A Bolívia é uma verdadeira democracia, destaca a Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

Bolívia destaca-se como um país onde não há democracia plena, com o princípio da participação dos cidadãos, disse ele a repórteres que o presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), Esmeralda Arosemena.

‘Por ter este espaço para ouvir a sociedade boliviana, eu acho que é uma amostra do que é a democracia, com seu princípio da participação dos cidadãos’, disse ele Arosemena depois de terminar a sessão da Comissão 171, na cidade de Sucre.

O trabalho da agência concluiu ontem após 10 dias, com a aprovação de 11 relatórios e pedidos relacionados com casos de violações dos direitos nos países da região de fundo.

O presidente da Comissão insistiu na necessidade de a sociedade boliviana consolidar e fortalecer essa democracia com base em novas estratégias e trabalho conjunto de diferentes espaços.

Por sua parte, o presidente desta nação sul-americana, Evo Morales, chamou a democracia nacional e participativo e tomada de decisões para uma cerimônia de uma escola em Sucre.

Nossa maneira de praticar a democracia é muito mais profunda, não apenas a democracia representativa, mas também participativa e decisiva. A democracia na Bolívia não só termina na votação, a democracia na Bolívia é pró-ativa todos os dias, em reuniões com movimentos sociais, com empresários. As decisões são tomadas respeitando nossas diferenças. Isso é democracia “, disse ele.

Morales destacou que essa prática é possível graças à Constituição Política do Estado, que respeita os direitos individuais e coletivos.

Nesse sentido, o líder boliviano pediu para continuar os debates sobre a constituição, principalmente com as novas gerações

Presidente do Supremo Tribunal Federal suspende a sentença que permitiu a libertação de Lula.

Lula deveria ter direitos políticos, declarou recentemente o Comitê de Direitos Humanos da ONU.

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), José Antonio Dias Toffoli, suspendeu esta tarde pouco antes de uma decisão por um outro juiz do mesmo tribunal que abriu a porta para a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Eu conceder a suspensão da liminar para suspender os efeitos da decisão anunciada hoje”, escreveu Dias Toffoli, terminando uma nova disputa judicial no Brasil por volta exmandatario.

Aurelio foi baseado em um artigo da Constituição que diz que uma sentença só pode ser executada quando toda a fase de recurso e não uma vez esgotada a sentença foi confirmada em recurso, que é o caso de Lula e outros 169.000 300 pessoas que estão na prisão. Continuar a ler “Presidente do Supremo Tribunal Federal suspende a sentença que permitiu a libertação de Lula.”

Crianças negras são as mais visadas

Escolas públicas inflingem castigos severos a estudantes negros e com deficiência, revela reportagem do “New York Times”

Mais de 106 mil crianças foram fisicamente punidas em escolas públicas dos Estados Unidos da América du-rante o ano lectivo de 2013-14, o mais recente a ser analisado pelas estimativas nacionais do Gabinete de Direitos Humanos do Departamento de Educação norte-americano.

Apesar do número representar uma diminuição, ao longo dos anos, de casos registados, os pesquisadores descobriram que estudantes negros portadores de deficiência continuam a ser os que foram fisicamente pu-nidos numa proporção maior do que a dos outros seus colegas.
Depois de alguns fracassos na implementação de alguns projectos de lei que propõem a proibição total de castigos corporais, o Tennessee e a Louisiana alteraram as leis para proteger crianças portadoras de deficiência.
Segundo revela uma reportagem do “New York Times”, a punição corporal nas escolas ainda é legal em 19 Estados, sobretudo os que ficam a sul dos Estados Unidos.
Ali, os alunos são frequentemente espancados com réguas de madeira que podem medir até dois metros de comprimento e vários centímetros de largura. Continuar a ler “Crianças negras são as mais visadas”

Diga não à violência contra a mulher”

Daniel Nascimento sobre violência contra a mulher: “A luta não é só delas, é de todos”

Depois da edição do ZAP News desta segunda-feira (10), que reuniu distintos nomes da sociedade em torno da problemática da violência contra a mulher, Daniel Nascimento não cruzou os braços e decidiu dar continuidade à luta mesmo por detrás das câmaras.

Numa imagem publicada na sua conta oficial de Instagram, o respeitado apresentador voltou a despertar a atenção do público ao realçar que o dever moral de mudar as “regras do jogo” não é somente de responsabilidade de algumas pessoas mas sim de todo o indivíduo inserido na nossa sociedade.

“A luta não é apenas delas, é de todos. Diga não à violência contra a mulher”, apelou o profissional .

Díaz-Canel responde a novas acusações dos Estados Unidos contra Cuba.

 

O Presidente dos Conselhos dos Estados e Ministros da República de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, condenou hoje, por sua conta na rede social Twitter, o documento publicado em 10 de dezembro de 2018 por Mike Pompeo, Secretário de Estado. Estado dos Estados Unidos (EUA) onde acusa o governo da Ilha de violar Direitos Humanos.

O líder cubano catalogou o discurso dos EUA de hipócrita, desonesto, duplos padrões, e enfatizaram que não têm moral para falar sobre o assunto quando impuseram um prolongado bloqueio econômico, financeiro e comercial a Cuba, que constitui uma violação cruel e maciça dos Direitos Humanos.

«Enquanto outros exportam armas e guerras, Cuba compartilha conhecimento e serviços. Nossos médicos e professores iluminaram e iluminaram regiões remotas. Nosso lema é solidariedade “, disse Díaz-Canel.

Urgente, Lei contra a Violência Doméstica e o agravamento.

Mulheres parlamentares pedem agravamento de pena para violência doméstica.

O grupo de mulheres parlamentares angolanas apelou hoje ao agravamento das penas para os casos de violência doméstica, manifestando repúdio para os recentes assassínios e agressões de mulheres, em Luanda, pelos seus parceiros, por alegados motivos passionais.
Mulheres parlamentares pedem agravamento de pena para violência doméstica

A mensagem foi hoje lida na Assembleia Nacional pela presidente do grupo de mulheres parlamentares, Maria do Nascimento, antes do início da sessão legislativa, na qual apelou a uma revisão urgente da Lei contra a Violência Doméstica e o agravamento das penas para esses casos.

Em causa está a morte, na semana passada, de uma advogada, de 26 anos, alegadamente assassinada pelo marido, que para se livrar do cadáver o escondeu na fossa da sua residência, e a agressão de uma segunda mulher, também em Luanda, pelo seu ex-companheiro, que com recurso a uma faca a atacou.

Segundo Maria do Nascimento, como deputados, defensores dos mais altos anseios do povo e da sociedade angolana, devem repudiar “todos os actos de violência que têm sido praticados”, particularmente “os crimes hediondos, cujas vítimas são mulheres”.

“A sociedade angolana, nos últimos dias, testemunhou crimes bárbaros, onde mulheres foram assassinadas pelos maridos ou companheiros, traídas pelo amor que dedicavam”, disse Maria do Nascimento.

A presidente do grupo de mulheres parlamentares disse que os dados estatísticos sobre Luanda, capital do país, revelam a existência, este ano, de 5.270 queixas, das quais 4.060 são de violência contra a mulher, desde agressões físicas, homicídios e violações.

“Em Angola, a violência contra a mulher é o direito humano mais violado”, disse a deputada, apelando aos órgãos de justiça para que tomem medidas severas contra todo o tipo de violência contra as mulheres. Continuar a ler “Urgente, Lei contra a Violência Doméstica e o agravamento.”

EUA e o tratamento desonesto dos direitos humanos em Cuba.

EE.UU. y el tratamiento deshonesto de los derechos humanos en Cuba

Os Estados Unidos mais uma vez usam a questão dos direitos humanos para atacar o governo cubano, enquanto a ilha destaca as conquistas da Revolução por quase seis décadas neste assunto.

As contas do Twitter do Departamento de Estado e do subsecretário da agência para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Kimberly Breier, publicaram mensagens na segunda-feira que diziam que o povo caribenho comemorava o Dia dos Direitos Humanos. .

Por meio desses tweets, eles se referiram a supostas violações desses princípios no país vizinho e alegavam estar comprometidos com seus habitantes, mas não fizeram referência ao bloqueio imposto pelos Estados Unidos a Cuba há mais de 55 anos.

Esse cerco econômico, comercial e financeiro, que mais uma vez recebeu a condenação de quase toda a comunidade internacional em 1º de novembro, é denunciado pela maior das Antilhas como a principal violação dos direitos humanos de seu povo. Continuar a ler “EUA e o tratamento desonesto dos direitos humanos em Cuba.”

Cuba com avanços nos direitos humanos apesar do bloqueio dos EUA.

Cuba con avances en derechos humanos pese a bloqueo de EE.UU.

Cuba celebra hoje o Dia Internacional dos Direitos Humanos com avanços em seu sistema de saúde livre, apesar do bloqueio econômico imposto pelos Estados Unidos há mais de meio século.
O sistema de saúde cubano tem efeitos graves causadas pela política hostil dos EUA, porque é difícil de adquirir medicamentos, reagentes, instrumentos, peças de reposição para equipamentos médicos e outros suprimentos necessários para o funcionamento do setor.

Tudo isso tem que ser obtido em mercados distantes e, em muitos casos, com o uso de intermediários.

Isto traz o aumento dos preços destes produtos, o relatório da ilha apresentado este ano na Assembleia Geral das Nações Unidas, intitulado “Necessidade de pôr fim ao bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos contra Cuba

No entanto, Grandes Antilhas, mostra progressos tangíveis em matéria de direitos humanos, por exemplo no cuidado das pessoas com deficiência, dando prioridade a inclusão ea igualdade de desenvolvimento deste segmento social.

Desde 2003 até hoje no país diminuiu deficiência intelectual de 10,4 por cento, físico do motor em 3,72 e 1,16 em um visual, diz o Departamento Nacional de Assistência Idosos, Sociais e Saúde Mental do Ministério da Saúde Pública.

Dr. Osmara Delgado explicou que os programas nacionais, como o trabalho de reabilitação integral na ilha, atenção para pessoas com deficiências visuais e auditivas.

Há também benefícios para os cidadãos surdos-cegos com implantes cocleares e há ajudas técnicas para pessoas com deficiências temporárias e permanentes. Continuar a ler “Cuba com avanços nos direitos humanos apesar do bloqueio dos EUA.”

Uma nova farsa no currículo Cubafóbicos.

Las ratas Bol…

Tomado:- Juventud Rebelde

Para esta sexta-feira, em Washington, abrem outra conferência para julgar os direitos humanos em Cuba, com a participação de algumas pessoas da contrarrevolução anticubana, sediada em Miami, com um pedigree para estar presente naquela infâmia.

Os ratos Bol … estão roendo nosso hemisfério, enquanto eles estão falando bobagens e se comportando de maneira estúpida e irresponsável. Será uma coincidência, mas parece que parece haver uma conspiração do Bol … ton, Bol … sonaro, Bol … io. É claro, o poder não exclusiva para eles, e Al … magra se junta a eles como parte da corda que quer pendurar nações ainda em pé diante do ataque imperial mais recente que nenhuma nova tentativa de “mudança de regime”.

Para esta sexta-feira, em Washington – a transmissão televisiva anunciou, para dar a maior cobertura ao espetáculo – abrir outra conferência para julgar os direitos humanos em Cuba. Continuar a ler “Uma nova farsa no currículo Cubafóbicos.”

EUA A hostilidade em relação a Cuba aumenta, mas não pode isolá-lo.

EE.UU. aumenta la hostilidad hacia Cuba, pero no puede aislarla
O governo dos EUA aumenta a hostilidade a Cuba com o ressurgimento da retórica e do bloqueio econômico, mas muitos são os exemplos que demonstram a impossibilidade de isolar a ilha.

Talvez o sinal mais recente seja a recente rejeição do bloqueio contra a maior das Antilhas na Assembléia Geral da ONU, onde 189 de seus 193 Estados-membros apoiaram uma resolução pedindo a sua insurreição, mas a realidade vai além

Dentro dos próprios Estados Unidos, as vozes e ações que visam alcançar bons laços vizinhos crescem, mesmo quando as diferenças ideológicas são enormes. Continuar a ler “EUA A hostilidade em relação a Cuba aumenta, mas não pode isolá-lo.”

%d bloggers like this: