O golpe na Venezuela e a ascensão da nova ditadura mundial

Por  M. H. Lagarde

4567bc082a4b5fbb347e49c51abf08de_L

Com o chamado golpe em andamento na Venezuela, os Estados Unidos colocaram o mundo para escolher entre a legitimidade da Revolução Bolivariana e seu presidente imposto, Juan Guaidó.

A frase pronunciada por George W. Bush na véspera da invasão do Iraque em 2003: “Ou você está comigo ou você está contra mim”, ressoa na cabeça dos falcões da atual administração Trump.

Apesar da grosseira e ridícula manobra desesperada que visa impor um dedo a um presidente, houve aqueles que se juntaram docilmente ao jogo. É o caso do chamado grupo de Lima e da vacilante União Européia que, convocados pelo império, acompanham sua cruzada em favor de nada menos que “democracia”.

Após 20 anos de fracasso em sua guerra contra o país Chávez, para este grupo luta pela “democracia” parece o mesmo que ajudar o gendarme global para recuperar os recursos naturais do país com as maiores reservas de petróleo do mundo, sufocada por estrangulamento econômico o desenvolvimento indiscutível social de uma nação onde os pobres da terra não tinham direitos ou nunca ignorar a vontade de um povo, -Mostrado para 23 eleitorais-, para defender a soberania que, durante séculos, negou uma burguesia submissa e subserviente dos interesses do império.

Nada parece mais urgente para alguns neste mundo que derrubar uma vez por todas o “ditador” venezuelano Nicolas Maduro e condenar o impulso desaparecimento das forças progressistas e solidárias nas últimas décadas poderiam ter marcado a integração de um latinoamerica convertido em zona de paz.

O golpe que pretende render a vontade libertária do povo vai além da substituição de um presidente genuíno por um presidente eleito por um grupo de políticos americanos entre as quatro paredes do gabinete oval da Casa Branca.

De fato, as pressões mais recentes de todos os tipos contra a Venezuela, incluindo a invasão militar, são, acima de tudo, um golpe de Estado para a já desgastada democracia ocidental, com suas supostas eleições diretas e falsos sistemas multipartidários. Representar Maduro de como os Estados Unidos pretendem fazer em desespero, na verdade, significa muito mais do que reactualizar no século XXI a Doutrina Monroe ou reconquistar o quintal perdido perdido.

O que está em jogo na Venezuela é o surgimento de uma nova ditadura fascista mundial, segundo a qual os Estados Unidos definirão, a partir de agora, quais são as novas regras da tão falada “democracia”. Pouco importa as cartas das Constituições, nem o direito internacional, nem os acordos comerciais, nem os resultados de uma ou centenas de processos eleitorais. A única regra válida será a da submissão incondicional a um mundo hegemônico dominado por Washington.

Aqueles que votam no boneco eleito em Washington legitimam a injustiça de uma nova ordem mundial onde hoje seu papel como comparsa pode se tornar um bumerangue contra sua própria independência. Na Venezuela é decidido, mais que o destino manifesto da decadência imperial, o destino dos sonhos adiados de justiça e liberdade de humanidade. Nestes tempos, o verdadeiro e único dilema consiste em colocar-se a favor dos povos ou das plutocracias que os oprimem.

Cuba sim

Autor: tudoparaminhacuba

Adiamos nossas vozes hoje e sempre por Cuba. Faz da tua vida sino que toque o sulco, que floresça e frutifique a árvore luminoso da ideia. Levanta a tua voz sobre a voz sem nome dos outros, e faz com que se veja junto ao poeta o homem. Encha todo o teu espírito de lume, procura o empenamento da cume, e se o apoio rugoso do teu bastão, embate algum obstáculo ao teu desejo, ¡ ABANA A ASA DO ATREVIMENTO, PERANTE O ATREVIMENTO DO OBSTÁCULO ! (Palavras Fundamentais, Nicolás Guillen)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: