Eles pedem apoio no #Panamá contra o #bloqueio norte-americano a #Cuba.

Panamá, 10 de fevereiro Prensa Latina

Uma organização social panamenha entregou uma carta à chanceler ístmica, Erika Mouynes, solicitando seu pronunciamento sobre a eliminação do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba, que continua em vigor até hoje.

A Frente Nacional de Defesa dos Direitos Econômicos e Sociais (Frenadeso) também solicitou sua ajuda para a supressão da nação caribenha da lista em que o governo dos Estados Unidos inclui os países listados como patrocinadores do terrorismo.

A carta, entregue ontem na sede do Itamaraty, repudiava as ações das autoridades do poder nortista que afetam ‘um povo heróico’ e pedia um pronunciamento de condenação da ministra e da instituição que dirige, que deve assumir um papel soberano neste assunto, afirmou.

Na Assembleia Geral das Nações Unidas, os governos panamenhos de 1994 até hoje se manifestaram a favor do levantamento do bloqueio comercial, financeiro e econômico contra Cuba e, inclusive, a partir de 1997, responderam às notas do Secretário-Geral da ONU ao respeito.

Somente em 1992 e 1993 o istmo se absteve sob o governo de Guillermo Endara, que assumiu o cargo em uma base dos Estados Unidos poucos dias após a invasão do Exército dos Estados Unidos no Panamá em dezembro de 1989.

Diversas organizações sociais e personalidades solidárias com o povo cubano se manifestaram em janeiro passado contra a inclusão de Cuba como Estado terrorista pela ‘administração moribunda’ de Donald Trump.

“Como patriotas panamenhos que sofreram múltiplas intervenções militares e a interferência permanente dos governos dos Estados Unidos nos assuntos internos de nosso país, temos o dever de rejeitar vigorosamente esta declaração”, disse na época um comunicado da Frente Ampla pela Democracia .

Além disso, a Associação Martiana de Moradores de Cuba no Panamá condenou o que qualificou de “manobra suja dos Estados Unidos”, ao incluir Cuba em sua lista de patrocinadores do terrorismo, como as últimas ações do governo cessante desse país.

“O argumento é falso, o verdadeiro fim, é a asfixia econômica de todo um povo”, disse o grupo em uma mensagem onde alertou que “não é apenas mais um golpe, isso tem consequências na ordem econômica e tem motivação ideológica. “

Em novembro passado, profissionais panamenhos formados na ilha caribenha também se manifestaram pelo desaparecimento total do bloqueio norte-americano, cujas consequências também sofreram quando estudaram em universidades cubanas e puderam avaliar os prejuízos que isso acarreta às famílias de aquela nação.

Categories: # Cuba, # yo voto vs bloqueo, #solidaridadvs bloqueo, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, bloqueo, bloqueo contra cuba, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Colombia, Cuba, Economía, Ernesto Samper, Estados Unidos, Ministerio de Turismo (MINTUR), Relaciones Cuba Estados Unidos, Turismo, Bloqueo,Cuba,EstadosUnidos,Internet,Trask Force, CubavsBloqueo, ONU, ONU-CUBA, panamá, política dos Estados Unidos em relação a Cuba, Relações Estados Unidos Cuba | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

<span>%d</span> bloggers like this: