Desafios enfrentados pelo CELAC na sua VI Cimeira.

#CubaEnMexico #AMLO #CELAC #Covid-19

A criação da Comunidade de Estados da América Latina e Caraíbas (CELAC) permitiu reactivar este mecanismo de integração política, numa situação regional que sabemos ser complexa, disse Anayansi Rodríguez Camejo, vice-ministro cubano dos Negócios Estrangeiros.

Antes da 6ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da CELAC no México, o vice-ministro do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Minrex) partilhou com a imprensa os desafios e as principais questões que serão abordadas na reunião.

Segundo o sítio Web da Presidência cubana de hoje, Rodríguez Camejo reconheceu que a CELAC passou por momentos complexos em certas ocasiões, no entanto, considerou um facto fundamental o facto de ter sido capaz de preservar o seu acervo ao longo de todos estes anos de existência, nos quais o México desempenhou um papel essencial nos últimos 20 meses em que exerceu a presidência pro tempore.

O diplomata recordou que a unidade tornou possível enfrentar cenários complexos e superá-los como um todo, e valorizou que, no meio das dificuldades, esta Comunidade de Estados, fundada em Fevereiro de 2010, não deixou de cumprir o seu papel de mecanismo de integração genuinamente latino-americano e caribenho.

O facto de a VI Cimeira se realizar desta vez na Cidade do México é também um sinal de que retomámos a cooperação regional a alto nível, embora nos últimos anos as reuniões não tenham deixado de se realizar a diferentes níveis, incluindo parceiros extra-regionais, em particular com a China e a União Africana, disse ele.

No que diz respeito aos principais temas da agenda, Rodríguez Camejo salientou que a pandemia da COVID-19, “estará no centro das nossas discussões, que se concentrarão na procura do que podemos fazer como região para alcançarmos a auto-suficiência em saúde”.

Também estarão em discussão questões transcendentais como a preservação da região como Zona de Paz; a primeira região densamente povoada do planeta livre de armas nucleares; desarmamento geral; a luta contra a pobreza, a desigualdade e as alterações climáticas em preparação para a 26ª Conferência das Partes a ter lugar no Reino Unido.

Da mesma forma, procurará reforçar o papel do CELAC, para que possa ser o verdadeiro e legítimo representante da América Latina e das Caraíbas, através de um debate transparente, aberto e franco entre todas as nações.

Relativamente à participação de Cuba na Cimeira, o chefe adjunto da Minrex confirmou que Cuba está disposta a contribuir para estes esforços do CELAC para que a região possa ter um projecto e iniciativas que permitam o acesso universal às vacinas a preços acessíveis.

Cuba tem toda a disposição para participar neste esforço regional colectivo e contribuir assim para a distribuição e fornecimento de vacinas e serviços a preços acessíveis que garantam o acesso universal para todos, afirmou.

Desde a sua fundação a 23 de Fevereiro de 2010, o CELAC é o fórum mais representativo da região, reunindo os 33 países da América Latina e das Caraíbas, e é o espaço por excelência de diálogo, consulta e cooperação para resolver os desafios enfrentados pela comunidade como um todo.

(Com informação da ACN)

2 anos após a tentativa de invasão com falsa #AjudaHumanitária na #Venezuela.

#Venezuela #Colombia #Almagro #Guaido #EstadosUnidos #OEA #ElBloqueoEsReal #DerechosHumanos

Luis Almagro “está agindo ilegalmente contra a Nicarágua”, diz chanceler daquele país

O Luis Almagro “está agindo ilegalmente contra a Nicarágua”, Denis Moncada, reafirmou ontem a posição de seu país perante a decisão tomada pelo Secretário-Geral da OEA, Luis Almagro, sobre a aplicação da Carta Democrática naquele país

Contra Nicaragua se emplearon los conocidos métodos de guerra no convencional para crear desestabilización en ese país, con la complicidad de Estados Unidos y de la OEA.

Os métodos bem conhecidos de guerra não convencional foram usados ​​contra a Nicarágua para criar desestabilização naquele país, com a cumplicidade dos Luis Almagro “está agindo ilegalmente contra a Nicarágua”. Foto: EFE
O ministro das Relações Exteriores da Nicarágua, Denis Moncada, reafirmou ontem a posição de seu país ante a decisão do Secretário-Geral da OEA, Luis Almagro, sobre a aplicação da Carta Democrática naquele país. Continuar a ler “Luis Almagro “está agindo ilegalmente contra a Nicarágua”, diz chanceler daquele país”