AMÉRICA LATINA: CERRAR OS DENTES, CONSOLIDAR AS TRINCHEIRAS E RESISTR!…

NÃO PERCAM O DOCUMENTÁRIO “A SUL DA FRONTEIRA”!

Durante a presnetación do documentário a sul da fronteira.

Foto de Martinho Junior.

O espaço da mesa redonda estreou neste fim de semana “Ao Sul da fronteira”, um documentário realizado por Oliver Stone no ano de 2009 que aborda a realidade da América Latina após as vitórias de vários processos de esquerda na região. .

A poucas horas do início das atividades da cimeira das Américas e seus fóruns paralelos, a jornalista Arleen Rodriguez derivet conversou com o Dr. Luis Suarez Salazar, investigador e professor do Instituto de relações internacionais.

– Que América Latina chega à cimeira das Américas no Peru?

Em primeiro lugar, gostaria de dizer que a América Latina e as caraíbas estão a chegar Além disso, temos de acrescentar que a região não é uma entidade racional única; são 33 Estados ou governos com diferentes situações que, de alguma forma, se vão exprimir dentro da cimeira.
Estamos num continente caracterizado por uma heterogeneidade política e ideológica muito grande. Há uma certa estabelecerse do chamado fim do ciclo progressista que foi inserido muito nos meios e mesmo em certos discursos políticos, no entanto, na América Latina há ainda vários governos dos quais poderíamos chamar de esquerda que estarão presente no encontro sem a Venezuela. Dada a atitude tomada pelo ex-Presidente Pedro Paulo kuczynski.

– como sesionará uma cimeira sem a Venezuela?

Muitas cimeira sesionaron sem Cuba, no entanto, se tomarmos como referência a realizada em cartagena das Índias, vê-se a luta que foi dada pela assistência de Cuba a este encontro hemisférico.

Eu acredito que ainda há suficientes forças latino-Americanas e caribenhas que podem defender as suas próprias posições.

Maduro mesmo que não esteja no encontro oficial, se estará na cimeira dos povos, evento a que se deve dar tanta ou mais importante do que à cimeira. Será acompanhado evo, Daniel Ortega, Salvador Sánchez Ceren, além dos Estados Das Caraíbas que fazem parte da aliança bolivariana para os povos da nossa América e Cuba.

No caso do nosso país deve ser um fator dinamizador, articulador das posições para enfrentar o projeto que está preparando os Estados Unidos que chegará na vocería de um dos presidentes mais conservadores e reaccionários que teve esse país, Donald Trump.

Como espera que o império seja representado por um homem como o trump?

Tomando como referência as próprias cimeiras, poderíamos compará-lo com o que aconteceu no mar da prata com a presença de Bush e daquele grupo de mandatários latino-Americanos que descarrillaron o alca. Agora não devem aparecer com algo semelhante, no entanto devem apresentar uma proposta de algo como a América cresce ou aliança para o crescimento com uma forte abertura dos capitais privados, em termos de criar uma estrutura energética no continente da qual as empresas norte-AMERICANAS. Eles vão ser os principais fornecedores.

Por: Arleen Rodriguez derivet

Categories: ALBA, AMERICA LATINA, ANGOLA, ÁFRICA, CUBA, CUMBRE DE LAS AMERICAS, ESTADOS UNIDOS, POLÍTICA, Uncategorized | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: