#EEUU “Chega de guerra”, o clamor dos americanos para parar #Trump

Milhares de pessoas foram às ruas em 70 cidades nos Estados Unidos para rejeitar a decisão do presidente Donald Trump de manter uma guerra entre países contra o Irã.

Fonte:Mi Cuba Por Siempre

“Não à guerra” é a lenda das centenas de pôsteres exibidos que exigem, além disso, a partida do exército americano do Oriente Médio.

Washington, Nova York e Detroit foram os lugares mais visíveis da reação auto-convocada que começou a tomar forma nas redes sociais. “Não permitiremos que nosso país seja arrastado para outra guerra inconsciente”, gritou um dos organizadores do grupo reunido em frente à Casa Branca.

A mobilização na sede do governo dos EUA foi para o Trump Hotel, de propriedade do empresário e chefe de Estado, que no início da sexta-feira ordenou o assassinato do general iraniano Qasem Soleimani, por meio de um bombardeio de drones no Oriente Médio.

“Não à guerra com o Irã”, foi o principal slogan que convocou milhares em diferentes partes do país. “Retirada dos Estados Unidos do Iraque agora!” E “Não à guerra e sanções contra o Irã!” Eles também exigiram.

Na icônica Times Square, em Nova York, os manifestantes exibiram faixas rejeitando o envio de cerca de 3.500 soldados ordenados pelo governo dos EUA.

Também houve protestos neste sábado em Chicago, em frente à Trump Tower, de propriedade do presidente, e em Los Angeles. “Você precisa desviar a atenção? Provoque uma guerra ”, disse a bandeira de Sam Crook, 66, no meio do processo de impeachment pelo qual o republicano está passando.

“Este país está nas mãos de alguém que não é mentalmente estável, Donald Trump”, disse a mulher. “Me assusta que isso cause inadvertidamente – acho que você realmente não quer – um verdadeiro surto no Oriente Médio”, acrescentou.

A comunidade internacional teme um extenso conflito após a morte do general Soleimani e Abu Mehdi al Muhandis, considerado o homem forte do Irã no Iraque.

Centro-americanos, emigrantes da quinta categoria para os EUA.

Por Arthur González.

Para o presidente dos Estados Unidos, os emigrantes latino-americanos que compõem a caravana que pretende entrar naquele país, são de quinta categoria, e até os descrevem como “delinqüentes” que pretendem invadi-la. Continuar a ler “Centro-americanos, emigrantes da quinta categoria para os EUA.”

Trump: Se necessário, os militares usarão força letal para proteger a fronteira (+ Video)

O presidente dos EUA, Donald Trump, deu permissão às tropas do Exército para usar força letal, se necessário, na fronteira com o México, a fim de conter os migrantes da América Central. Continuar a ler “Trump: Se necessário, os militares usarão força letal para proteger a fronteira (+ Video)”