Triunfo de Evo Morales na Bolívia

O presidente da Argentina Alberto Fernández, ratificou sua denúncia de que na Bolívia “o estado de direito foi violado” após o golpe de Estado contra Evo Morales e exigiu “imediata democratização” naquele país “com a participação plena do povo”.

“De acordo com um relatório publicado pelo Washington Post e realizado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), Evo Morales venceu as eleições do ano passado por mais de 10 pontos de diferença, sem nenhuma fraude”, escreveu o presidente.

Evo Morales agradeció el apoyo del presidente de Argentina, país donde el exmandatario de Bolivia está asilado.

Em uma série de mensagens em sua conta na rede social do Twitter, Fernández disse que “o relatório divulgou, com uma dureza singular, critica, por sua inconsistência, a auditoria realizada na época pela OEA (Organização dos Estados Americanos) que concluiu afirmando a existência de irregularidades nas eleições agora reivindicadas “.

“Como sempre indiquei, na Bolívia o Estado de Direito foi violado com as ações das Forças Armadas e setores da oposição ao então presidente e com a cumplicidade explícita da OEA que foi chamada para garantir a plena validade da democracia”.

Fernández disse: “O governo argentino da época (chefiado por Macri) manteve um silêncio cúmplice diante de tal indignação, ignorando as vozes que surgiram para preservar a institucionalidade boliviana”.

O estudo do MIT questiona o relatório em que a OEA notou irregularidades nas eleições e que serviu de argumento para seu secretário-geral, Luis Almagro, para garantir que houvesse fraude a favor de Morales.

No dia em que um avanço do relatório da OEA foi publicado, em 10 de novembro, em violação a um acordo para divulgá-lo posteriormente, o então presidente Morales anunciou sua renúncia e deixou o país para o México, que lhe concedeu asilo. .

O líder indígena foi pressionado a deixar a Bolívia, depois que o exército, juntamente com o comando da polícia, pediu que ele se demitisse, o que consumiu o golpe, orquestrado pela oposição de direita que não reconheceu o triunfo de Morales nas eleições de outubro passado

O atual líder de campanha do Movimento ao Socialismo (MAS) da Bolívia permaneceu no exílio por um mês no México e, em 12 de dezembro, dois dias após Fernández assumir a Presidência Argentina, chegou a Buenos Aires, onde solicitou refúgio.

As novas eleições na Bolívia serão realizadas no dia 3 de maio e o candidato do MAS, Luis Arce, lidera as pesquisas em face das eleições organizadas pelas autoridades eleitorais escolhidas pelo governo de fato.

Categories: #América Latina, #Nicarágua, #Bolívia, #Venezuela, #Cuba, #Argentina, #Bolívia, Andrés Manuel López Obrador, Bolivia, estados unidos, Evo Morales, Grupo de Lima, Luis Almagro, Mexico, Nicolás Maduro, Red Europea de Solidaridad con la Revolución Bolivariana, venezuela, BOLIVIA Evo Morales Fidel Castro Hugo Chávez, Democracia, Golpe de Estado, Donald Trump liderou um golpe de estado na nação bolivariana, Evo Moraless, Uncategorized, Washington, Washington deseja apenas como vizinhos os governos servis, Washington. | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

<span>%d</span> bloggers like this: