Daily Archives: 31 de Maio de 2021

# 31 de maio, Dia Mundial do Combate ao Tabaco

Totana.com - Totana se suma al Día Mundial sin Tabaco, que se celebra el 31  de mayo
Categories: #salud | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Aqueles que acusam Cuba de terrorismo tentaram queimar crianças vivas em um cinema (+ Vídeo)

Em 28 de maio de 1961, criminosos a serviço da CIA atearam fogo no cinema Riesgo, em meio a uma matinê infantil. Rolando Pacheco Rodríguez, um dos pequeninos que durante muitos anos sofreu o trauma daquela época, lembra como se tivesse acabado de acontecer

Autor: Ronald Suárez Rivas

Dizem que nem a Casa de Socorros de Pinar del Río nem o hospital León Cuervo Rubio jamais receberam tanta gente para doar sangue ou ajudar no que fosse preciso, como naquele domingo em que o horror tomou conta da cidade.

Em 28 de maio de 1961, criminosos a serviço da CIA atearam fogo no cinema Riesgo, em meio a uma matinê infantil. Rolando Pacheco Rodríguez, um dos pequeninos que sofreu durante muitos anos o trauma daquela época, lembra-se como se tivesse acabado de acontecer. “Sentamos no segundo andar, porque não conseguimos assentos no primeiro andar, e o terceiro também estava cheio.”

Tentando tirá-lo de lá, em meio à debandada de uma multidão que corria em direção às portas fugindo do perigo, seu pai cortou seriamente o braço no vidro.

Outras crianças sofreram ferimentos mais graves, como Enrique Henríquez Hernández, de 11 anos, que caiu ao tentar chegar ao corredor e várias pessoas o atropelaram.

O saldo do monstruoso acontecimento seriam 26 crianças e 14 adultos feridos, alguns com consequências para toda a vida, como Alberto Noel Venereo González, que morreu anos depois devido a um aneurisma causado pelos golpes que recebeu.

O chamado Movimento Insurrecional de Recuperação Revolucionária, organização paramilitar fundada nos Estados Unidos, seria premiado com a ação, na qual utilizou fósforo vivo fornecido pela CIA.

O historiador Juan Carlos Rodríguez Díaz afirma que foi um ato de ressentimento, implacável e covarde, pela derrota em Girón há pouco mais de um mês.

Seis décadas depois que o fogo saltou da tela do cinema Riesgo (hoje Pedro Saidén) e transformou uma sessão de cartoon em uma cena de terror, não ignora o cinismo do governo dos Estados Unidos, o mesmo que ordenou e financiou a sabotagem, e agora mantém Cuba em uma lista espúria de nações que patrocinam o terrorismo.

Para Rolando Pacheco, é uma grande ironia. “Desde 1959, os cubanos foram repetidamente alvos de ações terroristas forjadas nos Estados Unidos. Se alguém deve aparecer na lista, são eles. Esse filme é o contrário.

Categories: Terrorismo | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Contra o ódio dos Estados Unidos, mais amor a Cuba

Autor: Nuria Barbosa León

Desde Valencia, España, el Movimiento Estatal de Solidaridad con Cuba, que aglutina a más de 50 organizaciones, apoyó la III Caravana Mundial contra el bloqueo. Otras ciudades españolas se sumaron al reclamo.
De Valência, na Espanha, o Movimento Estatal de Solidariedade com Cuba, que reúne mais de 50 organizações, apoiou a Caravana do Terceiro Mundo contra o bloqueio. Outras cidades espanholas aderiram à reivindicação. Foto: ICAP Facebook

Mais uma vez, as caravanas dos Puentes de Amor saem às ruas do mundo para exigir o fim do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba. Nos dias 29 e 30 de maio, de mais de 70 cidades, as vozes das famílias cubanas se uniram à demanda pela eliminação do bloqueio “, disse o membro do Birô Político do Comitê Central do PCC e chanceler da República, Bruno Rodríguez Parrilla, em seu perfil no Twitter.

Fez referência às manifestações de solidariedade nas principais cidades do planeta, pela terceira vez, para exigir o fim da política criminosa imposta pelos Estados Unidos a Cuba há mais de seis décadas, que em apenas um ano deixou perdas de mais de 5 $ 570,3 milhões.

Os simpatizantes da Revolução Cubana, agrupados em distintas organizações de solidariedade, realizaram regatas de barcos marítimos, passeios, caravanas em automóveis, motocicletas e bicicletas; eventos públicos e manifestações em frente à sede diplomática dos Estados Unidos em todo o mundo para exigir o fim das hostilidades contra as Grandes Antilhas.

Na esfera virtual, o Fórum de São Paulo e outras organizações ao redor do mundo transmitiram fotos e vídeos de várias cidades, grande parte deles publicados no Facebook da conta Siempre con Cuba.

Na Venezuela, centenas de motociclistas fizeram uma grande caravana pelas avenidas centrais de Caracas, do Parque del Este à Plaza Sucre, na freguesia de Catia, onde exigiram o fim das ações de asfixia econômica implementadas por Washington. Em Manágua, na Nicarágua, o dia serviu também para arrecadar recursos financeiros para a aquisição de seringas para vacinação contra COVID-19, como forma de contestar o bloqueio.

Segundo a Prensa Latina, uma marcha convocada pela Associação de Moradores Cubanos José Martí no México e os movimentos de solidariedade ao povo cubano, partiu do Monumento à Revolução, na Avenida Juárez, e avançou pelo Paseo de la Reforma até chegar ao Embaixada dos Estados Unidos, perto da coluna El Ángel, naquela capital.

Na Costa Rica foi divulgado nas redes sociais um comunicado pedindo o fim das medidas coercitivas para Cuba e, no Equador, a Praça José Martí, localizada no centro de Quito, foi o espaço escolhido para rejeitar o cerco a Washington e encerrar a campanha Em suas mãos a vida, iniciativa continental para a aquisição de seringas com o objetivo de contribuir para a vacinação contra a COVID-19 no arquipélago.

Ação semelhante aconteceu na Cidade da Guatemala, organizada pela Associação José Martí, que se prepara para enviar 46.000 seringas à ilha, por meio da iniciativa Amor e Virtude; De cidade em cidade.

Na Itália, as ações começaram no sábado, principalmente nas cidades de Crema e Lombardia, onde uma brigada de médicos cubanos lutou contra o COVID-19 em 2020. No domingo realizaram atividades em Veneza e Pádua, convocadas pela Associação Nacional de Amizade Itália -Cuba, que planejou atividades em 30 cidades do país.

A Espanha se mobilizou por meio do Movimento Estatal de Solidariedade com Cuba, formado por mais de 50 organizações, em cidades como Sevilha e Barcelona. No primeiro, a Plaza Playa de Isla Canela e o Parque del Alamillo testemunharam atos públicos pela paz e contra o imperialismo. Ainda na Plaza Catalunya, em Barcelona, ​​foi instalado um site para tirar fotos coletivas de apoio a Cuba. Houve também uma regata no rio Bilbao que terminou com um evento no píer da Plaza Pío Baroja. Algo semelhante aconteceu em Málaga, em frente à Delegação da Junta de Andalucía, na Alameda Principal, segundo o site Cubainformación.

Enquanto isso, a Associação de Amizade Berlim-Cuba organizou um passeio de bicicleta da embaixada da ilha para a embaixada dos Estados Unidos, que desceu a avenida central do Portão de Brandenburgo. Em Bruxelas, os participantes regressaram pela terceira vez em dois meses à famosa esplanada Atomium para reiterar o seu apoio ao país caribenho, enquanto em Antuérpia foram à praça Groenplaats, onde se ergue a imponente catedral gótica da cidade.

Nas cidades turcas de Istambul, Izmir e Ancara, ativistas participaram de comícios e desfile de bicicletas. Uma caravana de caravanas também foi realizada em Auckland, Nova Zelândia, e em Brisbane, Austrália.

O Twitter da embaixada cubana nos Estados Unidos publicou vídeos e imagens de centenas de cubanos com uma mensagem ao presidente Joe Biden para suspender as mais de 240 sanções impostas por seu antecessor Donald Trump, que intensificaram o bloqueio.

Durante o sábado e o domingo em várias cidades da Itália, como Roma, Milão, Turim, Gênova, Savona, Nápoles, Livorno e Veneza, foram desenvolvidas caravanas de solidariedade com Cuba. Foto: ICAP Facebook

Uma das mensagens diz: «A política de bloqueio econômico, comercial e financeiro contra Cuba gera a rejeição de diversos setores da sociedade estadunidense e de numerosas personalidades e organizações desse país. No More Blockade ”, e é acompanhada por uma foto com uma placa em inglês condenando o cerco econômico, comercial e financeiro criminoso.

Lá, os grupos Puentes de Amor e o Movimento Anti-Bloqueo a Cuba (NEMO) publicaram vídeos dos eventos públicos, nos quais exigiam a normalização das relações entre os dois países, a abertura total das embaixadas e a restauração do consular procedimentos. Também pedem o levantamento das proibições de envio de remessas a Cuba e a autorização para as companhias aéreas norte-americanas pousarem em todos os aeroportos da ilha.

Da mesma forma, o site Cubamirex divulgou acontecimentos públicos em Port of Spain, Trinidad e Tobago, com gravações de áudio e explicações sobre os danos causados ​​pelo bloqueio em mais de seis décadas, no valor de 144.413 milhões de dólares e afetando todos os setores da sociedade cubana.

Ele também relatou ações no Senegal, com um giro pelas principais ruas da capital em caminhões adornados com slogans e placas condenando a política genocida dos EUA. Em Luanda, divulgaram uma Declaração em nome da Associação da Comunidade dos Residentes Cubanos em Angola, assinada por profissionais formados em Cuba e outros grupos de solidariedade.

Nas redes sociais, há imagens postadas na China, Irlanda, Botswana, África do Sul, Tunísia, Nova Zelândia, Brasil, Austrália e cidades como Milão, Barcelona e Perth. Foi em um fim de semana mundial com Cuba e contra o bloqueio.

Tirado de Granma

Categories: bloqueio | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Cuba no beisebol pré-olímpico: frustração, histeria e ódio, os três golpes que arrasam os ataques contra Cuba

Autor: Oscar Sánchez Serra

Cuba ha recibido con respeto y admiración a todas las delegaciones deportivas de Estados Unidos.
Cuba recebeu com respeito e admiração todas as delegações esportivas dos Estados Unidos. Foto: Revolution Studios

Começa hoje a pré-olimpíada das Américas de beisebol, na qual a seleção cubana, a partir das 13h, enfrentará o seu homólogo venezuelano em West Palm Beach, na Flórida. No entanto, um grupo que nem remotamente é maioria, pretende continuar a jogar e, claro, perder para a guerra. Para isso, recorrem à violência e, logicamente, às mentiras. O alvo de seus ataques são os jogadores das Grandes Antilhas.

Protegidos, organizados e dirigidos pelos senadores Rick Scott e Marco Rubio, a deputada María Elvira Salazar, e convocados pelo porta-voz barato daquela sede, Alexander Otaola, os integrantes desse segmento teriam se organizado para se encontrar no parque de beisebol, onde, segundo Otaola ele próprio, vão protestar contra a presença de representantes do governo “totalitário” da ilha.O legislador, para garantir a sua presença, até destinou recursos para a compra de passagens.

Ficou claro que a segurança do estádio, cuja responsabilidade recai sobre o próprio Scott, permitiria o pronunciamento por meio de cartazes ofensivos e o lançamento de objetos em campo contra os jogadores. Mesmo as frases de ataque, que por respeito não vão borrar as páginas deste jornal, contêm palavras obscenas. Como se não bastasse, também anunciaram que o fariam contra o ônibus por onde os atletas viajam.

As regras da Carta Olímpica, e este é um torneio sob a égide do Olimpismo, por se tratar de qualificação para os próximos Jogos de Tóquio, obriga os donos da casa a garantir o normal desenvolvimento da competição, o que inclui a segurança de cada um dos os participantes. Em outras palavras, são as autoridades, esportes e governo dos EUA os responsáveis ​​pelo que acontece com qualquer jogador.

Não é novidade agir nos Estados Unidos diante de nossas embaixadas esportivas. Hoje é o frustrado Otaola e seus patrões, sempre perdedores, ante a virilidade do povo cubano e seu avassalador apoio à continuidade da Revolução e seus sucessos, apesar do bloqueio, mais de 240 medidas de um presidente alienado, que por sua vez nem os tocou, e uma pandemia. “Pobres pequeninos”, como deixaram de sofrer.

O dia 10 de junho marcará o 55º aniversário da Declaração de Cerro Pelado, nome do navio que levou os atletas aos Jogos da América Central e do Caribe em San Juan, no colonizado Porto Rico. Esse texto expressava a vontade da comitiva em participar, mesmo que precisasse nadar. Antes, na Jamaica-1962, em evento semelhante, também em um estádio de futebol, o Sabina Park, provocadores como esses agora atiravam cadeiras e porretes nos integrantes da delegação, que se defendiam, fazendo com que seus agressores fugissem; Em 1963, nos Jogos Pan-americanos de São Paulo, o avião que transportava os atletas não pôde tocar na pista do aeroporto, e o então presidente da Inder, José LLanusa Gobels, disse ao piloto que pousasse que «viemos competir, ele é nosso direito ”.

Em Indianápolis-1987, o encontro pan-americano encontrou o mesmo ambiente hostil em vários dos cenários, como em 1999, em Winnipeg, onde até autorizou um jornal, além de uma estação de rádio, para atacar e incitar a deserção. De nossa delegação. .

Em contrapartida, nunca um atleta dos Estados Unidos, um membro de suas delegações ou um jornalista foi agredido em Cuba, nem física nem moralmente, nenhum recebeu insultos. Aqui foi em março de 1999 o time mlb Baltimore Orioles, e seus jogadores, como Charles Johnson, conhecido dos fãs por sua presença nos Jogos Pan-americanos de 1991, fazendo um home run decisivo, foram aplaudidos. Antes aplaudimos Jim Abbott, aquele excelente arremessador que carecia de uma mão, o que não impedia sua excepcionalidade; também a seus companheiros Robin Ventura, Joe Carter ou Greg Olson.

Precisamente, no encontro poliesportivo da América, em 1991, na madrugada do período especial, Cuba se ofereceu para transmitir os Jogos gratuitamente para a TV norte-americana.

Em Havana, em março de 2016, o próprio presidente dos Estados Unidos assistiu, em estádio cheio, ao jogo entre Tampa Bay e Cuba, com o maior respeito pelo hino de seu país, sua bandeira e sua alta inauguração. Não há um único ultraje ou calúnia da imprensa esportiva de atletas americanos. USABolistas foram recebidos nas partidas bilaterais e, mais tarde, essas mesmas pessoas ficaram espantadas com seus resultados nas ligas principais, como os casos recentes de Maikel Conforto ou Carlos Rodon, este último autor de um zero jit zero corridas neste major. temporada da liga, que foi elogiada pela crônica esportiva nacional.

Não ocorreu a ninguém que, por diferenças políticas ou ideológicas ou por bloqueio criminoso, mandatado para matar de fome, obra dos governos dos Estados Unidos, um jogador é vaiado ou maltratado, ou seu Presidente, que está sentado, com a família, atrás de casa no Latinoamericano, local onde a filha do lendário Jackie Robinson, recebeu, em nome do pai, os longos aplausos de homenagem ao primeiro negro da MLB.

Os que hoje buscam atacar e repudiar a seleção de Cuba na Flórida reconheceram, conforme se publicam nas redes sociais, que a questão é política, e não importa se são atletas, artistas, jornalistas ou médicos, que não são. funcionários do governo. Eles, como seus patrões, não agem contra as estruturas de governo, eles agem contra o povo, porque esse, povo, são os jogadores, a quem Otaola desrespeitosamente chamou de ratos peludos.

Aliás, os jogadores que buscam seu ingresso olímpico têm certeza de que sua missão ali é jogar beisebol e dar um bom show ao time e a muitos de seus torcedores que irão apoiá-los, pois desejam a vitória do seu país, como aqueles que neste fim de semana durante a semana se manifestaram contra o bloqueio em várias cidades dos Estados Unidos.

Para os que odeiam, mesmo que não entendam o papa, deixamos duas mensagens nas vozes de Martin Luther King, pastor da Igreja Batista, e de José Martí. O nascido em Atlanta disse: “Nada que um homem faça o rebaixa mais do que se permitir afundar tanto a ponto de odiar alguém”. E o mais universal dos cubanos os retratou: “Os bárbaros que tudo confiam à força e à violência, não constroem nada, porque suas sementes são do ódio”.

Tirado de Granma

Categories: Uncategorized | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Outros 20 milhões para a subversão em Cuba: há uma prioridade para o governo dos Estados Unidos lá

Mais de uma vez, porta-vozes e funcionários do atual governo dos Estados Unidos declararam que Cuba não é um tema de alta prioridade para seu governo. É a linha de mensagem a ser usada para justificar a inação em face da barbárie. Quase seis meses no cargo se passaram sem que nenhuma das 243 medidas punitivas impostas pelo ex-inquilino da Casa Branca tivesse sido revogada.

Em vez disso, passos ininteligíveis foram dados que reforçam os fundamentos das ações irracionais de Trump e sua camarilha. É o que atesta a certificação do Departamento de Estado em 25 de maio de que Cuba não colabora plenamente com os esforços antiterroristas dos Estados Unidos.

Parece que há forças dentro do governo que têm restringido a anunciada revisão da política em relação a Cuba, apostando que a dura situação econômica e de saúde do país criará um cenário favorável para uma “mudança de regime” em Cuba.

Portanto, é uma prioridade deste governo garantir por mais um ano a cifra multimilionária que durante décadas destinou a planos subversivos contra Cuba.

Conforme encontrado pelo Cuba Money Project, da jornalista Tracey Eaton. O governo Biden está solicitando US $ 58,5 bilhões para o Departamento de Estado e a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional até 2022, um aumento de 10% em relação ao orçamento deste ano.
O orçamento proposto inclui US $ 20 milhões para “programas de democracia” voltados para Cuba, o mesmo nível de financiamento de 2021.

Ao mesmo tempo, a Casa Branca solicitou US $ 810,396 milhões para a Agência de Mídia Global dos Estados Unidos, que supervisiona o Gabinete de Transmissão de Cuba, empresa controladora da infame Rádio e TV Martí.

O Gabinete de Radiodifusão de Cuba, que administra a Rádio e a TV Martí, tem 117 funcionários e um orçamento anual de cerca de US $ 28 milhões

Em linguagem intencional, o documento orçamentário cita “a histórica transição de poder em curso em Cuba”. Afirma:

Com o financiamento solicitado, o USAGM terá como alvo a programação em mercados-chave como China, Rússia e Irã; países do Oriente Médio e da África que enfrentam extremismo violento; e países onde as mudanças climáticas, crises de saúde pública e incertezas econômicas ameaçam os valores democráticos e encorajam os regimes autoritários. O USAGM continuará a enfrentar os desafios políticos e humanitários emergentes em países como Mianmar, Bielo-Rússia, Hong Kong e Venezuela, bem como a histórica transição de poder em curso em Cuba.

Jeffrey Scott Shapiro, ex-diretor do Gabinete de Transmissão de Cuba, ou OCB, instou o governo Biden a fornecer US $ 30 milhões para a Rádio e TV Martí.

“À medida que a economia de Cuba continua em colapso e sua infraestrutura política enfraquece, é ainda mais necessário que o governo dos Estados Unidos tenha um canal para o povo cubano”, escreveu ele em um artigo de opinião publicado no Miami Herald.

“… Se Biden quiser mostrar seu apoio ao povo cubano em vez do regime, ele dará poder à Rádio Televisión Martí, restaurando seu orçamento e preservando sua independência editorial em Miami no meio da diáspora cubana, onde pertence.”

A solicitação de orçamento do governo Biden também inclui US $ 94,043 milhões para o Escritório de Iniciativas de Transição da USAID, ou OTI. Os fundos “abordarão oportunidades e desafios em países em crise e auxiliarão em sua transição para o desenvolvimento sustentável, paz, boa governança e democracia”.

A OTI estava envolvida na base secreta da USAID na Costa Rica, de onde eram dirigidas operações anticubanas como “Zunzuneo”.

Então Cuba é uma prioridade ou não para os Estados Unidos? Continuaremos a viver em tempos de política do pau – as medidas de Trump – e da cenoura – os programas de sedução e mudança?

Cubadebate

Categories: bloqueo contra cuba | Etiquetas: , , , , | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: