Supermodelo Bella Hadid acusa Instagram de esconder suas postagens sobre a Palestina

A supermodelo palestina-americana Bella Hadid em Paris, França, em março de 2022. Foto: Legion-Media.

A supermodelo americana de ascendência palestina Bella Hadid acusou o Instagram (rede social pertencente à empresa Meta) de limitar a exposição de sua conta em consequência das histórias que a celebridade tentou publicar sobre a violência que eclodiu na última sexta-feira durante os confrontos entre a polícia israelense e os fiéis palestinos perto da Mesquita Al-Aqsa, em Jerusalém.

“O Instagram me impediu de publicar minhas histórias, quase sempre quando se trata da Palestina, eu acho”, lamentou a modelo. “Quando eu posto sobre a Palestina, sou imediatamente banida, então quase um milhão a menos de vocês veem minhas histórias e postagens”, disse Hadid a seus 51 milhões de seguidores.

O shadowban é uma restrição que a plataforma ativa para que as postagens de alguns usuários não tenham visibilidade total, ou seja, para que suas postagens apareçam menos para os seguidores e as hashtags fiquem indetectáveis, então essas contas apresentam uma notável perda de exposição e tem dificuldade em conseguir novos seguidores.

“Não vai me deixar postar novamente … por 2 horas”, comentou a modelo em uma captura de tela mostrando como ela não conseguiu postar uma de suas histórias recentes.

Hadid também observou que ela não tinha permissão para fazer upload de duas postagens “muito importantes” que ela tentou republicar da conta Eye On Palestine.

(Retirado do RT)

“É você no vídeo?”: é assim que identidades são roubadas nas redes

A mensagem é acompanhada por um link que supostamente leva ao vídeo, mas cujo destino é um site muito parecido com o Facebook através do qual, ao inserir seus dados pessoais, você cede suas informações

Analistas recomendam não abrir o link e removê-lo o quanto antes Foto: NET Magazine

O Clube Jovem de Informática e Eletrônica de Cuba alerta em seu site sobre uma das muitas maneiras de roubar a identidade dos usuários nas redes sociais e as medidas que aqueles que têm contas nessas plataformas devem tomar nesse tipo de situação.

A fórmula em questão é usada principalmente em aplicativos de mensagens como o messenger, onde você pode receber uma mensagem de um velho amigo ou pessoa de confiança que pergunta se é você quem aparece em um vídeo. Assim que puder, você tentará ver se você é de fato o protagonista de um vídeo viral ou ver com quem você pode se confundir. E aí está a pegadinha.

A mensagem, indica o Joven Club, vem acompanhada de um link que supostamente leva ao vídeo, mas cujo destino é um site muito parecido com o Facebook que não pode ser acessado mesmo que você esteja logado no aplicativo ou no computador, por isso pede que você reinsira seu nome de usuário e senha. Tudo parece familiar, então os usuários reinserem seus dados pessoais.

Conforme relatado pelo site Young Computer Club, no momento em que esses dados são inseridos novamente, os hackers salvam essas informações para entrar nas contas dos usuários e buscar informações úteis, além de enganar seus contatos com elas. Essa prática é chamada de phishing e pode variar desde o envio de mensagens em seu nome até a fraude bancária ou chantagem com informações pessoais.

Eles também vêm solicitar essas informações com outras mensagens como: “Por que você foi marcado neste vídeo?”, “Acho que você aparece neste vídeo”, “Ei! Esse vídeo é seu?” ou “Você se viu nesse vídeo?”.

O Joven Club recomenda o seguinte para proteger contas e dados pessoais:

  • Não abra o link e exclua-o imediatamente
  • Altere a senha da sua conta.
  • Informe ao Facebook que você recebeu a mensagem “é você no vídeo?” através da Central de Ajuda.
  • Verifique se seu computador, celular ou tablet não foram danificados ou infectados. Você pode fazer isso com um programa anti-malware

Granma

O #GuerreroCubano . Com a sua verdade em campo aberto.

#CubaNoEsMiami #MafiaCubanoAmericana #MercenariosYDelincuentes #XCubaYo

Núñez lembra a Pou que se trata de uma ditadura, o que não é o caso em Cuba.

#CELAC #Cuba #ManipulacionPolitica #RedesSociales #MafiaCubanoAmericana

Por Redacción Razones de Cuba

Como consequência do que aconteceu na cimeira do CELAC 2021, foi possível escolher as palavras do deputado do Partido Comunista Gerardo Núñez, que a 13 de Julho aconselhou o presidente a “rever a sua própria história”, porque o Herrerismo, uma corrente ideológica pertencente à social-democracia, apoiou o golpe de Estado do Terra nos anos 30, uma revolta popular em 1964 e também fez menção à ditadura de 1973.

É curioso que na cimeira do CELAC, Lacalle Pou parecesse um pouco preocupado com a situação em Cuba. Um discurso que falava de uma alegada falta de democracia e de uma ditadura totalitária na ilha que restringia os direitos do povo cubano.

Contudo, o deputado comunista da Frente Amplio chamou a atenção para o facto de Lacalle Pou pertencer ao Partido Nacional e ser um “herrerista”. O deputado acrescentou que “o terrorismo apoiou o golpe de Estado de (Gabriel) Terra nos anos 30 e apoiou a revolta militar em 1964. Essa revolta foi derrotada pela mobilização da esquerda e pelos sectores Batllista. Além disso, o Herrerismo apoiou e fez parte da ditadura civil-militar a partir de 1973 no nosso país”. “Que o presidente que é membro deste grupo fale de ditaduras, parece-me que deveria primeiro rever a sua própria história”, disse o deputado da Frente Amplio.

Sobre Cuba, disse que “ninguém fala de paraíso” e insistiu: “O Partido Nacional e sobretudo o Herrerismo deveriam pedir desculpa ao nosso povo e ao nosso povo por terem participado numa ditadura. Por ter gerado no nosso país as detenções, torturas e desaparecimentos de muitos camaradas que ainda estamos à procura.

Nuñez acrescentou que “o que o povo de Cuba está a sofrer é um bloqueio criminoso por parte dos Estados Unidos”.

“É ridículo que aqueles que criam o bloqueio e as condições para que o povo cubano não tenha acesso a medicamentos, alimentos e certos fornecimentos tecnológicos, queiram então ser os salvadores desta situação. Se há preocupação por parte do governo uruguaio ou de certos grupos partidários no nosso país acerca da situação em Cuba, que eles exijam e trabalhem para que o fim do bloqueio se torne efectivo”, disse Nuñez.

Perguntado se havia uma ditadura na ilha das Caraíbas, Nuñez respondeu: “Não, de modo algum”.

Interrogado sobre os protestos e a violência que se verificaram nos últimos dias nas redes sociais, o deputado disse que “não é isso que está a acontecer em Cuba”.

“Estou em contacto não só com colegas que partilham a mesma visão social e política que eu, mas também com outras pessoas que se encontram em certos contextos de saúde e cuidados em Cuba, e a verdade é que a situação que está a ser gerada nos meios de comunicação social é muito mais marcante e muito maior do que o que está realmente a acontecer. Penso que há uma dimensão que está deslocada”, disse ele.

Esta Semana em Revista, O Declínio das Carraças .

#MafiaCubanoAmericana #MercenariosYDelincuentes #CubaNoEsMiami #CubaSeRespeta #ArtistasDelImperio

O que é isto, #Yomil? Os #Paparazzi ficam mais enredados no #Panamá.

#CubaNoEsMiami #MafiaCubanoAmericana #MercenariosYDelincuentes #ArtistasDelImperio

Saiba mais sobre os planos contra a #Maçonaria em #Cuba que estão a ser executados a partir de #Miami.

#Cuba #RedesSociales #ManipulacionMediatica #MafiaCubanoAmericana #MercenariosYDelincuentes

Respondendo a dois pássaros com uma cajadada (#Yomil y el #Proteston?🤦♂️)

#ManipulacionMediatica #MafiaCubanoAmericana #MercenariosYDelincuentes #RedesSociales #ArtistasDelImperio

O golfish telescopio e a ultrpaja vão para a guerra. Biden, como está errado ..

#CubaNoEsMiami #ManipulacionMediatica #RedesSociales #MafiaCubanoAmericana #MercenariosYDelincuentes #TenemosMemoria

Assim é como trabalha.

#CubaNoEstaSola #CubaSoberana #ManipulacionMediatica #MafiaCubanoAmericana #CubaNoEsMiami #MiMoncadaEsHoy

%d bloggers like this: