Cuba: 62 anos de revolução.

Por Ángel Guerra Cabrera Razones de Cuba .

Sessenta e dois anos da Revolução às portas dos Estados Unidos, completados em 1º de janeiro, marcam um significado universal para a luta heróica do povo cubano.

Ainda mais meritória é a façanha quando, nos últimos quatro anos, Cuba foi submetida pelo governo de Donald Trump a um brutal ressurgimento do Bloqueio, que tornou estoicos quase todos os atos da vida cotidiana. Deve ser dito e não deve ser esquecido: durante a pandemia e a crise econômica que ela causou, Trump fez tudo o que pôde para levar Cuba à asfixia.

Internet

Sessenta e dois anos. Neste ciclo histórico foi possível medir plenamente a capacidade do povo cubano e de seus dirigentes de erguer, ante a feroz e implacável hostilidade do império, as bandeiras de liberdade, independência, soberania, unidade e integração de nosso país. América, democracia, socialismo e solidariedade. Mesmo depois do colapso da URSS, no tosco Período Especial, como recordou Raúl Castro, quando ficamos sozinhos no meio do Oeste a 90 milhas dos Estados Unidos.

A chave para a vitória nas primeiras seis décadas da Revolução foi a estreita união do povo em torno de sua vanguarda e a liderança de Fidel Castro. Isso se manifestou desde o dia do triunfo, quando a vitória esmagadora do Exército Rebelde se consolidou com a grande greve geral revolucionária de 1º de janeiro de 1959. Hoje a unidade do povo e do Partido Comunista ainda é essencial.

Muito cedo começaram as medidas radicais de transformação revolucionária e imediatamente as agressões de Washington, que não tolera a independência e a soberania dos povos. Muito menos quando se trata da América Latina e do Caribe, que ele considera seu quintal e por onde voa a doutrina Monroe.

O papel de Fidel Castro foi decisivo. Teve o mérito excepcional de conceber uma nova modalidade do sujeito revolucionário, adaptada à realidade de Cuba e, em termos gerais, dos países dependentes. Sem essa concepção e o uso criativo de todas as formas de luta, incluindo o exército como fundamental, o triunfo revolucionário não teria sido possível.

Juan Manuel Karg on Twitter: "Un 8 de enero de 1959, Fidel Castro ingresaba  en La Habana. Esta foto inédita de Perfecto Romero es publicada hoy por  primera vez por Cubadebate, a

Outro mérito extraordinário de Fidel e de seu povo foi demonstrar que nesta região do mundo foi possível realizar transformações revolucionárias que puderam ser socialistas, defendidas e transformadas em uma nova cultura política. A prova foi Playa Girón, onde os combatentes foram lutar e morrer pelo socialismo e onde os Estados Unidos sofreram sua primeira grande derrota militar na América Latina que acabou com a impunidade a que estava acostumada na região.

A partir de então, os povos latino-americanos e caribenhos tornaram-se um pouco mais independentes. A revolução foi capaz de conduzir simultaneamente a campanha nacional de alfabetização e, em perfeita sincronia, outros grandes movimentos de massa, como as transformações agrárias, a organização e operação – sem sobressalentes – da indústria socialista e a formação de um grande exército popular capaz para derrotar o inimigo imperialista.

A alfabetização e o movimento educacional que a seguiu tiveram proporções gigantescas e desempenharam um papel fundamental na condução da revolução educacional, cultural e científica que se estende por esses 62 anos.

Um exemplo magnífico é o da medicina. Poucos anos depois de 1959, o país perdeu metade de seus médicos. No entanto, isto conduziu à formação acelerada – por iniciativa de Castro – de dezenas de milhares de médicos e enfermeiras e à constituição de um sistema nacional de saúde pública gratuito, constituído por instituições que rapidamente conquistaram o apreço do povo. Além disso, a partir de 1963, com o envio da primeira brigada médica para a Argélia, iniciou-se a cooperação médica internacional, especialmente no então chamado Terceiro Mundo.

Fidel regresa a Santiago por la ruta de la Libertad: "Parecen victoriosas  las fuerzas revolucionarias" | Público
A visão de Fidel combinou o trabalho científico com a formação de médicos, expressa na criação de um sistema integrado com centros de pesquisa que têm desempenhado um papel importante na saúde das pessoas e na criação de medicamentos inovadores em meio ao bloqueio.

Além disso, junto com o pessoal de saúde, eles desempenharam um papel fundamental na luta contra o COVID-19 em Cuba, com o desenvolvimento de uma série de protocolos clínicos bem-sucedidos que permitiram obter 15 por cento mais pacientes recuperados do que no resto do mundo. planeta.

Em meio ao egoísmo e à falta de solidariedade que caracterizou as potências ocidentais durante a pandemia, Cuba enviou milhares de médicos a 29 países para combater o coronavírus. Isso estimulou o surgimento de um grande movimento internacional para conceder o Prêmio Nobel da Paz às brigadas médicas cubanas Henry Reeve.

Retirado de CubaDebate

Categories: #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Fidel, #YoSoyFidel, Constituição é filha da Revolução, Coronavirus, CoronaVirus, Noticias de Cuba, Política, CoronaVirus, Política, Cuba, fidel castro, Fidel Castro Ruz, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, sonhos de Fidel | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: