Cuba insta ONU uma posição clara sobre o terrorismo de combate


Cuba exigiu último 03 de novembro nas Nações Unidas uma posição clara dos governos na luta contra o terrorismo, longe de seus postos de trabalho para fins políticos e manipulação. Em seu discurso à Sexta Comissão do comitê da Assembléia Geral que lida com questões legais na ONU, diplomático Tanieris Dieguez disse que a comunidade internacional não pode aceitar o uso de contra-terrorismo como um instrumento para atacar os Estados soberanos ou cometer graves violações dos direitos humanos.

De acordo com o funcionário cubano, os princípios da Carta da organização e do direito internacional são violados quando alguns países ir para a prática de financiamento, apoiar ou promover a mudança subversivo e regime contra outros atos.

Estes princípios também são violados com mensagens de intolerância e ódio contra outros povos, culturas e sistemas políticos, através da utilização de modernas tecnologias de informação e comunicações, disse ele.

Dieguez reiterou que Havana rejeita qualquer ligação entre o terrorismo e religiões, nacionalidades, civilizações ou grupos étnicos, e condena o flagelo em todas as suas formas e manifestações e atos destinados a incentivar, apoiar, financiar ou encobri-lo.

A luta contra o terrorismo deve ser holística, direto e focado na prevenção, com medidas concretas para erradicar suas ações causas profundas, salientou o diplomata na Sexta Comissão, que começou a se reunir segunda-feira na 71 Sessão da Assembleia Geral.

Ele lembrou na sessão que Cuba é um dos países atingidos pelo terrorismo, como resultado de seus esforços para manter a independência e dignidade.

Ele sofreu por décadas atos dessa natureza, com um saldo de 3 000 478 2 000 mortos e 99 pessoas com deficiência, disse o representante da ilha.

Dieguez disse que o povo das Grandes Antilhas não se esqueça que segue o terrorista Luis Posada Carriles, responsável pelo atentado contra um avião da Cubana de Aviação com 73 seres humanos a bordo, 6 de outubro de 1976, em liberdade.

Apesar de suas confissões e pesa pedido de extradição contra ele, da Venezuela, do qual escapou de uma prisão em 1985, Posada Carriles vive com a impunidade nos Estados Unidos.

 

Categories: AMERICA LATINA, ANGOLA, ÁFRICA, CUBA, CUBA - ÁFRICA, CUBA - ESTADOS UNIDOS, ESTADOS UNIDOS, Uncategorized, venezuela | Tags: | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: