ALBA-TCP realiza o Primeiro Encontro Alba Digital em Caracas.

#ALBA-TCP #AméricaUnida #OTAN #Venezuela

teleSUR

A Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América – Tratado Comercial do Povo (Alba-TCP) realiza desde terça-feira em Caracas o Primeiro Encontro da Alba Digital, um evento que reúne representantes de 13 nações e visa propor estratégias de trabalho em consonância com a evolução dos meios digitais.

Na sessão de terça-feira, o Vice-Presidente venezuelano Freddy Ñáñez, que é também Ministro das Comunicações, salientou a necessidade de “gerar um laboratório de produção de conteúdos relevantes para as redes sociais”.

O Vice-Presidente Freddy Ñáñez salientou que as diferenças em cada uma das redes sociais devem ser consideradas para transmitir melhores mensagens. | Foto: @ALBATCP

Tomando como preceitos os defendidos pelo Alba-TCP, o funcionário do país sul-americano referiu-se ao valor da formação de influenciadores para promover a geração de conteúdos de ponta.

“A formação que necessitamos em termos das experiências que temos, que foram construídas noutros países, como gerar uma instância de troca de experiências, como gerar uma instância ao nível mais detalhado, técnico, operacional e também teórico, filosófico, porque esta é uma batalha semiótica por um lado, e por outro lado é uma batalha instrumental concreta”, sublinhou Ñáñez.

O ministro apelou à reflexão sobre as experiências de cada membro da Alba-TCP em termos da oferta educacional para formar influenciadores, “do ponto de vista da formação académica para mediar e moderar o consumo de informação digital, seja através de jogos de vídeo, informativos ou recreativos”.

Ñáñez também exemplificou como a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) treinou, para além de grupos de reflexão, operadores em redes sociais “aparentemente inofensivos”, mas que trabalham “para mobilizar qualquer agitação social, despertá-la e dirigi-la para algum lugar”.

Neste sentido, salientou que as diferenças nos algoritmos dos formatos das redes sociais devem ser consideradas, pois “a produção de conteúdos para Tiktok não é a mesma que a produção de conteúdos para Instagram”, uma vez que são escritos e concebidos códigos diferentes para cada um deles.

A Primeira Reunião da Alba Digital está em sessão desde terça-feira no salão Simón Bolívar do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Povo na capital venezuelana.

Díaz-Canel: É nosso dever e honra promover e reforçar o magnífico trabalho de Fidel e Chávez.

#ALBA-TCP #ElCaminoEsLa Paz #PuentesDeAmor #YoSigoAMiPresidente #CELAC #AmericaLatina

Por Redacción Razones de Cuba

Discurso de Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez, Primeiro Secretário do Comité Central do Partido Comunista de Cuba e Presidente da República de Cuba, na inauguração da 20ª Cimeira da ALBA-TCP, no Palácio da Revolução, a 14 de Dezembro de 2021, “63º Ano da Revolução”.

Versões curtas – Presidência de Cuba

Caros Chefes de Estado e de Governo, Chefes de delegações que nos acompanham;

Compañero Sacha Llorenti Soliz, Secretário Executivo da ALBA-TCP:

São todos bem-vindos e recebem um abraço caloroso e afectuoso do General do Exército Raúl Castro Ruz.

É verdadeiramente estimulante voltar a vê-lo pessoalmente. Retomar as nossas reuniões cara-a-cara em Havana é duplamente inspirador. Não só porque a nossa proximidade é um sinal de que estamos a ultrapassar uma crise de saúde sem precedentes, mas também pela feliz circunstância de o estarmos a fazer para celebrar a 20ª Cimeira da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA-TCP) e para comemorar o 17º aniversário da sua fundação pelos líderes históricos das revoluções cubana e bolivariana, Fidel Castro Ruz e Hugo Rafael Chávez Frías.

Hoje damos um caloroso e afectuoso acolhimento a Santa Lúcia, mais uma vez sentada à volta desta mesa de irmãos que temos orgulho em receber (Aplausos).

Estamos particularmente satisfeitos com a vitória alcançada pelo Partido Socialista Unido da Venezuela e pelo Grande Pólo Patriótico nas recentes eleições regionais (Aplausos). Os resultados destas eleições foram uma retumbante rejeição a todas as campanhas que o império tem vindo a travar há anos contra a nobre pátria de Bolívar e Chávez. A Revolução Bolivariana não só resistiu a todos os ataques: ganhou!

De forma precisa, sob a liderança efectiva de Nicolás Maduro e graças à unidade cívico-militar, as forças revolucionárias e chavistas demonstraram que a razão e a verdade estão do seu lado, e que o destino da Venezuela é decidido pelo povo venezuelano e não pelos interesses e aspirações de dominação que tentam impor a partir do estrangeiro.

Irmão Nicolás, uma vez mais ratificamos o nosso apoio, solidariedade e firme compromisso de lealdade para com o seu povo e governo.

Do mesmo modo, felicitamos especialmente o Presidente Comandante Daniel Ortega Saavedra pela sua vitória nas eleições mais recentes (Aplausos). Mais uma vez, e apesar das fortes campanhas de difamação, o povo nicaraguense cerrou fileiras atrás do Governo de Reconciliação e Unidade Nacional.

A este corajoso povo nicaraguense e aos seus líderes, que juntos desafiam as políticas ameaçadoras e interferentes do Governo dos EUA e dos seus aliados, reafirmamos o nosso apoio permanente e a nossa maior solidariedade.

A recente tentativa de desestabilizar o Estado Plurinacional da Bolívia recebeu uma resposta firme do povo boliviano em estreita unidade com o nosso irmão Presidente Luis Arce Catacora, a quem reiteramos o nosso firme apoio e compromisso. Estamos consigo, irmão Lucho! (Aplausos.)

Estamos também com os nossos irmãos das Caraíbas, apoiando o seu direito a receber tratamento justo, especial e diferenciado, tão necessário para enfrentar os desafios decorrentes das alterações climáticas, das catástrofes naturais, do injusto sistema financeiro internacional e das novas e difíceis condições que nos foram impostas pela pandemia de VIH/SIDA.

Caros irmãos e irmãs:

Com a pandemia, as taxas de pobreza, desemprego e desigualdade na América Latina e nas Caraíbas aumentaram. A injusta ordem económica internacional e o papel secundário reservado dentro dela para a região agravaram este panorama para os nossos povos.

O mais terrível é que a emergência sanitária global não impediu a continuação das decisões neoliberais que favorecem a pilhagem de recursos das nações empobrecidas do Sul.

A cooperação internacional foi relegada para segundo plano e os interesses nacionais foram privilegiados nos países que dispunham de mais recursos para enfrentar a pandemia.

Medidas proteccionistas foram aplicadas de forma criminosa, impedindo e mesmo impedindo que os mais necessitados tivessem acesso urgente a material médico, respiradores artificiais, vacinas, medicamentos, pessoal de saúde e testes de diagnóstico.

Por puro egoísmo político e frio cálculo económico, a rapidez com que os cientistas encontraram vacinas para nos imunizar contra o vírus SRA-COV-2 foi desperdiçada. Nestas condições, os planos globais para lidar com a COVID-19 e a crise económica e social provocada pela pandemia são logicamente insuficientes. Não foi possível alcançar os objectivos estabelecidos.

Consciente da situação dramática gerada pela confluência destes factores, o imperialismo americano não só não parou, como reforçou os seus planos de dominação e hegemonia sobre a nossa região.

Mas as forças progressistas e os movimentos sociais e populares também responderam com uma melhor coordenação para resistir à investida.

Vários dos membros deste mecanismo de integração de que tanto nos orgulhamos são vítimas da aplicação de medidas económicas coercivas unilaterais, que se intensificaram nos piores momentos da pandemia, apelando a manobras políticas e operações mediáticas baseadas em mentiras e poderosas alavancas tecnológicas que o imperialismo não hesitou em utilizar sem uma sombra de vergonha.

Sendo o inimigo mais antigo do império na região, Cuba continua a ser o principal alvo da política obsessiva de perseguição do governo dos EUA, que oportunista e vilmente utilizou a pandemia como aliado nas suas tentativas nunca abandonadas de derrubar a Revolução Cubana.

Atacou e danificou, com campanhas falaciosas e pressões de todo o tipo, a cooperação que prestamos a dezenas de países, incluindo os desta Aliança, embora não tenha conseguido muito com estas manobras vis. Hoje, gostaria de vos agradecer as repetidas expressões de solidariedade e a ajuda atempada que recebemos, especialmente de muitos de vós, durante os momentos mais difíceis da pandemia no nosso país, precisamente quando a política hostil dos EUA contra Cuba mais se intensificou.

Por estas e outras razões, o apelo da actual administração dos EUA a uma chamada Cimeira da Democracia, da qual vários dos Estados aqui representados foram excluídos, é um acto profundamente hipócrita. Uma democracia incrível que exclui e nega outros modelos de desenvolvimento socioeconómico. Com toda a honestidade, deveria chamar-se a Cimeira Não-Democrática.

As nossas democracias não baseiam a sua força no poder do dinheiro ou das armas. Aqueles de nós que reuniram as suas energias e potencialidades em torno da ALBA-TCP não cabem nos moldes concebidos pelo império para os seus súbditos ou seus cúmplices.

A ALBA-TCP nasceu da unidade, é alimentada pela solidariedade e cooperação e afirma-se no poder dos povos para transformar a história.

No meio do pior vendaval que o mundo já enfrentou, a ALBA-TCP não perdeu o seu caminho. Ajustou a prática da solidariedade, o princípio fundador da Aliança, às condições e possibilidades de cada parte, e a cooperação mútua não demorou muito a chegar.

O vulcão que, coincidindo com o pior momento epidemiológico, afectou São Vicente e Granadinas deu-nos também a oportunidade de mostrar o poder desta solidariedade no seio da ALBA.

A Venezuela já o provou. Sob os rigores da guerra económica que enfrentava, estava pronto a partilhar tudo o que podia e fê-lo com outros estados membros da Aliança, particularmente Cuba.

Nicarágua, Bolívia, São Vicente e Granadinas, Granada, São Cristóvão e Nevis, em circunstâncias difíceis, enviaram doações ao povo cubano pelas quais estamos profundamente gratos.

As vacinas que os nossos dedicados cientistas criaram são partilhadas com outras nações da Aliança, enquanto excelentes profissionais e técnicos de saúde cubanos cooperam nos cuidados de saúde.

Esta Cimeira é o culminar de um ano de trabalho árduo e de revitalização da Aliança. Uma dúzia de reuniões realizadas em 2021, bem como a celebração da 19ª Cimeira do nosso mecanismo a 25 de Junho na República bolivariana irmã da Venezuela, serviram para promover múltiplas acções.

Ainda há muito a fazer e estamos conscientes disso, daí o apelo a continuar a reforçar a Aliança.

Neste caminho, encorajo-vos agora a partilhar ideias.

Reafirmo o empenho de Cuba na unidade e na promoção da cooperação e integração regionais, no desenvolvimento do CELAC e na implementação da Proclamação da América Latina e das Caraíbas como Zona de Paz.

Perante os desafios que enfrentamos, Cuba não cessará nos seus esforços para construir uma sociedade socialista cada vez mais justa e humana, mais solidária e mais internacionalista.

E em direcção a esse horizonte só podemos marchar “num quadro apertado, como a prata nas raízes dos Andes”, segundo a frase muito gráfica de José Martí no seu ensaio magistral A Nossa América.

Fidel e Chávez fizeram mais progressos do que qualquer outra pessoa nesse caminho para a integração. É o dever e a honra dos seus humildes seguidores, os seus leais discípulos, promover e reforçar esta magnífica obra.

Muito obrigado.

#Venezuela, #Nicarágua e #Cuba como navios de bandeira da esquerda.

#EstadosUnidosBloquea #ElBloqueoEsReal #UnionEuropea #EliminaElBloqueo #Nicaragua #Venezuela #Cuba Sanciones #Russia #China #Washington #ALBA-TCP #CELAC

Discurso del Canciller de Cuba en XXI Reunião do Conselho Político do ALBA-TCP.

#Cuba #NuestraAmérica #ALBA_TCP #CubaSalva #EEUUBloquea #DonaldTrumpCulpable #Sanciones #ElBloqueoEsReal #PuentesDeAmor #Venezuela #InjerenciaDeEEUU #BloqueoNoSolidaridaSi #TerrorismoMadeInUSA #Covid-19 #SaludMundial

Venezuela propõe banco de vacinas para os povos da ALBA.

#SaludMundial #Covid-19 #Venezuela #Cuba #NicolasMaduro #MiguelDiazCanel #ALBATCP #CELAC #CubaEsSolidaridad #CubaPorLaSalud ~EEUUBloquea #CubaSalva

Retirado de teleSUR .

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, propôs nesta segunda-feira durante a XVIII Cúpula da ALBA-TCP que se somam os esforços de Cuba e da Venezuela para a criação de um Banco de Vacinas da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA).

“A ALBA deve garantir através do Banco da ALBA o financiamento de todo o processo de vacinação dos países membros, deste bloco sindical”, destacou Nicolás Maduro em seu discurso.

Cuba desarrolla de manera acelerada cuatro proyectos vacunales contra el coronavirus.

Durante o encontro virtual, o presidente venezuelano especificou que devemos trabalhar para especificar toda a política de saúde e educação, o re-impulso do Petrocaribe, o apoio a todos os nossos povos e assumir a estratégia como “uma agenda da Grande Nação”.

Além disso, o chefe de governo propôs um processo de consulta permanente sobre o plano de trabalho pós-pandemia aprovado esta segunda-feira durante a Cimeira do Palácio de Miraflores.

Durante a intervenção do presidente cubano, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, soube-se que Cuba está desenvolvendo de forma acelerada quatro projetos de vacinação contra o coronavírus. “Os cientistas cubanos estão envidando todos os esforços para disponibilizá-los no próximo ano”, declarou o chefe de governo cubano.

Cooperação, o principal desafio do mecanismo CELAC-UE

#CELAC #BrunoRodriguezParrilla #Cuba #ALBA-TCP #Minrex #DiazCanelB #VamosPorMas #Somo0sContinuidad #TenemosMemoria #Covid-19 #SaludMundial #EstadosUnidosBloquea #CubaSalva #ElBloqueoEsReal #CubaApuestaPorLaSalud #Salud #AmericaLatina #HugoChavez #FidelCastro #EternoComandante

Autor: Nuria Barbosa León | internet@granma.cu

O apelo para preservar o vínculo entre a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e a União Europeia (UE), e para evitar a exclusão de qualquer nação, essencialmente a Venezuela, centrou a intervenção do Ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez Parrilla, na Reunião Ministerial informal desse mecanismo multilateral.

De forma virtual, representantes de mais de 50 governos discutiram a necessidade de uma resposta conjunta ao COVID-19, o uso de novas tecnologias de informação e comunicação neste contexto, iniciativas de enfrentamento às mudanças climáticas, e cooperação multilateral na recuperação pós-pandemia.

Bruno Rodriguez celac ue

“As múltiplas crises agravadas pela COVID-19 e seus efeitos devastadores evidenciaram a urgência de intensificar a solidariedade e a cooperação internacional”, disse o Chanceler cubano, e a seguir explicou o grande desafio da ilha para superar os efeitos da pandemia , dada a intensificação do bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos.

«Este mecanismo deve ser, a nosso ver, o quadro de coordenação de uma resposta bi-regional aos desafios impostos pela COVID-19, que permite a participação de todos os países da CELAC e da União Europeia, sem exclusões e sem ignorar a nossa diversidade e diferentes níveis de desenvolvimento ”, defendeu o ministro cubano na reunião convocada pela Alemanha, na qualidade de presidente da UE.

Os outros países também pediram apoio à Organização Mundial e Pan-Americana da Saúde, ajuda abnegada e colaboração.

O Ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard Casaubon, na qualidade de Presidente Pro Tempore da Celac, destacou as múltiplas coincidências entre os valores, prioridades e perspectivas dos participantes diante dos desafios globais; entretanto, o alemão Heiko Maas anunciou a criação de um instituto transnacional de luta contra as doenças infecciosas na América Latina.

Ao vivo: Raúl e Díaz-Canel presidiram o ato de massas que encerrou a XVII Cúpula da ALBA-TCP em Cuba

Com a presença do Presidente da República de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez; Chefes de Estado e outras autoridades dos países membros da Aliança Bolivariana para os Povos da América – Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP), a XVII Cúpula desta organização regional que comemora seu 15º aniversário ocorreu em Havana.

Autor: Milagros Pichardo | internacional@granma.cu

Autor: Ana Laura Palomino | internacional@granma.cu

Autor: Yisell Rodríguez Milan | yisell@granma.cu

Autor: Yisel González Fuentes | yisefuentes@gmail.com

Acto de masas en cumbre del ALBA

Foto: Juvenal Balán
Assista ao show ao vivo aqui:

O presidente de Cuba pronuncia as palavras finais da Lei Política e Cultural em homenagem ao XV aniversário da criação da ALBA-TCP, que ocorre nos degraus.

Foto: Juvenal Balán
“Exatamente há um ano, nossa Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América se reuniu para estabelecer posições comuns contra a intensificação previsível das agressões contra nossas nações. Nossas previsões não foram exageradas.”

“O governo dos Estados Unidos e seus aliados implementaram uma campanha desestabilizadora feroz e inescrupulosa em nossa região”.

“Eles fizeram isso retomando a aplicação brutal da Doutrina Monroe com a qual o atual governo de Washington se comprometeu”.

“A recente invocação do obsoleto Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR) contra a Venezuela é outro aviso de que a paz, a democracia e a segurança na região permanecem ameaçadas”. Continuar a ler “Ao vivo: Raúl e Díaz-Canel presidiram o ato de massas que encerrou a XVII Cúpula da ALBA-TCP em Cuba”

Reafirmar o compromisso de unidade, cooperação, solidariedade e integração dos povos faz parte dos objetivos da Cúpula ALBA-TCP de 2018.

ALBA-TCP realizará sua XVII Cúpula neste sábado em Havana

A XVII Cúpula da Aliança Bolivariana para os Povos da América – Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP) será realizada amanhã sábado em Havana, Cuba, no âmbito do XV aniversário da fundação do mecanismo de diálogo e acordo.

El ALBA-TCP nació el 14 de diciembre de 2004 en La Habana como un foro de integración regional.

Em uma declaração, o Ministério de Relações Exteriores de Cuba informou que esta reunião “será delegação de países membros e convidados deste mecanismo para consulta e integração dos países da América Latina e do Caribe”.

O Ministério das Relações Exteriores de Cuba enfatizou que a ALBA-TCP “defende os princípios de respeito à soberania, solidariedade, complementaridade, justiça, paz e cooperação”.

A nomeação será propícia para comemorar o XV aniversário da fundação da Aliança, nascida em 14 de dezembro de 2004 em Havana.

A ALBA-TCP é composta por Antígua e Barbuda, Cuba, Dominica, Granada, Nicarágua, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Suriname, Venezuela e Bolívia, cujo governo de fato anunciou em novembro passado – após o golpe contra o legítimo presidente Evo Morales – sua saída do fórum político.

Na XVI Cúpula da ALBA-TCP, também realizada em Havana em dezembro de 2018, foi acordado o fortalecimento da unidade na diversidade dos povos de nossa América, suas forças esquerdas e progressistas e seus movimentos sociais contra o ataque imperial.

Na declaração final da reunião realizada no ano passado, o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, destacou que “a ALBA-TCP reitera seu trabalho pela nova ordem eqüitativa, uma ordem justa que promova o multilateralismo (…) Rejeita o intervencionismo dominação política e estrangeira imposta pelos poderes hegemônicos tradicionais “.

Ele disse que o objetivo do organismo é contribuir com soluções pacíficas para a resolução de controvérsias, respeitando em primeiro lugar a soberania de cada país, diante das medidas unilaterais que alguns governos aplicam, “contrariamente à Carta das Nações Unidas”.

Secretário Executivo da ALBA-TCP chega a Cuba para a XVII Cúpula do Fórum

O secretário executivo da Aliança Bolivariana para os Povos da América – Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP), David Choquehuanca, chegou quinta-feira em Havana, Cuba, para participar da XVII cúpula da organização regional.

A la cita acudirán delegaciones de los siete países miembros e invitados del mecanismo de concertación e integración de América Latina y el Caribe.

A cúpula da ALBA-TCP será realizada em 14 de dezembro para comemorar o XV aniversário da fundação da Aliança, nascida em 2004, composta pelas nações de Cuba, Dominica, Granada, Nicarágua, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Venezuela e Haiti, como observador.

Participarão da reunião delegações dos países membros e convidados do mecanismo de consulta e integração da América Latina e do Caribe, que defende os princípios do respeito à soberania, solidariedade, complementaridade, paz, justiça e colaboração.

Como em ocasiões anteriores, um dos pontos fundamentais dos diálogos recairá sobre a necessidade de preservar a condição do continente latino-americano e caribenho como zona de paz, principalmente após a eclosão das crises sociais na região.

Durante os anos de operação, a Aliança propôs a construção e consolidação de um Espaço de Interdependência, Soberania e Solidariedade Econômica por meio do Acordo Comercial dos Povos, da SUCRE e do Banco da ALBA.

Além disso, a ALBA – TCP defendeu posições firmes e precisas para condenar absolutamente o bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos (EUA) a Cuba.

%d bloggers like this: