Constituição

Uma honra, um dever e um direito.

Autor: Granma | internet@granma.cu

Que letra da lei tem maior autoridade do que a conferida pela legitimidade, quando é escrita e votada pela esmagadora maioria das pessoas que a promulga para si, para seu bem-estar, para afirmar seu presente e proteger o futuro de seus filhos?

Constitución

Qual critério é capaz de esmagar os argumentos enunciados na Constituição da República, ou de anular os direitos que o grande documento do país oferece aos seus cidadãos, quando cada palavra formulada em suas linhas foi fundamentada, proposta, debatida e endossada no participação mais ampla e ativa do povo autêntico; aquele exercício conjunto que mesclava a expertise do advogado com a agudeza inata do camponês, o ímpeto do estudante e a visão analítica do acadêmico, o pragmatismo do trabalhador e os cenários possíveis que o intelectual idealizava?

A nação independente, porém, é o maior patrimônio, e as formas escolhidas para impulsioná-la ao progresso e preservá-la como ela é, livre e soberana, também contam com garantias na Constituição que aprovou mais de 86% dos cubanos qualificados, formados como um povo. na Constituinte, encarregada de transformar seus ditames em Lei, como esta, que define o sagrado e o intocável:

ARTIGO 4

-A defesa da pátria socialista é a maior honra e o dever supremo de cada cubano.

  • A traição à pátria é o mais grave dos crimes, quem o pratica está sujeito às mais severas sanções.
    -O sistema socialista endossado por esta Constituição é irrevogável.
    -Os cidadãos têm o direito de lutar por todos os meios, inclusive a luta armada, quando nenhum outro recurso for possível, contra quem tenta derrubar a ordem política, social e econômica estabelecida por esta Constituição.
Categories: # Cuba, asamblea nacional del poder popular, Constitución de la República de Cuba, Cuba, Referendo popular, Constitución de la República de Cuba, Constitución de la República de Cuba, #Cuba, Constituição, contrarrevolucionarios anticubanos, #Cuba, guerra mediática, redes sociales, Referéndum Constitucional | Etiquetas: | Deixe um comentário

Cuba: Votar IF está votando nos sonhos de Fidel

fidel-castro-2

Por: Marco Velázquez Cristo

A campanha midiática que os inimigos da Revolução estão realizando tentando influenciar a opinião do povo para votar contra a nova Constituição, indica que nós fizemos bem, se eles a apoiaram então se nós deveríamos nos preocupar porque certamente cometeríamos erros que eles estariam sonhando com as mudanças que desejam ver em Cuba.

Nesta nova cruzada, aqueles que abertamente e com uma linguagem de confronto pedem abstenção ou não, são, digamos, mercenários públicos, aqueles que recebem dinheiro abertamente. E há aqueles que usam uma linguagem adocicada para transmitir a mesma mensagem prejudicial.

Entre estes últimos, alguns atuam movidos por interesses de classe que não estão refletidos na Lei de Leis; obviamente, eles não são os da imensa maioria das pessoas e dos outros porque são pagos por rotas ocultas aos olhos do público.

Todos juntos têm um denominador comum, eles não concordam com o projeto do país que delineia a nova Constituição e de uma maneira ou de outra eles respondem ou coincidem com o que nossos oponentes desejam ver estabelecido em Cuba.

As condições da sociedade cubana não são as mesmas que prevalecem em outros países onde a fragmentação, a preparação cultural e política insuficiente, a mídia que responde às elites e proporciona essa capacidade de influenciar setores sociais amplos, bem como a existência de estados de desconfiança e apatia nas pessoas geradas pelo engano sofrido por décadas por governos corruptos, são fatores que tornam a tarefa mais fácil para os inimigos dos mais humildes.

A falta dessas condições em nosso país tenta fornecê-las por meio de mensagens destinadas a desacreditar o novo texto constitucional e a deslegitimação do processo de debate. Tentativas de manipular setores sociais, como os religiosos e a comunidade LGBTI, não foram ausentes na tentativa de prejudicar o apoio à nova Carta Magna.

Mas a campanha está condenada ao fracasso, os cubanos sabem que não estamos votando apenas por uma nova constituição, mas também pelo projeto do país que queremos legar a nossos filhos e netos. Vamos votar pelo futuro de Cuba e da Revolução, pela continuidade e desenvolvimento dos ganhos alcançados pelo socialismo.

Vamos votar nos sonhos de Fidel que são nossos, é por isso que no dia 24 de fevereiro ele vai votar conosco.

tirado de PostCuba

Categories: Constituição, inimigos da Revolução, sociedade cubana, sonhos de Fidel, Uncategorized | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

<span>%d</span> bloggers like this: