O sono existe para que o cérebro possa descansar, sonhar, fornecendo às crianças, energia para aprender, brincar e serem felizes.

 

Já a sabedoria popular dizia que “bom sono e boa comida acrescentam à vida” e que “deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer”. No entanto, dormir continua a não estar na moda. A sociedade moderna preocupa-se cada vez mais com a alimentação e com o desporto e secundariza a importância do sono. Mas apesar de o organismo humano estar preparado para passar algum tempo sem comer ou sem exercício, não aguenta um dia sem dormir. Afinal é a dormir que passamos um terço da nossa vida.

O sono existe para que o cérebro possa descansar, sonhar, fornecendo às crianças, energia para aprender, brincar e serem felizes. Segundo Clementina Pires de Almeida, psicóloga especialista na importância das histórias no sono das crianças, “os primeiros seis anos de vida são os mais importantes para o desenvolvimento cerebral saudável, que se dá com base na estimulação e em novas experiências, para que se possam desenvolver novas conexões entre as células”. A especialista defende que ler ou contar histórias às crianças, antes de dormir “é uma forma de os pais garantirem que influenciam positivamente esse processo de desenvolvimento cerebral”.

Nesse sentido, a psicóloga Clementina Pires de Almeida frisa que “as vantagens de ler histórias para as nossas crianças desde bebés estão amplamente descritas pela ciência demonstrando que este hábito tem não só impacto nas competências linguísticas do bebé, melhorando o seu vocabulário, como também para o desenvolvimento de competências de pré-leitura e competências cognitivas necessárias a uma aprendizagem escolar de sucesso”. 

“Quando a leitura de histórias é incluída na rotina de adormecer, produz efeitos adicionais, uma vez que estamos a criar no cérebro uma sugestão de relaxamento e de sono muito poderosas, ajudando por isso a induzir o mesmo”, assevera. 

“Esta rotina de sono com histórias tem um impacto visível e mensurável, quando utilizada em contextos hospitalares, sendo um método de redução do stress. Pode ser usada como uma ferramenta terapêutica não invasiva para alívio da dor e da ansiedade da criança hospitalizada, pelo impacto direto que tem no funcionamento do sistema imunitário de combate à doença, uma vez que a função imunitária poderá encontrar-se comprometida, devido as disrupções ou privação de sono que tão frequentemente afetam estas crianças”, conclui a psicóloga Clementina Pires de Almeida.

O sono é um processo fisiológico natural, imprescindível a um desenvolvimento físico, mental e inteletual saudável que corresponde a um período de diminuição do estado de consciência e da atividade física motora, tendo uma função regeneradora e de recuperação. No entanto, está longe de ser um período em que nada acontece. 

É durante o sono que se restabelecem vários sistemas e se asseguram diversas funções essenciais ao crescimento, à regulação hormonal e do sistema imunitário, e ao desenvolvimento do sistema nervoso central e da capacidade cognitiva. Durante o sono toda a informação anteriormente recebida é filtrada e reintegrada sob a forma de aprendizagens, sendo apenas retidas as memórias mais importantes.

Um bom sono é vital para a saúde da criança, pois participa na defesa contra agentes patogénicos, tendo um grande impacto no fortalecimento do sistema imunitário. Por isso, este ano, o Lidl Portugal quer sensibilizar as famílias para a importância do sono e a das histórias para adormecer, fundamentais à união familiar e ao bem-estar de todos. Dessa forma, lançou uma campanha de natal solidária cujas receitas revertem a favor da associação Nuvem Vitória, que conta histórias para adormecer crianças hospitalizadas.