Conselho Nacional de Direitos Humanos do Brasil rejeita votação por bloqueio de Cuba

Brasília, 20 de novembro (Prensa Latina) O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH) do Brasil rejeita hoje a posição do governo de Jair Bolsonaro, que em 7 de novembro votou a favor do bloqueio dos EUA contra Cuba.

Naquela data, durante a votação na Assembléia Geral da ONU, Cuba recebeu apoio esmagador da comunidade internacional, quando 187 Estados membros se pronunciaram contra o cerco econômico, comercial e financeiro.

Apenas dois países se abstiveram: Colômbia e Ucrânia; enquanto os Estados Unidos, Israel e Brasil votaram contra a insurreição da cerca e foram isolados da reivindicação da maioria da comunidade internacional.

Dada esta posição do governo de extrema direita, o CNDH ‘expressa sua preocupação com o voto do Brasil na Assembléia das Nações Unidas, contra a resolução que recomenda o fim do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos contra Cuba. 57 anos.

No texto enviado à Assessoria de Imprensa Latina, o conselho indica que ‘a República Federativa do Brasil é governada em suas relações internacionais pelos seguintes princípios de independência nacional, prevalência de direitos humanos, autodeterminação dos povos, não intervenção e igualdade entre Estados, em conformidade com o artigo quarto da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Resultado de imagem para imagenes de brasil en el voto contra el bloqueo

Ele denuncia que, em uma atitude não alinhada à promoção de direitos, o Brasil votou pela primeira vez contra uma resolução que condena o cerco de Washington na ilha do Caribe.

Alerta que é necessário registrar que as decisões tomadas nas Nações Unidas fazem parte de uma política governamental, em nome do Estado brasileiro, executada pelo Ministério das Relações Exteriores.

Ele insiste que o bloqueio de Cuba excede cinco décadas e “é um instrumento de violação dos direitos humanos desse povo”.

Ele ressalta que, ‘desde junho de 2017, o governo Donald Trump implementou 187 medidas, incluindo a suspensão de vôos diretos e travessias de países, além de restrições de vistos e remessas que cubano-americanos podem enviar para o país’ .

O Conselho observa que, ao votar contra a suspensão do bloqueio de Cuba, o Brasil não apenas quebrou a tradição do Itamaraty de buscar a paz no mundo, como um auxílio na intensificação de disputas políticas, que, no caso, agrava as violações dos direitos humanos da nação do Caribe “.

Categories: # yo voto vs bloqueo, #solidaridadvs bloqueo, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, bloqueio econômico, BLOQUEIO VS CUBA, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Colombia, Cuba, Economía, Ernesto Samper, Estados Unidos, Ministerio de Turismo (MINTUR), Relaciones Cuba Estados Unidos, Turismo, Bloqueo,Cuba,EstadosUnidos,Internet,Trask Force, CubavsBloqueo, Trump procura reforçar o bloqueio, Uncategorized | Etiquetas: , , , , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: