Estados Unidos e o terrorismo de estado global.

#TerrorismoMadeInUSA #EEUUBloquea #CubaSalva #ManipulacionMediatica #SubversionContraCuba #DonaldTrumpCulpable #MikePompeo #CIA #FBI

Por Redacción Razones de Cuba

É significativo que entre as últimas ações do governo de Donald Trump, formalmente acusado de instigar um violento ataque ao Capitólio por uma multidão irada de seus seguidores, tenha reinserido Cuba na lista de patrocinadores estatais do terrorismo.

Lamenta Cuba manipulación y oportunismo político sobre el terrorismo | Cuba  Si

Lembremos que Trump interrompeu o processo de normalização das relações diplomáticas cubano-americanas, iniciado em 2014, por Barack Obama e Raúl Castro, e aprofundou o embargo criminal com medidas punitivas contra pessoas e países que participam de trocas comerciais e financeiras com os maiores das Antilhas e até proibiu a seus cidadãos de se hospedar em hotéis cubanos, além de ativar, pela primeira vez, a seção III da Lei Helms-Burton (1996), que permite que cidadãos norte-americanos ajuizem ações contra entidades ou pessoas de terceiros países que usam propriedades que foram nacionalizadas pelo Estado cubano, de acordo com a lei, após o triunfo revolucionário.

É paradoxal que o país que apoiou inúmeros golpes de estado para impor sangrentas ditaduras na América Latina e em outras regiões do mundo, que se valeu repetidamente do terrorismo para salvaguardar seus interesses geoestratégicos e proporcionou proteção e impunidade a terroristas confessos, como Luis Posadas Carriles, considere Cuba culpada deste crime contra a humanidade.

Há mais de três décadas, o colega A. Grachiov, com base no relato das operações militares abertas e encobertas realizadas pelos Estados Unidos, país que utilizou a força em 215 casos entre 1945 e 1975, designou essas ações como terrorismo global de Estado , ainda mais criminoso porque conta com o gigantesco poder de guerra e o aparato subversivo do maior estado capitalista. (p. 109) Grachiov considerou que os Estados Unidos haviam elevado o terrorismo à categoria de política de estado, apontando a Agência Central de Inteligência (CIA) como o órgão fundamental do governo para tarefas sujas:

Cuba: Estados Unidos vuelve a incluir a la isla en la lista de países  patrocinadores del terrorismo | Mike Pompeo | Donald Trump | MUNDO | EL  COMERCIO PERÚ
“Organizar e realizar ações subversivas e de sabotagem contra outras nações, atacar estadistas estrangeiros, preparar fraudes e difundir calúnias. Desta forma, ele cumpre a função de um terrorista profissional a serviço da Casa Branca [...] Além das operações secretas sob responsabilidade direta da CIA, deve-se acrescentar sua estreita cooperação com outros serviços secretos de regimes reacionários, [ …] Para que os Estados Unidos sejam tacitamente cúmplices nas operações dos serviços terroristas secretos de outros estados ”. (Sob o signo do terror. Moscou: Editorial Progreso, 1986)

Certamente, a CIA, desde a sua fundação em 1947, tem sido o órgão fundamental para a guerra suja, embora não o único, que não pode ser caracterizada senão como “terrorismo”, se tomarmos a definição do próprio Federal Bureau of Investigation (FBI), como o uso ilegal de força ou violência contra pessoas ou propriedades para intimidar ou coagir governos, a população civil ou um segmento dela, na busca de objetivos sociais ou políticos.

Voltando a Grachiov, e partindo da análise da contra-insurgência planetária dos Estados Unidos durante as respectivas administrações presidencial, republicana e democrática, propus o conceito de terrorismo de estado global para definir esta política de violência perpetrada pelos aparatos de estado imperialistas no mundo contra povos e governos com o propósito de incutir terror e em violação das normas do direito nacional e internacional.

Terrorismo contra Cuba: pasado y presente | Radio Sancti Spíritus

No estudo e análise do terrorismo, tem-se enfatizado o terrorismo individual e de grupos clandestinos de todo o espectro político, ignorando e deixando de lado o papel do imperialismo norte-americano e dos Estados capitalistas na organização do terrorismo interno e na esfera internacional. O terrorismo de Estado global viola as estruturas ideológicas e políticas de repressão legal (justificado pela estrutura legal nacional e internacional) e apela a métodos não convencionais, extensos e intensivos, para aniquilar a oposição política, o protesto social e a insurgência em escala mundial, bem como atacar governos que, como o de Cuba, não se submetem aos desígnios dos Estados Unidos e de seus aliados. (ttps: //vocesenlucha.com/wp-content/uploads/2020/12/GILBERTO-LOPEZ-Y-RIVAS.-ESTUDIANDO-LA-CONTRAINSURGENCIA-DE-EEUU.pdf).

Por sua vez, o Capítulo México da Rede em Defesa da Humanidade expressou sua mais enérgica rejeição à inclusão ilegítima e ilegal de Cuba como país promotor do terrorismo, destacando que é o terrorismo de Estado promovido pelo governo dos Estados Unidos que deveria ser condenado pela comunidade internacional, e não Cuba, que promove a paz e a solidariedade enviando médicos a dezenas de países para colaborar na luta contra a pandemia COVID-19.

Retirado de CubaDebate

Autor: tudoparaminhacuba

Adiamos nossas vozes hoje e sempre por Cuba. Faz da tua vida sino que toque o sulco, que floresça e frutifique a árvore luminoso da ideia. Levanta a tua voz sobre a voz sem nome dos outros, e faz com que se veja junto ao poeta o homem. Encha todo o teu espírito de lume, procura o empenamento da cume, e se o apoio rugoso do teu bastão, embate algum obstáculo ao teu desejo, ¡ ABANA A ASA DO ATREVIMENTO, PERANTE O ATREVIMENTO DO OBSTÁCULO ! (Palavras Fundamentais, Nicolás Guillen)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: