Os Estados Unidos e a sua cimeira antidemocrática.

#ONU #Venezuela #Nicaragua #EstadosUnidos #ElBloqueoEsReal #Sanciones #Subversion #ManipulacionMediatica

Por Arthur González

O Presidente Joe Biden apelou a uma Cimeira da Democracia a 9 e 10 de Dezembro, onde será demonstrado que a chamada “democracia ianque” não existe, apesar das suas campanhas nos meios de comunicação social pagos e das pressões ameaçadoras sobre a imprensa em sentido contrário.

O regime de Biden convida apenas aqueles que se subordinam a ele e executam as políticas que emanam da Casa Branca; mas aqueles que mantêm a sua soberania e independência nacional a todo o custo são excluídos e estigmatizados, como nos casos da Turquia, Rússia, China, Cuba, Bolívia, Nicarágua, El Salvador, Honduras, Guatemala e outras nações, prova da violação do direito a não serem discriminados devido à sua posição política, e a estabelecerem uma ordem social internacional em que os direitos e liberdades sejam plenamente efectivos, algo que os Estados Unidos violam constantemente.

Os Yankees, que defendem o multipartidarismo, a liberdade de pensamento e ideias, atacam e condenam países com sistemas nacionalistas e/ou socialistas, como Cuba, Venezuela e Nicarágua, por não se ajoelharem a seus pés e decidirem os seus próprios caminhos independentes.

Outra prova da atitude antidemocrática de Washington é não aceitar a opinião de quase todas as nações que compõem a ONU, relativamente ao criminoso bloqueio económico, comercial e financeiro imposto a Cuba, que resulta numa guerra económica total para matar o povo com fome e doença, e para culpar o sistema socialista pelas suas dificuldades, uma acção que se qualifica como genocídio de acordo com a jurisdição internacional.

A ausência de democracia nos Estados Unidos reflecte-se nos seus planos de terrorismo de Estado contra Cuba, causando centenas de mortes e mutilações, juntamente com planos para assassinar os seus principais líderes, como Fidel Castro, uma situação analisada no Congresso com base em investigações oficiais da chamada Comissão da Igreja.

De que democracia falam os ianques quando reconhecem Juan Guaidó como presidente da Venezuela, sem terem sido eleitos pelo povo, nem reconhecidos pela maioria das nações da ONU e agora rejeitados por parte da oposição venezuelana? No entanto, é um dos convidados da Cimeira de Biden.

O regime antidemocrático dos EUA deve ter em mente o conceito de democracia, que define:

“A democracia é uma forma de organização do Estado, em que as decisões colectivas são tomadas pelo povo, através de mecanismos de participação directa ou indirecta que conferem legitimidade aos seus representantes”.

Cuba, ao contrário dos Estados Unidos, tem uma forma de governo baseada no Poder Popular, um sistema que começa nos bairros de cada cidade, onde são as pessoas que discutem os seus problemas, exigem soluções e propõem aqueles que as representam nos órgãos municipais e provinciais e na Assembleia Nacional, algo que é perfeccionável e imperfeito, mas muito diferente do sistema de governo ianque, onde os candidatos a cargos políticos realizam campanhas que custam milhões de dólares e aqueles que angariam mais dinheiro são sempre eleitos, porque os pobres nunca ganharão um lugar no Congresso.

De que tipo de democracia fala Biden quando convidou os presidentes do Chile, Colômbia e Brasil, que actualmente têm menos de 30% de aprovação popular, centenas de assassinatos, torturas, desaparecimentos, detenções arbitrárias e constante repressão policial?

Para ter uma ideia clara da Cimeira, é bom ler as declarações de Ron Paul, ex-congressista republicano do estado do Texas, publicadas no site antiguerra.com, onde ele afirma:

“A Cimeira da Democracia de Biden é uma piada, porque não se trata de promover a democracia, mas sim de a minar”. “Os países cujos líderes eleitos fazem a licitação dos Estados Unidos, ignorando os desejos daqueles que os elegeram, são os favorecidos com o convite”. “Nenhum destes bajuladores estrangeiros ousa assinalar que Washington está no negócio de minar a democracia no estrangeiro, não de a promover”. “As nações que prosseguem uma política interna e externa independente das exigências do Departamento de Estado e da CIA não podem jogar na caixa de areia de Washington”.

A terminar, Ron Paul observou:

“A única coisa que os Estados Unidos exportam são planos para derrubar os governos eleitos. Para Washington, democracia significa: você elege quem nós lhe dizemos para eleger”.

As nações que têm dignidade e soberania não precisam desta Cimeira, porque ela não será mais do que uma gaiola, uma semente de pássaro, e um lugar de chafurdar para aqueles que não podem condenar os crimes de Washington, por medo das suas sanções.

José Martí tinha razão quando disse:

“Levantar a fronte é muito mais bonito do que baixá-la”.

O Departamento de #Saúde dos #EstadosUnidos pressionou o #Brasil a rejeitar a vacina #Russa #Sputnik V .

#SaludMundial #Vacunas #Covid-19 #Sanciones #InjerenciaDeEEUU #Brasil #Venezuela #Cuba #Panama #ElBloqueoEsRealm #CubaSalva #EEUUBloquea

O Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA publicou recentemente o seu relatório anual descrevendo 2020 como “um dos anos mais desafiantes da história” do país.

O documento prevê “o fim da pandemia” graças à “entrega de vacinas seguras e eficazes através da Operação Warp Speed”, um programa público-privado dedicado à criação de vacinas e métodos de tratamento covid-19.
“Fighting Malign Influences in the Americas”.

O relatório revela também que Washington pressionou o governo brasileiro a não comprar a vacina russa Sputnik V. Sob o subtítulo “Fighting Malign Influences in the Americas”, o documento explica como o Gabinete de Assuntos Globais (OGA) do Departamento de Saúde dos EUA utilizou as relações diplomáticas para “mitigar os esforços dos Estados, incluindo Cuba, Venezuela e Rússia, que estão a trabalhar para aumentar a sua influência na região, em detrimento da segurança dos EUA”.

El Departamento de Salud de EE.UU. presionó a Brasil para rechazar la vacuna rusa Sputnik V

A OGA coordenou com outras agências governamentais dos EUA para reforçar as relações diplomáticas e oferecer assistência técnica e humanitária para dissuadir os países da região de aceitar a ajuda destes estados maliciosos”, afirma o relatório.

Como parte desta estratégia, o documento confirma que o gabinete do Adido de Saúde da OGA foi utilizado para “persuadir o Brasil a rejeitar a vacina russa contra a covid-19”. Além disso, verificou-se que os Estados Unidos dissuadiram o Panamá de aceitar médicos cubanos, que têm lutado na linha da frente contra a pandemia em mais de 40 países.

Para além do Brasil, Washington enviou adidos de saúde à China, Índia, México e África do Sul, provavelmente encarregados de levar a cabo actividades semelhantes.

Em resposta às notícias, os criadores do Sputnik V afirmaram que “os países devem trabalhar em conjunto para salvar vidas”. “Os esforços para minar as vacinas não são éticos e estão a custar vidas”, diz um post na conta oficial da droga russa no Twitter.

“A América vive a loucura dos supremacistas que odeiam o povo” .

#NicolasMaDURO #Venezuela #Capitolio #EstadosUnidos #ForaTrump #NoMoreTrump #DonaldTrumpCulpable #InjerenciaDeEEUU #TerrorismoMadeInUSA

Guaidó se autoproclama presidente e chefe do Parlamento novamente.

#Venezuela #NicolasMaduro #EstadosUnidos #Guido #PDVSA #CITGO #GPP #InjerenciaDeEEUU

Retirado de Hispantv

Juan Guaidó viola a Constituição venezuelana, proclamando-se mais uma vez presidente com comando do país e também chefe do Parlamento.

A Assembleia Nacional (AN) da Venezuela, eleita em 2015 chefiada pelo líder da oposição, concordou no sábado em prorrogar por mais um ano a legislatura dos atuais deputados, bem como a gestão de Guaidó no cargo de presidente da mesma e “Agente encarregado” do país, em ato contrário à Constituição venezuelana, que dita que os representantes ao Parlamento eleitos pelos venezuelanos durante o processo eleitoral de 6 de dezembro devem ser postos à prova.

El líder opositor venezolano Juan Guaidó (centro), se vuelve a autoproclamar presidente del Parlamento, Caracas, 7 de enero de 2020. (Foto: AFP)

No entanto, a extensão das funções da Assembleia Nacional – desacatada desde 2016 – não teve o aval da Acción Democrática (AD), o segundo maior partido da oposição, decisão tida como um novo sinal da divisão nas frações direito. AD se absteve de votar.

O vice-ministro de Comunicação Internacional do Ministério das Relações Exteriores da Venezuela, William Castillo, condenou o ato e o classificou como o “teatro do absurdo”, estrelado pela direita.

Nesse contexto, Castillo revelou as negociações que o partido Ação Democrática teve que condicionar seu voto a favor das novas arbitrariedades jurídicas cometidas por Guaidó e seus cúmplices, pelas quais pretendiam assumir o controle de negócios lucrativos no país no exterior.

“Dizem que a AD pediu para ser“ dada a CITGO ”(subsidiária da estatal Petróleos de Venezuela ou PDVSA) para votar a favor da farsa que chamam de reforma do Estatuto de Transição, que estende o mandato de Guaidó em Nárnia indefinidamente. Eles negaram e ele se absteve. Este é o teatro do absurdo no mundo da direita ”, afirmou a manchete venezuelana.

Maduro: Se va la Asamblea que detruyó el país por votos del pueblo | HISPANTV

Maduro: Trump levou a oposição venezuelana à loucura.

Nas eleições de 6 de dezembro, a aliança Chavista Gran Polo Patriótico (GPP) venceu com um total de 256 legisladores em 277.

A nova legislatura terá início em 5 de janeiro de 2021, data em que termina o mandato da atual Assembleia Nacional.

Chavismo questiona a atuação dos direitistas nesses cinco anos na AN. Ele denuncia que Guaidó e seus aliados são lacaios do imperialismo e a única coisa que fizeram foi promover sanções contra a Venezuela e prejudicar os interesses do país.


O que acontece agora com Guaidó.

#Venezuela #EleccionesEnVenezuela #GrupoDeLima #MikePompeo #Guaido #UnionEuropea #EstadosUnidos #CNE #ForaTrump #Colombia #Brassil #Ecuador #Chile #Francia

Caracas rejeita as condições da UE para observar os parlamentares de 6 de dezembro.

#Venezuela #EEUUBloquea #ElBloqueoEsReal #CNE #UnionEuropea #EleccionesVenezuela

Maduro apresenta a ‘Lei Anti-Bloqueio’ ao ANC e denuncia que o país perdeu “99% das suas receitas cambiais” devido às sanções.

#Venezuela #Elecciones #MaduroMoros #ElBloqueoEsReal #EEUUBloquea #ForaTrump #NoMoreTrump #DonldTrumpCulpable

Eles repudiam no Brasil o interesse da Venezuela pela visita de Pompeo.

Venezuela #Brazil #JairBolsonaro #ForaTrump #NoMoreTrump #UnBuenHijoDeTrump DonaldTrumpCulpable #EstadosUnidos #MikePompeo #NicolazMaduro #TelmarioMota

Retirado do teleSUR .

Organizações sociais brasileiras rejeitaram a visita, no marco das agressões dos Estados Unidos à Venezuela.

Diversas organizações sociais e representantes políticos de esquerda no Brasil rejeitaram na sexta-feira a visita do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, à cidade de Boa Vista (capital do estado fronteiriço de Roraima) como parte de sua viagem pela América do Sul.

A jornada de Pompeo ocorre no contexto de novas ameaças dos EUA contra a Venezuela e o governo do presidente Nicolás Maduro.

O senador Telmário Mota criticou a visita de Pompeo a Roraima em seu Twitter, considerando que o encontro com o governo do presidente Jair Bolsonaro representa uma invasão do país sul-americano pelos EUA, e uma ameaça conspiratório contra a Venezuela.

Mike Pompeo não é bem-vindo. Eu não me sento com ele. Trata-se de degradar duplamente Roraima como plataforma para a campanha de Trump e como instrumento de provocação imperialista contra um povo irmão, com o qual mantemos relações econômicas, sociais e culturais pacíficas há séculos ”, disse Mota em seu Twitter.

Imagen

Por sua vez, o deputado federal Glauber Braga disse em suas redes sociais: “Esta é uma tentativa ilegítima de pressionar a Venezuela. Eles procuram petróleo, riquezas naturais, a maior reserva de combustível do mundo e não podemos aceitar que o território brasileiro seja usado para isso, até para uma possível escalada da guerra.

Em carta aberta, o Partido dos Trabalhadores (PT) expressou sua preocupação com a provocação e perseguição dos Estados Unidos contra a Venezuela, na tentativa de reconstruir o palco para uma possível intervenção.

En Brasil critican la visita del secretario de Estado de EE.UU., Mike Pompeo, al considerar que hace parte de la agenda conspirativa y de invasión contra Venezuela.

“Bolsonaro e seu governo demonstram mais uma vez sua submissão a Trump, sempre dispostos a cumprir suas ordens ou receber seus representantes em nosso território, em um processo contínuo de afronta à nossa soberania”, afirma a nota do PT.

Além do Brasil, Pompeo fará reuniões com governos de países próximos à Venezuela, como Colômbia, Guiana e Suriname.

Remessa de gasolina iraniana que já havia sido vendida para Caracas confiscada pelos EUA.

%d bloggers like this: