Membros do gabinete Presidencial empossados hoje.

#Angola #Política

Jornal de Angola

O Presidente da República, João Lourenço, conferiu, na manhã desta segunda-feira, posse aos integrantes do seu gabinete, nomeados na última sexta-feira.

A foto é apenas ilustrativa © Fotografia por: CIPRA | Arquivo

Na cerimónia, que decorreu no salão nobre do Palácio Presidencial da Cidade Alta, em Luanda, tomaram posse as seguintes individualidades:

Edeltrudes Maurício Fernandes Gaspar da Costa, para o cargo de ministro e director do Gabinete do Presidente da República;

Felix de Jesus Cala, para o cargo de secretário Geral do Presidente da República;

Avelina Escórcio dos Santos e Santos, para o cargo de directora adjunta do Gabinete do Presidente da República;

Edson Ulisses de Carvalho Alves Barreto, para o cargo de director do Gabinete de Quadros do Presidente da República;

Fernando Bartolomeu Cativa, para o cargo de secretário do Presidente da República para os Assuntos Políticos e Parlamentares;

 Victor Manuel Rita da Fonseca Lima, para o cargo de secretário do Presidente da República para os Assuntos Diplomáticos e de Cooperação Internacional;

Isaac Francisco Maria dos Anjos, para o cargo de secretário do Presidente da República para o Sector Produtivo;

 Francisco João de Carvalho Neto, para o cargo de secretário do Presidente da República para os Assuntos Judiciais e Jurídicos;

Victor Hugo Guilherme, para o cargo de secretário do Presidente da República para os Assuntos Económicos;

Maria de Fátima Republicano de Lima Viegas, para o cargo de secretária do Presidente da República para os Assuntos Sociais;

Luís Fernando, para o cargo de secretário do Presidente da República para os Assuntos de Comunicação Institucional e de Imprensa;

8. Pedro Fiete Correia Raimundo, para o cargo de secretário do Presidente da República para a Reforma do Estado;

Tempestade tropical obriga Biden a declarar emergência.

#SOSEstadosUnidos #EstadoDeEmergencia #Salud #CondicionesMeteorológicas

Jornal de Angola

O Presidente dos Estados Unidos declarou, este domingo, o estado de emergência em Porto Rico por causa da tempestade tropical Fiona, que se espera que venha a transformar-se num furacão quando chegar à ilha nas próximas horas, noticia a Efe.

Presidente americano preocupado com a situação em Porto Rico © Fotografia por: DR

Segundo a agencia de notícias espanhola, Joe Biden ordenou ao Departamento de Segurança Interna e à Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA) que realizem os esforços necessários para “salvar vidas, proteger a propriedade, a saúde e a segurança pública, e evitar uma catástrofe nos 78 municípios” de Porto Rico.

“Especificamente, a FEMA está autorizada a mobilizar e distribuir os recursos necessários para aliviar o impacto desta emergência”, referiu a Casa Branca, em comunicado citado pela Efe.

A Efe refere ainda que o Governo federal norte-americano vai financiar 75% das medidas de emergência.

Ao início do dia, o governador de Porto Rico, Pedro Pierluisi, anunciou que tinha solicitado a declaração de estado de emergência a nível federal, depois de já ter declarado estado de emergência a nível estadual.

Pierluisi também referiu que 79 abrigos dos 365 existentes estão a abrigar 101 pessoas em 26 municípios, com Guayanilla e Cabo Rojo a registarem mais deslocados.~

Segundo a Associated Press, são esperados cerca de 51 centímetros cúbicos de chuva, que poderão causar fortes deslizamentos de terras e falhas de energia.

A tempestade tropical Fiona tem atravessado as Caraíbas e, recentemente, deixou um rasto de cheias na ilha de Guadalupe, que faz parte dos territórios ultramarinos franceses (ou France d’outre-mer). As cheias mataram uma pessoa na capital de Basse-Terre, com o corpo a ser encontrado arrastado pelas águas.

Outras 20 pessoas tiveram de ser resgatadas sob fortes chuvas e há mais de 13 mil pessoas sem luz.

“Já estamos a sentir os seus efeitos. Não devemos subestimar esta tempestade”, disse o governador do território, Pedro Pierluisi. De recordar que o Porto Rico não é completamente independente, fazendo parte dos Estados Unidos da América (mas carecendo de representação parlamentar, um facto muito criticado no país quando faltam apoios e recursos em época de furacões).

Pierluisi acrescentou que as fortes chuvas devem ser perigosas, porque o terreno de Porto Rico já está saturado com chuvas anteriores. O país ainda está a ressentir-se do Furacão Maria, em 2017, que deixou um enorme rasto de destruição na distribuição de energia do país, que continua frágil e sujeito a falhas diariamente.

Os furacões e tempestades tropicais, à semelhança de outros desastres naturais, têm-se tornado cada vez mais intensas à medida que as alterações climáticas destabilizaram o clima de algumas regiões. As Caraíbas, uma área por si só susceptível a assistir a furacões, são um dos pontos do globo particularmente atingidos.

Organizações não-governamentais, citadas pela Associated Press, pediram também que fosse activado um plano de emergência, para precaver as dificuldades da população em contactar familiares, especialmente os mais velhos.

Vários voos foram cancelados para a ilha, e um navio cruzeiro teve ordem não entrar nos portos do país. Outros países nas ilhas das Caraíbas cancelaram aulas e proibiram desportos aquáticos.  

Líderes mundiais no funeral de Estado da Rainha Elizabeth II.

#ReinhaElizabethII

Jornal de Angola

O funeral da rainha Isabel II é realizado hoje, na Abadia de Westminster, no centro de Londres, com um programa cheio de pompa e tradição num dia declarado feriado nacional, com a presença de numerosos líderes mundiais.

© Fotografia por: DR

As cerimónias fúnebres da monarca, falecida a 8 deste mês, por doença, são as primeiras com honras de Estado no Reino Unido desde o funeral do antigo Primeiro-Ministro Winston Churchill, em 1965, sendo que cada momento e local tem um significado histórico e cerimonial.

Durante o período em câmara ardente, foram colocados no cimo da urna da Rainha a Coroa Imperial, a Esfera e o Ceptro reais.

Parte das jóias da coroa, decorada com diamantes, safiras, esmeraldas, pérolas e rubis, representa não só o poder do monarca sobre o país, mas também o papel religioso como chefe da Igreja Anglicana. No final das cerimónias, os três objectos voltarão a ser guardados na Torre de Londres até à coroação do rei Carlos III.

Carruagem

A urna da Rainha vai ser transportada numa carruagem que servia para carregar canhões e que em 1901 foi usada no funeral da rainha Victória. Foi reutilizada nos funerais de outros reis, como Eduardo VII e Jorge VI, bem como de Churchill. A última vez foi em 1979, para o funeral do tio do príncipe Filipe, Lord Mountbatten, morto num atentado do Exército Republicano Irlandês. Tradicionalmente, é puxada com cordas por 98 marinheiros.

Cortejos

Entre o Palácio de Westminster e a Abadia de Westminster, após o funeral, no cortejo pelas ruas de Londres até ao Arco de Wellington, e na chegada ao Castelo de Windsor, a urna da rainha será acompanhada a pé pelo rei Carlos III, irmãos, filhos, sobrinhos e outros membros da família real.

Na congregação seguem uma série de representantes oficiais das instituições britânicas civis e militares, en-vergando os uniformes de cerimónia incluindo espadas e condecorações. 

Como a rainha era a Comandante em-Chefe das Forças Armadas, participam também regimentos militares de todos os ramos e ainda algumas unidades representativas da Commonwealth como a Polícia Montada do Canadá. Durante os cortejos, normalmente são disparadas salvas de canhão e tocados sinos, nomeadamente o Big Ben em Westminster, em intervalos de um minuto.

Abadia de Westminster

A Abadia de Westminster é a igreja onde se realizaram as coroações desde 1066 e inúmeras outras ocasiões reais, incluindo 16 casamentos reais. Isabel II foi coroada em 1953 e casou com o príncipe Filipe em 1947 neste edifício histórico. É também o local onde antes se sepultavam monarcas. Desde 1760 que não recebia um serviço fúnebre de um monarca, embora o funeral da Rainha-Mãe tenha sido ali realizado em 2002.

Last Post

No final do serviço fúnebre vai ser tocado o “Last Post”, uma curta fanfarra de corneta que é associada a funerais militares ou homenagens a soldados mortos em combate. 

Arco Wellington

No final do serviço fúnebre na Abadia de Westminster, a urna de Isabel II vai sair em cortejo até ao Arco de Wellington, construído para celebrar a vitória da guerra de Waterloo sobre Napoleão em 1815. Naquele local será colocada num carro funerário para viajar até ao Castelo de Windsor. 

Castelo de Windsor

Uma das residências oficiais do monarca britânico, com origens que remontam ao século XI. Foi ali que a rainha Isabel II se refugiou com o marido durante a pandemia de Covid-19 e viveu nos últimos dois anos, aproveitando também a realização de obras no Palácio de Buckingham. 

Capela de São Jorge

A Capela de São Jorge no Castelo de Windsor data do século XVI e é uma igreja escolhida frequentemente pela família real para casamentos, baptizados e funerais. Foi onde o príncipe Harry se casou com Meghan Markle e onde foi realizado o funeral do marido da rainha, o príncipe Filipe, em 2021. É também o local onde estão sepultados 10 monarcas britânicos, incluindo Henrique VIII e Carlos I, e respectivos familiares.


Joe Biden e Marcelo Rebelo prestam homenagem a Isabel II

O Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, prestou, ontem, homenagem à rainha Isabel II no Palácio de Westminster, em Londres, onde o corpo se encontra em câmara ardente.

Ao chegar ao balcão onde os representantes oficiais dos países são encaminhados pelos assistentes parlamentares, o Presidente português desceu ao nível do chão para se aproximar mais e benzeu-se ao passar junto ao caixão, perto do público e dos guardas. 

O Chefe de Estado português foi acompanhado pelo embaixador de Portugal em Londres, Nuno Brito, e pela chefe do Protocolo de Estado, embaixadora Clara Nunes dos Santos.

De seguida, Marcelo Rebelo de Sousa assinou o Livro de Condolências oficial em Lancaster House antes de participar numa recepção no Palácio de Buckingham oferecida pelo Rei Carlos III aos líderes internacionais que viajaram para presenciar as cerimónias fúnebres com honras de Estado.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, também encontra-se em Londres, para assistir às cerimónias fúnebres da rainha Isabel II, que morreu a 8 deste mês, aos 96 anos.

Joe Biden e a mulher prestaram, ontem, homenagem aos restos mortais da monarca e estarão presentes, como muitos outros líderes mundiais, no funeral na abadia de Westminster, entre cerca de 2.000 convidados.

Além de Joe Biden e Marcelo Rebelo de Sousa, entre os convidados das primeiras exéquias nacionais do Reino Unido em mais de 50 anos, estão o Presidente francês, Emmanuel Macron, do Brasil, Jair Bolsonaro, o imperador do Japão, Naruhito, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Os dirigentes da Rússia, Afeganistão, Myanmar, Síria e Coreia do Norte não foram convidados.

São esperadas para hoje centenas de milhares de pessoas nas ruas de Londres e milhões acompanharão a cerimónia pela televisão, num dia que foi decretado feriado no Reino Unido.

Biden falou na quarta-feira por telefone com o rei Carlos III e comunicou-lhe o “desejo de prosseguir uma relação estreita” com o novo soberano.

Elizabeth Alexandra Mary Windsor nasceu a 21 de Abril de 1926, em Londres, e tornou-se rainha de Inglaterra em 1952, aos 25 anos, após a súbita morte do pai, Jorge VI, que subiu ao trono após a abdicação do irmão, Eduardo VIII, para poder casar com uma divorciada norte-americana, Wallis Simpson.

Após a morte de Isabel II, o filho primogénito, de 73 anos, tornou-se rei como Carlos III.

O caixão da rainha está desde quarta-feira no Palácio de Westminster, o edifício do Parlamento britânico, sobre uma plataforma designada por catafalco, coberto pelo estandarte real e com a coroa imperial, orbe e ceptro reais em cima, as jóias da coroa que recebeu aquando da coroação em 1953.

Milhares de pessoas esperaram até 24 horas nos últimos dias para entrar no local e prestar uma última homenagem durante a câmara ardente, formando uma fila que chegou aos oito quilómetros.

Tentativas de manipulação do Código de Família em Cuba são denunciadas.

#CodigoSi #Cuba #SubversiónMedática #EstadisUnidos #MafiaCubanoAmericana

Por Redacción Razones de Cuba

O presidente da Casa de las Americas de Cuba, Abel Prieto, denunciou hoje as tentativas de manipulação do projecto de Código de Famílias, cujo referendo nacional se realizará a 25 de Setembro.

“Os obscurantistas estão a tentar confundir as pessoas mal informadas. Eles usam falsos princípios morais contra um Código baseado no respeito, amor e plena dignidade do ser humano”, escreveu o intelectual cubano na sua conta do Twitter.

Imagem de Razones de Cuba

Não obstante, disse que nesse dia a população da ilha das Caraíbas votará por uma sociedade melhor, mais solidária e mais inclusiva.

O novo Código de Família procura proteger os sectores vulneráveis da sociedade, reforça o poder das pessoas para decidir se querem ou não casar, ou se querem ou não formar uma união de facto, hetero ou homo-afectiva.

Também aborda a discriminação e a violência doméstica, reconhece os direitos dos idosos e está de acordo com os compromissos internacionais de Cuba nestas áreas.

De acordo com o Conselho Nacional Eleitoral, o referendo popular sobre a nova legislação terá lugar nas missões de Cuba no estrangeiro no domingo 18, enquanto que na ilha será realizado no dia 25, para o qual as mesas de voto abrirão as suas portas das 07:00 horas locais até às 18:00 horas.

Tirada de Cuba Sí

O presidente da Colômbia delineia esforços para alcançar a paz total em Guterres.

#Colombia #ONU #Paz

teleSUR

Guterres reiterou à Petro a vontade da ONU de colaborar com o seu governo na consolidação da paz e na “protecção das comunidades contra a violência”.

O Presidente colombiano Gustavo Petro reuniu-se no domingo em Nova Iorque com o Secretário-Geral das Nações Unidas (ONU) António Guterres, com quem discutiu a questão da droga e os esforços do seu governo para alcançar a paz total.

Guterres reiterou à Petro a vontade da ONU de colaborar com o seu governo na consolidação da paz, e “proteger as comunidades da violência, combater a desigualdade, promover o desenvolvimento sustentável e dar uma resposta holística à questão da droga”, de acordo com um comunicado de imprensa do organismo mundial.

O presidente colombiano está em Nova Iorque na terça-feira para participar na 77ª sessão da Assembleia Geral da ONU. | Foto: @infopresidencia

O presidente colombiano, que iniciou a sua administração em Agosto passado, está na cidade norte-americana de Nova Iorque para participar esta terça-feira no segmento de alto nível do debate geral da 77ª sessão ordinária da Assembleia Geral da ONU.

Numa declaração, a presidência colombiana disse a Guterres que “há milhões de mortos e centenas de detidos na América Latina e nos Estados Unidos que não são provenientes da guerra contra a droga”.

Mas é “um balanço que só deixou como beneficiários organizações mafiosas cada vez mais poderosas, que destruiu democracias e destruiu a vida no continente”, acrescentou ele.

O comunicado de imprensa indicou que o presidente colombiano mencionou a Guterres “a necessidade de unificar a América Latina numa posição diferente da que tem tido até agora e de abrir o caminho para uma grande discussão global sobre o facto de que, em vez de investir dinheiro público no assassinato, na morte e na destruição da democracia, seria melhor dedicá-lo à prevenção, para que estes jovens não enveredem pelo caminho do consumo e para que os nossos países não sejam destruídos”.

Na sua actividade seguinte, Petro foi ao bairro de Queens e encontrou-se no meio da rua com o presidente deste bairro de Nova Iorque, Donovan Richards, e centenas de emigrantes colombianos.

Num diálogo com os meios de comunicação, o presidente colombiano salientou que “a paz será sempre criticada. Não ouvi, em nenhum momento da história da Colômbia, onde pude observar processos de paz, que a paz não é criticada, e acredito que o que mais deve ser criticado é a guerra”.

“Se conseguirmos que todos na Colômbia abandonem o caminho das armas, estaremos a construir uma grande nação”, disse ele.

Sobre as conversações para alcançar a paz total no seu país, Petro disse que foram feitos progressos na nomeação de “negociadores de várias organizações, algumas com as quais o anterior governo de (Juan Manuel) Santos já tinha iniciado um processo, a maioria das quais inédito”.

Ele disse estar impressionado com o facto de “a revitalização da floresta tropical amazónica já estar a ser ligada ao processo de paz. Parece-me que este é um ponto-chave que nunca foi tido em conta e que poderia, se analisado em profundidade, ser o elemento que poderia conduzir a Colômbia a uma paz abrangente”.

A Rússia e a China não procuram “governar o mundo”, diz o Kremlin.

#China #Rusia #EconomiaMundial #InjerenciaDeEEUU

teleSUR

“Ao concretizarem as suas relações bilaterais, são precisamente a Rússia e a China que não pretendem governar o mundo inteiro”, disse o porta-voz do Kremlin.

A Rússia e a China não pretendem governar o mundo inteiro através dos seus acordos de cooperação, mas alguns outros países têm essa tendência, disse no domingo o porta-voz presidencial russo Dmitry Peskov.

O porta-voz também notou a “absoluta semelhança de atitudes (da Rússia e da China) em relação a vários tipos de acções provocatórias, cuja origem são os Estados Unidos”.

“Há uma afinidade absoluta de posições (da Rússia e da China) face a todo o tipo de provocações por parte dos Estados Unidos, disse Peskov. | Foto: Almayadeen

Moscovo e Pequim estão unidos na sua avaliação da “inadmissibilidade de tal comportamento desestabilizador”, acrescentou ele.

Ele observou que os EUA são “a fonte de acções provocatórias, e a Rússia e a China concordam nesta avaliação”.

O porta-voz observou também que as sanções dos EUA contra a Rússia e as ameaças de sanções secundárias contra a China tiveram um impacto limitado nas relações Moscovo-Pequim, acrescentando que as perspectivas de desenvolvimento futuro são positivas.

“Claro, há muitas complicações. As sanções e a ameaça de sanções secundárias têm tido um impacto negativo. Mas a sua influência é bastante limitada porque a tendência geral continua a ser positiva”, disse Peskov.

Mencionou que o comércio entre os dois países floresceu nos últimos meses apesar da pressão dos EUA sobre a China para cortar os laços com as empresas russas.

A Casa Branca convocou a reunião entre o Presidente russo Vladimir Putin e o seu homólogo chinês Xi Jinping à margem da Cimeira da Organização de Cooperação de Xangai (SCO) em Samarkand, um exemplo de aproximação entre Moscovo e Pequim.

O coordenador de comunicações estratégicas do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, John Kirby, criticou a recente reunião entre líderes no Uzbequistão.

“O mundo inteiro deve estar alinhado contra o que Putin está a fazer (…) A China tem de tomar uma decisão”, disse Kriby, que salientou que embora Pequim não tenha apoiado Moscovo, não condenou a invasão da Ucrânia.

Os dois chefes de Estado realizaram conversações bilaterais, conversações trilaterais com o presidente da Mongólia e participaram numa reunião do Conselho de Chefes de Estado da SCO.

Xi Jinping salientou que a China está pronta a trabalhar em conjunto com a Rússia e a prestar apoio mútuo em questões que afectem os interesses fundamentais um do outro.

Cuba: Um “regime” bipolar?

#Cuba #EstadosUnidos #Subversión #ManipulaciónMediática #RedesSocieles

Por Iroel Sánchez

Há pouco mais de quinze dias, um spot inundou a televisão cubana no horário nobre e no canal com o maior índice de audiência, promovendo um concerto em Varadero pela pessoa que, a partir de hoje, é a nova vítima da “falta de liberdade de expressão em Cuba”. Também na mesma data, ela apareceu no musical mais popular do mesmo canal. Tudo isto aconteceu após meses de declarações sistemáticas contra o governo cubano por parte da agora vítima da “censura de Castro”.

Imagem de Razones de Cuba

Há alguns dias atrás, numa instalação gerida pelo mesmo “regime” que permite tudo o acima mencionado, e paga por isso, o músico até então promovido apareceu e o áudio de uma canção foi interrompido.

Tanto pela versão que lemos inicialmente, como pela recente “banição” de outro artista, a máquina do ódio anti-Cuba lançou-se a si própria para condenar a “ditadura” e colocar muitos sob a obrigação de falar. Agora, uma versão do director do estabelecimento parece que não foi assim, que foi depois da hora de encerramento (3 da manhã) e houve um comportamento que a direcção daquele estabelecimento considerou inaceitável por parte do músico e do seu técnico de som quando foram chamados à atenção sobre o assunto.

Leer en https://www.facebook.com/100041801243554/posts/914019286668104/

O facto também não corresponde à atitude, não de um grupo de indivíduos responsáveis por essa instalação num determinado momento e local, mas sim à atitude que o “regime” tem vindo a assumir há meses e meses com o artista agora censurado. No entanto, imediatamente, os “jornalistas” que trabalham com os media pagos pelos Estados Unidos para mudar este “regime”, que por acaso estão presentes no local dos acontecimentos e que podem mover-se e fazer o que fazem em Cuba com recursos que os media do “regime” não têm, transformam-no em notícia e prova definitiva da falta de liberdades em Cuba.

Não há dúvida, o “regime” é bipolar… ou há uma parte da história que não nos estão a contar a partir daí, onde, não um regime, nem pensar, mas algumas pessoas muito más e concretas, apoiadas e financiadas pelo regime mais poderoso do mundo, esmagam discos de músicos “comunistas”, boicotam concertos, e ficam caladas quando prendem rappers a milhares de milhas de distância daquilo a que chamam ditadura cubana.

Extraído de  La Pupila Insomne

Cuba terá uma vacina e um sistema de diagnóstico contra a dengue.

#SaludEnCuba #VacunasCubanas #CienciaEnCuba #Dengue

Por Redacción Razones de Cuba

Eduardo Martínez Díaz, presidente do BioCubaFarma Business Group, disse hoje que irão avançar na criação de uma vacina contra a dengue e na implementação de um sistema de diagnóstico para detectar a doença durante os primeiros sintomas.

Imagem de Razones de Cuba

Ao aparecer no programa noticioso Mesa Redonda, o executivo explicou que o país tem vindo a trabalhar há mais de 10 anos num imunogénio para combater a doença e decidiu desenvolver uma vacina que induza uma resposta celular contra o vírus, o que planeia fazer rapidamente.

Também mencionou que têm um novo sistema de diagnóstico rápido que ajudará os protocolos de saúde pública ao determinar quando ocorrem os primeiros sintomas, se é dengue, e se há uma segunda infecção.

Isto ajudará a proporcionar tratamento diferenciado aos pacientes para evitar que a doença progrida para a gravidade e morte, salientou Martínez Díaz.

Comentou também que foram alcançados resultados positivos numa vacina actualizada para enfrentar as novas variantes do coronavírus.

Tirada de Cuba Sí

Lula tem camisa de futebol de Cuba

Lula da Silva com a camisa do futebol cubano. Foto: Jit

O ex-presidente do Brasil e candidato novamente ao cargo, Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu uma camisa do time de futebol cubano enviada pelo Primeiro Secretário do Partido Comunista e Presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez.

A peça, também apresentada em nome do Inder e da Associação Cubana de Futebol (AFC), foi entregue por Marcos Bocatto, experiente técnico do Sindicato dos Treinadores do Brasil.

Conforme relatado por Jit, Bocatto ministrou vários cursos em Cuba em maio passado, como parte de um grupo de especialistas. Este projeto foi patrocinado pelo Landless Movement, da gigante sul-americana.

“O gesto nada mais é do que um gesto de agradecimento a Lula, ao qual se une estreitas relações de amizade com Cuba”, reconheceu a Jit o presidente da AFC, Oliet Rodríguez Méndez.

«Para nós é muito significativo que Lula tenha uma camisa nossa. Estamos honrados por você ter recebido com prazer e gostaríamos que você o guardasse como um ato de gratidão, depois da ajuda oferecida e da troca para melhorar o futebol cubano”, acrescentou o técnico.

Granma

%d bloggers like this: