ONU

Assassinato do #EmbaixadorItaliano no #Congo investigado.

Retirado do teleSUR .

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (PMA) informou nesta quinta-feira em seu site oficial que três investigações estão em andamento para esclarecer o assassinato do embaixador italiano na República Democrática do Congo, Luca Atanassio, ocorrido na segunda-feira.

“Existem atualmente três investigações em andamento, examinando os eventos em torno do incidente na segunda-feira, 22 de fevereiro, em que o embaixador italiano na República Democrática do Congo, Luca Attanasio, sua escolta de segurança, Vittorio Iacovacci, e o motorista da PMA, Mustapha Milambo, “WFP relata em um comunicado.

Los otros cuatro empleados del PMA que se encontraban en el lugar de la tragedia y que fueron heridos, "están a salvo y continúan recuperándose".

“Apoiamos o apelo ao Governo da República Democrática do Congo para que investigue (…) e leve os perpetradores à justiça”, acrescenta o documento do referido organismo multilateral.

A entidade das Nações Unidas indica que as investigações são conduzidas, respetivamente, pelo Departamento de Segurança e Vigilância das Nações Unidas (UNDSS), pelas autoridades italianas e pela República Democrática do Congo; com os quais o WFP está disposto a colaborar.

Da mesma forma, o PMA agradeceu ao Secretário-Geral da ONU, António Guterres, o seu apoio. Também expressou solidariedade aos familiares, amigos e colegas das vítimas e insistiu na importância de se trabalhar com celeridade, para que os fatos sejam apurados com transparência e integridade.

“A família do PMA continua a chorar por todos os perdidos neste incidente, incluindo nosso amigo e colega Mustapha Milambo, que foi enterrado na cidade congolesa de Goma na terça-feira, 23 de fevereiro”, lamenta a nota oficial.

O texto especifica que os outros quatro funcionários do WFP que estiveram no local da tragédia e que foram feridos, “estão seguros e continuam a se recuperar em Goma”, conclui o relatório.

Categories: #ONU, MISION DIPLOMATICA, ONU, PENSAMIENTO DIPLOMATICO, Secretaria-Geral da ONU, Stéphane Dujarric | Deixe um comentário

O bloqueio é um crime contra a humanidade.

Por: Fernando Buen Abad Elaborando Razones de Cuba.

Segundo a ONU, crimes contra a humanidade são aqueles que constituem ataques generalizados ou sistemáticos à população civil. “Crimes contra a humanidade” são extermínios, escravidão, deportação ou expulsão forçada, privação da liberdade física e intelectual que viola o direito internacional. “Crimes contra a humanidade” são tortura, estupro, prostituição e violência sexual, a perseguição de um grupo (incluindo seu “linchamento na mídia”) por razões políticas, raciais, nacionais, étnicas, culturais, religiosas ou de gênero; o desaparecimento forçado de pessoas, o apartheid e outros atos que ameaçam a integridade de indivíduos e grupos sociais. Por exemplo, o bloqueio, embora o chamem de “embargo”.

Antes que os “puristas” das classificações jurídicas levantem esperanças de provar a eloqüência escolástica, saiba que elas não acontecerão aqui. Qualquer coisa que ameace a vida, a liberdade, os direitos e a dignidade das pessoas é um Crime Contra a Humanidade … e os Bloqueios são uma das guerras mais traiçoeiras, ilegais e ilegítimas do capitalismo, mesmo que contratem ou inventem ideólogos, tratados internacionais e leis para camuflar-se.

Amplio rechazo en ONU al bloqueo contra Cuba • Trabajadores

Mas lutar contra o bloqueio não é apenas uma questão “legal”, as dezenas de repúdio internacional na ONU e as proclamações raivosas das vozes mais indignadas têm sido de pouca utilidade. A batalha contra o Bloqueio é uma luta política implacável que não para às portas das burocracias e que envolve uma batalha tenaz e radical contra o capitalismo, seu modo de produção e suas relações de produção. Sem dúvida, o capitalismo, em seu desenvolvimento, após a Segunda Guerra Mundial, produziu horrores iguais ou piores contra a espécie humana. Produziu todos os tipos de usurpações, invasões e roubos. Todos os tipos de engano, manipulação e humilhação. Destruição do planeta, países e culturas. Vulgaridade, individualismo e racismo. Miséria, pobreza e desamparo. Sequestros, usurpações e bloqueios. Impossível inventar tantos horrores! As consequências pioram e se comportam como uma pandemia.

Não há futuro para a humanidade sob tal sistema. E para punir quem se recusa a aplaudir seus horrores, o império impõe sanções, “embargos” e bloqueios. Todos juntos ou separadamente, eles não são os mesmos. São formas de uma guerra implacável contra os povos e contra a humanidade. Por exemplo, o Bloqueio contra Cuba é o mais antigo conhecido na história moderna. Embora tenha sido condenado inúmeras vezes, nada acontece; O mesmo está acontecendo contra a Venezuela e contra quem tenta desenvolver laços de qualquer tipo com os dois países.

Alguns lamentam apenas o “dano econômico” causado pelo Bloqueio, mas é insuficiente para compreender e denunciar os danos nos campos da saúde, educação, habitação, trabalho e cultura. O Bloqueio faz parte da Guerra Psicológica imperial contra todas as rebeliões. Não esqueçamos a obrigação ética que todos temos de denunciar o ataque sistemático ao estado de espírito dos povos sujeitos ao bloqueio. A urgência de uma nova proclamação planetária dos Direitos Humanos é mais clara do que nunca, desta vez apagando todos os vestígios do individualismo (do único lamento pelos direitos individuais) para ascender a uma prática humanística que aprenda a não reduzir Direitos e, em troca, Aprenda a expandir , e aprofundar, todas as suas noções para o seu caráter social necessário.

É hora de nos capacitarmos com um novo programa humanista mundial, de caráter vinculante, em todos os órgãos constitucionais e em todas as hierarquias éticas com as quais uma verdadeira justiça social deve ser armada que nos salvará das formas implacáveis ​​de desigualdade, desamparo e marginalização que prevalecem.

Precisamos de uma Declaração dos Direitos Humanos de um tipo novo que condene o Bloqueio, desta vez democrático, firmado por organizações de trabalhadores, aceito pelos movimentos sociais na luta contra a separação da humanidade em classes sociais. Um novo sistema humanista, com capítulos subordinados a uma concepção dinâmica e integral, capaz de se aperfeiçoar com sua prática objetiva e com a organização democrática permanente de observadores, supervisores e controladores organizados em comitês éticos para o desenvolvimento dos Direitos e Responsabilidades coletivas. Rompendo com toda a “ladainha da falsa democracia” para democratizar verdadeiramente a Declaração Universal dos Direitos Humanos, renová-la do consenso. É uma etapa necessária no curto prazo. Rompendo com a ideia de que tal Declaração deve ser mantida enjaulada na verborragia diplomática, para ascender a uma que se torna “carne das lutas humanistas de base socialista”. Uma Declaração dos Direitos Humanos que é sinônimo de força prática sustentada pelo pensamento crítico. Precisamos de uma Declaração dos Direitos Humanos revolucionária, que inclua o debate e o escrutínio dos povos contra seus opressores.

Até hoje “os direitos humanos – escreve Marx – são os direitos dos membros da sociedade burguesa, isto é, dos indivíduos egoístas, separados de si próprios e da comunidade” … mas os direitos do cidadão são “direitos que só podem ser exercidos na comunidade. Seu conteúdo é a participação na comunidade e, especificamente, na comunidade política do Estado ”. Nenhum dos direitos humanos transcende os indivíduos recolhidos em si mesmos. Precisamos de uma Declaração dos Direitos Humanos que seja um instrumento de crítica diária, próxima e em ação, cujas proclamações lutem no sentido fundamental do respeito inalienável pelo trabalho: “todos os membros da sociedade têm o mesmo direito de perceber o fruto pleno do trabalho” ou a uma “distribuição eqüitativa do fruto do trabalho”.

Precisamos de um acordo internacionalista, desde as bases, para reencontrar os Direitos Humanos de forma essencialmente crítica contra o caráter extremamente limitado e desumano da lógica do capital. Lutar contra o Bloqueio (contra todas as formas de bloqueio) que constitui um crime flagrante e sistemático. Humanismo que é mais do que um compêndio de “boas intenções” filantrópicas; que seja mais uma forma de ascender à prática emancipatória. Como pensava Marx, à luz da História, inseparável do conteúdo inspirado pelas forças sociais em suas lutas emancipatórias. O humanismo do “novo gênero” como ação desejável, possível e realizável para as forças que se apóiam na democracia participativa e revolucionária. O humanismo, hoje mais necessário do que nunca, para não sucumbir à mais feroz opressão ideológica implícita na subtração da mais-valia. Humanismo que não pára por nada, que defende a natureza, que protege o patrimônio cultural, que combate os negócios das guerras, os bancos de abutres e as máquinas dos “meios de comunicação” de guerra ideológica. Não vamos engolir mais decepções, o Bloqueio é um Crime contra a Humanidade. E deve ser interrompido, punido e forçado a reparar os danos, globalmente.

(Retirado de CubaPeriodistas)

Categories: # Cuba, # yo voto vs bloqueo, #solidaridadvs bloqueo, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, bloqueo contra cuba, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Colombia, Cuba, Economía, Ernesto Samper, Estados Unidos, Ministerio de Turismo (MINTUR), Relaciones Cuba Estados Unidos, Turismo, CubavsBloqueo, ESTADOS UNIDOS, Estados Unidos contra Cuba, ONU, ONU-CUBA | Deixe um comentário

Luca Attanasio: o embaixador italiano na República Democrática do Congo morre em um ataque violento .

Uma viagem por uma das áreas mais perigosas da África para visitar um projeto escolar em uma aldeia custou a vida do embaixador italiano na República Democrática do Congo, Luca Attanasio, na segunda-feira.

“Hoje a Itália chora a perda de dois de seus filhos e abraça suas famílias”, diz o comunicado no qual o chanceler italiano, Luigi Di Maio, também expressa seu “grande choque e imensa dor” pelos “brutais” assassinatos.

Luca Attanasio

“Nenhum esforço será medido para esclarecer o ocorrido”, acrescentou Di Maio.

Também foram mortos no ataque um policial militar italiano, Vittorio Iacovacci, 30, e um motorista congolês cujo nome não foi divulgado imediatamente.

Attanasio, 43, morreu no hospital depois que o comboio do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA), no qual ele viajava, foi atacado perto de Goma, segundo nota do Ministério das Relações Exteriores da Itália.

Luca Attanasi

O primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, emitiu uma declaração expressando suas “mais profundas condolências”, enquanto o presidente Sergio Mattarella condenou o “ataque covarde”.

Tentativa de sequestro?
Acredita-se que o ataque tenha sido uma tentativa de sequestro, segundo autoridades do Parque Nacional de Virunga, localizado próximo ao local do ataque.

As forças de segurança foram posicionadas na área onde ocorreu o ataque.

O incidente ocorreu por volta das 10h15 no horário local (08h15 GMT) perto da cidade de Kanyamahoro, ao norte de Goma, disseram autoridades à Reuters.

Não está claro quem estava por trás do ataque, mas muitos grupos armados operam dentro e ao redor do parque.

Attanasio estava viajando de Goma para visitar um “programa escolar” na vila de Rutshuru, no leste da República Democrática do Congo, disse o PMA em Roma em um comunicado.

Las fuerzas de seguridad fueron desplegadas en la zona donde se produjo el ataque.

“O ataque … ocorreu em uma estrada que já havia sido liberada para viajar sem escoltas de segurança”, acrescentou.

Desde então, o Exército da RDC enviou tropas para ajudar nas buscas na área.

Diferentes milícias armadas também se enfrentam regularmente no leste do país, onde uma grande força da ONU está lutando para manter a paz.

O Parque Nacional de Virunga é considerado um dos lugares mais perigosos da África.

Attanasio representava a Itália na República Democrática do Congo desde 2017. Entrou para o serviço diplomático em 2003 e passou alguns períodos no Marrocos e na Nigéria.

Perguntas sobre uma aparente falha de segurança
Análise de Emery Makumeno, BBC News, Kinshasa

Attanasio é o primeiro embaixador a ser assassinado no país desde que o francês Philippe Bernard foi morto a tiros durante tumultos na capital, Kinshasa, em 1997.

Normalmente, os comboios de ajuda que viajam pelo leste da RDC são fortemente guardados por tropas da ONU e é provável que surjam dúvidas sobre o nível de segurança do comboio de Attanasio.

Un general de la RD Congo habla con un efectivo de la ONU.

O diplomata viajava para o leste, a parte mais instável da República Democrática do Congo. Muitos grupos armados locais, bem como os de Ruanda, Burundi, República Centro-Africana (CAR) e Uganda, se estabeleceram na região nos últimos 25 anos.

O ataque destaca o fato de que a estabilidade na região só voltará se for encontrada uma solução para os problemas políticos em todos esses países.

Linha cinza de apresentação
A República Democrática do Congo esteve durante muitos anos no centro de uma guerra civil brutal que afetou vários países vizinhos.

O conflito matou cerca de 5 milhões de pessoas entre 1994 e 2003, e alguns observadores a chamaram de a Grande Guerra na África.

Mas seu fim não serviu para acabar com a violência. Dezenas de milícias e grupos rebeldes continuam operando nas áreas orientais.

A missão de paz da ONU está na República Democrática do Congo desde 1999. É uma das maiores operações de paz do mundo, com mais de 17.000 pessoas no terreno.

Categories: #ONU, Africa, africa do sul, Congo Democrático, MINREX, MISION DIPLOMATICA, ONU, República Democrática do Congo | Deixe um comentário

COVID-19 no mundo: Venezuela criará um fundo com a OMS e OPAS para comprar vacinas.

Retirado do CUBADEBATE .

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que seu país busca “um acordo prático e efetivo” com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), para a criação de um fundo de 300 milhões de dólares. compra de vacinas contra COVID-19.

El mandatario destacó que su gobierno sostiene un "buen nivel de programación y coordinación" con el sistema de Naciones Unidas. Foto: Reuters.
Maduro destacou que seu governo mantém "um bom nível de programação e coordenação" com o sistema das Nações Unidas. “Estamos trabalhando com o plano alimentar mundial para fazer avançar novos programas. Também com a UNESCO no fortalecimento de nosso sistema educacional, cultural e patrimonial na Venezuela”, disse ele.

Segundo Maduro, o Executivo também mantém contactos permanentes com o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, para tratar de questões nacionais e regionais. A esse respeito, afirmou: “Sabemos que as conexões com os diversos escritórios das Nações Unidas podem às vezes ser tensas devido à situação com a Venezuela, mas sempre buscamos o caminho da verdade e do diálogo”.

Na mesma linha, ele fez alusão ao encontro que teve anteriormente com a Relatora Especial para os Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), Alena Douha, para avaliar o impacto das sanções americanas sobre a população.

“Tivemos uma reunião de quase uma hora e meia com o Relator Especial sobre o tema das medidas coercivas unilaterais contra a Venezuela. Uma hora e meia de trabalho. Isso é precisamente parte do bom estado das relações entre o governo da Venezuela e todo o Sistema das Nações Unidas. Devemos continuar com essas tarefas ”, enfatizou Maduro.

(Com informações da Rússia hoje)

Categories: # Venezuela, #salud, Coronavirus, CoronaVirus, Política, Golpe de Estado #John Bolton #Nicolas Maduro Dialogo de Paz, nicolas maduro, OMS, ONU, ONU continuará trabalhando com a Venezuela, OPS, Organiacion Panamericana de la Salud, Organizacion Mundial de la Salud (OMS), Profesionales e la Salud | Deixe um comentário

Eles pedem apoio no #Panamá contra o #bloqueio norte-americano a #Cuba.

Panamá, 10 de fevereiro Prensa Latina

Uma organização social panamenha entregou uma carta à chanceler ístmica, Erika Mouynes, solicitando seu pronunciamento sobre a eliminação do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba, que continua em vigor até hoje.

A Frente Nacional de Defesa dos Direitos Econômicos e Sociais (Frenadeso) também solicitou sua ajuda para a supressão da nação caribenha da lista em que o governo dos Estados Unidos inclui os países listados como patrocinadores do terrorismo.

A carta, entregue ontem na sede do Itamaraty, repudiava as ações das autoridades do poder nortista que afetam ‘um povo heróico’ e pedia um pronunciamento de condenação da ministra e da instituição que dirige, que deve assumir um papel soberano neste assunto, afirmou.

Na Assembleia Geral das Nações Unidas, os governos panamenhos de 1994 até hoje se manifestaram a favor do levantamento do bloqueio comercial, financeiro e econômico contra Cuba e, inclusive, a partir de 1997, responderam às notas do Secretário-Geral da ONU ao respeito.

Somente em 1992 e 1993 o istmo se absteve sob o governo de Guillermo Endara, que assumiu o cargo em uma base dos Estados Unidos poucos dias após a invasão do Exército dos Estados Unidos no Panamá em dezembro de 1989.

Diversas organizações sociais e personalidades solidárias com o povo cubano se manifestaram em janeiro passado contra a inclusão de Cuba como Estado terrorista pela ‘administração moribunda’ de Donald Trump.

“Como patriotas panamenhos que sofreram múltiplas intervenções militares e a interferência permanente dos governos dos Estados Unidos nos assuntos internos de nosso país, temos o dever de rejeitar vigorosamente esta declaração”, disse na época um comunicado da Frente Ampla pela Democracia .

Além disso, a Associação Martiana de Moradores de Cuba no Panamá condenou o que qualificou de “manobra suja dos Estados Unidos”, ao incluir Cuba em sua lista de patrocinadores do terrorismo, como as últimas ações do governo cessante desse país.

“O argumento é falso, o verdadeiro fim, é a asfixia econômica de todo um povo”, disse o grupo em uma mensagem onde alertou que “não é apenas mais um golpe, isso tem consequências na ordem econômica e tem motivação ideológica. “

Em novembro passado, profissionais panamenhos formados na ilha caribenha também se manifestaram pelo desaparecimento total do bloqueio norte-americano, cujas consequências também sofreram quando estudaram em universidades cubanas e puderam avaliar os prejuízos que isso acarreta às famílias de aquela nação.

Categories: # Cuba, # yo voto vs bloqueo, #solidaridadvs bloqueo, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, bloqueo, bloqueo contra cuba, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Casa Blanca, Cuba, Estados Unidos, La Florida, Miami, Relaciones Cuba Estados Unidos, Bloqueo, Bloqueo contra Cuba, Colombia, Cuba, Economía, Ernesto Samper, Estados Unidos, Ministerio de Turismo (MINTUR), Relaciones Cuba Estados Unidos, Turismo, Bloqueo,Cuba,EstadosUnidos,Internet,Trask Force, CubavsBloqueo, ONU, ONU-CUBA, panamá, política dos Estados Unidos em relação a Cuba, Relações Estados Unidos Cuba | Deixe um comentário

“Negativo e indiferente à dor”: Bolsonaro é denunciado perante a ONU e a OMS por ter lidado com a pandemia.

Jair Bolsonaro e seu governo foram recentemente denunciados por entidades religiosas e indígenas perante os escritórios de Direitos Humanos da ONU e da Organização Mundial da Saúde (OMS) por uma possível má gestão da pandemia do coronavírus no Brasil, terceiro país com maior número de infecções.

O texto foi assinado pela Conferência Nacional dos Bispos, o Conselho Nacional das Igrejas Cristãs, o Conselho Indígena Missionário, o Grupo Franciscano Internacional e a Fundação Luterana Diaconia. A intenção dessas organizações era pedir aos organismos multilaterais algum tipo de pressão para que o Executivo revisse suas políticas de saúde.

"Negacionista e indiferente al dolor": Bolsonaro es denunciado ante la ONU y la OMS por su manejo de la pandemia

“De cada dez pessoas mortas no mundo pelo covid-19, uma delas é do Brasil”, destacaram na carta. Eles também alertaram sobre um aparente “comportamento político, econômico e social contraditório, negação e indiferença à dor, que vem ampliando profundas desigualdades”.

A esse respeito, ressaltaram que as pessoas mais afetadas por esta posição governamental são os indígenas e afrodescendentes, “fortalecendo o racismo estrutural”. Chegam a considerar que o agravamento da emergência se deve a cortes orçamentários anteriores: “A Lei de Teto de Gastos, por exemplo, atrapalha o investimento público e contribui para o aumento das desigualdades com a privatização de serviços essenciais”.
Pedido de maior transparência

Entre as perguntas a Bolsonaro e seu governo, a carta destaca “a indiferença dos poderes públicos federal, estadual e municipal aos acontecimentos atuais”. Com esse tom, esse grupo de críticos clama por “uma investigação para apurar possíveis responsabilidades”.

Uma das questões mais importantes incidiu sobre a alegada falta de “transparência nas informações e confiança nas decisões dos representantes políticos em relação à contenção do covid-19”.

Paralelamente, apoiaram “os mais de 60 pedidos de destituição do presidente, nomeadamente por crimes de responsabilidade no que diz respeito à política de saúde em tempos de pandemia”.

Por fim, destacaram que hoje no Brasil “as notícias falsas são amplamente utilizadas com o objetivo de reduzir a adesão popular às recomendações de saúde baseadas em evidências científicas e promover o ativismo político contra as medidas de saúde pública necessárias para conter o avanço da covid-19”.
Momento critico

HOY / Bolsonaro dice que desea asistir a la "nueva investidura" de Donald  Trump

Atualmente, a situação mais alarmante do ‘gigante sul-americano’ está no estado do Amazonas. Muitos hospitais estão saturados e há escassez de suprimentos básicos, como respiradores e tubos de oxigênio. Enquanto isso, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, está sendo investigado pelo Supremo Tribunal Federal por suspeita de não ter respondido a tempo à falta de oxigênio naquela jurisdição, após a morte de 50 pessoas em meio ao desabamento do hospital.

Sobre isso, Bolsonaro disse: “Não é nossa competência e não somos responsáveis ​​por trazer oxigênio para lá, demos a ele os meios.” Ele também disse que seu ministro fez um “trabalho excepcional”.

Dados oficiais do governo refletem que em nível nacional, um total de 9,2 milhões de infecções confirmadas e mais de 224.000 mortes já foram registradas. Por sua vez, pelo quinto dia consecutivo, o Brasil teve mais de mil mortes por dia. Durante a crise da saúde, a política oficial era priorizar o funcionamento da economia e a quarentena obrigatória nunca foi decretada em nível federal.

Categories: #Bolsonaro, #Brasil, #Brasil se alinha aos #EUA, #Brasil, Corrupción, #Jair Bolsonaro, #Jair Bolsonaro, #ONU, #salud, Assembléia Geral da ONU, Colômbia, Organização das Nações Unidas (ON, Coronavirus, CoronaVirus, Política, CORRUPÇÃO, governo idiota no Brasil", OMS, ONU, Organizacion Mundial de la Salud (OMS), Profesionales e la Salud, Secretaria-Geral da ONU, Stéphane Dujarric | Deixe um comentário

Secretário-geral da ONU critica a inclusão de Cuba na lista dos patrocinadores do terrorismo .

Autor: Granma | internet@granma.cu

O secretário-geral da ONU, António Guterres, espera que o novo governo dos Estados Unidos considere rescindir a inclusão de Cuba na lista unilateral de Washington de países que promovem o terrorismo, informou o Cubaminrex.

RCA : le secrétaire général de l'ONU Antonio Guterres condamne ...

Segundo o porta-voz do chefe da ONU, Stéphane Dujarric, Guterres expressou ao representante permanente de Cuba perante a organização internacional, Pedro Luis Pedroso, seu desacordo com a inclusão da ilha nessa relação. No início desta semana, em 26 de janeiro, o Secretário-Geral e o Embaixador cubano tiveram uma reunião em que trataram do assunto.

O Representante Permanente de Cuba junto à ONU assinalou, em diversas ocasiões, que nossa nação rejeita as ações terroristas em qualquer de suas formas e manifestações, em particular o terrorismo de Estado, como um dos princípios de política externa consagrados na Constituição.

Categories: # yo voto vs bloqueo, #América Latina, #Nicarágua, #Bolívia, #Venezuela, #Cuba, #Cuba, #Cuba #CIA, #CubaCoopera, #Donald Trump, #Estados Unidos, #Estados Unidos, #ONU, #solidaridadvs bloqueo, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, CubavsBloqueo, Estados Unidos, líderes de la derecha, manipular la información, NED(Fundación Nacional para la Democracia), Nica Act 2017, Nicaragua, Sin categoría, Terrorismo, USAID, EUA avalia retornar a Cuba para lista de estados patrocinadores do terrorismo, MINREX, ONU, ONU-CUBA, Secretaria-Geral da ONU, Stéphane Dujarric, Terrorismo, TERRORISMO VS CUBA, Trump procura reforçar o bloqueio, Um bom filho ... de Trump | Deixe um comentário

A ONU reconhece a contribuição de Cuba para a organização em 2021.

Por Redacción Razones de Cuba

A Organização das Nações Unidas (ONU) incluiu Cuba em seu quadro de honra pelo pagamento integral de sua cota ao orçamento ordinário do organismo internacional, correspondente ao ano de 2021.

Contrasta que uma pequena nação em desenvolvimento, bloqueada comercial, econômica e financeiramente pela maior potência mundial, cumpre seus deveres perante as Nações Unidas; enquanto nações poderosas cortam seu orçamento para a organização ou a mantêm sob chantagem financeira, declarou a missão permanente de Havana junto à ONU, citada por Cubaminrex.

Cuba mantém uma política de respeito ao multilateralismo e à representatividade, inclusão e participação dos Estados membros das Nações Unidas em todos os seus fóruns e debates.

Sua contribuição financeira para o organismo mundial constitui uma de suas contribuições para o desenvolvimento e o bom funcionamento das Nações Unidas, organização que celebrou seu 75º aniversário em outubro passado.

A maior das Antilhas tornou-se assim o 19º estado-membro dos 193 membros, ao contribuir para as finanças da ONU.

Retirado de CubaSì

Categories: # yo voto vs bloqueo, #solidaridadvs bloqueo, Acciones contra Cuba, Bloqueo de Estados Unidos contra Cuba, Cuba, MINREX, ONU, ONU-CUBA | Deixe um comentário

ONU anuncia suas 10 prioridades para 2021.

Retirdo do teleSUR .

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, em entrevista coletiva divulgada nesta quinta-feira na sede da multinacional, anunciou as dez prioridades que a ONU está considerando para 2021.

Entre as prioridades, Guterres destacou a produção de vacinas contra a Covid 19, que “são a primeira grande prova moral que temos pela frente. Eles devem ser percebidos como bens públicos globais, disponíveis e acessíveis para toda a população ”.

Entre las prioridades, Guterres destacó acelerar la producción de las vacunas contra la Covid-19.

“Deve ser o ano em que mudamos a velocidade e colocamos o mundo no caminho certo”, disse Antonio Guterres, que destacou a necessidade de responder à pandemia Covid-19, ter uma recuperação econômica e sustentável e “fazer as pazes com a natureza e biodiversidade “.

Outras prioridades indicadas na intervenção foram encontrar os mecanismos para erradicar a pobreza e a desigualdade, alcançar a igualdade de gênero e superar as divisões geopolíticas.

Entre os objetivos também se destacou o de reconstruir o regime de desarmamento e não proliferação nuclear, bem como aproveitar as possibilidades oferecidas pelas tecnologias digitais “sem deixar de nos proteger dos perigos crescentes que o ciberespaço representa”, explicou Guterres.

Imagen

O mais alto representante da ONU também alertou que para isso “parar a pandemia de Covid-19, relançar a economia de forma sustentável e inclusiva e fazer as pazes com a natureza, enfrentando as mudanças climáticas e a destruição da biodiversidade. Tudo sempre desde unidade, solidariedade internacional e multilateralismo ”.

O secretário-geral da ONU também pediu a reversão do “ataque aos direitos humanos”. Para esse fim, ele destacou a necessidade de eliminar a desigualdade racial, “levantar-se contra a ascensão do neonazismo e da supremacia branca e promover e proteger plenamente todos os direitos humanos”.

Categories: "Liberdade", "democracia", "racismo" e "direitos humanos", #salud, Acordo Climatico, Coronavirus, CoronaVirus, Política, Derechos Humanos, forças em favor da paz, ONU, Profesionales e la Salud, Uncategorized | Deixe um comentário

Cuba defende um debate inclusivo e transparente sobre a reforma do Conselho de Segurança da ONU.

O representante permanente de Cuba junto à Organização das Nações Unidas (ONU), Pedro Luis Pedroso, defendeu esta segunda-feira um debate inclusivo, participativo e transparente no âmbito do processo de reforma do Conselho de Segurança da organização internacional.

Cuba aboga por debate inclusivo y transparente en reforma del Consejo de  Seguridad de la ONU
Representante Permanente de Cuba junto à ONU, Pedro Luis Pedroso. Foto: @PedroPedrosoC

Cuba considera que este processo deve abordar todas as questões substantivas relacionadas às cinco questões principais: a categoria dos membros, a questão do veto, a representação regional, o tamanho de um Conselho de Segurança ampliado e seus métodos de trabalho, e a relação entre o Conselho e o Geral Montagem, explicou Pedroso.

O diplomata cubano expressou o apoio de seu país à ampliação do Conselho de Segurança, tanto na categoria de membros permanentes como não permanentes, com o objetivo de sanar a insuficiente representação dos países em desenvolvimento.

Segundo Cubaminrex, Pedroso sublinhou que o processo de reforma deve ser liderado pelos Estados-Membros e todas as posições devem ser tidas em conta em igualdade de condições.

Ele acredita que tal expansão deveria incluir um aumento de novos membros permanentes, pelo menos dois países da África, duas nações em desenvolvimento da Ásia e igual número da América Latina e Caribe.

Categories: # Cuba, #America Latina, #ONU, Africa, América Latina y el Caribe, MINREX, ONU | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: