Cuba, Venezuela y Nicaragua

Pdte. Venezuela fecha o ano com uma mensagem de paz

Como parte do culminar deste ano de 2019, e cumprimentando a chegada de 2020, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, emitiu uma mensagem oficial na segunda-feira ao povo venezuelano, em que ele revisou episódios importantes para a nação bolivariana e resumiu a capacidade que Ele tinha o país para “superar obstáculos … e celebrar a vitória da paz, o triunfo da vida em liberdade”.

El presidente Nicolás Maduro junto a la primera dama, Cilia Flores, ofreció un mensaje de paz y solidaridad en el marco de fin de año.

Segundo a mensagem do presidente da Venezuela, transmitida em cadeia nacional, este 2019 representou um ano de testes, considerando as agressões contra um povo pacífico e heróico, que “hoje, está à vista de todo o planeta … do que o imenso Maiorias do nosso país, sem distinção ideológica e acima de todas as diferenças, amam, defendem e defendem a terra que os viu nascer “. Continuar a ler

Categories: #Caracas, Golpe de Estado, Militar,#Nicolás Maduro Moros, #Venezuela, #Nicolás Maduro, #Nicolás Maduro Moros, ALBA, ALBA-TCP, Cuba, Fidel Castro Ruz, Hugo Chávez Frías, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, América Latina e do Caribe como Zona de Paz, Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, Nicolás Maduro Moros, Solidariedade, Venezuela, Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, Soberania, Venezuela, Cuba, Venezuela y Nicaragua, Estados Unidos, Golpe de Estado, Injerencia, Lima, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, forças em favor da paz, Nicolás Maduro Moros, Revolución Bolivariana, Venezuela, Uncategorized | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Lula: “A situação no Brasil é delicada, as pessoas estão sofrendo, perdendo seus direitos”

O ex-presidente brasileiro reafirmou sua inocência e garantiu que o processo judicial contra ele será desacreditado pelas irregularidades que ocorreram nele. Foto: teleSUR.

O ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, disse quinta-feira que tem como principal objetivo a vontade de lutar para restaurar a democracia em seu país à situação atual do povo sob o governo de Jair Bolsonaro.

Em entrevista exclusiva ao teleSUR, o líder brasileiro reiterou que o país sul-americano tem “todas as condições para recuperar um debate democrático … e combater o neoliberalismo que está destruindo todo o patrimônio público”.

“Os dias em que fui detido na Polícia Federal (de Curitiba) me fortaleceram politicamente e hoje tenho uma vontade maior de lutar até a restauração da democracia no Brasil”, afirmou o ex-presidente.

Além disso, ele ressaltou que a democracia é uma questão muito séria e lamentou o Brasil, que antes era um país onde havia tolerância e amor no povo, agora há ódio em alguns setores, promovido por aqueles que buscam destruir as conquistas feitas pelos mais em necessidade “A situação no Brasil é delicada … as pessoas estão sofrendo, estão perdendo seus direitos”, afirmou Lula.

Surto social na América Latina
Lula criticou o papel da Organização dos Estados Americanos (OEA) na região, garantindo que “é uma vergonha” e reiterando que vários governos latino-americanos estão atualmente sendo submetidos à vontade dos Estados Unidos (EUA)

Entre eles, ele mencionou o de Bolsonaro, que não só atacou os setores que mostram desacordo com suas políticas, mas também se tornou aliado dos governos intervencionistas que buscam desestabilizar o continente.

“O que acontece na América Latina é uma articulação profunda da extrema direita liderada pelos EUA” e o presidente dos EUA, Trump, no que o líder sindical acredita ser uma tentativa de destruir os sistemas que defendem sua democracia e soberania dos seus recursos

No golpe de estado na Bolívia, ele rejeitou que as Forças Armadas não endossassem o legítimo presidente Evo Morales, mas se colocassem em nome daqueles que violavam a democracia e atacavam a população.

Esperança para a região
Em relação às eleições de Andrés Manuel López Obrador no México e Alberto Fernández na Argentina, o ex-chefe de Estado disse que isso representa um alívio e uma esperança para a região, por isso parabenizo os dois povos, principalmente o argentino, que ele reconheceu por seu compromisso e conquista de retornar à democracia após o governo de Mauricio Macri.

Por outro lado, Lula parabenizou o presidente Nicolás Maduro e o povo venezuelano por sua árdua resistência, apesar do bloqueio econômico e financeiro imposto pelos EUA, bem como pelas tentativas do extremo direito de voltar à violência e não participar de um diálogo para discutir diferenças e garantir a paz.

O fundador do Partido dos Trabalhadores (PT) lembrou aos venezuelanos que apenas eles são os que devem resolver seus problemas, escolher seus governantes e determinar se o fazem bem ou não, mas não devem cair nas provocações daqueles que não o fazem. eles até respeitam a vontade das maiorias e procuram desestabilizar o país.

Lula lembrou a época em que a América Latina tinha presidentes como Hugo Chávez (Venezuela), Rafael Correa (Equador), Evo Morales (Bolívia), Néstor Kirchner e Cristina Fernández (Argentina), Tabaré Vázquez (Uruguai), além de ele e Dilma Dilma (Brasil), período em que a região alcançou grandes conquistas populares, a democracia foi um fator fundamental e foi ouvida no mundo.

Processo judicial
O ex-presidente brasileiro reafirmou sua inocência e garantiu que o processo judicial contra ele será gradualmente desacreditado pelas irregularidades por trás de sua detenção.

“Acho que em breve o processo judicial será desacreditado (…) me sinto triste porque um Ministério Público que foi criado para garantir a democracia de um país e algumas pessoas (lá) resolveram fazer política. Eu acho que eles não ficaram satisfeitos com o sucesso do nosso governo ”, disse ele.

Da mesma forma, Lula insistiu que planeja desmascarar todas as acusações contra ele, uma vez que mentiram aqueles que o indicaram e estavam por trás da investigação do caso.

“Eu respeito as instituições, mas quero desmoralizar algumas pessoas que as usam para fazer política partidária … pode demorar um pouco, mas vamos restaurar a verdade no Brasil”, afirmou.

(Retirado do teleSUR)

Categories: #EUA contra uma possível intervenção militar na# Venezuela, #Lula, #LulaLivre, Partido de la Social Democracia Brasileña, 70 bases nos EUA. em toda a América Latina, ações intervencionistas dos EUA, Constituição dos EUA, Cuba, Venezuela y Nicaragua, EUA avalia retornar a Cuba para lista de estados patrocinadores do terrorismo, EUA contra a América Latina, EUA contra a Venezuela na ONU, EUA monta um novo show anti-cubano, instalar base militar dos EUA, no Brasil, interesses dos EUA, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Justicia brasileña señala contradicciones en sentencia contra expresidente Lula, Lula em carta enviada ao povo cubano, Nobel para Lula, Os EUA querem que a Venezuela seja devastada e empobrecida", solidariedade com Lula, Uncategorized, Venezuela Cancilleria Comunicado EE.UU. Gobierno Titere, Venezuela tras la autoproclamación de Guaidó | Etiquetas: , , , , , , | Deixe um comentário

OPERAÇÃO CONDOR 2.0: APÓS O SOPRO NA BOLÍVIA, EUA PONTOS PARA NICARÁGUA E MÉXICO

Depois de presidir o golpe na Bolívia, os Estados Unidos declararam a Nicarágua uma “ameaça à segurança nacional” anunciando novas sanções, enquanto Trump designou os cartéis de drogas no México como “terroristas” sem descartar a intervenção militar.

Aparentemente, um golpe de sucesso contra um presidente socialista eleito democraticamente não é suficiente.

Mike Pompeo, Donald Trump e Mike Pence posam para as câmeras da autora da Casa Branca (Foto: Departamento de Estado) Mision Verdad.

Imediatamente após supervisionar um golpe de extrema direita na Bolívia em 10 de novembro, o governo Trump mais uma vez observa a Nicarágua, cujo governo sandinista (eleito democraticamente) derrotou uma violenta tentativa de golpe em 2018.

Washington designou a Nicarágua como uma ameaça à segurança nacional dos Estados Unidos e anunciou que expandirá suas sanções sufocantes contra a pequena nação centro-americana.

Trump também aumenta a temperatura no México, ligando o país sem base ao terrorismo, sugerindo até uma potencial intervenção militar. Esses movimentos se manifestam depois que o presidente Andrés Manuel López Obrador adverte sobre tentativas de golpe de Estado à direita.

Como Colômbia, Brasil, Chile e Equador (aliados de Washington), eles estão desesperados para derrotar as revoltas populares em massa contra as políticas de austeridade neoliberal e a enorme lacuna de desigualdade; os Estados Unidos aumentam as agressões contra governos progressistas ainda em andamento. pé

Esses movimentos levaram as forças de esquerda da América Latina a alertar sobre o ressurgimento de uma operação Condor do século XXI: a violenta e velada campanha da Guerra Fria, com o apoio dos Estados Unidos em toda a região.

A ADMINISTRAÇÃO TRUMP DECLARA A NICARÁGUA UMA “AMEAÇA À SUA SEGURANÇA NACIONAL”
Um dia após o golpe na Bolívia, a Casa Branca emitiu uma declaração aplaudindo o golpe militar e deixando claro quais são os dois países que vêm a seguir na lista de alvos de Washington: “Esses eventos enviam um forte sinal aos regimes ilegítimos de Venezuela e Nicarágua “, disse Trump.

Em 25 de novembro, a Casa Branca de Trump publicou discretamente uma declaração caracterizando a Nicarágua como “uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos”.

Isso amplia a ordem executiva assinada por Trump em 2018, declarando o país da América Central “estado de emergência” por mais um ano.

A declaração de Trump de 2018 veio após uma tentativa de golpe fracassada e violenta na Nicarágua. O governo dos Estados Unidos financiou e apoiou muitos dos grupos de oposição que tentavam derrubar Daniel Ortega, o presidente eleito da Nicarágua, e os tomou enquanto tentavam derrubá-lo.

Após a designação de ameaça à segurança nacional de 2018, então, e rapidamente, a guerra econômica se seguiu. Em dezembro daquele ano, o Congresso dos EUA aprovou a Lei NICA sem qualquer oposição. Essa legislação deu a Trump a autoridade de impor sanções à Nicarágua, proibindo instituições financeiras internacionais de fazer negócios com Manágua.

A nova declaração de Trump lança propaganda bizarra contra a Nicarágua, referindo-se ao seu governo eleito – que há décadas está sujeito a ataques de Washington – como um alegado “regime” violento e corrupto.

Essa ordem executiva é semelhante à assinada pelo então presidente Barack Obama em 2015, que também designou a Venezuela como uma ameaça à segurança nacional dos Estados Unidos.

Ambas as ordens foram usadas para justificar a imposição unilateral de sanções econômicas sufocantes. E a renovação da ordem abre caminho para uma escalada no ataque econômico contra a Nicarágua.

A mídia corporativa em inglês deu pouca cobertura a essa extensão, mas a mídia de direita em espanhol na América Latina a ampliou bastante.

E ativistas da oposição intensificam alegremente a guerra híbrida de Washington contra Manágua.

Categories: #América Latina, #Nicarágua, #Bolívia, #Venezuela, #Cuba, #Bolívia, #China#EEUU#Iran#Nicaragua.barco hospital naval Arca de la Paz, #COLOMBIA#MéxicoCarlos MesaComandante Che GuevaraCompañía Minera Huanchaca, #Daniel Ortega Saavedra, #Nicaragua, #USAID, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Nicaragua, #Trump, #Venezuela, #Nicaragua, @Trump, AMLO, Andrés Manuel López Obrador, estados unidos, México, zona franca, Andrés Manuel López Obrador, Bolivia, estados unidos, Evo Morales, Grupo de Lima, Luis Almagro, Mexico, Nicolás Maduro, Red Europea de Solidaridad con la Revolución Bolivariana, venezuela, bolivia, BOLIVIA Evo Morales Fidel Castro Hugo Chávez, Cuba, Venezuela y Nicaragua, CUBA-BOLÍVIA, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, Uncategorized | Etiquetas: , , , , | Deixe um comentário

Bolsonaro dice que desea sumar a Brasil al poderío militar de EE.UU. en la región

Bolsonaro dejó entrever, en entrevista al Sistema Brasileño de Televisión, que contaría con una base militar del imperio en territorio brasileño para sumar a su nación al poderío estadounidense en la región, expresado en más de 75 bases en América Latina y el Caribe

Estados Unidos cuenta con más de 75 bases militares en la región.

Estados Unidos cuenta con más de 75 bases militares en la región. Foto: Perú al día

EE.UU. le viró la cara al Acuerdo de París sobre cambio climático y ya Bolsonaro ha dicho que daría también ese paso, de hecho la COP 25 que debía celebrarse en su país ha sido transferida a Chile, pues el nuevo mandatario rechazó la sede; EE. UU. injustamente consideró a Cuba, Venezuela y Nicaragua como la troika del mal y Jair dinamitó con sus ofensas y condiciones el programa Más Médicos, en detrimento de la salud de su pueblo; EE. UU. arremete contra el Gobierno legítimo y democráticamente electo de Venezuela y el mimetismo del inquilino del Palacio de Planalto se repite, Estados Unidos trasladó su embajada en Israel a Jerusalén y su alumno ya prometió lo mismo. Continuar a ler

Categories: Acuerdo de París, América Latina y el Caribe, Brasil al poderío militar de EE.UU, Cuba, Venezuela y Nicaragua, Programa Mas Medicos, Uncategorized | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: