A continuidade cria raízes nos quadros do Partido.

Por Redacción Razones de Cuba

A obra emancipadora da Revolução Cubana sempre contou, em todas as suas fases, com mãos jovens para a sustentar e continuar, temperadas a cada circunstância histórica, mas sem se afastar um iota das essências, do que é genuíno e inabalável.

Foram os jovens, para citar apenas um exemplo, os da Geração Centenária, que acenderam a chama da Revolução triunfante de 1959. Foram os iniciadores, com Fidel na linha da frente, do que foi feito nestes 62 anos.

Assim, identificar, com responsabilidade, as forças que continuam, dando-lhes um rosto e um nome, ou o que é o mesmo, levando a cabo um processo de renovação gradual e ordenada dos quadros, especialmente do Partido Comunista de Cuba (PCC), recebeu uma atenção permanente durante o processo revolucionário, aumentado após a celebração, em 2012, da Primeira Conferência Nacional da organização política.

Entre os objectivos aprovados nesse evento, e que foram ratificados no 7º conclave do partido, estava precisamente o de renovar os quadros nas suas posições, uma tarefa transcendente e, ao mesmo tempo, natural.

Coerentemente, e como expressão exacta da sensibilidade e estratégia do processo, nos relatórios centrais apresentados ao 6º e 7º Congressos, o General do Exército Raúl Castro Ruz, Primeiro Secretário do Comité Central do Partido, alertou para os efeitos negativos da improvisação, bem como para a falta de previsão e de sistematização. Insistiu também na necessidade de preparar camaradas capazes de continuar o trabalho da Revolução e de assumir as principais posições da nação.

A existência, sem dúvida, de um potencial de mulheres e homens, incluindo jovens, com perspectivas de desenvolvimento e empenho no cumprimento de diferentes tarefas, tornou possível avançar neste esforço, em cuja realização a capacidade do Partido para enfrentar e superar desafios também foi decisiva.

Mas a construção da continuidade continua a ser um exercício diário, empreendido, apesar das suas complexidades, com confiança no futuro, porque, como disse o Comandante-Chefe Fidel Castro Ruz, na sua qualidade de Primeiro Secretário do Comité Central do PCC, durante a cerimónia de encerramento do 5º Congresso: O Partido não pode dar-se ao luxo de um dia ter a sua liderança falhada, porque o preço seria impagável.
Que o seguimento comece na base

A evolução da Revolução Cubana, e as condições complexas em que se está a desenvolver, permitem-nos prever, como já foi dito em outras ocasiões, um cenário ainda mais complexo e desafiante para os próximos anos.

Contudo, tendo contado com a presença activa, a liderança e o exemplo de lealdade e consagração da geração histórica nesta fase de transição, abriu o caminho.

A ratificação, durante o 7º Congresso, dos limites de permanência nos cargos por tempo e idade, e o estabelecimento de um vínculo laboral prévio, não inferior a cinco anos, como requisito para ser promovido a um quadro profissional do Partido, também lançou as bases para garantir o rejuvenescimento essencial da militância em cargos decisivos.

Também tem sido uma prioridade que os promovidos sejam caracterizados pela sua modéstia, simplicidade, humildade, empenho, lealdade à Revolução, sem vestígios de elitismo, ambição, auto-suficiência ou vanglória.

Com estas premissas como bússola, a direcção do Partido realiza uma avaliação sistemática do processo de renovação, que inclui visitas a todas as províncias do país, intercâmbios com os primeiros secretários, análise das projecções dos movimentos a realizar a curto e médio prazo, bem como a identificação dos camaradas que, devido às suas qualidades e desempenho, podem ocupar responsabilidades mais elevadas.

Os procedimentos de trabalho incluem também reuniões com as lideranças nacionais da Liga Comunista Jovem (YCL) e as organizações de massas, actividades que são constantemente monitorizadas.

A utilização destes e de outros mecanismos de controlo sistemático, bem como a implementação das medidas de renovação aprovadas, tornaram possível a realização de progressos neste importante domínio, e as estatísticas confirmam-no.

Actualmente, quase todos os líderes profissionais do Partido a nível municipal e provincial nasceram após o triunfo da Revolução. Portanto, a idade média de todos os quadros da organização política, hoje com 42,5 anos de idade, mostra uma tendência decrescente. Há 1.501 com menos de 40 anos de idade.

Outra linha de trabalho tem sido a aplicação de rotação selectiva destes camaradas através de diferentes responsabilidades partidárias, administrativas e governamentais, como complemento à sua formação abrangente. Além disso, 76,5% destes funcionários estão nos seus postos há menos de cinco anos, e apenas 6,9% estão nos seus postos há mais de 10 anos, concentrados a nível nacional.

A procura de uma composição por cor de pele, sexo e idade, de acordo com as características da sociedade cubana de hoje, é também uma prioridade. A este respeito, 54,2% dos quadros do partido são mulheres e 47,7% são negras e mulatas. Além disso, existem 75 primeiros secretários de comités municipais e distritais, ou seja, 42%.

Foi também estabelecido que todos os camaradas promovidos recebem formação, como fazem quando passam para responsabilidades mais elevadas dentro da organização.

Como resultado, aqueles que têm o potencial para ocupar posições de topo recebem formação em cursos com diploma ou certas especialidades.

Actualmente, 81% dos quadros do partido têm um diploma universitário, enquanto outros tiram partido das capacidades existentes nas escolas provinciais para o diploma universitário em Ciências Sociais.

Outro aspecto de interesse tem sido a contribuição crescente da UJC para o trabalho profissional no Partido, que permitiu a promoção de 470 camaradas nos últimos cinco anos. Em termos gerais, 23,5% dos quadros profissionais provêm da organização política juvenil e vários deles passaram para responsabilidades mais elevadas.

O facto de 47,6% dos funcionários que deixaram o Partido nos últimos cinco anos terem passado para posições de liderança no Estado, no governo e nas organizações de massas a diferentes níveis é também um resultado encorajador.

Na transição de uma geração histórica para outra, capaz de liderar o destino do país, há uma grande responsabilidade e, ao mesmo tempo, confiança, porque a continuidade se enraizou em tudo o que foi alcançado desde 1868 e sabe-se que será salvaguardado.

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #SomosContinuidad, CINCO HEROES, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: