¿Qué crisis será televisada, la de Venezuela o la de Argentina? (+ Video)

Abel Moya, um atleta cubano que pediu há um ano – sem sucesso – asilo político em Madri, vive na rua há meses e mendiga (1) (2). É a mesma história de auto-engano de muitos dos supostos “dissidentes” que, em 2010, chegaram ao território espanhol por meio de um acordo entre Cuba, Espanha e a Igreja Católica (3). Depois de esgotar a ajuda – lembre-se – algumas dessas pessoas acabaram morando na rua (4). Mas você leu em um dos grandes jornais espanhóis? O que não?

Em agosto passado, Fabio Melanitto, famoso cantor e ator venezuelano, foi morto a tiros (5). Dezenas de notícias foram publicadas na imprensa latino-americana, especialmente a do coração (6). Todos focados no caso, sem referências à situação de violência no país, onde ocorrem 93 assassinatos por dia (7). E você sabe porque? Porque o venezuelano não foi assassinado em sua terra natal, mas no México.

Segundo a ONG Global Witness, em 2017, pelo menos 207 pessoas (ambientalistas, lideranças indígenas …) foram assassinadas no mundo por sua luta contra projetos de mineração ou agroindustriais (8). Destes, 57 estavam no Brasil, o país que lidera o ranking (9). Você leu em alguma das mídias que nos informam com detalhes sobre a Nicarágua ou a Venezuela?

De los más de 200 conflictos relacionados con actividades mineras en América Latina, el 90% está protagonizado por empresas de Canadá que, en complicidad con ciertos gobiernos, pisotean los derechos y provocan la expulsión forzada de algunas poblaciones locales (10). ¿Lo sabían? ¿Lo han leído en alguno de los grandes diarios?

Leemos: “cada día, miles de personas se acercan a comedores populares o parroquias (…) para pedir comida. Otras rebuscan entre la basura”. “La situación ha empeorado (…) desde el pasado abril, cuando” la moneda “comenzó a depreciarse y volvió a desbocar la inflación” (11). ¿Hablará este reportaje sobre Venezuela? Pues no. Es sobre Argentina que, a diferencia del primer país, no sufre un bloqueo a sus finanzas (12). Al contrario: el Fondo Monetario Internacional le ha prestado 57.000 millones de dólares (13). Pero la pobreza, el desempleo, la inflación y las protestas en Argentina no pasan de generar frías informaciones, sin el menor análisis crítico sobre la política neoliberal de Mauricio Macri (14).

Porque, para condenar a gobiernos por las consecuencias no de su política, sino de las sanciones impuestas por los matones que mandan en el mundo ya tenemos… a los de Cuba (15) y Venezuela (16).

 

Categories: Uncategorized | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: