Novos casos de ébola registados em nordeste da República Democrática do Congo .

Um total de 46 novos casos de ébola foi registado no nordeste da República Democrática do Congo durante a semana de 19 a 25 de Novembro, de acordo com dados divulgados ontem pelo Ministério da Saúde congolês.

Naquela que é considerada a maior epidemia de ébola na história da RDC, já se somam 419 casos, dos quais 372 foram confirmados em laboratório e 47 são prováveis.
O número de mortes prováveis é de 240 desde que se declarou este décimo surto, a 1 de Agosto, nas províncias de Kivu do Norte e Ituri, sendo que destas 193 tiveram resultados positivos, de acordo com dados oficiais de 25 de Novembro.
Além disso, pela primeira vez, uma epidemia de ébola tem como epicentro uma zona em conflito, onde operam uma centena de grupos armados e movimentam-se diariamente milhares de pessoas que poderiam ter estado em contacto com o vírus, limitando a segurança e o trabalho no terreno das equipas de saúde.Para travar o número de mortes, a Organização Não-Governamental Aliança para Acção Médica Internacional (ALIMA) anunciou na segun-da-feira o lançamento – graças a um consórcio interna-cional coordenado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – de um ensaio clínico terapêutico inovador no seu centro de tratamento na cidade de Beni, em Kivu do Norte.
Esta notícia é precedida pela aprovação, pelo Comité de Ética da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Kinshasa, de um protocolo de ensaios clínicos aleatórios com quatro tratamentos: mAb 114, ZMapp, Remdesivir e Regeneron.
Esses quatro tratamentos serão distribuídos aleatoriamente, sempre com o consentimento prévio do pacien-te ou da família e sem que o centro de tratamento possa escolher os pacientes, a fim de evitar qualquer subjectividade nos ensaios.
Esta última epidemia de ébola constitui a mais grave de toda a história da RDC em relação ao número de casos, já que supera o recor-de de 318 infecções registadas em 1976 durante o primeiro surto do vírus em Yambuku, na província do Equador. O vírus  é transmitido através do contacto directo com sangue e fluídos corporais contaminados e fica mais virulento quanto mais avançado o processo, atingindo uma taxa de mortalidade de 90 por cento.
A pior epidemia conhecida desta doença no mundo foi declarada em  2014, com os primeiros casos que datam de Dezembro de 2013 na Guiné-Conacri.

Categories: #salud, Aviso!, ÁFRICA, Conga, Ebola, OMS, Organizacion Mundial de la Salud (OMS), Outros, República Democrática do Congo, SAÚDE, Uncategorized | Etiquetas: | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: