Economistas seniores pedem mudanças em Cuba e em outros países .

Por Arthur González

De masterclasses a receitas específicas para mudar o sistema socialista cubano são inúmeras, com recomendações de economistas renomados que ignoram quase totalmente a guerra econômica, comercial e financeira imposta pelos Estados Unidos há 62 anos, que visa o objetivo de fazer o modelo econômico. , culpe-o por ser um fracasso para que não se repita em outras nações.

Em 1959, os Estados Unidos iniciaram suas ações subversivas contra o processo revolucionário, permitindo e incentivando atividades realizadas por membros da tirania de Fulgencio Batista. Em 5 de junho daquele ano, o senador democrata George Smathers, propôs uma emenda para reduzir a cota de açúcar que compraram de Cuba.

No ano seguinte, em 3 de julho, o Congresso aprovou o cancelamento da referida cota, que foi assinada em 6 de julho pelo presidente Eisenhower, que declarou:

“Esta ação dá início às sanções econômicas contra Cuba. Agora devemos empreender outras medidas econômicas, diplomáticas e estratégicas ”.

Em 1962, eles legalizaram a guerra econômica, chamando-a eufemisticamente de “Embargo”.

Que países pobres dependentes do comércio com os Estados Unidos teriam suportado tais medidas?

De uma sala de aula universitária ou de um bureau, é muito fácil criticar e até desenhar políticas econômicas, como fazem o eminente professor Carmelo Mesa Lago e outros economistas formados em Cuba a partir de 1959, mas dirigir uma economia sujeita a constantes sanções é outra coisa, e ainda mais quando defendendo programas sociais como educação gratuita em todos os níveis, incluindo centros para deficientes; saúde da atenção primária à atenção especializada; o esporte; cultura e suas escolas; pesquisa científica em todos os campos; obras sociais e vantagens que só um sistema socialista pode realizar.

É claro que não faltam erros em um trabalho colossal com funcionários inexperientes, sem falar nos colaboradores inimigos guiados pelos ianques para atrapalhar o processo revolucionário, junto com planos terroristas, hoje desclassificados, que falam por si.

Cuba há muitos anos vem aperfeiçoando seu sistema para erradicar os erros, mas sem abandonar sua essência socialista e por isso soube resistir ao desmantelamento do socialismo no Leste Europeu e na URSS, apesar da perda de mais de 85% de seu comércio. … no exterior, quando muitos apostavam que a Revolução não duraria mais de seis meses, deixando Washington e seus aliados com o desejo.

Não só resistiu, mas avançou economicamente, sem abandonar nenhum de seus programas sociais, nem aplicando políticas de choque, como faz o capitalismo, defendidas por sábios economistas que exigem tantas mudanças.

Cuba desenvolveu o setor científico e o turismo sem contar com empréstimos do FMI e do Banco Mundial, como nenhuma outra nação o fez, algo impensável no chamado Terceiro Mundo.

A reação dos Estados Unidos não esperou e em 1992 aprovaram a conhecida Lei Torricelli e em 1996 a Lei Helms-Burton, para apertar ainda mais o cerco econômico e financeiro contra a Revolução, ao mesmo tempo que aumenta sua guerra biológica para prejudicar a produção. de alimentos, introduzindo pragas e doenças.

Um teste de validade do socialismo é o resultado do confronto com a pandemia Covid-19, porque enquanto nos Estados Unidos e na Europa aumentam o desemprego e a pobreza, Cuba, pobre e economicamente bloqueada, demonstra sua capacidade de resistência e progresso, por trabalhando em quatro vacinas candidatas no mesmo nível do primeiro mundo, junto com a cooperação médica em mais de 40 países para salvar vidas e não mortes, como os ianques fazem com suas guerras injustificadas.

Um exemplo das diferenças se manifesta na Itália, onde no último ano mais pessoas vivem na pobreza absoluta, cinco milhões e meio, cerca de 9,4% da população do país, número considerado o mais alto dos últimos 15 anos. Por isso, diariamente há longas filas para receber alimentos oferecidos pelas ONGs, para quem não tem dinheiro para comprá-los.

A pandemia expôs as fragilidades do sistema capitalista, jogando milhões de europeus na pobreza e no desamparo, por não terem o apoio do governo, como acontece na Cuba socialista, que exigem uma mudança de sistema. Apesar das 242 sanções impostas nos 4 anos do governo Trump, nenhum cubano ficou sem emprego e a população recebe assistência médica incomparável com a de outros países capitalistas.

Hoje os países desenvolvidos e sem a guerra econômica e financeira que Cuba sofre, sofrem pobreza financeira e social, mas para este capitalismo em crise os economistas renomados não prescrevem mudanças, apesar do fracasso da economia capitalista.

Estudos da ONU afirmam que, no mundo, uma em cada 5 pessoas está em risco de pobreza, porque os governos veem o gasto social como um aumento de sua dívida e não como um investimento para o desenvolvimento futuro, como na crítica do sistema socialista.

Estudos da OXFAM mostram que devido à crise econômica causada pela Covid-19, cerca de 2.700 milhões de pessoas no mundo não tiveram proteção social e estima que 500 milhões estão subempregados ou desempregados.

A Espanha vive uma crise colossal, com frustração para seus cidadãos, que observam que o governo aprovou apenas um por cento dos pedidos de ajuda.

A Áustria, o sexto país mais rico da União Europeia, está no mesmo caminho e muitos se viram repentinamente nas ruas, perdendo seus empregos e pequenos negócios, sem um sistema governamental de apoio.

A economia britânica contraiu 9,9% em 2020, o maior colapso em 300 anos, e a economia alemã sofre seu pior ano desde a crise financeira de 2008. Mas são os trabalhadores e os jovens que suportam o peso, perdendo empregos e dinheiro para pagar o aluguel , eletricidade, alimentação e outros serviços básicos, sem ter uma pequena cesta básica para sustentá-los.

A América Latina é outro exemplo do fracasso neoliberal capitalista, onde a pobreza, e as mais de 700.000 mortes de Covid-19, é a única coisa que cresce.

A pandemia expôs o esgotamento do sistema capitalista.

É essa a receita perfeita que propõem aos cubanos?

A China, com seu sistema socialista particular, apresenta um crescimento de 2,3% do PIB em 2020, apesar da pandemia, razão pela qual os Estados Unidos e a União Européia não param de sancioná-la, como fazem com a Rússia.

A vida se encarrega de expor a verdade. O sistema socialista trabalha para o bem-estar do ser social e sob o capitalismo faz o oposto.

Pare de desperdiçar milhões de dólares para subverter a ordem interna de Cuba, aceite o socialismo e cuide de seus próprios problemas; por isso José Martí afirmou:

“O que não pode ser mudado, deve ser visto como está.”

Publicado por tudoparaminhacuba

Adiamos nossas vozes hoje e sempre por Cuba. Faz da tua vida sino que toque o sulco, que floresça e frutifique a árvore luminoso da ideia. Levanta a tua voz sobre a voz sem nome dos outros, e faz com que se veja junto ao poeta o homem. Encha todo o teu espírito de lume, procura o empenamento da cume, e se o apoio rugoso do teu bastão, embate algum obstáculo ao teu desejo, ¡ ABANA A ASA DO ATREVIMENTO, PERANTE O ATREVIMENTO DO OBSTÁCULO ! (Palavras Fundamentais, Nicolás Guillen)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: