A esperança perdida da extrema direita espanhola (#Espanha #15M #cuba #elpaís)

Fonte: Granma Internacional

DE todo um pouco tem o longa-metragem político protagonizado pela ex-presidenta da Comunidade de Madri e atual titular do Partido Popular (PP) na região, Esperanza Aguirre, que percorre com facilidade de uma trama de espionagem e corrupção à mais bufa das comédias, quando os microfones abertos aprontaram uma nela.

Com o pomposo título nobiliário de condessa consorte de Murillo, Aguirre acumulava três escabrosas décadas no cenário público, antes de sair pela porta estreita e demitir do seu cargo de governadora, por causas pouco claras, em setembro de 2012, deixando um legado de privatização de hospitais e de progressiva desarticulação dos serviços públicos.

Contudo, sua consciência deve ter sido abalada pelos protestos em massa do movimento social 15-M, um grupo que qualificou de “briguentos” e “pendenciadores” comparando-os com os jacobinos da Revolução Francesa na procura de um golpe de Estado.

Aguirre conta com um rosário desta classe de comentários fora de tom, disparates e confusões, como quando confundiu a escritora espanhola Dulce Chacón (morta há vários anos) com a poetisa cubana Dulce María Loynaz (também morta). Durante a inauguração de um colégio que leva o nome de Chacón, Esperanza perguntou à mãe da romancista: “Onde está Dulce, em Cuba?”. Igual de famosa é sua versão do sobrenome do genial português José Saramago, reconvertido em seus lábios “na romancista Sara Mago”, assim como sua antológica sentença de morte aos arquitetos, porque seus crimes perduram para toda a vida.

O “ESPERANZAGATE”, GURTEL E BÁRCENAS

Esperanza Aguirre, como o velho “animal político” que é, demonstrou que só lhe interessa uma coisa: o poder, e é capaz de fazer qualquer coisa por saciar sua sede de grandeza.

A Agência Tributária espanhola confirmou que ela financiou, de forma irregular, sua campanha eleitoral de 2003 e 2004, para a Comunidade de Madri, com “doações” a uma fundação ligada ao PP (Fundescam) que ela mesma presidia e cujas verbas não podiam ser utilizadas para objetivos proselitistas.

O favor aos empresários foi pago, depois, com mais de 200 vantajosos contratos com o governo comunitário, no valor de 300 milhões de euros.

Esses “bons contatos” lhe permitiram mudar a política pelo lucrativo posto que detém agora: “assessora estratégica” da Seeliger e Conde, uma multinacional caça-talentos.

Essas ânsias a levaram também a ver-se envolvida num dos maiores escândalos políticos na história do PP, digno de Carl Bernstein e Bob Woodward, os jornalistas do The Washington Post que desvendaram o caso Watergate, onde estava envolvido o presidente Richard Nixon e que terminou com sua demissão, em 1974.

O “Esperanzagate” ibérico foi destapado a inícios de 2009 por El País, mas os acontecimentos aconteceram um ano antes. Segundo a informação obtida pelo jornal, Aguirre utilizou verbas públicas e funcionários da Comunidade para seguir os passos de seus adversários diretos dentro do próprio PP, entre eles o vice-prefeito de Madri, Manuel Cobo e o ex-vice-presidente e ex-conselheiro regional Alfredo Prada.

Não era pouco o que estava em jogo então, desde a disputa pela presidência dos populares, na que acabou sendo reeleito Mariano Rajoy, até o controle político da poderosa Caixa Madri, uma batalha que também acabou perdendo, ao assumir a direção Rodrigo Rato e não seu aliado Ignacio González.

Contudo, em 2010, a juíza que atendia as acusações de espionagem decidiu arquivar o caso, por “falta de provas”, mas não porque se tivessem cometido efetivamente os acompanhamentos, senão de elementos que demonstrassem que estes constituíam em verdade um delito. Não seria a primeira vez que Aguirre se saísse bem livrada de escândalos políticos nos quais, evidentemente, devia ter estado envolvida ou, quando menos, avisada.

Ainda é pouco o que se sabe do papel real que teve no caso Gurtel, uma complexa trama de subornos a altos funcionários da Comunidade Madrilena e Valenciana, em troca de benefícios econômicos, em que estão envolvidos altos líderes do PP. Da mesma maneira, muitos dos prefeitos sancionados pelos negócios turvos são reconhecidos parceiros da Aguirre.

Também não são claros os nexos de Aguirre com o recente escândalo de Luis Bárcenas, ex-tesoureiro do PP que, supostamente, teria levado uma contabilidade alternativa do Partido e realizado pagamentos ilegais a seus líderes principais. Vários analistas coincidem em que tudo isso acontecia sob seu nariz, e poucas coisas se movem na Comunidade de Madri sem que ela as tenha autorizado ou impulsionado.

AMIZADES PERIGOSAS

Foi esse mesmo cenário madrileno que Aguirre tentou converter — da mão de seu amigo e guia intelectual, José María Aznar — numa segunda Miami e um novo quartel central para os grupos anticubanos.

Chegaram, inclusive, a criar a Fundação Hispano-Cubana, como homóloga da tristemente célebre Cubano-Americana, entre outras organizações. Inclusive, foram desviados fundos públicos comunitários para subvencionar ações de desestabilização contra a Ilha, um dinheiro que, por exemplo, Madri bem poderia utilizar hoje para evitar a quebra de seus hospitais. Sob seu comando, desfilaram por ali declarados terroristas de origem cubana, como Carlos Alberto Montaner, amigo pessoal de Aguirre, e Antonio “Toñin” Llama, entre muitos outros.

Por todas estas razões não surpreendem seus novos e desaforados ataques contra Cuba, nem seus questionamentos a nosso sistema legal e político. Mais haveria que preocupar-se o dia em que um personagem de sua classe tenha elogios para a sociedade cubana. Afinal, Aguirre é só outra esperança perdida da extrema direita espanhola.

Categories: CUBA-EUROPA, ESTADOS UNIDOS, EUROPA, POLÍTICA, SOCIEDADE, TERRORISMO VS CUBA | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: