Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba

A Pátria é cantada com um coração puro.

Autor: Mailenys Oliva Ferrales | internet@granma.cu

A “arte” que nasce à mercê da vontade de quem paga – a todo custo e a todo custo – cheira a enxofre para tentar romper, da mais grosseira interferência política, à soberania de uma nação.

A criação artística que não tem bandeira própria nasce órfã da “alma” e do sentido; que se consolida no ressentimento alheio; e que busca, como única finalidade, tentar contaminar o pensamento com a manipulação, na conveniência, da história de um povo e de sua cultura.

Este tipo de criação não é excitante, nem contagiante, nem convidativo. Quase não encontra eco na contra-revolução desgastada que, dentro e fora desta ilha, orquestra campanhas de pressão e utilização da arte para fins políticos.

Pobres de espírito aqueles que condicionam seu trabalho, seu talento e sua carreira a tais ansiedades mesquinhas, de cujas mais recentes malformações surgiu o videoclipe erroneamente batizado de Patria y vida, que nas vozes de Yotuel Romero, Descemer Bueno, Maykel Osorbo e El Funky , e a dupla Gente de Zona, promovem a reescrita de quem somos.

“É assim que se canta o país: vivo num país livre / que só pode ser livre / nesta terra, neste momento / e estou feliz porque sou um gigante / …”, disse o nosso Presidente Miguel em Seu relato na rede social Twitter Díaz-Canel Bermúdez, e nada mais foi necessário para ratificar a certeza de que os conceitos genuínos de pátria e liberdade em Cuba são o que defendemos há mais de 60 anos sob o legado eterno de Fidel.

No final do seu tweet com outro fragmento da canção Pequena serenata diurna, do trovador Silvio Rodríguez: «… sou feliz, sou um homem feliz / e quero ser perdoado / por este dia, os mortos da minha felicidade» , Díaz-Canel reafirmou as essências da música que realmente nos identificam e nos orgulham como cubanos.

Aquele outro, que se turva facilmente, que tenta fragmentar raízes, e que nomeia Che e Martí sem honra, que aqui não é música.

Já o salientou o Apóstolo, que continua a alertar para a validade da sua palavra escrita: «O disfarce abominável e a laje funerária são os sorrisos e os pensamentos de quem vive sem Pátria, ou se se vê um pedaço dela nas garras do inimigo. “

Categories: # Cuba, #Cuba #CIA, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Fidel, #YoSoyFidel, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, CONTRA-REVOLUÇÃO EM MIAMI, contrarrevolucionarios anticubanos, #Cuba, guerra mediática, redes sociales, Referéndum Constitucional, CUBA - ESTADOS UNIDOS, Cuba, fidel castro, cultura, DIAZ CANEL, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, Manipulacion, Manipulacion Politica, MIAMI, MUSICA CUBANA, O presidente de Cuba, Miguel Diaz-Canel, Redes sociais, sonhos de Fidel | Deixe um comentário

Sumário da história.

Autor: Ernesto Estévez Rams | internet@granma.cu

Aos pés de um jagüey, Carlos Manuel dizia a todos sem distinção: a partir de hoje, ombro a ombro, pela liberdade de Cuba, Pátria ou Morte!

A cavalo, na Plaza de Bayamo, Perucho dizia ao povo: aqui está a carta, chama-se Patria o Muerte!

No corcel, lutando com vergonha, o Major se lançou sobre o adversário gritando “Pátria ou Morte!”

E lá no exílio, a esposa apaixonada respondeu à vileza da traição: Pátria ou Morte!

Ao pé de uma mangueira, Maceo disse-lhe o contrário: Não nos entendemos, e um mambí exaltado gritou às tropas cubanas: 23, Pátria ou Morte!

E a mãe de todos, na frente de outro filho caído, gritou para o mais novo: e tu, levanta-te, Pátria ou Morte!

Ferido na garganta com um cordão, Gómez cobriu o pescoço com um lenço e ordenou sua corneta: Você joga a Marcha da Pátria ou da Morte!

patria

Com a estrela que ilumina e mata, Martí falava aos humildes e em seu verso feito prosa ordenava-lhes: Com todos, Pátria ou Morte!

Ao entrar no porto de Havana e ver a bandeira indignada, Bonifácio avisou a todos: Nossos mortos erguendo os braços, Pátria ou Morte!

Diante da guarda rural, quatro tiros e sete golpes de facão, Quentin disse ao racismo: Pátria ou Morte!

Ao ser morto pelas balas do tirano, Mella descreveu seu destino: Pela Revolução, Pátria ou Morte!

Para acabar com os malandros que sequestraram a República, Villena propôs ao povo: Assuma o comando da Pátria ou da Morte!

Ao ianque e seu frontman incomodado com as nacionalizações, Guiteras disse com firmeza: A eletricidade é nossa Pátria ou Morte!

Pelo diferencial do açúcar, de costas para o assassino, de frente para o povo, Jesus caiu gritando: Pátria ou Morte!

Quando os olhos do homem assassinado foram trazidos até ele, Haydée disse aos capangas: Por meu irmão, Pátria ou Morte!

Quando as varas de balas cruzadas pareciam marcar a derrota, Almeida gritou a todos: Ninguém se rende aqui, Pátria ou Morte!

No palácio de outrora, agora do povo em armas, Camilo lembrava-nos do poeta: Irmãos, a Revolução acabou, Pátria ou Morte!

Na escola rural daquele altiplano, Che disse ao seu assassino: Atira que aqui é Pátria ou Morte!

E então, diante de todos os heróis, aqueles que ontem foram nós e hoje somos eles, Fidel resumiu para nós a história que já existiu e aquela que seria para sempre: Pátria ou

Categories: # Cuba, #CIA CONTRA EL CHE, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Estados Unidos, Acciones contra Cuba, Cuba, Historia de Cuba, Tarará, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA | Deixe um comentário

Nosso dilema sempre será pátria ou morte.

Autor: Fidel Castro Ruz | internet@granma.cu

Fragmentos do discurso do Comandante-em-Chefe, Fidel Castro Ruz, em 5 de março de 1960, nas homenagens fúnebres das vítimas da explosão do navio La Coubre, ato terrorista perpetrado pelos Estados Unidos contra nosso país .

fidel

“Porque os cubanos adquiriram um verdadeiro sentido da vida, que começa por considerá-la indigna quando não é vivida livremente, quando não é vivida com decoro, quando não é vivida com justiça, quando não é vivida para algo, e para algo ótimo como estão vivendo os cubanos neste momento …

E é bom que o digamos sem nos vangloriar, como quem está realmente decidido a fazer o que é prometido.

“Tomara que aqueles que, perturbados no mais elementar bom senso, se atrevam a considerar possível qualquer tipo de invasão de nosso solo, compreendam a monstruosidade de seu erro, pois pouparíamos muitos sacrifícios. Mas, se isso acontecer, infelizmente, mas sobretudo para desgraça de quem nos atacou, que não tenham dúvidas de que aqui, nesta terra chamada Cuba, aqui no meio deste povo chamado cubano, teremos que lutar contra nós enquanto tivermos uma gota de sangue, teremos que lutar contra nós enquanto tivermos um átomo de vida.

«Jamais atacaremos ninguém, ninguém jamais terá nada a temer de nós, mas quem quiser nos atacar deve saber sem medo de errar que com os cubanos hoje, que não estamos em 1898 ou 1899, que não estamos o início do século, que não estamos nos anos 1910 ou 1920 ou 1930, com os cubanos desta década, com os cubanos desta geração, com os cubanos desta era – não porque sejamos melhores, mas porque tivemos o sorte de ver mais claramente, porque tivemos a sorte de receber o exemplo e a lição da história; a lição que custou tantos sacrifícios aos nossos antepassados, a lição que custou tanta humilhação e tanta dor às gerações passadas, porque tivemos a sorte de receber essa lição – com esta geração devemos lutar, se nos atacam, até a sua última gota de sangue …

«E não desanimado pelas ameaças, desanimado pelas manobras, recordando que um dia éramos apenas 12 homens e que, comparada aquela nossa força com a força da tirania, a nossa força era tão pequena e tão insignificante que ninguém acreditaria resistir; No entanto, acreditávamos ter resistido então, como acreditamos hoje que resistimos a qualquer agressão. E não só que saberemos resistir a qualquer agressão, mas saberemos como superar qualquer agressão, e que novamente não teríamos outra escolha senão aquela com que iniciamos a luta revolucionária: a da liberdade ou da morte. Só agora a liberdade ainda significa outra coisa: liberdade significa pátria. E nossa escolha seria pátria ou morte.

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Estados Unidos, #Fidel, #YoSoyFidel, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, explosão no USS Maine, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, Manipulacion, Manipulacion Politica, sonhos de Fidel, Terrorismo, TERRORISMO VS CUBA | Deixe um comentário

Nas energias da Revolução.

Categories: Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA | Deixe um comentário

A LUZ DO APÓSTOLO NUNCA SE SAI.

Categories: #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Fidel, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA, Jose Marti, juventude, Patria Jose Marti | Deixe um comentário

A história de Cuba é de vitórias.

Autor: Leticia Martínez Hernández | internet@granma.cu

Autor: Liz Conde Sánchez | internet@granma.cu

«A pandemia será vencida e as dificuldades que enfrentamos também. Essa é a história de Cuba. Essa é a história de patriotas como Martí, essa é a história de nossos estudantes revolucionários ”, disse, na noite de quarta-feira, o general do Exército Raúl Castro Ruz, durante uma troca sincera na Forja Martiana com uma dezena de jovens que desceram da Escadaria da Universidade de Havana, na tradicional Marcha das Tochas

El General de Ejército Raúl Castro Ruz y el Presidente Miguel Díaz-Canel Bermúdez rindieron homenaje al Apóstol este 27 de enero en la Fragua Martiana, junto a una veintena de jóvenes que bajaron desde la Escalinata de la Universidad de La Habana en la tradicional Marcha de las Antorchas

“Esta manifestação não é das maiores, mas é das mais emocionantes”, disse o Primeiro Secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba, que, juntamente com o Presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez , recebido no cruzamento do Hospital e Príncipe de Havana, aos meninos que relançaram aquela primeira marcha de 27 de janeiro de 1953, então liderada pelo jovem Fidel Castro Ruz. Desta vez, sob o signo da pandemia covid-19, a homenagem foi reduzida e o habitual percurso iluminado por milhares de tochas passou a ser percorrido por 20 jovens.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é f0188255.jpg

Na homenagem – ali onde estavam as pedreiras de San Lázaro e Martí cumpriu pena com os trabalhos mais duros – estiveram presentes José Ramón Machado Ventura, Segundo Secretário do Comitê Central do Partido, o Comandante da Revolução Ramiro Valdés Menéndez, e José Ramón Balaguer Cabrera, aqueles que, junto com Raúl, há 68 anos, também percorreram aquelas ruas, em plena ditadura de Batista, para não deixar morrer o Apóstolo no ano do seu centenário.

O importante é que a cerimônia foi realizada, não importa a quantidade de pessoas, Raúl disse aos jovens antes de bater os punhos com cada um deles, como exigem os novos códigos de vida impostos pela pandemia que o mundo está sofrendo e também Cuba.

No meio da difícil situação que atravessa o país, a homenagem ao seu Herói Nacional, poucas horas após o seu nascimento, foi obrigatória. E lá na Forja onde Martí sofreu, ficou a coroa da geração histórica da Revolução e seus novos pinheiros.

A LUZ DO APÓSTOLO NUNCA SE SAI

Em 27 de janeiro foi diferente. Os passos da escada da Universidade de Havana não sentiram os passos de milhares de jovens inflamados avançando em direção à Fragua Martiana. Mas a homenagem a José Martí, o mais universal de todos os nascidos nesta terra, às vésperas do 168º aniversário do seu nascimento, não foi esquecido.

Como há 68 anos, quando uma geração de rebeldes comandada por Fidel não deixou o Apóstolo morrer no ano de seu centenário e, sob o cerco de uma cruel ditadura, realizou pela primeira vez a Marcha das Tochas, os jovens de o dia de hoje não permitiu que a celebração fosse esquecida, apesar das complexas circunstâncias que a nação enfrenta face ao covid-19 e da crise provocada pelo bloqueio imposto pelo Governo dos Estados Unidos.

Enquanto isso, a maioria dos cubanos se reunia nas redes sociais para comemorar mais um ano do nascimento do autor de A Idade de Ouro, um grupo de jovens da vanguarda revolucionária, incluindo líderes da União de Jovens Comunistas e da Federação de Estudantes Universitários ( feu), representando o povo, reuniu-se na Escadaria para o feito simbólico, que nesta ocasião foi simples, mas emocionante.

«Hoje haverá menos tochas acesas, mas não significa que toda Cuba não acenda a chama da dignidade desde os centros de saúde, produção, ensino, arte ou defesa, e em cada cenário onde se trava a batalha. o confronto com a pandemia ”, afirmou o presidente do feu, José Ángel Fernández Castañeda.

A colocação de uma oferenda de flores no busto do mártir universitário Julio Antonio Mella foi seguida pelo passeio dos jovens por toda a rua San Lázaro. Aplausos não faltaram desde as varandas e os slogans da vida à Revolução, ao Partido, a Fidel, à continuidade histórica que conduzem as gerações actuais, aos heróis da Pátria e, claro, à memória eterna da o homem que caiu fisicamente em Dois Rios, enquanto ressuscitou em espírito para sempre.

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, DIAZ CANEL, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA, Jose Marti, O presidente de Cuba, Miguel Diaz-Canel, Patria Jose Marti, raul castro | Deixe um comentário

Cuba: 25 anos após a inauguração do Memorial José Martí.

Categories: #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA, Jose Marti, Patria Jose Marti | Deixe um comentário

Por que levantamos nossas tochas todo mês de janeiro em #Cuba 🇨🇺 ?

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA, Jose Marti, Patria Jose Marti | Deixe um comentário

Palavra precisa | Sobre a importância de conhecer a História.

Categories: # Cuba, #Al Qaeda, Associated Press, #CIA, #cuba, #EEUU, estados unidos, MSNBC, NBC,#Reino Unido, #Rusia, Universidad de Lincoln, William Arkin, #Cuba #CIA, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Estados Unidos, ações subversivas, Acciones contra Cuba, Cuba, Historia de Cuba, Tarará, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, cultura, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA, Jose Marti, Manipulacion, Manipulacion Politica, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, Patria Jose Marti, Subversão contra Cuba, Subversión | Deixe um comentário

Lista de Cuba sobre ações terroristas dos Estados Unidos.

Por Arthur González

Os Estados Unidos se reservam o direito de fazer listas para incluir nelas os países que não se ajoelham a seus pés, porém são os maiores terroristas e o abrigo seguro de centenas de assassinos.

Cuba também pode fazer uma lista de pessoas e entidades a serem sancionadas nos Estados Unidos por executar atos criminosos, hospedar terroristas e apoiar países como Israel e as ditaduras militares dos anos 60 e 70 do último século XX.

Washington deu apoio material e político ao regime sul-africano, quando executou o desprezível sistema do Apartheid e a outras ditaduras daquele continente que reprimiram de forma selvagem seus povos, com um fardo incomparável de crimes contra a humanidade.

Guerras imperiais como as da Coréia, Vietnã, o lançamento de duas bombas nucleares sobre a população civil do Japão, são ações históricas que, por si só, são suficientes para levar os ianques a um tribunal internacional.

Os atos de terrorismo dos Estados Unidos contra Cuba são inúmeros, desde a organização, treinamento e financiamento de terroristas assassinos, invasões mercenárias, até a concessão de refúgio legal a milhares de capangas ensanguentados, guiados por funcionários do FBI e da CIA.

No topo da lista devem estar os 12 presidentes dos últimos 62 anos, porque todos aprovaram planos terroristas contra o povo cubano.

Em 23 de dezembro de 1958, o presidente Dwight Eisenhower, com o apoio do então diretor da CIA, Allen Dulles, afirmou na reunião do Conselho de Segurança Nacional: “Devemos impedir a vitória de Fidel Castro”.

Em 1º de janeiro de 1959, os Estados Unidos protegeram os assassinos e torturadores do regime do ditador Fulgencio Batista, que fugiram da justiça cubana e, apesar das notas diplomáticas exigindo sua extradição, concederam-lhes a condição de “refugiados políticos”.

Em 28 de janeiro de 1959, a primeira organização contra-revolucionária a conspirar contra a revolução cubana vitoriosa, chamada La rosa blanca, liderada por Rafael Díaz-Balart, foi formada em Miami. Também não condenaram o americano Allen Mayer, que veio dos Estados Unidos naquele mês em um pequeno avião a Cuba com a intenção de assassinar Fidel Castro.

Cuba convoca a II Simposio Internacional sobre la Revolución | Cubadebate

Eles participaram da conhecida Conspiração Trujillista, que pretendia criar uma força militar nas províncias centrais para derrubar o governo revolucionário. Foi conhecido com antecedência e desmontado em 13 de agosto de 1959 na cidade de Trinidad.

Eisenhower e Allen Dulles autorizaram três ataques aéreos entre 11 e 21 de outubro de 1959, para bombardear engenhos de açúcar na ilha, além do executado em 21 de outubro em Havana, pelo traidor Pedro Díaz Lanz, ex-chefe da Força Aérea Cubana , protegido em Miami. No atentado houve uma morte e 45 feridos, situação que o FBI conhecia e não agiu contra o responsável.

Naquele ano, houve dezenas de atentados sem que as autoridades ianques agissem.

Em março de 1960, o presidente Eisenhower aprovou o primeiro Programa de Ação Secreta da CIA contra Cuba, responsável por tarefas subversivas como a Operação Peter Pan, que tirou 14,38 crianças desacompanhadas e desacompanhadas do país com o apoio da Igreja Católica. financiamento para invadir Cuba.

Em 4 de março, a CIA explodiu o navio francês La Coubre no porto de Havana, matando 101 pessoas, ferindo 200 e mutilando-as.

John F. Kennedy, em 20 de outubro de 1960, solicitou ajuda aos “lutadores pela liberdade cubanos”, o congelamento de todos os bens cubanos nos Estados Unidos e uma ação coletiva contra o comunismo, quando já sabia dos preparativos para a invasão do Ilha; Além disso, no final de janeiro de 1960, Richard Bissel, chefe das operações secretas da CIA, informou oficialmente McGeorge Bundy, conselheiro de Segurança Nacional de J.F. Kennedy e Sidney Gottlieh, o novo chefe da divisão de serviços técnicos da CIA encarregado do programa de experimentação de drogas, sobre planos para assassinar Fidel Castro.

A prova do terrorismo dos Estados Unidos contra Cuba foi a entrega, em fevereiro de 1961 a um dos assassinos selecionados, de uma caixa de charutos preferida por Fidel, contaminada com a letal toxina botulínica. Ao mesmo tempo, o coronel Sheffind, da CIA, forneceu ao mafioso John Rosselli várias pílulas envenenadas com objetivo semelhante.

China mató a 20 espías de la CIA entre 2010 y 2012

Em 22 de fevereiro, o professor voluntário Pedro Morejón é assassinado por elementos terroristas financiados pela CIA. Nesse período, a CIA aumentou os atos terroristas em Cuba, como incêndios em shopping centers, cinemas, ataques piratas contra usinas e refinarias de petróleo.

17 de abril de 1961 ocorre a invasão e é derrubado em apenas 67 horas. Kennedy presume o fracasso e demite o diretor da CIA, o vice-diretor geral Charles P. Cabell e Richard Bissel, chefe das operações secretas.

John Alex McCone é nomeado novo diretor, que recebe a ordem de Kennedy para fazer a conhecida Operação Mongoose, o programa subversivo mais abrangente contra Cuba, que contemplava uma invasão com o exército ianque, e fez a guerra econômica, comercial e financeira oficial, juntamente com a aplicação da Lei que proíbe o Comércio com o inimigo, de 1919. Ambos são mantidos.

Sob o governo Kennedy, vários planos de assassinato de Fidel e Raúl Castro foram planejados, incluindo em junho de 1963 Kennedy aprovou um novo Programa de Ação Secreta para a CIA, com atos terroristas contra a economia, que afirma:

“Só depois que os efeitos da retaliação econômica e das ações de sabotagem são profundamente sentidos na população e nos grupos de elite, pode-se esperar que o descontentamento nas forças armadas e outros centros de poder do regime em revoltas ativas contra o comunista castrista entourage ”.

José Martí - Detalle del autor - Enciclopedia de la Literatura en México -  FLM - CONACULTA

Esta é apenas uma amostra de por que sucessivas administrações mantêm a mesma linha de trabalho, que transborda em argumentos jurídicos as denúncias de inclusão dos Estados Unidos na lista cubana, onde milhares de pessoas, entidades governamentais e privadas, devem comparecer para serem sancionadas por sua crimes de sangue contra o povo cubano.

José Martí foi exatamente quando disse:

“Não há nada mais justo do que deixar as coisas da história em ponto da verdade”

Categories: # Cuba, #Al Qaeda, Associated Press, #CIA, #cuba, #EEUU, estados unidos, MSNBC, NBC,#Reino Unido, #Rusia, Universidad de Lincoln, William Arkin, #CIA, #Cuba #CIA, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Estados Unidos, #Fidel, #YoSoyFidel, A obsessão dos Estados Unidos, Acciones contra Cuba, Cuba, Historia de Cuba, Tarará, CUBA - ESTADOS UNIDOS, Cuba: a obsessão de EE. UU, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, EUA avalia retornar a Cuba para lista de estados patrocinadores do terrorismo, FBI, FBI, James Comey., Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, HISTORIA DE CUBA, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, política dos Estados Unidos em relação a Cuba, Relações Estados Unidos Cuba, Terrorismo, TERRORISMO VS CUBA | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: