A meada está emaranhado, as carraças denunciam as carraças. O lugar está em chamas.

#CubaVive #CubaEsSegura #ConCubaNoTeMetas #CubaNoEstaSola

A PÁTRIA OLHA PARA SI COM ORGULHO.

#CubaVive #CubaNoEstaSola #ManipulacionMediatica #SubversionContraCuba #CubaViveYRenace

Crianças em Cuba vítimas de difamação e indignação por Alexander Otaola

#CubaNoEsMiami #ViolenciaEnUSA #CubaSeRespeta #UnMejorPaiz #SubversionContraCuba

San Nicolás del Peladero O último presidente da câmara.

#CubaNoEsMiami #MafiaCubanoAmericana #RedesSociales #ManipulacionMediatica

Orlando Gutiérrez Boronat: diga-me quem admira e eu digo-lhe quem é …

#CubaNoEsMiami #MafiaCubanoAmericana #CubaSeRespeta #CubaViveEnSuHistiria #CubaViveYRenace

Extraído de Juventud Rebelde

Para dizer a verdade, nem todos os empregados do negócio contra-revolucionário nos Estados Unidos são como a personagem desta história: Orlando Gutiérez Boronat. Há aqueles que também pertencem à máfia de Miami no grande negócio da contra-revolução, mas aparentemente são menos abomináveis.

Este contra-revolucionário defendeu dos Estados Unidos a aplicação em Cuba da técnica criminosa do Major Roberto D’Abuisson, o nefasto chefe dos esquadrões da morte que assolou o povo salvadorenho durante dez anos.

O Boronat nasceu por engano em Cuba. Não foi capaz de mudar o seu nome cubano, nem tem a coragem de vir lutar pela causa que afirma defender aqui, no entanto, quando colocado em frente de um microfone e de uma câmara de televisão grita horrores aos revolucionários da terra onde nasceu e (o pior de tudo) sente admiração pelas atrocidades e torturas levadas a cabo pessoalmente, ou dirigidas, por D’Abuisson, o mais sinistro executor e desmembrador da América Central.

Orlando Gutiérrez Boronat é um cubano que lamenta ser cubano e, claro, é pago em dólares para ser contra-revolucionário nos Estados Unidos como “militante” no grande negócio de tentar destruir a Revolução Cubana.

Recentemente Boronat mencionou o nome, apelido, posto militar, nacionalidade e deu como exemplo de inspiração ou bandeira para atacar Cuba, precisamente Roberto D’Abuisson: “É preciso segui-lo para acabar com Cuba”, sugeriu ele com descaramento inaudito.

O abominável homem da morte
Não há melhor epíteto para definir o assassino militar que Boronat admira do que um nazi de um novo tipo. Desde a sua juventude que se propôs a subir a escada para viver melhor do que todo o povo salvadorenho.

Oficial do exército de uma brutal tirania instalada na sua pátria, treinou (onde mais?) na Escola das Américas dos EUA, onde atingiu a patente de Major. (o maior carniceiro assassino da América Central!).

O seu registo de repressão, tortura e assassinato, disfarçado de luta antiguerrilheira, conseguiu-lhe o posto de Chefe dos Serviços Secretos da Guarda Nacional Salvadorenha, embora rapidamente tenha renunciado a essa responsabilidade com o propósito perverso de construir uma instituição ainda mais brutal, horrenda e sanguinária própria, para assassinar revolucionários na sua pátria e em toda a América Central: os esquadrões da morte, algo como um laboratório ambulante do fascismo hitleriano.

A partir de 1979 começou a mostrar que não tinha qualquer escrúpulo em exterminar milhares de jovens homens e mulheres, muitos deles nem sequer ligados à guerrilha, apenas sob a suspeita de que estavam a ajudar os combatentes clandestinos, sobretudo os militantes da Juventude Socialista e do Partido Comunista.

Era tão criminoso que quando deixou a Guarda Nacional levou consigo a lista dos membros da organização Andes 21 de Junio (uma instituição pacífica dos professores de todo o país), onde os seus endereços privados e números de telefone foram listados, e um bom número deles foi exterminado sob a sua orientação directa, muitos deles assassinados e desmembrados.

Para D’Abuisson, ensinar assuntos culturais era aparentemente uma tarefa comunista a ser punida com castração, tortura, goivadura ocular, picada eléctrica, e, finalmente, assassinato e desmembramento, a sua técnica de eliminação mais especializada.

Outro dos seus passaportes até à morte
Tal foi a crueldade, o sadismo, a premeditação e a malícia acima de tudo dos esquadrões da morte, que eles trouxeram à moda, a mando do seu criador, um método desprezível, grotesco, tenebroso e horripilante: o desmembramento de pessoas!

Para isso utilizaram um matadouro que durante o dia processava carne de bovino para exportação para os Estados Unidos, enquanto à noite desmembravam homens e mulheres patriotas lá, quer estivessem ou não ligados à luta revolucionária.

A sua monstruosidade foi ainda mais longe. A fim de tornar impossível ou extremamente difícil a identificação do assassinado, os seus restos mortais foram deixados em lugares insuspeitos, separados de acordo com a sua anatomia: cabeça, pernas e braços, indistintamente.

Tudo foi feito e dirigido pelo Major D’Abuisson com certa dissimulação, até que, devido a um controlo elementar por parte dos assassinos, aconteceu que um trabalhador, depois de se perguntar muitas vezes porque é que o seu posto de trabalho não era como o tinha deixado no dia anterior, encontrou na bandeja onde estava a cortar os pedaços dos diferentes bovinos, alguns dedos humanos sangrentos, recentemente cortados!

O crime não cessou; 15 ou 20 assassinatos foram registados diariamente, verdadeiros massacres humanos. O líder de tais esquadrões usou outros métodos ainda mais brutais, pois chegou ao ponto de encomendar métodos ainda mais horripilantes: ele punha a cabeça de um homem morto na barriga de outro, ou a cabeça do marido na da esposa ou vice-versa. Depois cosia as peças com pita, um fio fino, ou amarrava-as com uma fita, acções imperdoáveis e dantescas!

D’Abuisson era um verdadeiro louco, um carrasco, um selvagem, um sádico, um terrível criminoso. Levava sempre um cortador de carne no seu carro, e por qualquer razão aplicá-lo-ia directamente na cara de qualquer pessoa que considerasse revolucionária ou que simplesmente não gostasse.

Era um anti-comunista convicto, ao ponto de acreditar que a sua principal tarefa na vida era lutar contra ideias progressistas de independência, soberania, anti-imperialismo, verdadeira democracia popular e liberdade. E quando propôs a monstruosidade dos esquadrões da morte, disse ao governo salvadorenho, à embaixada ianque e à CIA: “Vocês fornecem o dinheiro, eu forneço os mortos”. O dinheiro era o ratatouille!

É por isso que nunca lhe faltou muita coisa. E se os seus crimes não podiam ter sido mais numerosos do que os dos campos de concentração de Hitler, foi porque havia mais pessoas na Europa do que em El Pulgarcito de América, como El Salvador foi carinhosamente chamado devido à sua pequena dimensão.

Este é o tipo de adoração sentida por Orlando Gutiérrez Boronat, o mafioso anti-Cubano que tenta agitar as águas da contra-revolução em Cuba. Ele é “um exemplo a ser imitado para destruir a Revolução Cubana”, gaba-se aos quatro ventos.

Nada, que poderia ser parafraseado como “diz-me quem admiras e eu digo-te quem tu és”.

“OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO INDEPENDENTES DA CUBA FORAM PODADOS VERDES”.

#SubversionContraCuba #ManipulacionMediática #CubaVive #LaFuerzaDeUnPaiz

Por: Kari Krenn Extraído da parede do autor no Facebook

Estaremos a desmantelar o ultraje da esquizofrenia destes meios de comunicação independentes, que fazem parte da fauna ao serviço de Miami.

Tiram os seus relatórios da base de dados: “Dizem que disseram que disseram que disseram”, com uma lucidez digna de uma ameba duplamente lobotomizada… ou seja, sobre chuvas húmidas: não há cérebro, mas para o caso de cavarmos e extrairmos alguma célula estaminal inteligente…

O quê?

Pensavam que eu ficaria ofendido?

Aqui estão algumas pérolas dos comentários que são hilariantes!!!

Oh, rapazes… Não tenciono reencarnar-me, senão agendaria para me ofender noutra vida…

Vamos ver o que dizem:

  • “O escritor brilhante que tem mais títulos…

“Não me gabo deles… Tenho-os! São alcançados através de estudos e muito… Tenho vários, também pós-graduações e costura…

Sim… todos eles em meu nome.

Neste momento estou a pensar em estudar Ikebana e a tecelagem de cestos chineses, para poder expandir ainda mais o meu CV, só para vos incomodar”…

…que usa o pseudónimo ou nome germânico Kari Krenn”…

Boe ainda precisa de um ano… para saber a diferença entre pseudónimo e alcunha… Kari… alcunha para Karina e eu respondo ao meu nome, sim. Graças a Deus, associo-o a mim próprio.

Grave não lhe responderia, pois isso é um sintoma de doença.germânica? Jawohl

É o que diz a minha documentação, sou austríaco… E depois? Não gostaria de pensar que os freethinkers independentes são xenófobos…*….

“…Kari Krenn é pago por Díaz Canel já que têm uma foto juntos… “Boé Miguel DC, devias ter-me dito que me estavas a pagar, estou atrasado com a conta da electricidade, envia-me o dinheiro, por favor. E agora, quando eu for novamente, vamos tirar mais fotos juntos… eeeeesaaaaaaaaaaaa….*

“…por isso ela é apenas mais uma funcionária do PCC…

“Fiquei feliz por ter conseguido reformar-me após 29 anos de trabalho… ñoooooo e ainda estou a trabalhar agora… ñoooooooooooooooooooo *…

“… que temos um perito em assuntos cubanos”….

Boé a perícia é reconhecida por si…

Não é preciso ser muito lúcido para saber quando é dia ou quando é noite, se a terra gira no seu eixo e que o sol nasce do oriente…

O homem sábio aponta para o céu e o tolo olha para o dedo.

Só são precisos dois neurónios a sinalizar e a observar com quem yunito anda para saber como a mão está a chegar.

Não sei se sou especialista neste tipo de análises, mas sou uma pitonisa… Sou uma pitonisa !!!! Se não, leia novamente a minha carta, à luz das acções de yuni agora… naaaaaaaaaaa Sou um génio!!!! Vou assinar um autógrafo por mim mesmo. Eu sou petulante… e depois?

Uma fantasmona disse: “… Sou argentina e aqui na academia de La Plata, os académicos não a conhecem…

“Boé somos 6000 milhões de habitantes no mundo… por isso agarra a minha mamã anónima. Também não conheço os académicos que menciona…

Isto é algo como um feedback de ignorância… Espera que eu ligue a Franco Bagnatto para voltar a transmitir o seu programa: “Pessoas à procura de pessoas”…

“…quem paga as viagens de Kari à feira de Havana? e aos eventos da Casa de las Americas?

Boé… eles não podem ter mais macho do que isto! Fui descoberto: namoro com um xeque árabe… um mega-arquimultimilionário extra dono da Ponele airlines?

Mas… Não poderia eu pagar as minhas próprias viagens?

Porque é isso que eu faço, o meu pequeno australopithecus-opinioneiro: Mima paga pelas suas próprias moscas.

Embora para o fazer feliz na sua tarde depressiva de domingo e para justificar o salário que lhe enviam de “mayami”, eu digo-lhe que pagaram as minhas viagens:

Díaz Canel para Cuba…

Filipe Nyussi para Moçambique…

Castillo para o Peru…

Añez no seu tempo na Bolívia…

Ciryl Ramaphosa para a África do Sul…

López Obrador ao México…

Bolsonaro para o Brasil…

O Rei Mswati III a Esuatini.

Zoran Milanovic para a Croácia…

Sergio Mattarella para Itália…

Alexander Van der Bellen para a Áustria.

Zoran Tegeltija para a Bósnia-Herzegovina.

Barut Paher para a Eslovénia…

E esqueci-me…Papa Francisco ao Vaticano (Obrigado Enrique N Estrada Espinosa )

… e assim por diante … e assim por diante … “em termos de viagens”.

Espero ter esclarecido as dúvidas que esta carta anónima despertou em si e mostrou que a minha carta para “yunior” (yunior com “ye” para traidor), foi de longe um abalo para si, caso contrário não me teria dado meia linha.

Anonimamente e tudo mais, a minha carta transformou a sua manequim de um arqui-prisioneiro, abandonador de capangas, amigo de fascistas… Isso é ainda mais doloroso: nunca esperou ficar chocado com as minhas humildes cartas.

Estou à procura de imprensa? Não. A imprensa está à minha procura e, se não estiver, lê-me.

Rapazes de sonho, sonho: vivi 50 anos da minha vida sem vos conhecer, isso é um sinal de que posso continuar a viver.

Já tentou encontrar uma vida própria e vivê-la?

Agradeço aos gerontes que escrevem na “jovem Cuba” pela imprensa livre que deram a esta humilde desconhecida.

Agora tornaram-me mais famoso, woao, como se a minha existência dependesse disso.

Jóia… Vou colocar as suas opiniões num Banco, para ver se elas geram algum tipo de interesse para mim.

A informação sobre Cuba está a ser manipulada como habitualmente.

#ManipulacionMediatica #RedesSociales #SubversionContraCuba #CubaVive #CubaNoEstaSola #CubaViveEnSuHistoria

LIDERANÇA AUTENTICA face aos falsos profetas.

#CubaVive #UnaSolaRevolucion #CubaViveEnSuHistoria #FidelEntreNosotros #LaFuerzaDeUnPais

Yotuel é ridicularizado pela oposição. Desmantelando a raiva sobre as subvenções.

#GuerreroCubano #ArtistasDelImperio #MafiaCubanoAmericana #CubaNoEsMiami #CubaVive #CubaViveYRenace

O NEGÓCIO dos prémios, canções e ideologia.

#CubaVive #CubaViveYRenace #CubaNoEsMiami #ConFilo #UnMejorPais

%d bloggers like this: