#Angola: Campanha nacional de Doação Voluntária de Sangue alusiva ao Dia Internacional da Mulher (#8demarço #DoaçãodeSangue #)

Fonte: Angop

Centenas de trabalhadores de diversos ramos de actividade e estudantes deram sangue ontem, em Luanda, durante uma mega campanha nacional de Doação Voluntária de Sangue, alusiva ao 8 de Março, Dia Internacional da Mulher.

A campanha, no Largo do Hospital Josina Machel, decorre sob o lema “Dê sangue e salve vidas” e é promovida pelo Centro Nacional de Sangue, com o objectivo de chamar a atenção da população para o problema da falta de sangue no país.

Segundo a directora do centro, Luzia Fernandes Dias, a instituição depara-se com falta de sangue nos hospitais e de dadores voluntários não remunerados.

O sangue não pode ser produzido artificialmente e a única forma de o ter disponível nos serviços hospitalares é através da doação, por parte de pessoas saudáveis, explicou.

Durante a semana passada, dois grupos da Polícia de Intervenção Rápida e da Marinha de Guerra deram sangue.

Na ocasião, o terceiro subchefe da Polícia Nacional, Domingos Agostinho, disse ter dado sangue pela segunda vez e sublinhou que este gesto é uma manifestação de solidariedade para com os doentes que dele necessitam. “O objectivo é salvar mais vidas, pelo que apelo aos meus colegas e outros cidadãos a procederem da mesma maneira ”, exortou. De acordo com um documento do Centro Nacional de Sangue, o dador de sangue deve ser saudável, pesar mais de 50 quilos, ter idade superior a 18 anos e menos de 65 anos.

O processo de doação de sangue dura no máximo 45 minutos, refere o documento, que adianta que, após a doação, é recomendado que haja 10 a 15 minutos de repouso, e os dadores recebem uma refeição ligeira acompanhada de líquidos.

Os mais necessitados

Luzia Dias afirmou que as crianças e as mulheres são os grupos da população que mais precisam de sangue, devido às doenças que são muito frequentes nestes estratos sociais, como a malária e a desnutrição. Em Luanda, 25 em cada cem pessoas são dadores voluntários, mas os bancos de sangue dos hospitais necessitam de mais sangue, para permitir que ele está sempre à disposição dos doentes.

Os cidadãos do sexo masculino podem dar sangue de três em três meses, enquanto as mulheres podem fazê-lo de quatro em quatro.

Categories: ÁFRICA, CIÊNCIA, SAÚDE, SOCIEDADE | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: