Empresa líder nos Emirados quer investir no sector imobiliário.

#Angola #EmiradosÁrabesUnidos #EconomíaNacional

Jornalista: César Esteves

A empresa líder do sector imobiliário nos Emirados Árabes Unidos (EAU), a DAMAC Properties, que já conquistou o primeiro lugar na lista Global 2000 Growth Champions da Forbes, está interessada em desembolsar na construção de imóveis centenas de milhões de dólares, anunciou, esta quinta-feira, em Luanda, o seu presidente, Hussain Sajwani, à saída da audiência concedida pelo Presidente da República, João Lourenço, na Cidade Alta.

Chefe de Estado aprecia ideia do empresário dos Emirados © Fotografia por: Kindala Manuel|Edições Novembro

Hussain Sajwani sublinhou que veio falar ao Presidente da República a sua intenção de efectuar um estudo exploratório, a fim de encontrar oportunidades de investimento em várias áreas do Estado angolano, com destaque para a construção de alta classe, zonas residenciais, hotéis, escritórios, campos de golfe e outros estabelecimentos.

“O principal objectivo desta viagem a Angola, que eu considero de grande sucesso, foi ter este primeiro encontro com o Presidente da República, uma pessoa que nós respeitamos muito, por ter uma visão bastante ampla, por um lado, e por ser uma pessoa que prezamos, pelas suas qualidades políticas”, frisou o empresário.

A DAMAC Properties, tem uma folha de serviço de importância universal no ramo da construção civil, tendo sido reconhecida no mercado global como a empresa de crescimento mais acelerada do mundo, uma performance invejável, cujos serviços o proprietário quer partilhar agora com os homens de negócios presentes no mercado nacional.

O empresário bilionário de 69 anos confessou ter escolhido Angola para acolher o reputado investimento, “por ser um país muito proeminente a nível da África Austral e Central, mas por ter, também, uma liderança bastante visionária”. “É um país que se preze. Por isso, queremos fazer aqui negócios em primeira classe e de alta instância”, aflorou o homem de negócios.

Sobre a curiosidade, levantada pela imprensa, relativamente ao valor a aplicar no país, Hussain Sajwani respondeu: “Ainda é prematuro adiantar o montante exacto, mas temos a certeza de que quando os investimentos começarem a acontecer, vão estar na ordem de centenas de milhões de dólares”, pontualizou.

O empresário, nascido em 1953 e um bilionário dos Emirados, é fundador da empresa de desenvolvimento imobiliário DAMAC Properties e do grupo DICO, uma espécie de fundo de investimento. Sajwani foi listado entre os 100 árabes mais influentes do globo, pela Gulf Business, por três anos, nomeadamente em 2017, 2018 e 2020, distinção consagrada aos 100 mais poderosos da Arabian Business em 2018 e 2019.

De acordo com a revista Forbes, em Abril de 2021, o empresário foi classificado entre os 10 árabes mais ricos, com um património líquido avaliado em USD 2,5 bilhões. Hussain Sajwani iniciou a carreira em 1981 no Departamento Financeiro de Abu Dhabi Gas Industries para, dois anos depois, lançar-se ao desafio de arrancar um empreendimento de Catering, tendo uma clientela dividida entre militares dos EUA e Bechtel.

A DAMAC já entregou cerca de 27.400 casas, desde a sua criação, e tem mais de 35 mil unidades, em vários estágios de desenvolvimento.

Em Outubro de 2011, a empresa lançou a sua divisão de hospitalidade, ‘DAMAC Maison Hotels & Resorts’ e, em 2015, foi listada, publicamente, com acções negociadas no mercado financeiro de Dubai.

Alguns dos projectos desenvolvidos pela DAMAC Properties, incluem um campo de golfe, projectado por Tiger Woods e administrado pela The Trump Organization, apartamentos de luxo com interiores das casas de moda italianas Versace, Fendi e Roberto Cavalli, além de marcas como Paramount Hotels and Resorts, em parceria com a Paramount Pictures. Sajwani investiu 600 milhões de dólares em Londres, Reino Unido, por meio da DAMAC Tower London, da marca Versace em Nine Elms.

Analisados os laços económicos entre Angola e os Emirados Árabes Unidos.

#EmiratosArabesUnidos #Angola #Economia

A expansão do pacote de intercâmbio nestas áreas foi o foco das conversações entre o chefe do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Mirex) e o Encarregado de Negócios dos EAU nos EAU, Khaled Ali Rabeea.

Segundo Mirex, a reunião seguiu-se a uma recente conversa telefónica entre o Presidente João Lourenço e o Príncipe Herdeiro Mohamed Bin Zayed al-Nayan, que concordaram sobre a importância de diversificar os laços bilaterais, à luz do que foi acordado durante a visita do Presidente à nação do Golfo Pérsico em 2021.

A 21 de Janeiro, António falou também por telefone com o seu homólogo Emirati, Sheikh Ablah bin Zahed, para abordar questões semelhantes, disse Mirex num comunicado de imprensa.

Os dois governos ratificaram um acordo para evitar a dupla tributação e a evasão fiscal, que entrou em vigor simultaneamente em Março de 2020.

O pacto constitui um instrumento fundamental à disposição das respectivas autoridades fiscais e garante um maior fluxo de investimentos entre os dois países, disse Mirex.

mgt/mjm

O negócio de armas dos EUA

Substituto de Soleimani quer levar os EUA do oriente médio

 Fonte: teleSUR

O novo comandante da Força Quds da Guarda Revolucionária do Irã, Brigadeiro-General Esmail Ghaani, disse que seu objetivo é expulsar os Estados Unidos do Oriente Médio.

El nuevo jefe de la Fuerza Quds prometió vengar la muerte del general Qassem Soleimani.

Ghaani, nomeado no lugar do general Qassem Soleimani, morreu em 2 de janeiro durante um bombardeio aéreo liderado pelos EUA. em Bagdá, no Iraque, ele disse que seria “a única compensação” a que o governo iraniano pode aspirar.

“Prometemos continuar o caminho do mártir Soleimani com a mesma força … e a única compensação para nós seria expulsar os EUA da região”, disse Ghaani, entrevistado pela televisão estatal iraniana.

O novo líder da força de elite Quds disse que “certamente serão tomadas medidas”.

Ghaani tem sido “um dos comandantes mais ilustres do Corpo de Guardiões da Revolução na defesa sagrada (guerra do Irã e do Iraque 1980-1988) e serviu na Força Quds na região por muitos anos ao lado do comandante do mártir”. Ali Khamenei, o supremo do Irã, disse em comunicado ao anunciar a nomeação.

Em declarações anteriores, Ghaani falou aos iranianos: “Seja paciente e você verá os corpos dos americanos em todo o Oriente Médio”.

#EEUU “Chega de guerra”, o clamor dos americanos para parar #Trump

Milhares de pessoas foram às ruas em 70 cidades nos Estados Unidos para rejeitar a decisão do presidente Donald Trump de manter uma guerra entre países contra o Irã.

Fonte:Mi Cuba Por Siempre

“Não à guerra” é a lenda das centenas de pôsteres exibidos que exigem, além disso, a partida do exército americano do Oriente Médio.

Washington, Nova York e Detroit foram os lugares mais visíveis da reação auto-convocada que começou a tomar forma nas redes sociais. “Não permitiremos que nosso país seja arrastado para outra guerra inconsciente”, gritou um dos organizadores do grupo reunido em frente à Casa Branca.

A mobilização na sede do governo dos EUA foi para o Trump Hotel, de propriedade do empresário e chefe de Estado, que no início da sexta-feira ordenou o assassinato do general iraniano Qasem Soleimani, por meio de um bombardeio de drones no Oriente Médio.

“Não à guerra com o Irã”, foi o principal slogan que convocou milhares em diferentes partes do país. “Retirada dos Estados Unidos do Iraque agora!” E “Não à guerra e sanções contra o Irã!” Eles também exigiram.

Na icônica Times Square, em Nova York, os manifestantes exibiram faixas rejeitando o envio de cerca de 3.500 soldados ordenados pelo governo dos EUA.

Também houve protestos neste sábado em Chicago, em frente à Trump Tower, de propriedade do presidente, e em Los Angeles. “Você precisa desviar a atenção? Provoque uma guerra ”, disse a bandeira de Sam Crook, 66, no meio do processo de impeachment pelo qual o republicano está passando.

“Este país está nas mãos de alguém que não é mentalmente estável, Donald Trump”, disse a mulher. “Me assusta que isso cause inadvertidamente – acho que você realmente não quer – um verdadeiro surto no Oriente Médio”, acrescentou.

A comunidade internacional teme um extenso conflito após a morte do general Soleimani e Abu Mehdi al Muhandis, considerado o homem forte do Irã no Iraque.

Cuba abre sua primeira missão diplomática nos Emirados Árabes Unidos

Almazrouei destacou o interesse de seu país na abertura deste escritório, que é, ele destacou, em benefício de ambas as nações. Foto: Prensa Latina Continuar a ler “Cuba abre sua primeira missão diplomática nos Emirados Árabes Unidos”

%d bloggers like this: