Ex-funcionário da CIA: “Os responsáveis pela tortura vivem impunes e bem pagos”

Oficiais da CIA dos EUA que aprovaram o uso de técnicas desumanas de interrogatório em seus prisioneiros nunca foram punidos e agora trabalham para empreiteiros da comunidade de inteligência cobrando bons salários, lamentou o ex-funcionário da agência, Philip Giraldi.

La sede de la CIA (archivo)

Desta forma, Giraldi comentou em uma entrevista ao Sputnik as recentes revelações de que a CIA poderia ter usado sedativos para tratar a ansiedade – “que possivelmente causou o efeito de uma droga da verdade” – e um composto de origem duvidosa que causou amnésia em os prisioneiros – algo “que às vezes era o efeito desejado” -.

A ex-CIA e ex-oficial de inteligência do Exército dos EUA que atualmente trabalha como diretor executivo da organização independente sem fins lucrativos Conselho para Interesses Nacionais, enfatizou que o uso de drogas por prisioneiros é “geralmente considerado um crime de guerra “.
“É vergonhoso que o governo dos EUA e a CIA considerem usar as chamadas drogas da verdade nos detentos”, disse ele.

O especialista mencionou que a CIA também capturou pessoas, enviou-as a países onde poderiam ser torturadas e também dirigiu suas próprias torturas em prisões na Tailândia e na Europa Oriental.

A verdadeira tragédia, segundo o interlocutor do Sputnik, é que “ninguém foi responsabilizado por esses crimes”.

Guardias están parados en la entrada de la prisión de Abu Ghraib renovada, imagen de archivo

“Os oficiais superiores que aprovaram essas técnicas nunca foram punidos e agora estão trabalhando para contratados da comunidade de inteligência, e eles cobram altos salários”, disse ele.

Segundo Giraldi, a razão pela qual a CIA nunca pediu ao Departamento de Justiça para aprovar o uso de drogas durante seus interrogatórios foi porque ela não queria criar outro escândalo como o que surgiu quando ela foi acusada de usar técnicas como privação de sono, confinamento. em pequenas células e no submarino.

Depois dos ataques terroristas perpetrados em 11 de setembro de 2001, que mataram cerca de 3.000 pessoas em Nova York, agentes norte-americanos recorreram a métodos controversos de tortura para interrogar suspeitos.

Em particular, a CIA criou sites secretos em países estrangeiros para aprisionar suspeitos de terrorismo sem o devido processo legal.

 

 

Anúncios
Categories: CIA, sPUTNIK, TORTURAS, Uncategorized | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: