Violência contra a mulher é uma pandemia global.

A violência contra as mulheres é uma pandemia global e, ao mesmo tempo, uma vergonha, um grave obstáculo para o desenvolvimento inclusivo, equitativo e sustentável para as nossas sociedades, afirmou ontem, em Luanda, o coordenador residente das Nações Unidas em Angola.

Ao intervir na abertura da conferência sobre “Violência Baseada no Género”,  Paolo Balladelli disse que a violência doméstica contra a mulher constitui uma profunda falta de respeito, que deriva da incapacidade dos homens em reconhecerem a igualdade e a dignidade das mulheres. “Trata-se de um tema fundamental de Direitos Humanos”, frisou. No entender de Paolo Balladelli, a violência contra a mulher é um tema profundamente político, na medida em que se encontra relacionado com uma questão mais ampla de poder e de controlo na sociedade, onde o assuno é dominado pelos homens.
O coordenador residente das Nações Unidas em Angola deu a conhecer que o tema em causa está a ser evidenciado, de forma incremental em todas as regiões do mundo, como um problema de grande magnitude.
O diplomata das Nações Unidas informou que, em Angola, 32 por cento das mulheres, desde os 15 anos, já foram vítimas de violência física, 8 por cento de violência sexual.
No que diz respeito à violência conjugal, continuou, cerca de 34 por cento das mulheres foram vítimas de violência física ou sexual, cometida pelo marido.
Paolo Balladelli sublinhou que nas mulheres que sofrem violência física, a partir dos 15 anos, 95 por cento foi  exercida por um familiar. “A maioria foi exercida pelo parceiro actual (57 por cento), parceiro anterior (15), pela mãe (13) e pela madrasta ou padrasto (10)”, realçou.
O diplomata disse não haver dúvida de que o principal problema para o aparecimento da violência contra a mulher está assente na pobreza, falta de educação e de desenvolvimento das mulheres, aliado, também, ao alto índice de fertilidade que existe no país, bem como às dificuldades e diferença que se regista no emprego.
Para que a violência de género seja eliminada da sociedade, defende Paolo Balladelli, é fundamental que se erradique, primeiro, entre outros males, a pobreza,  fome, melhore a saúde, e  a educação e se lute contra as desigualdades.
A conferência sobre “Violência Baseada no Género” é realizada no âmbito da campanha mundial designada “16 dias de activismo pelo fim da violência contra a mulher.”

 

Anúncios
Categories: #ONU, #Violência contra a mulher, ANGOLA, ÁFRICA, MULHER, Nações Unidas, ONU, SOCIEDAD, SOCIEDADE, Uncategorized | Etiquetas: | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: