Espanha abre linha de crédito

Uma linha de crédito de 75 milhões de euros, cerca de 14 mil milhões de kwanzas, para apoiar parcerias entre as empresas angolanas e espanholas foi anunciada ontem, em Luanda, pela presidente do conselho de administração do Instituto de Fomento Empresarial (IFE), Dalva Ringote.

A linha de crédito foi instituída pela Companhia Espanhola de Financiamento do Desenvolvimento (Cofides) e beneficia projectos nos sectores da Agricultura, Transportes e Logística, exploração mineira, assim como indústrias de materiais de construção, calçado, petroquímica e processamento de alimentos.
Dalva Ringote considerou que a linha de crédito da Cofides constitui um importante instrumento financeiro de apoio e incentivo ao sector empresarial privado nacional.
A presidente do conselho de administração do IFE destacou que o financiamento resulta de um acordo de cooperação celebrado entre o Instituto e a Cofides, estando associada a quatro bancos espanhóis que vão servir de veículos para a operacionalização da linha de crédito.
Além disso, a Cofides está encarregue da componente de avaliação de risco do projecto, deixando a operacionalização financeira e monitorização a bancos comerciais angolanos, sublinhou.
Dalva Ringote declarou que, ao colocar essa linha de crédito à disposição do sector empresarial privado, o Executivo contribui para criação e a afirmação de parcerias estratégicas entre as empresas nacionais e espanholas. O acordo de cooperação entre o IFE e a Cofides, apontou, vigora até 2019 e ajuda as empresas angolanas a estruturarem projectos sólidos de parceria que garantam condições para a absorção de tecnologias e criação de valores que concorram para aceleração e consolidação do processo de diversificação da economia. Os projectos seleccionados beneficiam de créditos que vão de 750 mil euros (cerca de 14 milhões de kwanzas) aos três milhões de euros (560 milhões de kwanzas), podendo ser financiados isoladamente ou em regime de co-financiamento.
O presidente da Associação Industrial de Angola (AIA), José Severino, considerou que a iniciativa demonstra que prevalece a abertura económica entre os dois países e apelou às instituições que detêm linhas de crédito a desenvolverem actividades no interior do país, “porque é lá onde estão as vantagens competitivas para sustentabilidade da nossa economia”.
No ano passado, por ocasião da festa nacional do seu país, assinalada no dia 12 de Outubro, a embaixadora de Espanha, Júlia Olmo afirmou que, apesar do momento difícil que a economia mundial atravessa, o seu país mantém aberta a linha de crédito de dois mil milhões de dólares, que desde 2008 está a financiar projectos em vários sectores. A diplomata afirmou que as empresas espanholas continuam a trabalhar com empenho, nos mais diversos sectores, sempre com a vontade de contribuir para a diversificação económica, a criação de emprego e o desenvolvimento do país.

Anúncios
Categories: ANGOLA, ÁFRICA, ECONOMIA, España, Uncategorized | Etiquetas: | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: