CORRUPÇÃO

Brasil e seus governantes .

… então a Procuradora Laura Tessler queria se divertir detonando a imagem de Lula? O que dizer sobre esse pessoal da Lava Jato?

Imagem
Categories: #Brasil se alinha aos #EUA, #Brasil, Corrupción, #Jair Bolsonaro, #Lula, #LulaLivre, Partido de la Social Democracia Brasileña, (PT) do Brasil, CORRUPÇÃO | Deixe um comentário

#JuanCarlosI paga quatro milhões de euros à Agência Espanhola de Impostos para evitar crimes fiscais.

Categories: CORRUPÇÃO, España, ESPANA | Deixe um comentário

O Conselho Nacional Eleitoral do Equador avança com a verificação das atas apresentadas por Yaku Pérez.

Categories: #America Latina, CORRUPÇÃO, ECUADOR | Deixe um comentário

Jornal da tarde .#Angola .

Categories: ANGOLA, Coronavirus, CORRUPÇÃO | Deixe um comentário

Combate à corrupção – PGR exige maior rigor na Região Sul .

Categories: ANGOLA, CORRUPÇÃO | Deixe um comentário

Roubo de Cabos Eléctricos – Desmantelada suposta rede composta por nacionais e estrangeiros .

Categories: ANGOLA, CORRUPÇÃO | Deixe um comentário

IGAE – Inspecciona administração do Zango e flagra chefe de brigada a cobrar 50 mil kwanzas .

Categories: ANGOLA, CORRUPÇÃO | Deixe um comentário

Genocídio da fala, negação ou mitomania: as razões pelas quais um grupo de cientistas brasileiros clama pelo ‘impeachment’ contra Bolsonaro .

Um grupo de cientistas solicitou o início de um processo político contra o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, denunciando que ele utilizou um “discurso genocida” e negou a gravidade da pandemia, que prejudicou a saúde da população e fez com que fosse o País da América Latina com o maior número de pessoas mortas por coronavírus.

Os especialistas não estão sozinhos. Bolsonaro é o presidente com mais pedidos de impeachment da história do Brasil. Em pouco mais de dois anos de governo já tem mais de 60, embora por enquanto não possam avançar graças ao fato de que dois de seus aliados foram eleitos para chefiar a Câmara dos Deputados e o Senado, cargos dos quais bloquearão qualquer processo parlamentar de destituição.

De qualquer forma, cada pedido deixa um registro de tudo o que Bolsonaro fez durante a pandemia. É o caso desta nova portaria, que foi assinada por médicos, pesquisadores, farmacêuticos, bioeticistas, professores e um ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Discurso genocida, negacionismo o mitomanía: las razones por las que un grupo de científicos brasileños pide el 'impeachment' contra Bolsonaro

A denúncia de 54 páginas esclarece que se limita aos fatos ocorridos entre 24 de março de 2020 e 20 de janeiro de 2021, período em que Bolsonaro “abusou dos direitos constitucionais e políticos inerentes ao seu cargo, em prejuízo da saúde do população, para obter vantagem política para si mesmo no meio da pandemia covid-19. “

Com sua estratégia, acrescenta, o presidente minou a relação entre os diversos estados do Brasil, indispensável em meio a uma emergência sanitária, e prejudicou a “dignidade e a honra” de seu cargo “por repetidas violações de decoro. “

Acrescenta ainda que o presidente divulgou desinformações, exortou ao descumprimento das medidas sanitárias e promoveu a ilusão de “tratamento precoce”, que levou as pessoas a arriscarem a sua saúde perante um vírus mortal.

“Além de negar a gravidade da pandemia e aderir a uma negação científica incompatível com a respeitável tradição da saúde no Brasil, o senhor Bolsonaro agiu para tornar as respostas menos eficazes (…) comportamentos, todos intencionais e calculados em seu benefício político “, ele acusa.
Cronologia

A denúncia relaciona o que aconteceu no Brasil desde 3 de fevereiro do ano passado, quando o Ministério da Saúde declarou emergência sanitária por conta da pandemia.

Desde então, afirma ele, o Bolsonaro minimizou o coronavírus, recusou-se a implantar a quarentena, incentivou a desobediência ao distanciamento social e medidas de prevenção, como o uso de máscaras, e promoveu “medicamentos precoces” como a hidroxicloroquina, que não continha evidência científica.

A atitude negativa do presidente, ressalta, impediu que esforços de outras instituições, em particular do Congresso Nacional, do Judiciário e de executivos estaduais e municipais, pudessem compensar a falta de políticas e de enfoque epidemiológico que o governo federal teve que assumir.

Um dos exemplos mais claros foi a campanha publicitária oficial ‘O Brasil não pode parar’, em que recursos públicos milionários foram usados ​​para rejeitar a quarentena em vez de investi-los na saúde.

Soma-se a isso os ataques permanentes de Bolsonaro à imprensa que investigou e noticiou os efeitos da pandemia. “Em 24 de março de 2020, o presidente fez uma declaração oficial em rádio e televisão nacional, acusando a imprensa de promover ‘histeria’, imputando a prefeitos e governadores cautelosos o desejo de arruinar o país”, lembra a acusação.

As declarações e políticas do presidente, diz ele, levaram o Brasil a um “precipício de negação” que até agora implicou a perda de mais de 232.000 vidas, além de quase dois milhões de infecções.

“Há quase um ano, (Bolsonaro) não mede esforços para prejudicar os agentes políticos, médicos e médicos, enfermeiras e enfermeiras que trabalham para tentar reduzir o número de mortos durante a pandemia, chegando ao auge de promover a descrença nas vacinas para o nosso pessoas que, de boa fé, acreditam na palavra do presidente da República ”, afirma.

Como resultado, ele lamenta, o Brasil, que foi um exemplo na implementação de políticas públicas de saúde, “tornou-se um exemplo negativo no combate à pandemia, e cada vez mais brasileiros morrem por terem sido relegados a danos colaterais de ominosos políticos ambições do Sr. Bolsonaro. “
Imputações

A carta atribui o colapso sanitário sofrido pela cidade de Manaus à “ineficácia, sabotagem, mitômana e beligerante” do Governo. “É claro que o Sr. Bolsonaro politizou criminalmente a política federal para combater a pandemia, obter uma vantagem política para si mesmo e prejudicar politicamente outras autoridades que ele trata como inimigas”, disse ele.

O abuso de poder, ele acusa, resulta em “violação patente” do direito à saúde dos brasileiros por meio de mentiras, desinformação médica, incitação à desobediência à saúde, falsidades sobre a responsabilidade exclusiva de prefeitos e governadores, omissão intencional na compra vacinas, manifestações xenófobas contra a China e negação absoluta de suas obrigações, já que é um chefe de Estado que promove a polarização e a violência.

Para processar o impeachment, os cientistas recomendam chamar como testemunhas Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde; Dimas Tadeu Covas, diretor do Instituto Butantan; Carlos Murillo, presidente da Pfizer no Brasil; Clóvis Arns da Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Doenças Infecciosas; Karine de Souza Oliveira Santana, professora titular de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina da Bahiana, Margareth Dalholm, cientista e pesquisadora da Fiocruz e Miguel Nicolelis, coordenador da Comissão Científica do Consórcio Nordeste de Combate.

Categories: #Brasil, #Brasil se alinha aos #EUA, #Brasil, Corrupción, #Jair Bolsonaro, #Jair Bolsonaro, #Jair Bolsonaro,, CORRUPÇÃO, Latinoamerica | Deixe um comentário

Brasil: Justiça decide se autoriza o acesso às mensagens no caso de Lula da Silva.

Neste dia, a Justiça brasileira deve se pronunciar sobre a legalidade de divulgação das mensagens do juiz e promotores que condenaram Luiz Inácio Lula da Silva. Aparentemente, Sergio Moro, que era ministro da Justiça de Bolsonaro, e o procurador Deltan Dallagnol teriam coordenado ações para condenar Lula. Essas mensagens podem tornar o ex-presidente nulo e sem efeito e iniciar uma investigação contra Moro.

Categories: #Brasil, #Brasil, Corrupción, #Jair Bolsonaro, #Jair Bolsonaro,, #LulaLivre, Partido de la Social Democracia Brasileña, CORRUPÇÃO | Deixe um comentário

“Negativo e indiferente à dor”: Bolsonaro é denunciado perante a ONU e a OMS por ter lidado com a pandemia.

Jair Bolsonaro e seu governo foram recentemente denunciados por entidades religiosas e indígenas perante os escritórios de Direitos Humanos da ONU e da Organização Mundial da Saúde (OMS) por uma possível má gestão da pandemia do coronavírus no Brasil, terceiro país com maior número de infecções.

O texto foi assinado pela Conferência Nacional dos Bispos, o Conselho Nacional das Igrejas Cristãs, o Conselho Indígena Missionário, o Grupo Franciscano Internacional e a Fundação Luterana Diaconia. A intenção dessas organizações era pedir aos organismos multilaterais algum tipo de pressão para que o Executivo revisse suas políticas de saúde.

"Negacionista e indiferente al dolor": Bolsonaro es denunciado ante la ONU y la OMS por su manejo de la pandemia

“De cada dez pessoas mortas no mundo pelo covid-19, uma delas é do Brasil”, destacaram na carta. Eles também alertaram sobre um aparente “comportamento político, econômico e social contraditório, negação e indiferença à dor, que vem ampliando profundas desigualdades”.

A esse respeito, ressaltaram que as pessoas mais afetadas por esta posição governamental são os indígenas e afrodescendentes, “fortalecendo o racismo estrutural”. Chegam a considerar que o agravamento da emergência se deve a cortes orçamentários anteriores: “A Lei de Teto de Gastos, por exemplo, atrapalha o investimento público e contribui para o aumento das desigualdades com a privatização de serviços essenciais”.
Pedido de maior transparência

Entre as perguntas a Bolsonaro e seu governo, a carta destaca “a indiferença dos poderes públicos federal, estadual e municipal aos acontecimentos atuais”. Com esse tom, esse grupo de críticos clama por “uma investigação para apurar possíveis responsabilidades”.

Uma das questões mais importantes incidiu sobre a alegada falta de “transparência nas informações e confiança nas decisões dos representantes políticos em relação à contenção do covid-19”.

Paralelamente, apoiaram “os mais de 60 pedidos de destituição do presidente, nomeadamente por crimes de responsabilidade no que diz respeito à política de saúde em tempos de pandemia”.

Por fim, destacaram que hoje no Brasil “as notícias falsas são amplamente utilizadas com o objetivo de reduzir a adesão popular às recomendações de saúde baseadas em evidências científicas e promover o ativismo político contra as medidas de saúde pública necessárias para conter o avanço da covid-19”.
Momento critico

HOY / Bolsonaro dice que desea asistir a la "nueva investidura" de Donald  Trump

Atualmente, a situação mais alarmante do ‘gigante sul-americano’ está no estado do Amazonas. Muitos hospitais estão saturados e há escassez de suprimentos básicos, como respiradores e tubos de oxigênio. Enquanto isso, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, está sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal por suspeita de não ter respondido a tempo à falta de oxigênio naquela jurisdição, após a morte de 50 pessoas em meio ao desabamento do hospital.

Sobre isso, Bolsonaro disse: “Não é nossa competência e não somos responsáveis ​​por trazer oxigênio para lá, demos a ele os meios.” Ele também disse que seu ministro fez um “trabalho excepcional”.

Dados oficiais do governo refletem que em nível nacional, um total de 9,2 milhões de infecções confirmadas e mais de 224.000 mortes já foram registradas. Por sua vez, pelo quinto dia consecutivo, o Brasil teve mais de mil mortes por dia. Durante a crise da saúde, a política oficial era priorizar o funcionamento da economia e a quarentena obrigatória nunca foi decretada em nível federal.

Categories: #Bolsonaro, #Brasil, #Brasil se alinha aos #EUA, #Brasil, Corrupción, #Jair Bolsonaro, #Jair Bolsonaro, #ONU, #salud, Assembléia Geral da ONU, Colômbia, Organização das Nações Unidas (ON, Coronavirus, CoronaVirus, Política, CORRUPÇÃO, governo idiota no Brasil", OMS, ONU, Organizacion Mundial de la Salud (OMS), Profesionales e la Salud, Secretaria-Geral da ONU, Stéphane Dujarric | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: