Desigualdade gera pobreza e desnutrição, diz ONU.

Desigualdad genera pobreza y desnutrición, asegura ONU

Povos indígenas, crianças e mulheres são os mais expostos hoje à pobreza e à desnutrição crônica na América Latina e no Caribe, dado o nível de desigualdade que persiste nessas populações, revelou a Organização das Nações Unidas (ONU).

De acordo com o Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional 2018, recentemente no Panamá, a desnutrição crônica afeta 42 por cento das crianças hondurenhas que vivem em famílias de baixa renda, uma figura que, no caso da Guatemala atinge 66 por cento.

Panorama na população indígena e rural na região tende a fazer mais, até o ponto que, em Belize, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Peru e Suriname exceder em mais de 50 por cento das taxas observadas em áreas urbanas .

“A desnutrição crônica está intimamente relacionado com a desigualdade ea pobreza, mas também o excesso de peso afecta cada vez mais crianças e meninas pobres assim’, disse o diretor do UNICEF para a América Latina eo Caribe, María Perceval.

Ele ressaltou que são precisamente os bebês que enfrentam mais condições de alta vulnerabilidade social e econômica, além de sofrer um acesso desigual aos serviços de saúde e dietas saudáveis.

Segundo o relatório da ONU, 19 milhões de mulheres sofrem de grave insegurança alimentar, valor que supera em quatro milhões a taxa de homens, que apresentam menor incidência de obesidade em relação às mulheres.

‘A igualdade de género é um instrumento político valioso para reduzir as desigualdades, o que significa promover a igualdade de acesso e controle sobre os recursos domésticos e decisões para capacitar as mulheres “, disse o diretor do Programa Mundial de alimentos para a América Latina e Caribe, Miguel Barreto.

Na América Latina, 8,4% das mulheres sofrem de grave insegurança alimentar, em comparação com 6,9% dos homens; enquanto em 10 países da região, 20% das crianças mais pobres sofrem três vezes mais de desnutrição crônica do que a mesma porcentagem das crianças mais ricas.

Segundo o estudo, uma das principais causas do aumento da desnutrição em populações vulneráveis ​​são as mudanças sofridas pelos sistemas alimentares da região, da produção ao consumo.

Ele ressaltou que, embora os setores mais excluídos da sociedade aumento do consumo de alimentos saudáveis ​​como leite e carne, muitas vezes têm de optar por produtos ricos em gordura, açúcar e sal, devido ao seu custo mais baixo.

Portanto, as Organizações Pan-Americana da Saúde e da Organização para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas, o Fundo de Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Programa Alimentar Mundial, convidou os países a implementar políticas públicas de combate desigualdade e promover sistemas alimentares saudáveis ​​e sustentáveis.

Anúncios
Categories: AMERICA LATINA, Desnutrição, ONU, Uncategorized | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: