Mais de dez milhões de alfabetizados com o método cubano Sim, posso.

Autor: Yenia Silva Correa | internet@granma.cu

“Até o momento, 10.611.282 pessoas de 30 países se alfabetizaram. Atualmente, continua em comunidades indígenas na Austrália e em Moçambique. No caso do México e do Haiti, ele está detido devido à pandemia. Foi o que relatou Eva Escalona Serrano, presidente do Comitê Científico de Pedagogia 2021 e diretora de Ciência e Tecnologia do Ministério da Educação, ao referir-se ao método cubano que posso.

Yo si puedo

Sua primeira versão foi feita em 1998, por iniciativa do Comandante em Chefe Fidel Castro Ruz, e até hoje conta com 20 adaptações, com Menções Honrosas do Prêmio Rei Sejong em 2002 e 2003, além do da Organização das Nações Unidas para a Educação ., Ciência e Cultura (Unesco), concedido ao Instituto Pedagógico Latino-Americano e Caribenho de Cuba

Hoje, disse Escalona Serrano, está a trabalhar-se na sua aplicação em dispositivos e redes móveis, e também afirmou que “neste momento colaboramos em 13 países, com 290 profissionais, no assessoramento aos Ministérios da Educação, leccionando nos diferentes níveis de ensino , incluindo, em particular, o Ensino Técnico e Profissional, entre outros ”.

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Fidel, #ONU, #YoSoyFidel, Assembléia Geral da ONU, Colômbia, Organização das Nações Unidas (ON, australia, Cuba-Mexico, EDUCAÇÃO, educação, HAITI, MEXICO, mozambique, UNESCO | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

<span>%d</span> bloggers like this: