Venezuela: Não é hora de tagarelar, mas de resolver a grave crise.

Todo esta na intencion que se quer dar. Maduro ganho com as de 60 por cento de votos e dizem que não é leguitimo. Outros presidente em America Latina chegaram à presidência com muito menos por cento e ninguém questiono os resultados. É que há por centos bons e por centos maus ou as matematicas são iguais para todos?

Com uma vitória confortável, o presidente Nicolás Maduro conseguiu sua reeleição em um cenário dramático de guerra econômica com um povo sem alimentos, remédios, transporte público, dinheiro, com a impunidade de uma corrupção galopante, e assustado com a corrupção. ameaças de intervenção estrangeira.

Mas ele ainda saiu para votar. A vitória de 20 de maio é o quarto cheque em branco que as pessoas enviam ao sistema político para fazer o que deve ser feito. É um voto de confiança, emitido em condições severas e amargas de escassez e insegurança, assinado para ser resolvido, e não deve ser ignorado ou servido como promessas da próxima campanha, diz Luis Britto García, o maior intelectual venezuelano.

Britto faz uma série de denúncias ao governo e aponta que a recuperação do petróleo para 67,15 dólares por barril retorna para fornecer um piso econômico para recuperar a produção, e significa garantir um presente tolerável e um futuro esplêndido. Quando o governo é incapaz de atender às demandas dos governados, a crise econômica e social se torna uma crise política, diz ele.

“Não posso enganar ninguém aqui, (as sanções) criarão sérias dificuldades, dificuldades dolorosas que enfrentaremos gradualmente e vamos superá-las e vamos derrotá-las”, disse o presidente reeleito Nicolás Maduro em sua mensagem à Assembléia. Constituinte, onde suspendeu o triunfalismo por algum tempo para aceitar o previsível agravamento da situação econômica e social.

“Eu venho com o espírito do futuro, da construção do novo, a Venezuela precisa de um novo começo na revolução, com revolução e para fazer revolução, ouvimos bem o clamor de um povo e também seus silêncios (54% que não exerceram o seu vote), vamos aprender a ouvir os silêncios eo clamor do povo “, acrescentou.

De acordo com dados oficiais, 46% votaram, muito menos do que o tradicional daquele país, mas em um nível semelhante ao das últimas eleições no Chile e na Colômbia. Nestas eleições, o bolivarianismo perdeu cerca de dois milhões de votos em relação às suas melhores eleições, em 2012 e 2013.

Categories: AMERICA LATINA, POLÍTICA, Uncategorized, venezuela | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: