#OEA,Luis Almagro

#Cuba e o álibi #Humanitário .

Por Iroel Sánchez

O capitalismo transforma tudo o que toca em mercadoria, mesmo o risco de morte. Isto foi o que aconteceu com as greves de fome.

Os nacionalistas irlandeses fizeram do jejum voluntário uma arma de luta contra o domínio britânico, um exemplo a que o líder comunista cubano Julio Antonio Mella recorreu no seu confronto com a ditadura pró-americana de Gerardo Machado. Mella, cuja mãe era irlandesa, tinha tomado como exemplo forte o presidente da câmara da cidade sul-irlandesa de Cork, Terence MacSwiney, que morreu num jejum voluntário em 1920, depois de ter sido condenado à prisão por conspirar a favor da independência. Mas o que em tempos foi um método de anti-colonialismo e de lutas populares e anti-imperialistas tornou-se, graças ao controlo imperial sobre os meios de comunicação, uma ferramenta de propaganda fraudulenta para, como álibi humanitário, prejudicar a imagem de governos que não são do agrado dos dominadores deste mundo.

5 Times Madeleine Albright Was the Coolest | US News

Assim, lemos que o combatente anticolonialista e combatente dos humildes que é o Sr. Luis Almagro declara apoio ao seu colega, como ele um funcionário do governo dos EUA, que afirma estar em greve de fome enquanto a televisão cubana lhe mostra clandestinamente a receber abundante quantidade de alimentos. Almagro, que sabe que os seus patrões são os pais do Terrorismo de Estado em todo o planeta, fala do “Terrorismo de Estado” do seu colega pelo governo cubano, coincidentemente na véspera da publicação de um relatório do Departamento de Estado acusando Cuba de tortura e execuções extrajudiciais sem qualquer prova, enquanto apoia aqueles que disparam nos olhos de jovens chilenos e assassinam combatentes sociais na Colômbia com uma frequência assustadora. Que isto seja feito pelo governo cujo Presidente foi o segundo no comando de um executivo que manteve aberta uma prisão sem lei em Guantánamo, inaugurou assassinatos à distância por zangões, exercendo simultaneamente a função de tribunal e carrasco, e cujo Secretário de Estado, a rir, disse “Fui, vi e ele morreu” ao saber do desmembramento do líder líbio Muammar Gaddafi, é um detalhe menor, digno de aparecer como nota de rodapé na Enciclopédia Universal da Infâmia.

Semanas antes, outra “greve da fome”, na qual o encarregado de negócios da embaixada dos EUA em Havana servia como motorista e titereiro, exigia a liberdade de alguém que orgulhosamente proclama pertencer aos “Lobos Solitários”, uma organização que desde Miami financiou actos terroristas em Cuba contra escolas e outras instalações sociais. Agora sabemos que esses “grevistas”, longe de pôr em perigo as suas vidas, estavam apenas a aumentar a espessura dos seus bolsos. Um contrato de mil dólares por mês para o seu líder, do Instituto Nacional Democrático, que é gerido com dinheiro federal americano pelo falcão Madeleine Albrigt, também veio à luz pública na televisão cubana, mas a imprensa que afirma ser livre e independente não pode abordar a questão. Nem se podem referir às duas questões que unem os cubanos hoje em dia: a exigência de que a nova administração americana elimine o bloqueio económico juntamente com as mais de 240 medidas com que o governo de Donald Trump o apertou, e o orgulho no desenvolvimento de cinco candidatos a vacina contra a Covid-19.

Madeleine Albright: causante de genocidio, pero sin cargos de conciencia |  Cubadebate

A construção de um álibi humanitário para justificar uma intervenção militar, exigida ruidosamente por outro dos falsos grevistas de Havana em Novembro passado, tem uma amarga memória na administração da Sra. Albright. Foi ela, da administração democrática de Bill Clinton, a Secretária de Estado que justificou com manipulações e mentiras o extenso bombardeamento da Jugoslávia pela NATO que custou milhares de vidas civis e visou alvos tão criminosos como hospitais, estações de televisão e embaixadas. Ao leme da santa aliança atlântica estava outro militante democrata, mais precisamente um social-democrata, o espanhol Javier Solana, que no seu papel de chanceler ibérico foi parteira de uma operação de guerra cultural contra Cuba ao criar e financiar, juntamente com a Fundação Sociedade Aberta, a Fundação Nacional para a Democracia e a Fundação Ford, a agora extinta revista Encuentro de la cultura cubana.

Agora, em Cuba, em nome da cultura e às portas do Ministério do mesmo nome, tentaram defender os contratantes de Albrigth e dos “Lobos Solitários”, e a “imprensa livre” esconde as cordas no palco dos seus leitores. Não é por acaso que os herdeiros de Solana e do Encuentro de la cultura cubana, que sob os auspícios da Open Society e do governo norueguês do social-democrata Jens Stoltenberg, actual Secretário-Geral da NATO, fizeram parte do também defunto “laboratório de ideias” Cuba Posible, se destacaram nesta tarefa. Com uma Articulação Plebeiana fugaz, procuraram transformar a farsa de San Isidro numa revolução de veludo e dar à luz um remake extemporâneo da Carta dos 77, no melhor estilo da Checoslováquia, a pátria da Sra. Albrigth. No entanto, neste país, o humanitarismo não é um álibi. Apesar das deficiências, bloqueios e desafios, uma realidade palpável atesta-o: está nos milhares de cubanos salvos da Covid-19 por uma taxa de letalidade várias vezes inferior à do país que financia os falsos grevistas da fome, nos milhares de médicos que viajaram para outras terras para oferecer o seu trabalho solidário, nos cientistas que roubam horas e horas de descanso para derrotar a pandemia e a guerra económica. Essa guerra que os falsos grevistas da fome dizem não existe, mas – em nome dos direitos humanos – pedem que seja intensificada ainda mais.

Categories: #Estados Unidos, #Luis Almagro, #OEA,Luis Almagro, A guerra dos Estados Unidos, A obsessão dos Estados Unidos, ações subversivas, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, Acciones contra Cuba, Cuba, Donald Trump, Relaciones Cuba - Estados Unidos, Ataques, Cuba, EEUU, injerencia, Mafia Anticubana, Política, Radio y TV Martí, subversió, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, CONTRA-REVOLUÇÃO EM MIAMI, Derechos Humanos, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, Manipulacion, Manipulacion Politica, MIAMI, Os Estados Unidos estão se preparando para subverter a Revolução Cubana através da Internet, Subversão contra Cuba, Subversión | Deixe um comentário

A #OEA rejeita as alegações da #Bolívia de intromissão.

Categories: # OEA, #OEA,Luis Almagro, bolivia, Injerencia De EEUU | Deixe um comentário

Cuba-USA: A indignidade de uns poucos não pode ser contra a boa vontade de muitos.

Autor: Raúl Antonio Capote | internacionales@granma.cu

Um espectáculo anti-cubano, preparado pela Comissão Interamericana dos Direitos Humanos da OEA, o mesmo que não disse uma palavra sobre os crimes dos golpistas que arrebataram a presidência ganha nas sondagens por Evo Morales na Bolívia, em 2019, e que é cego e surdo a todos os crimes cometidos pela ala direita na América Latina, vem juntar-se às tentativas de rarear e paralisar qualquer aproximação entre Cuba e os EUA.

Protagonistas bem conhecidos do negócio da contra-revolução foram convocados para o evento da OEA, um espectáculo deprimente de mentiras e manipulação que se repete, no meio de um clima que tende a forçar e a arrogância como método nas relações internacionais.

As sondagens, com intenções imparciais, promovem resultados desfavoráveis à aproximação, enquanto o povo cubano de ambos os lados do Estreito da Florida sofre as consequências de uma política incerta e perturbada devido às ambições de alguns políticos norte-americanos que se orgulham de continuar a apresentar-se como cubano-americanos.

cuba eeuu - NODAL

Propagam falácias, introduzem facturas contra Cuba, ameaçam, comprometem, compram consciências e fazem uso de todos os truques herdados dos seus antepassados na ilha, quando governavam os destinos do país como uma república das bananas antes de Janeiro de 1959.

Como culminação das indignidades, Marco Rubio e Bob Menendez apresentaram uma resolução bipartidária que presta homenagem aos mercenários da brigada 2506; algo inaudito se não tivesse vindo de tais personagens.

Ninguém no seu perfeito juízo pensaria em prestar homenagem à derrota. Não foi apenas a capitulação de um exército em combate, foi a indignidade de um grupo de mercenários que, se alguma coisa demonstraram, não foi exactamente coragem; a ignomínia de homens que, ao serviço de uma potência estrangeira, atacaram as suas terras em Abril de 1961; pessoas que, no momento amargo da rendição, fingiam ser cozinheiros e sacristas para tentarem esconder o seu papel de apóstatas disfarçados de soldados.

A sementeira intencional de ódio a que um grupo de políticos da máfia anti-cubana se tem dedicado contrasta com a posição demonstrada pelas cidades, organizações e políticos americanos que procuram uma aproximação entre as duas nações. Recentemente, líderes democratas e republicanos no Sul da Florida exortaram o Presidente Joe Biden a retomar o envio de remessas para Cuba.

Numa carta enviada à Casa Branca, os signatários, incluindo o Presidente da Câmara de Coral Gables Raul Valdes-Fauli, dizem que a questão requer “atenção urgente independentemente das tendências políticas” devido aos danos que causa ao povo cubano.

A soma das indignidades e dos ares de ódio soprados de Washington e Miami não pode extinguir a vontade da maioria dos cubanos e milhões de americanos que desejam uma melhoria nas relações entre Cuba e os EUA.

Categories: # yo voto vs bloqueo, #Estados UnidosDerecho InternacionalFulgencio BatistaLey Helms BurtonPrimera Ley de Reforma Agraria, #OEA, #OEA,Luis Almagro, #solidaridadvs bloqueo, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, AmericaLatina, bloqueio econômico, BLOQUEIO VS CUBA, bloqueo contra cuba, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Colombia, Cuba, Economía, Ernesto Samper, Estados Unidos, Ministerio de Turismo (MINTUR), Relaciones Cuba Estados Unidos, Turismo, Bloqueo,Cuba,EstadosUnidos,Internet,Trask Force, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), CubavsBloqueo, Derechos Humanos, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, La Unión Europea se posiciona contra el bloqueo, Manipulação Política, Organização dos Estados Americanos (OEA), Venezuela, mentiras construídas em Washington contra Cuba, Organizacion e Estados Americanos (OEA), Trump procura reforçar o bloqueio, Washington | Deixe um comentário

A OEA é contra os interesses da Nossa América.

Autor: Granma | internet@granma.cu

Rejeitamos as tentativas de interferir nos assuntos internos da Bolívia e as preocupações hipócritas sobre os direitos humanos, que não estavam presentes quando os apoiantes do MAS foram reprimidos e assediados. Mais uma vez monroista, o Secretariado da OEA é contra os interesses da Nossa América”, disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros cubano Bruno Rodríguez Parrilla no Twitter, referindo-se às declarações de interferência do Secretário-Geral da Organização dos Estados Americanos, Luis Almagro.

Várias organizações, governos e a Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América – Tratado Comercial do Povo (ALBA-TCP) rejeitaram as tentativas de desacreditar todo o processo de justiça que leva a cabo a nação sul-americana contra os autores do golpe contra o ex-presidente Evo Morales.

A ALBA-TCP, numa declaração, alertou a comunidade internacional que as acções de Almagro constituem uma “violação muito grave dos princípios e objectivos da Carta das Nações Unidas, e apenas promovem o confronto e a desestabilização dos processos democráticos”.

Almagro se presenta a la reelección como secretario general de la OEA | El  Mundo | DW | 06.12.2018

O texto do organismo regional denuncia a participação da OEA no golpe de Estado na Bolívia em 2019, que se caracterizou pela repressão e a promoção do racismo, bem como a intolerância contra os movimentos sociais e os povos indígenas.

Sobre o interrogatório da detenção do ex-presidente de facto, Jeanine Áñez, e de antigos membros do seu Gabinete, acusados de sedição, terrorismo e conspiração, o porta-voz presidencial da Bolívia, Jorge Richter, afirmou que a investigação e esclarecimento dos acontecimentos violentos ocorridos em 2019 são uma dívida do Estado para com as vítimas.

Além disso, sublinhou que o conceito de “perseguição política”, repetido pelos sectores da oposição, procura manter a impunidade sobre estes massacres e deixar em aberto a possibilidade de um novo golpe de Estado.

Por outro lado, num comunicado de imprensa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros boliviano anunciou que tinha convocado Charisse Phillips dos EUA e o Embaixador brasileiro Octavio Henrique Días García Côrtes para lhes pedir que não interviessem nos assuntos internos do Estado Plurinacional, como estipulado, no caso dos Estados Unidos, no Acordo-Quadro sobre Relações Bilaterais de Respeito Mútuo e Colaboração entre os dois governos.

Categories: # OEA, #ALBA, #America Latina, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Estados Unidos, #OEA,Luis Almagro, A guerra dos Estados Unidos, A obsessão dos Estados Unidos, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, ALBA-TCP | Deixe um comentário

A #Bolívia rejeita as acusações da #OEA e acusa #LuisAlmagro de polarizar o país com “mentiras”.

Categories: #Brasil, Corrupción, #Jair Bolsonaro, #Estados Unidos, #Luis Almagro, #OEA, #OEA,Luis Almagro, Almagro e a cloaca do império, bolivia, Brasil, Injerencia De EEUU, Manipulação Política, Organização dos Estados Americanos (OEA), Venezuela, Proclamada Jeanine Áñez, Secretário Geral, Luis Almagro | Deixe um comentário

#JeanineÁñez escondeu-se debaixo da sua cama para ficar fora da prisão: Porque é que ela está a ser presa?

Categories: # OEA, #OEA,Luis Almagro, bolivia, Carta Democrática da OEA, Proclamada Jeanine Áñez | Deixe um comentário

Falsas etapas de uma aliança contra a Venezuela.

Autor: Elson Concepción Pérez | internet@granma.cu

Con un amargo sabor injerencista y una política fracasada y cruel, Estados Unidos, la Unión Europea, el llamado Grupo de Lima y la desprestigiada OEA, continúan asumiendo posiciones contrarias al diálogo político auspiciado por el Gobierno venezolano y sectores opositores, apoyado por la mayoría de a população.

Os últimos passos, longe de contribuir para a paz, a reconciliação e o respeito a um país soberano, fogem de todas as normas internacionais.

Um exemplo da continuidade dessa política de intromissão nos assuntos internos de um Estado foi a mais recente decisão do novo governo de Washington de prorrogar por um ano a emergência nacional declarada pelos Estados Unidos, o que qualifica o país sul-americano como perigoso .

La mayoría de la población apoya el diálogo político auspiciado por el Gobierno venezolano.

O argumento não poderia ser menos crível: «A situação na Venezuela continua a representar uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos, para a qual determinei que é necessário continuar com a emergência nacional declarada em o Decreto Executivo 13692 a respeito da situação na Venezuela “, disse o presidente em nota divulgada pela Casa Branca.

Outro exemplo do prolongamento do uso de uma política de oposição à soberania venezuelana está contido no diálogo telefônico mantido entre o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, e o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, cujo compromisso transcendeu os eua uu com a “promoção de uma transição democrática e pacífica” naquela nação, ignorando que há um governo e um presidente democraticamente eleito pela maioria do povo e reconhecido por grande parte da comunidade internacional.

Para realizar esse propósito, a Casa Branca publicou um documento no qual fala em “trabalhar com aliados com ideias semelhantes, incluindo a União Europeia, o Grupo de Lima e a OEA”.

É inédito que estas posições sejam tomadas em abertamente contra as regras internacionais de respeito mútuo, uma vez que nem Washington nem a UE mostram qualquer interesse no processo de diálogo que está a decorrer em Caracas. Ao contrário, as receitas continuam sendo as sanções econômicas em meio a uma pandemia sufocante e a intensificação da perseguição econômica e financeira, que inclui o confisco de milhões de dólares de dinheiro venezuelano em bancos americanos e europeus.

O oportuno, claro, seria o que hoje é o mais improvável, que a administração dos Estados Unidos e alguns governos da União Europeia coincidam em favorecer, politicamente, a realização de um diálogo governo-oposição e, economicamente, retirar as sanções arbitrárias e devolver a Caracas os recursos hipotecados que pertencem ao povo bolivariano.

Categories: # Argentina, #Canadá, #Caracas, #Colombia, Grupo de Lima, #Jorge Arreaza, #Perú, #venezuela, # OEA, # Venezuela, #América Latina, #Nicarágua, #Bolívia, #Venezuela, #Cuba, #Caracas, Golpe de Estado, Militar,#Nicolás Maduro Moros, #Venezuela, #Colombia, Ejército de Liberación Nacional (ELN), Guerrilla, Paz, #Venezuela, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Estados Unidos, #Estados UnidosGrupo de LimaPalacio de Miraflores, #EUA contra uma possível intervenção militar na# Venezuela, #OEA,Luis Almagro, #Venezuela, A obsessão dos Estados Unidos, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Dança de máscaras na OEA, Estados Unidos, Golpe de Estado, Injerencia, Lima, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, Grupo de Lima, Injerencia De EEUU, Manipulação Política, Organização dos Estados Americanos (OEA), Venezuela, UNION EUROPEA | Deixe um comentário

O que está acontecendo no Haiti?

Categories: #Estados Unidos, #OEA, #OEA,Luis Almagro, Carta Democrática da OEA, Dança de máscaras na OEA, HAITI, Injerencia De EEUU, Organizacion e Estados Americanos (OEA), Presidente Haiti, Secretário-Geral da OEA, | Deixe um comentário

2 anos após a tentativa de invasão com falsa #AjudaHumanitária na #Venezuela.

Categories: # Venezuela, #Almagro, #COLOMBIA#MéxicoCarlos MesaComandante Che GuevaraCompañía Minera Huanchaca, #Colombia, Ejército de Liberación Nacional (ELN), Guerrilla, Paz, #Venezuela, #Luis Almagro, #Nicolás Maduro, #Nicolás Maduro Moros, #OEA,Luis Almagro, Almagro e a cloaca do império, Andrés Manuel López Obrador, Bolivia, estados unidos, Evo Morales, Grupo de Lima, Luis Almagro, Mexico, Nicolás Maduro, Red Europea de Solidaridad con la Revolución Bolivariana, venezuela, Derechos Humanos, Gobierno de Ivan Duque ., Guaidó nomeia "embaixadores" ilegais, Guaidó, um "presidente" sem território, Luis Almagro "está agindo ilegalmente contra a Nicarágua", Secretário Geral, Luis Almagro, venezuela, Venezuela tras la autoproclamación de Guaidó | Deixe um comentário

Por que os EUA estão preocupados com a recente lei aprovada na Nicarágua?

Autor: Elson Concepción Pérez | internet@granma.cu

Poucos dias depois de o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, pisar na poeira e deixar a Casa Branca para trás de Donald Trump, ele ousou exigir que o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, “mudasse de rumo” em seu país, e afirmou que “Washington não tolerará ameaças à democracia na Nicarágua.”

Esse homem parece esquecer os anos em que a Frente Sandinista e o Comandante Ortega lutaram com armas, até derrotar a ditadura de Anastasio Somoza, e depois, a dura batalha para fazer daquela nação centro-americana um exemplo de independência, com planos sociais que Eles promoveram não apenas o desenvolvimento econômico, mas levaram o país a excelentes taxas de saúde, educação e emprego.

Coronavirus: dónde está Daniel Ortega, el líder de Nicaragua que no aparece  en público - LA NACION

Pompeo poderia dedicar suas “preocupações” a encontrar uma solução para o sistema que representa, doente com metástases e com programa de saúde em coma.

Outros atores americanos atacaram a Nicarágua, como o congressista Albio Sires, que pediu uma “resposta internacional unificada” contra o governo nicaraguense.

Poucos dias antes das ameaças de Pompeo e do pedido do deputado Senhores, o Secretário-Geral da OEA, Luis Almagro, inspirou a campanha de denúncias contra a nação sandinista, chegando a exigir que o Presidente Ortega revogasse a lei recentemente aprovada democraticamente naquele país, com o título de Lei de Defesa dos Direitos dos Povos à Independência, Soberania e Autodeterminação para a Paz.

Especificamente, trata-se de exigir que a Nicarágua renuncie à sua soberania e permita que grupos pagos pelos Estados Unidos e apoiados pela OEA assumam o poder na nação sandinista.

Após o primeiro pronunciamento de Almagro, o embaixador do governo Trump junto à OEA, Carlos Trujillo, “deu todo o apoio de seu governo” à demanda contra Manágua.

A lei que “irritou” Pompeo, Almagro e outros personagens da mesma categoria, foi aprovada pela maioria dos membros da Assembleia Nacional daquele país, e se pronuncia para desqualificar aqueles que “ferem os interesses de supremo da nação, contemplado no ordenamento jurídico.

Daniel Ortega - Noticias, reportajes, vídeos y fotografías - Libertad  Digital

Segundo a Prensa Latina, a legislação, em seu artigo 1º, determina que “os nicaragüenses que liderarem ou financiarem um golpe de Estado, que alterarem a ordem constitucional, perderão o direito político de serem eleitos”.

Da mesma forma, essas limitações terão aquelas que “promovem ou encorajam atos terroristas, que realizam atos que minam a independência, a soberania e a autodeterminação, que incitam a ingerência estrangeira nos assuntos internos”.

Outros sujeitos aos quais o novo corpo jurídico poderá ser aplicado serão aqueles que “solicitarem intervenções militares, e se organizarem com financiamento de potências estrangeiras para realizar atos de terrorismo e desestabilização”.

Por fim, cita, entre os desqualificados, aqueles que “propõem e administram bloqueios de operações econômicas, comerciais e financeiras contra o país e suas instituições, aqueles que exigem, exaltam e aplaudem a imposição de sanções contra o Estado da Nicarágua e seus cidadãos ».

Luis Almagro, el candidato de Pompeo

Almagro, em seu ego servil ao império, encerrou sua declaração dirigida ao presidente da Nicarágua com uma oferta que caracteriza o próprio coração da instituição e de seu chefe: “a OEA está preparada para aconselhar sobre a realização de eleições livres, justas e transparentes”. .

Almagro parece pensar que na região o plano de golpe que a própria OEA, e ele pessoalmente engendrou, contra o governo de Evo Morales e as massas na Bolívia, que causou mortes e feridos e declínio econômico e social para aquela nação que viveu seus melhores anos.

Categories: "Liberdade", "democracia", "racismo" e "direitos humanos", #China#EEUU#Iran#Nicaragua.barco hospital naval Arca de la Paz, #Daniel Ortega Saavedra, #Nicaragua, #USAID, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Nicaragua, #OEA, #OEA,Luis Almagro, CIA, CIA Mike Pompeo, Comunidad de Estados Latinoamericanos y Caribeños (CELAC), Cuba, Organización de Estados Americanos (OEA), Dança de máscaras na OEA, Donald Trump liderou um golpe de estado na nação bolivariana, Donald Trump, Estados Unidos, Estados Unidos, Golpe de Estado, Injerencia, Lima, Nicolás Maduro Moros, Venezuela, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, expulsou da aliança o Secretário Geral da OEA, FORA TRUMP, Injerencia De EEUU, Luis Almagro, Nicarágua, Organização dos Estados Americanos (OEA), Nicaragua, Organizacion e Estados Americanos (OEA), relações bilaterais, o governo Donald Trump, Secretário-Geral da OEA,, Trump procura reforçar o bloqueio, Um bom filho ... de Trump | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: