Exjuez que condenou Lula, com julgamentos na justiça brasileira.

Exjuez que condenó a Lula, con procesos en justicia brasileña

O ex-juiz federal Sergio Moro, que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem quatro processos contra ele na justiça brasileira, revela hoje o portal Fato no Brasil.

De acordo com a publicação, Moro liderará o Ministério da Justiça no futuro governo do presidente eleito Jair Bolsonaro sem se livrar completamente das perguntas a que foi submetido no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Desde 2014, no início da operação anti-corrupção Lava Jato, pelo menos quatro processos foram abertos contra o ex-juiz.

O CNJ não revela à imprensa o número exato de ações judiciais em que Moro é citado, o que sugere que algumas sigam em sigilo, indica a fonte.

Garante que o prefeito geral de Justiça Humberto Martins, arquivado no início deste mês o processo questionando a conduta de Moro e outros juízes no caso de habeas corpus concedido a Lula em julho pelo juiz Rogério Favreto.

Na ocasião, o então juiz federal (Moro), em férias, agiu para que a ordem não fosse executada antes que outros togados fossem posicionados.

Martins não viu desvio de conduta nas ações de ninguém envolvido, incluindo Favreto, que também havia sido representado.

Moro, no entanto, enfrenta outras questões, inclusive o fato de que ele estava comprometido com o Governo do Bolsonaro, sem pedir isenção, e, de acordo com o general Antonio Hamilton Mourão, ter contato mantido com o ex-capitão da equipe do mesmo Exército durante eleições

Este fato também motivou petições de defesa de Lula para que o processo que levou à condenação do ex-líder operário fosse declarado nulo, dada a suposta parcialidade de Moro.

Antes deste, o próximo ministro da Justiça foi citado no CNJ em processos questionando a divulgação ilícita de áudios entre Lula e o presidente deposto Dilma Rousseff, ea decisão de divulgar a traição do ex-ministro Antonio Palocci durante o período eleitoral .

Todos eles serão examinados posteriormente pelo Conselho.

De acordo com Jonnas Esmeraldo, Doutor em Direito e membro da Associação Brasileira de Advogados para a Democracia (ABJD), o CNJ não pode reverter decisões judiciais, por isso é limitada para direcionar possíveis desvios de natureza administrativa. Ou seja, se Moro é punido no Conselho, não há repercussão nos processos criminais julgados por ele.

No início de novembro, o polêmico advogado descartou ter migrado para a política, no entanto, ele alegou ser um político que não mente.

Em entrevista ao programa Fantastic, da TV Globo, o ex-magistrado afirmou que, apesar de aceitar o posto de ministro, “ele não migrou para a política”.

Ele argumentou que ele assumirá uma posição predominantemente técnica, mas que ele não poderia ser ingênuo. No entanto, como um camaleão, ele disse: “Eu não sou um político que mente”.

Moro traiu suas declarações dois anos atrás, quando disse estar longe da política e agora deu seu sim ao convite de Bolsonaro, para que no dia 1º de janeiro ele chefiaria o portfólio da Justiça.

 

 

Categories: #AmericaLatina, #Bolsonaro, #Brasil, CORRUPÇÃO, Jair Bolsonaro, Lula, POLÍTICA, Uncategorized | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: