade ao projeto social, e de que participem do processo de aperfeiçoamento do modelo econômico”, salientou o reitor.

PRIORIDADES E ASPIRAÇÕES

Atualmente, para Cuba é uma prioridade incrementar a matrícula nas carreiras de ciências técnicas e ciências naturais e exatas, especialidades que nalguns casos não são muito solicitadas entre os estudantes, por considerá-las muito difíceis e complexas.

Tentar harmonizar entre a necessidade principal do país e o desejado pelo estudante é outro aspecto que se inclui na agenda de trabalho da universidade mais antiga da Ilha.

“Temos organizado experiências importantes com a 12ª série, mediante as quais, todos os anos, mais de 100 alunos frequentam o último ano do bacharelado na Universidade”.

“Mais de 80% dos que entraram, há três anos, vão ter sucesso em seus estudos. Mais de metade tem um índice acadêmico de quatro pontos, em média. Este indicador revela que a experiência teve os resultados esperados”.

“Todos os anos, realizamos os Dias das Portas Abertas, durante três dias, aos sábados, de maneira que um sábado seja dedicado às ciências naturais e exatas, outro às ciências econômicas, e o terceiro às humanidades”.

Esta prática teve muita aceitação, tal como o Festival da Ciência, pois incrementou a participação dos jovens todos os anos, embora estas não sejam as únicas ações para atrair os estudantes para setores que garantam o salto econômico do país”.

“Também, temos incrementado a preparação dos professores de primeiro ano, como medida para elevar a eficiência acadêmica. Continuamos trabalhando para melhorar a composição do claustro, em prol de graduar os profissionais que exige o desenvolvimento econômico e social do país”.

MAIS TRABALHO, MELHORES RESULTADOS

“Estamos dando passos importantes, do ponto de vista organizativo e estrutural, para assegurar maior vínculo entre as áreas onde se gera o conhecimento científico na Universidade e o setor produtivo do país”, afirmou o doutor Cobreiro.

A Universidade recupera parte de suas instalações dedicadas à ciência e à docência. Nesse sentido, o reitor salientou o resgate de laboratórios na Faculdade de Química, de Física e a construção duma nova Faculdade de Comunicação. Tudo isto sem descurar a qualidade na gestão universitária.

Com todos seus programas de mestrado aprovados, a UH está certificada pela Junta Nacional de Credenciação e detém a categoria de Instituição Certificada.

Todos os anos, nossa primeira universidade recebe importantes prêmios da Academia das Ciências de Cuba. Não obstante, concentra todos seus esforços em sua meta principal: “Formar patriotas bem preparados, com uma visão geral do mundo atual, e munidos das ferramentas que hoje exigem os profissionais do século 21, como são a informação, as tecnologias da informação e as comunicações, dominar as línguas estrangeiras…”

FRUTOS EM QUASE TRÊS SÉCULOS

Graduar cada ano quase 100 doutores e mais de mil professores em ciências, ter vínculos com mais de 300 instituições no mundo, estar presente em todos os programas e tarefas da Revolução, fala muito bem do prestígio ganho por esta instituição cubana.

Apesar destes méritos, o doutor Gustavo Cobreiro Suárez define os principais sucessos desta instituição com suas próprias palavras:

“A Universidade de Havana conseguiu, durante três séculos, estar aí e sempre foi um reflexo de sua época, nela sempre se evidencia o tempo que lhe coube viver. O fato de existir hoje e ocupar um lugar importante na história da nação é um fato fundamental. Se alguém me perguntar, responderia que, acho que a Universidade cumpriu o cometido de formar os profissionais que o país exige, reconhecidos não só em Cuba, mas também no mundo todo”.

Categories: CIÊNCIA, EDUCAÇÃO, OPINIÃO | Etiquetas: , , , | 2 comentários

Navegação de artigos

2 thoughts on “UNIVERSIDADE DE HAVANA: Moderna, comprometida, socialista (#Cuba #universidadedehabana #estudiosencuba)

  1. João Carlos Bernardo Machado

    Estive em Cuba por conta de dois Congressos de Educação Superior. Uma vez em 2008 e a outra em 2010. Lá apresentei um artigo sobre as questões educacionais. Foi ótimo. Confesso, ainda, a minha admiração aos irmãos cubanos pela generosidade, autenticidade e pela forma como lidaram com todas as prerrogativas impostas pelo Embargo Econômico. Cuba detém um expediente de relações sociais expressivo éticas e humanas ainda não visto ou experimentado por mim salvo em minha própria família. Eu amo esse povo.

    Gostar

  2. João Carlos Bernardo Machado

    Estive em Cuba por conta de dois Congressos de Educação Superior. Uma vez em 2008 e a outra em 2010. Lá apresentei um artigo sobre as questões educacionais. Foi ótimo. Confesso, ainda, a minha admiração aos irmãos cubanos pela generosidade, autenticidade e pela forma como lidaram com todas as prerrogativas impostas pelo Embargo Econômico. Cuba detém um expediente de relações sociais expressivo; maneiras éticas e humanas de convivência ainda não visto ou experimentado por mim, salvo em minha própria família. Eu amo esse povo.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: