INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA

Alto e claro, Bonifacio Byrne.

Autor: Madeleine Sautié | madeleine@granma.cu

Ele era um poeta patriótico. Por isso, depois que estourou a Guerra Necessária, mudou o rumo de seus textos modernistas e escreveu sobre a luta Mambisa que Cuba travava contra a colônia espanhola.

Ele era jornalista e fundou jornais. Ele foi um narrador e também escreveu teatro. Por ser justo, elogiou a coragem de um amigo, também patriota, que foi baleado em 1895.

Para tomar partido, foi para o exílio e, dos Estados Unidos, participou de uma campanha de proselitismo em busca da independência. Em Tampa, ele criou o Clube Revolucionário e foi seu secretário. Colaborou em Patria, El Porvenir e El Expedicionario.

Sua natureza bárdica o levou ao soneto e ele foi o autor de muitos em que a façanha vibrou. Mas há um poema, que ele escreveu em serventesios de fogo, que o eternizou para sempre. Nele sintetiza os sentimentos de um povo que, por mais que ouça, recite, leia ou lembre, só sabe sentir mais profundamente.

Foi quando vinha de “uma costa distante, com a alma de luto e tristeza” que, procurando a sua bandeira, viu outra acenando ao seu lado.

Ao contemplar em El Morro que a bandeira americana estava sendo hasteada ao lado do cubano, o Poeta da Guerra trouxe à tona, como uma rajada imparável, a sensação mais limpa que se pode sentir quando um ser inteiro macula a terra onde nasceu.

Bonifacio Byrne, nascido há 160 anos hoje, disse então que sua bandeira era a mais bela que existia e argumentou com “profunda energia” que para representar Cuba bastava a estrela solitária.

Ele se lembrou dela nos campos com os heróis, e com orgulho extasiado disse que a nossa nunca tinha sido uma mercenária.

Como o poema termina não é necessário atestar. Guardamos em nossa memória aqueles versos como seus e como nossos.

Como se não bastasse, a voz de Camilo Cienfuegos, cantando-os, é um dos mais belos legados que temos.

Aliás, em dias em que se tentou indigná-la, as estrofes que nasceram de um poeta foram cantadas como nunca e hoje vivem no coração de um povo inteiro:

Se se partir em pedacinhos / um dia se tornar a minha bandeira … / os nossos mortos a levantar os braços / ainda saberão defendê-la …

Categories: # Cuba, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, CONTRA-REVOLUÇÃO EM MIAMI, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, Fidel Castro Ruz, Historia de Cuba, Intelectuales, Política, Red de Intelectuales y Artistas en Defensa de la Humanidad (REDH), Soberanía, Venezuela, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Manipulação Política, Organização dos Estados Americanos (OEA), Venezuela, Manipulacion, Manipulacion Politica, MIAMI | Deixe um comentário

#ElGuerreroCubano Otaola, eles arrastaram a bandeira cubana intencionalmente coloquei provas. Cuba

Categories: ações subversivas, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, Intelectuales, Política, Red de Intelectuales y Artistas en Defensa de la Humanidad (REDH), Soberanía, Venezuela, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, Subversão contra Cuba, Subversión, Subversión contra Cuba | Deixe um comentário

Análise do show da mídia em 27 de janeiro contra #Cuba.

Categories: ações subversivas, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, contrarrevolucionarios anticubanos, #Cuba, guerra mediática, redes sociales, Referéndum Constitucional, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, Injerencia De EEUU, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Jornalismo no mundo, Manipulacion, Manipulacion Politica, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, Redes sociais, Subversão contra Cuba, Subversión | Deixe um comentário

Edição especial sobre os eventos do Ministério da Cultura – 27 de janeiro de 2021.

Categories: # Miguel Díaz-Canel, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, Contrarevolución, Contrarevolucion, contrarrevolucionarios anticubanos, #Cuba, guerra mediática, redes sociales, Referéndum Constitucional, cultura, Declaração do governo revolucionário, DIAZ CANEL, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Manipulacion, Manipulacion Politica, O presidente de Cuba, Miguel Diaz-Canel, Redes sociais | Deixe um comentário

Efemérides da filosofia: ideológico “Dia da Marmota”?

Autor: Fernando Buen Abad | internet@granma.cu

…tenho preferido falar de coisas impossíveis porque se sabe demais sobre o possível.

Silvio Rodriguez

Repetidamente, Phil Connors acorda no mesmo lugar, na mesma hora e no mesmo dia. É uma metáfora fílmica (1993) traduzida para o espanhol como “Groundhog Day”. Pode ser aplicado, com alguns ajustes, ao pesadelo ideológico burguês espesso e esclerosado, no qual acordamos diariamente sem nenhuma mudança aparente … ou fuga. São os vestígios da “empiriocrítica” que Lenin retalhou (1908), mas que se estendeu durante décadas para esconder as tensões entre as classes sociais; esconder o pensamento emancipatório e enjaular as melhores teses amadurecidas nas lutas recentes. Não é a Filosofia, enquanto atividade produtora de pensamento crítico, que está em declínio, são as ideias da classe dominante. Funeral.

Que bugigangas ideológicas podem nos convencer a aceitar, por mais tempo, o macabro negócio das indústrias de guerra? Que verborragia poderá nos convencer a tolerar o espetáculo da pobreza que se transforma em miséria e fome? Com que saliva eles vão querer nos anestesiar enquanto nos tiram o trabalho, a moradia, a saúde, a educação … enquanto insistem que os aplaudamos como focas viciadas? Os 2 153 bilionários do mundo têm mais riqueza do que 4,6 bilhões de pessoas (60% da população mundial), de acordo com a Oxfam em relatório publicado na véspera do Fórum Econômico Mundial em Davos (Suíça).

El caso más aberrante de «crimen organizado» a nivel mundial, se llama capitalismo. En sus más de tres siglos, organizó la destrucción del planeta, la depredación de la condición humana, pobreza, miseria y hambrunas.

Este mundo deve sair do capitalismo e de todos os seus desastres imediatamente.

Essa riqueza que poucos sequestraram é suficiente para resolver 70% dos problemas materiais básicos da humanidade. O que falta pode ocorrer em um período muito curto de tempo se nos organizarmos para resolver enfermidades e necessidades comuns. Não é impossível, mesmo que os filósofos servis do establishment desprezem negá-lo. Em alguns países que ousaram combater a corrupção, e que se empenham em colocar os interesses sociais acima do capital, somente por esse conceito gerou apoio orçamentário suficiente para superar bem as crises que o capitalismo gera. Essa é a filosofia correta.

Precisamos de um Humanismo de um novo tipo, Humanismo do concreto; sem complicações ou simplicidade, sem escapismo, sem soluções fantasmagóricas, idílicas ou ilusionistas. Esse humanismo, que hoje nos urge, deve ser, por sua vez, uma práxis, ou atividade transformadora do sujeito que se humaniza com sua práxis, no sentido de uma práxis que caracteriza todo ser humano disposto a modificar as condições históricas concretas. , isto é, a realidade pré-existente que, para ser superada, exige o desdobramento real-concreto do coletivo que, também, se torna e sobe à história para se fazer por devir.

A atividade concreta do homem significa, neste sentido, entrar em uma situação revolucionária e permanente. O novo gênero humanismo como modo superior de práxis que dele se desenvolve, tornando-se constante e inesgotável renovação e inovação em si mesmo. Alguns “talentos engenhosos” tomam a história em suas próprias mãos e narram as lutas sociais reduzindo-as a obras individuais. Parece que os atos emancipatórios são obra de um só homem e com isso desfiguram a luta de classes e o esforço organizacional. Somos asfixiados pelo individualismo.

Brutal aumento de la desigualdad en el capitalismo posindustrial |  ContraInfo.Com

No epicentro de um mundo infestado de humilhações contra a classe trabalhadora, afogado em falácias “informacionais”, recheado de vulgaridades, trapalhadas e banalidades. Um mundo mergulhado em medo, individualismo e egoísmo; saturado de presunçoso e medíocre, doutorado em ninharias e criacionismo personalizado; onde publicitários e igrejas, pornógrafos e pedófilos fazem sua festa … onde tudo se prostitui e a alma se mercantiliza, o capitalismo reina à vontade e apodrece tudo que encontra. Além disso, há tanto traidor, tanto mole, tanto alpinista, tanto oportunista, tanto reformismo … que é melhor trabalharmos com rigor senão enterraremos mais do mesmo. Isso é intolerável.


A filosofia deve ser emancipada para que se torne uma ferramenta emancipatória. Nesse estágio evidente e subjacente de pandemia belicista, os filósofos devem assumir seu trabalho com responsabilidades renovadas e métodos transformadores de ação direta. Não há tempo para diletantes. Não há lugar para burocracias bibliográficas ou para o show business de gurus. Devemos declarar a abolição da escravidão semântica e a supressão de todo fanatismo com manuais esotéricos. O caso mais aberrante de “crime organizado” em todo o mundo é chamado de capitalismo. Em seus mais de três séculos, organizou a destruição do planeta, a depredação da condição humana, a pobreza, a miséria e a fome. Humilhou os seres humanos e ameaça o futuro.

https://lh3.googleusercontent.com/proxy/wAZIeZQDjd6HNwTtX17DX2ciw58CnoXdegY4jRNUuPIxWgzikfpD-ZwBHalKvAMpnS4QLaxHTIfyuQU_UbqU-p4FY0VATuJG-o56Y-U

É necessário submeter a Filosofia a um processo histórico de objetivação na substância do ser social em direção a um humanismo que nada mais é do que a história da emancipação humana no debate capital-trabalho. Desative a ideologia da classe dominante. Humanismo concreto para enriquecer a hostilidade sistemática contra o capitalismo, como etapa histórica concreta, como realidade concreta, com suas determinações específicas, sob a dialética da emancipação. Tal humanismo construirá sua definição real –essencialmente– por sua práxis produtiva, isto é, por uma atividade prática com a qual não apenas produz um mundo que se transforma, mas, em sua transformação, é dialeticamente superado.

Precisamos de um humanismo concreto, histórico e criativo, não abstrato, mas expressão do conjunto das relações sociais, mesmo com seus conflitos maternos, como aprimoramento ético e espiritual, para resgatar as melhores lutas emancipatórias contra a alienação e ataques à liberdade humana. Essa construção do humanismo real é necessária para transformar o mundo existente, preservando apenas o melhor, mas não para reconciliar os antagonistas. Um humanismo que deve ser condição fundamental da consciência, como necessidade e possibilidade de transformação do mundo. Consciência que deve ter uma interpretação verdadeira e científica do mundo e uma crítica consensual do que existe

16 Imágenes Que Describen El Contraste Entre La Pobreza Y La Riqueza En El  Mundo

Em outras palavras, somos impelidos por um humanismo dialético produto da própria práxis, bem como do conjunto de condições sociais que se desenvolvem em nosso período histórico, humanismo que transforma suas próprias circunstâncias e elimina, especificamente, as condições objetivas e subjetivas que oprimem, exploram e eles humilham os seres humanos. O humanismo concreto, histórico e criativo como ferramenta para a plena realização do ser humano; dignidade humana, individual e coletiva; liberdade consensual; a criatividade que distingue o humano. O humanismo como programa político que inclui, em sua tática e estratégia, a emancipação da livre criatividade para solucionar necessidades pragmáticas, emocionais e estéticas.

«É preciso sonhar, mas com a condição de acreditar nos nossos sonhos. Para examinar cuidadosamente a vida real, para confrontar nossa observação com aqueles sonhos, e para cumprir escrupulosamente nossa fantasia “, disse Lenin.

Um humanismo crítico do que existe é urgentemente necessário … do capitalismo em primeiro lugar; crítica de todas as calamidades sociais por ele engendradas. Humanismo para produzir, em consenso, bens sociais nos quais incorporem valores fundamentais de bem viver que no capitalismo são limitados, sufocados ou criminalmente ocultados. O conceito de humanismo aqui delineado envolve não apenas a consciência de seu caráter desejável, possível e realizável (Sánchez Vázquez), onde se compromete com valores pelos quais considera necessários, dignos e indispensáveis ​​de lutar, e não apenas professar sacrifícios e esforços ou esmolas. filantrópico.

13 Imágenes que muestran los contrastes de la vida

Precisamos de um humanismo que, pela superioridade dos seus valores, se oponha e combata um sistema essencialmente opressor e explorador com a convicção de que o seu programa pode ser executado se forem utilizados planejamento, organização e ação conscientes mesmo nas condições conjunturais são adversos. A humanidade também precisa do humanismo para não desaparecer na barbárie, que hoje assume formas extremas como a barbárie militar, bancária, ecológica, nuclear e midiática. O humanismo para derrotar, também, a pandemia do feminicídio.

Isso significa que é essencial enfrentar os desastres criados pelo capitalismo e suas falácias filosóficas; trabalhar sobre as contradições específicas e dialéticas para garantir a libertação da humanidade com um humanismo de um novo tipo como um programa permanente de ações históricas … e como ações da vida cotidiana. Humanismo das condições e determinantes socioeconômicos concretos, da prática transformadora que ainda não foi desenvolvida. Prática humanística que ocorre para combater as falácias que reduzem as pessoas a um simples reflexo mecânico de contradições objetivas; humanismo que se impõe na análise do concreto, organizando-se contra as determinações desumanas realmente existentes. Humanismo, então, para quebrar o círculo vicioso que nos faz despertar, diariamente, vítimas do mesmo pesadelo ideológico. Isso é repetido … e é repetido.

Categories: #Donald Trump, #Estados Unidos, #Estados Unidos, #Estados UnidosDerecho InternacionalFulgencio BatistaLey Helms BurtonPrimera Ley de Reforma Agraria, Derechos Humanos, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, Intelectuales, Política, Red de Intelectuales y Artistas en Defensa de la Humanidad (REDH), Soberanía, Venezuela, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Prensa Capitalista | Deixe um comentário

Eliecer confessa tudo e Ferrer continua na mesma.

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Trump, #YoSoyFidel, @Trump, ações subversivas, Acciones contra Cuba, Cuba, Donald Trump, Relaciones Cuba - Estados Unidos, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, CONTRA-REVOLUÇÃO EM MIAMI, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, FORA TRUMP, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Manipulacion, Manipulacion Politica, MIAMI, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, Subversão contra Cuba, Subversión, Trump procura reforçar o bloqueio, Um bom filho ... de Trump | Deixe um comentário

Otaola, Marco Rubio e Telemundo 51, o triângulo das mentiras.

Categories: # Cuba, #Chile, #Cuba #CIA, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Donald Trump, #Estados Unidos, #EstadosUnidos, #Marco Rubio e #Bob Menendez ., A obsessão dos Estados Unidos, ações subversivas, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, Cuba, Donald Trump, Estados Unidos, Marco Rubio, Mario Díaz-Balart, Relaciones bilaterales., Cuba: a obsessão de EE. UU, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Manipulacion, Manipulacion Politica, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, Subversão contra Cuba, Subversión, Telemundo 51 | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Teoria da desmoralização induzida .

Autor: Fernando Buen Abad | internet@granma.cu

Sempre se soube que uma forma (entre muitas combinadas e desiguais) de derrotar um inimigo ou oponente é fazê-lo perder tudo em que poderia ter confiado para sua vitória. Tira sua certeza, sua dignidade e suas habilidades, convencendo-o (antes, durante ou depois da batalha) de sua insolvência, sua pequenez, seus complexos e sua inferioridade: assim o desmoralizando. E, para tanto, foram estudadas e estão sendo estudadas mil maneiras de precipitar a derrota do oponente, desde as mais cotidianas, e aparentemente inconsequentes, zombarias, desprezos, calúnias … até as mais sofisticadas agressões verbais ou simbólicas, treinadas em laboratórios de guerra. psicológico. Aqui a moral é entendida como Adolfo Sánchez Vázquez a entendeu.

No capitalismo, o repertório de “disputas” é muito variado, embora em sua base esteja a substancial mania de monopólio de quem quer eliminar do palco toda competição que complica a ditadura dos preços. Mas em uma escala maior, a mãe de todas as lutas é a luta de classes, e dela – e para ela – se esbanja toda forma de combate aberto ou disfarçado, capaz de garantir um “triunfo” que, além de impor hegemonia econômica da escravidão , ser, ao mesmo tempo, lucrativo. E eles não se importam se isso for um revés monumental ou um desastre contra a humanidade.

Seu sonho de ouro seria que, na dinâmica da luta, os opressores pudessem economizar em armas e soldados, economizar o máximo possível, e fazer com que o próprio inimigo se derrotasse (produto do engano, manipulação ideológica, ódio contra seus pares…) e, além disso –não tão aleatório– lucram com isso. Seria tremendo, não importa se os comportamentos mais obscenos e os antivalores mais degradantes fossem exibidos com ele. Como guerras.

Desarme o inimigo antes que ele descubra, faça-o acreditar que está lutando bravamente, e então prove sua impotência para colocá-lo de joelhos e, além disso, agradeça …, por concordar com seu opressor e fazer da derrota uma «herança honrosa »Para sua prole. Em escolas ou teorias de guerra, insiste-se na importância de vencer o inimigo até que ele perca todo o ímpeto, mas, como em muitos casos, a perda de ímpeto não é sinônimo de abandono da resistência. O capitalismo, em sua fase imperial, quer que o povo desmoralizado sirva também como agente de combate contra sua própria classe. É para isso que existem as “mídias”, que na verdade são armas de guerra ideológica; hoje bastiões do sonho invasivo mais ambicioso, que consiste em dominar a capacidade de ubiqüidade e velocidade. Como as “agências de notícias”, que na verdade são fábricas de linchamentos e falácias políticas.

Além de todos os repertórios de gestos intimidadores, grunhidos e gritos, estratagemas desmoralizantes se valem de muitos dos baluartes estéticos de suas indústrias culturais. Como agências de publicidade. Dizem que “a beleza vende” e para seus desmoralizantes fins belicistas inventam, por exemplo, belezas discriminatórias que desmoralizam quem não tem atributos semelhantes ao estereótipo burguês. O belicismo do “luxo” não é uma forma cândida de exibir as tentações ou fetiches dos ricos … é um estilhaço desmoralizante que atinge a auto-estima dos despossuídos que, por isso, não sentem nada.

A ideia burguesa de que “na guerra vale tudo” nada mais é do que a legitimação de uma deformação ética a serviço do canalha. Quando os povos lutam, não repetem a lógica dos opressores nem reproduzem os seus valores de combate. Principalmente porque não lutam por negócios. Embora a burguesia queira nos convencer de seus métodos de luta, são os mesmos que “qualquer um usaria” se as condições fossem satisfeitas; A verdade é que a Moralidade da Batalha nas mãos dos povos é baseada em objetivos humanísticos e de justiça social. Simplesmente porque não somos os mesmos no sentido de classe mais estrito.

Eles, os oligarcas, mantêm seu moral de luta baseado no lucro e no ódio de classe que aprenderam a cultivar séculos atrás. Alimentam o desprezo de classe, sabendo que “o outro” é seu inimigo histórico, que constituem a maioria e que, a qualquer momento, a consciência de sua força se eleva, organizando-se. E para impedir sua ascensão, eles provocam uma crise de direção revolucionária na qual a vontade e as forças da luta se dissipam a qualquer custo. Para eles, é um investimento.

Para nos salvar como espécie, e para salvar o planeta, precisamos consolidar nossa consciência de classe e nossas forças simbólicas, enquadradas por um programa revolucionário e humanista de um novo tipo, capaz de esmagar qualquer estratégia desmoralizante e aprofundar os bastiões de nossa moralidade e não a de eles. Quando um conjunto de princípios é assumido conscientemente (que são aprofundados e aperfeiçoados no cadinho da práxis) nada pode quebrar a moralidade emancipatória.

Por exemplo: 1. O trabalhador não é explorado. 2. A propriedade privada é obscena em um mundo de despossuídos. 3. A terra pertence a quem a trabalha. 4. Proibido manipular a educação, consciência e estado de espírito dos povos 5. A cada um segundo as suas necessidades. As verdadeiras vitórias são um motor invencível de consciência e moral. São patrimônios que não admitem fronteiras e que se aninham no coração dos povos. Nem um passo atrás. Não é um espaço negligenciado. Não é uma rendição.

Combater a desmoralização induzida de forma alguma significa suspender as críticas. O oposto. Implica o exercício de uma crítica responsável e fundamentada, que salvaguarda a unidade e não simplifica o trabalho do inimigo de nos destruir. Desmoralizados, não somos nada. Em todo caso, a fonte nutritiva é a convicção de que devemos resgatar a espécie humana e o planeta do sistema econômico mais predatório e criminoso da história. Existe a alegria de salvar a alegria das pessoas, o amor do amor em todas as suas expressões, a importância da justiça social e da vida boa para todos. Há a luta dos grandes, dos indispensáveis, que é sempre social e sempre histórica. Há o futuro possível e urgente sem mestres, sem medo, sem classes sociais e sem amargura. Aí está o exemplo herdado dos povos e suas lutas vitoriosas, antídotos, todos magníficos, que, cultivados coletivamente, são a certeza de uma vida boa.

Categories: #Cuba, #Cuba #CIA, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, #Donald Trump, #Estados Unidos, #EstadosUnidos, #Salud en Cuba, A guerra dos Estados Unidos, A obsessão dos Estados Unidos, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, CONTRA-REVOLUÇÃO EM MIAMI, contrarrevolucionarios anticubanos, #Cuba, guerra mediática, redes sociales, Referéndum Constitucional, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Manipulacion, Manipulacion Politica, MIAMI, Redes sociais | Deixe um comentário

Exigem os de San Isidro pelo fracasso do surto que pretendiam contra o MINCULT.

Categories: "Ataques acústicos" e meios de comunicação norte-americanos catalogado incidentes de saúde relatado por diplomatas dos EUA em Cuba, que disseram ter ouvido sons que, de acordo com um novo estudo c, # Cuba, # yo voto vs bloqueo, #solidaridadvs bloqueo, A obsessão dos Estados Unidos, ações subversivas, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, Acciones contra Cuba, fake news, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, bloqueo contra cuba, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, Bloqueo,Cuba,EstadosUnidos,Internet,Trask Force, Cuba, fake news, Cuba: a obsessão de EE. UU, CubavsBloqueo, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, Fake news, INTERVENÇÕES HUMANITÁRIAS DOS EUA, Manipulacion Politica, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, Redes sociais, Subversão contra Cuba, Subversión | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: