Nova caravana internacional contra o bloqueio dos EUA a Cuba.

#CubaPorLaPaz #CubaPorLaVida #PuentesDeAmor

Por Redacción Razones de Cuba

Num novo apelo, o activista Carlos Lazo, promotor da Puentes de Amor, disse que esta mobilização terá lugar no próximo domingo e será um grito internacional para pedir ao Presidente dos EUA Joe Biden que ponha fim às sanções que castigam a ilha das Caraíbas.

“Apelamos a todas as pessoas de boa vontade do mundo para que organizem eventos e caravanas apelando ao fim das sanções que punem as famílias cubanas”, disse Lazo ao Prensa Latina.

O activista disse que no próximo domingo “mais uma vez levantaremos a nossa voz pelo povo cubano, para que Biden ponha fim ao cerco económico que tem sobre Cuba e que castiga e mata famílias”.

Lazo também apelou aos meios de comunicação social para quebrar o outro bloqueio existente, o bloqueio de informação que silencia este tipo de iniciativa, e apelou aos homens e mulheres de boa vontade de todo o mundo que têm vindo a apelar ao fim deste cerco unilateral imposto há mais de seis décadas para se juntarem à caravana. Anunciou também que várias cidades dos Estados Unidos como Miami, Nova Iorque e Los Angeles já confirmaram o seu apoio, e que haverá também réplicas da mobilização no Canadá, vários países europeus e latino-americanos.

No último fim-de-semana de cada mês, o movimento Pontes de Amor realiza esta acção para exigir que o governo de Joe Biden elimine todas as sanções contra Cuba e elimine o bloqueio imposto por sucessivos governos na Casa Branca, sejam democratas ou republicanos.

Desde que tomou posse, Biden prometeu inverter as políticas falhadas em relação à ilha do seu antecessor, Donald Trump (2017-2021), que durante o seu mandato apertou o cerco unilateral com mais de 240 medidas que ainda estão em vigor.

Quais são as chaves para compreender o declínio dos EUA como uma potência mundial?

#InjerenciaDeEEUU #Democracia #DerechosHumanos #Racismo

“Obsoleto! Bukele é crítico em relação à OEA e também em relação à ONU!

#Bukele #OEA #ONU #Política #AmericaUnida

Alerta Máximo! A noite está a chegar à UE!

#Rusia #Espanha #ReinoUnido #InjerenciaDeEEUU #Sanciones #Economía #GuerrasDeEEUU #Ucrania

E que ganha o silêncio do plano do império contra Cuba?

#ElBloqueoEsReal #EEUUBloquea #CubaPorLaPaz #CubaPorLaVida

Por Redacción Razones de Cuba

Sim, os meios de comunicação internacionais querem o silêncio para vencer face ao plano do império de pôr Cuba de joelhos devido à fome, condições insalubres, escassez de energia e falta de abastecimento.

O plano do império é asfixiar a sua economia e causar enorme sofrimento à sua população. Com um objectivo em mente: que, na ilha, de alguns protestos isolados devido aos apagões, passem a um cenário de insurreição contra o Governo Revolucionário.

Imagem de Razones de Cuba

A par do cerco económico, há a injecção – como nunca antes – de milhões de dólares para uma horda de “dissidentes”, “opositores”, “activistas dos direitos humanos”, “combatentes da liberdade” e “jornalistas” ou “meios de comunicação independentes”.

“Independente”, mas subsidiado com fundos federais dos EUA e legitimado pela casta internacional dos meios de comunicação social.

Uma casta mediática que apresenta dramaticamente a situação em Cuba, mas será que quer realmente que melhore? Porque não analisa e denuncia as suas causas?

Porque não exige que os EUA, através das suas influentes mensagens editoriais, deixem de perseguir investidores, companhias de navegação, bancos, governos e fornecedores de Cuba?

Não nos deixemos iludir. Há muito que os meios de comunicação social optaram pelo silêncio sobre o plano do império contra Cuba.

Extraído de Cuba Información

“É uma injustiça”: Gustavo Petro pede aos Estados Unidos que retirem Cuba da lista de países que promovem o terrorismo

O presidente Gustavo Petro destacou o papel de Cuba no restabelecimento das negociações com o ELN – Foto: Javier Barragán / Revista Semana

O presidente Gustavo Petro juntou-se nesta quinta-feira às vozes que pedem ao governo dos Estados Unidos que retire Cuba da lista de países que promovem o terrorismo, status no qual a ilha foi incluída por decisão do ex-presidente Donald Trump.

A declaração do chefe de Estado colombiano foi feita após tomar conhecimento de uma carta assinada por 80 congressistas colombianos de partidos progressistas, especialmente do Pacto Histórico, na qual pedem ao governo Joe Biden que retire Cuba desta “lista negra”.

A carta enviada em 21 de setembro é endereçada à vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, além da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e Csaba Korösi, presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Nesse sentido, Petro afirmou que ter Cuba nesta condição de país que promove o terrorismo é “uma injustiça internacional”.

O presidente colombiano explicou que durante as negociações de paz com o ELN no governo de Santos, Cuba se ofereceu “de boa vontade” para servir de palco para as negociações e alguns protocolos foram assinados para eles.

“Mas depois, quando o governo Duque decidiu sabotar o processo de paz levado a cabo por Santos, durante o governo de Donald Trump, acusaram Cuba de se ter oferecido para acolher as negociações e colocaram-no nessa lista”, afirmou Petro.

O chefe de Estado assegurou: “Reabrimos essas negociações, reabrimos os protocolos”.

Por isso, pediu ao governo de Joe Biden que retire Cuba desta lista para que “cesse essa injustiça internacional”.

“Pedimos ao governo dos Estados Unidos que pare com essa injustiça cometida entre o governo de Duque e Trump, porque a única coisa que Cuba fez foi oferecer um espaço para que um processo de paz pudesse ser finalizado”, explicou Petro.

Desta forma, o presidente colombiano se junta ao pedido dos 80 congressistas colombianos que veem “com preocupação que um país que há anos é garantidor dos acordos de paz na Colômbia tem sido chamado de país patrocinador do terrorismo pelo governo dos Estados Unidos. Ingressou”.

Na carta, os legisladores de partidos alternativos acrescentam que “Cuba provou ser um Estado amigo do povo colombiano, por meio de seu apoio à construção da paz em nosso país e em vários campos do desenvolvimento social, como saúde e educação. educação. “.

A comunicação também deixa claro que o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, ratificou sua vontade de continuar trabalhando pela paz, para isso ofereceu seu país como um local alternativo para as negociações do processo de paz com o ELN. sua experiência como garantidor do acordo entre os guerrilheiros das FARC e o governo de Juan Manuel Santos.

“A inclusão de Cuba na lista de países que patrocinam o terrorismo internacional levou ao fechamento de qualquer possibilidade de financiamento no mercado mundial, aumentando as carências e dificuldades de acesso da sociedade cubana aos recursos básicos”, afirma a carta.

Imediatamente acrescentaram que fazer parte da lista negra dos Estados Unidos “é uma declaração injusta que não só ameaça os direitos humanos do povo cubano, mas também ameaça, ao mesmo tempo, as aspirações de paz em nosso país”.

A carta já gerou reações. O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, disse: “Profunda gratidão aos mais de 80 congressistas colombianos por esta iniciativa, solicitando que #Cuba seja removido da lista de Estados que patrocinam o terrorismo pelo governo dos EUA, onde nunca deveria estar. Ratificamos nosso compromisso invariável com a paz na #Colombia.

Cubadebate

CHINA ADVERTE SOBRE NAVIOS DE GUERRA ESTRANGEIROS EM #TAIWAN

#China #Taiwan #InjerenciaDEEEUU

O Exército de Libertação do Povo Chinês (PLA) disse ter mobilizado as suas tropas aéreas e navais para acompanharem na terça-feira a passagem dos navios de guerra dos EUA e do Canadá pelo Estreito de Taiwan. Disseram que iriam “combater todas as ameaças e provocações”. Os navios dos EUA e do Canadá passaram pela região dois dias depois do Presidente dos EUA Joe Biden ter prometido defender Taiwan se uma guerra com o gigante asiático eclodisse.

O Petro liberta-se das garras do império.

#Colombia #InjerenciaDeEEUU #Politica

%d bloggers like this: