Editorial: Forte apoio à Revolução e ao Socialismo

O povo revolucionário cubano apresentou em 24 de fevereiro mais uma amostra de sua grandeza humana e o vigor das fibras de que é feita. O resultado do referendo constitucional deste domingo é a reafirmação da maioria innmensa são aqueles que estão comprometidos com uma pátria independente, soberano, democrático e socialista como nos propusemos a construir há 43 anos, quando foi adotada a Constituição de 1976 até hoje Isso governou nossos destinos.

Agora, com a nova Magna Carta, apostamos também na prosperidade individual e coletiva que sonhamos em alcançar para o bem das gerações presentes e futuras dos cubanos. E fizemos o nosso caminho para as necessidades e novas realidades que estes tempos nos impuseram, os direitos e novas garantias para fins que fizemos para definir nosso modelo socialista e delinear os nossos objectivos de desenvolvimento até 2030 e para a frente.

É o mais alto de um processo construído a partir do ponto de realismo, coragem, inconformismo permanente e senso de momento histórico da liderança revolucionária e do pensamento coletivo, a nitidez e os anseios de nosso grande povo.

É o fruto de todos os nossos consensos possíveis no difícil caminho da construção da unidade, uma arma inflexível da Revolução nestas seis décadas.

A estrada não foi fácil. A constituição não pode cobrir todos os desejos e encontrar por que alguns adversários circunstanciais, que não significa que se opõem profundamente os fins da justiça social e da solidariedade humana que a Revolução tem.

Há sim os adversários convictos, aqueles que sucumbem às canções da sereia, aqueles que desejam suprema prosperidade individual em detrimento da justiça social coletiva. Mas eles ainda são uma minoria na Cuba desses tempos.

Nem media intensas campanhas generosamente financiados e manipulação grosseira dos fatos, nem avalanches escritos e slogans em redes sociais (muitos deles desenvolvidos e postados do lado de fora), ou mensagens desesperadas por SMS em momentos de definição poderia variar desejo esmagador de votar pela Constituição, que é votar pela Revolução e Socialismo.

Se Trump tentasse intimidar este povo com seu discurso inflamado na Flórida, no qual ele ameaçou eliminar o socialismo nesta região do planeta; Nós, cubanos, demos a ele a melhor resposta: direta, clara, vigorosa; como aquele nocaute legendário de Teófilo Stevenson a Duane Bobick no anel da olimpíada de Munich.

O mais estimulante foi a assistência maciça de nossos jovens; pensadores ativos deste texto constitucional e que terão a grande responsabilidade de cumprir seus preceitos no tempo futuro.

Agora virá a proclamação solene da nossa nova Constituição, na sombra gloriosa do proclamado em Guáimaro há 150 anos. E também haverá períodos férteis para a geração e debate das leis que tornarão efetiva a nova Constituição. Cabe à nossa Assembleia Nacional, ao Governo, aos nossos juristas, ao nosso povo, propor, pensar, definir melhores caminhos para abrir o caminho para o futuro.

LIVE CUBA FREE, SOVEREIGN E SOCIALISTA!

(Publicado em Escambray)

Categories: Constituição da República de Cuba, Uncategorized | Etiquetas: , , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: