Mais de dez milhões de alfabetizados com o método cubano Sim, posso.

#CubaCoopera #YoSiPuedo #CubaEsSolidaridad #RevolucionCubana #FidelCastro #Australia #Moçambique #Mexico #Haiti #Unesco #AmericaLatina #ONU#Educacion

Autor: Yenia Silva Correa | internet@granma.cu

“Até o momento, 10.611.282 pessoas de 30 países se alfabetizaram. Atualmente, continua em comunidades indígenas na Austrália e em Moçambique. No caso do México e do Haiti, ele está detido devido à pandemia. Foi o que relatou Eva Escalona Serrano, presidente do Comitê Científico de Pedagogia 2021 e diretora de Ciência e Tecnologia do Ministério da Educação, ao referir-se ao método cubano que posso.

Yo si puedo

Sua primeira versão foi feita em 1998, por iniciativa do Comandante em Chefe Fidel Castro Ruz, e até hoje conta com 20 adaptações, com Menções Honrosas do Prêmio Rei Sejong em 2002 e 2003, além do da Organização das Nações Unidas para a Educação ., Ciência e Cultura (Unesco), concedido ao Instituto Pedagógico Latino-Americano e Caribenho de Cuba

Hoje, disse Escalona Serrano, está a trabalhar-se na sua aplicação em dispositivos e redes móveis, e também afirmou que “neste momento colaboramos em 13 países, com 290 profissionais, no assessoramento aos Ministérios da Educação, leccionando nos diferentes níveis de ensino , incluindo, em particular, o Ensino Técnico e Profissional, entre outros ”.

A Unesco reconhece o papel da mulher cubana na ciência.

#Cuba #CienciaCubana #MujerCubana #ACC #ONU #UNESCO #SomosCuba #SomosContinuidad #FidelCastro #RevolucionCubana #IdeasQueSonBanderas

Autor: Orfilio Peláez | orfilio@granma.cu

As mulheres cubanas são decisivas no desenvolvimento econômico e social da nação e têm protagonizado, ano após ano, uma importante contribuição para a ciência cubana, como comprovam os múltiplos prêmios nacionais da Academia Cubana de Ciências (ACC) por elas obtidos. , e sua presença significativa entre os autores de publicações relevantes e patentes de invenção.

Centro de Ingeniería genética y Biotecnología. Producción del Interferón Cubano

Isso foi destacado ao Granma pelo doutor em Ciências Luis Velázquez Pérez, presidente do ACC, ao avaliar o reconhecimento feito ao nosso país pelo Instituto de Estatística da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), em virtude de ter alcançado a paridade científica.

Ele ressaltou que das dez invenções cubanas que receberam a Medalha de Ouro da Organização Mundial da Propriedade Intelectual, seis são os principais autores.

Desde 1999, a partir da Conferência Mundial sobre Ciência para o Século XXI: um novo compromisso, convocado pela UNESCO, Cuba adotou e endossou os acordos da Declaração Final, dentro da qual estava a plena inclusão das mulheres na campos científicos. Até então, as Grandes Antilhas ocupavam um lugar relevante no número de mulheres no setor científico e em cargos de liderança, como resultado das oportunidades geradas pela Revolução Cubana desde 1959, disse a Dra. Velázquez Pérez.

Quanto à composição da Academia Cubana de Ciências, especificou que 34% do quadro atual é formado por mulheres, o que a torna a instituição acadêmica com maior representação feminina no mundo. O mesmo acontece com sua diretoria, já que dos três vice-presidentes, duas são mulheres.

alejandrojp99 (@alejandrojp99) | Twitter

Dados do Ministério da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Citma) mostram que, de um total de 89.214 pessoas dedicadas às atividades de ciência, tecnologia e inovação em âmbito nacional, 53% são mulheres, e dos 7.750 pesquisadores categorizados como Ao final de 2019, 68% eram representados por eles.

O confronto com covid -19 tem muitas dessas mulheres cubanas relevantes na linha de frente, que participam ativamente na introdução de diferentes protocolos terapêuticos, no desenvolvimento de novos projetos de pesquisa e co-lideram os ensaios das quatro vacinas candidatas do país, disse Velázquez Pérez.

A Unesco parabeniza Cuba pelo aniversário de sua Revolução.

#UNESCO #Cuba #62Aniversario #RevolucionCubana #ONU #Africa #Francia

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) felicitou Cuba no sábado por ocasião do feriado nacional do 62º aniversário do triunfo da Revolução em 1º de janeiro.

Cuba es mimebro fundador de la Unesco, desde 1947, y uno de sus más activos defensores como parte del multilateralismo.

A informação veio através de um comunicado da missão permanente de Havana ao organismo multilateral da ONU, em Paris, no qual indica ter recebido uma carta de felicitações ao Governo e ao povo cubano pela data.

De acordo com a missão diplomática, a carta foi enviada pelo vice-diretor-geral de Prioridade África e Relações Exteriores da UNESCO, Firmin Matoko, que destacou os laços que sempre existiram entre as maiores das Antilhas e a organização, bem como agradeceu aos O compromisso de Cuba com os ideais e programas da Unesco e reiterou a vontade de continuar trabalhando juntos.

Matoko também expressou nos parabéns o interesse de que os laços continuem a se fortalecer para benefício mútuo, em áreas como o cumprimento dos objetivos da Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável e a defesa do multilateralismo.

Em nota pública, a missão permanente de Cuba lembrou que a história das relações diplomáticas entre a ilha e a Unesco remonta aos primórdios da criação da entidade, com seu lançamento oficial em 29 de agosto de 1947.

Imagen

Meses depois essa etapa foi complementada com a constituição da Comissão Nacional Cubana para a UNESCO, encarregada de promover a cooperação em todas as áreas de competência da entidade internacional, frisou.

Cuba denuncia obstáculos ao acesso das TIC à UNESCO.

#ElBloqueoEsReal #UNESCO #TIC #AmericaLatina #CubaSalva #EEUUBloquea #ONU #Covid-19 ##BloqueoNoSolidaridadSi

Retirado da Prensa Latina .

Cuba denunciou hoje no Conselho Executivo da Unesco o obstáculo representado pelas medidas coercitivas unilaterais dos Estados Unidos e seu caráter extraterritorial para o acesso às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).

Ao falar na reunião de 210 de um dos três órgãos de governança da entidade multilateral, o representante permanente de Cuba, Yahima Esquivel, destacou que a ilha e outros países membros enfrentam a hostilidade de Washington que os impede de acessar as plataformas virtuais utilizadas nos fóruns. da Unesco.

Cuba, Unesco, denuncia, bloqueo, tic

“Hoje as empresas que oferecem esses produtos tecnológicos e digitais são obrigadas a solicitar licenças especiais para não serem multadas ou sancionadas, caso deixem algum desses países acessar seus serviços”, disse o embaixador.

De acordo com Esquivel, a pandemia de Covid-19 em andamento exacerba a exclusão digital existente e demonstra a necessidade urgente de redobrar os esforços para que as TICs não sejam um privilégio.

Nos últimos acontecimentos internacionais via Internet, inclusive com a plataforma Zoom, os representantes cubanos não puderam intervir ou foram obrigados a fazê-lo por meio de vídeos gravados em decorrência do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos à maioria. das Antilhas.

O diplomata da ilha defendeu no Conselho Executivo que a UNESCO e demais atores do sistema das Nações Unidas continuem envolvidos na busca de soluções sustentáveis ​​que garantam uma maior democratização das TICs.

Esquivel insistiu no importante papel da Unesco com seus valores e mandato de acompanhar os Estados membros na mitigação dos efeitos da crise sistêmica e no enfrentamento dos desafios globais derivados da pandemia e dos perpetuados e acumulados – observou – por causa da ordem internacional injusta.

Ele destacou a oportunidade coletiva oferecida pelo Projeto de Estratégia de Médio Prazo (2022-2029) apresentado pela diretora geral da organização, Audrey Azoulay, para aumentar a contribuição para o desenvolvimento sustentável e a paz mundial.

Também expressou solidariedade a todos os países que sofreram atentados terroristas nas últimas semanas, flagelo que sofreu Cuba, e às nações atingidas pela passagem dos furacões Laura, Eta e Iota pela América Central e Caribe.

Reconhece as realizações do relatório regional da UNESCO de Cuba na educação inclusiva.

#UNESCO #Cuba #VamosPorMas #Somosontinuidad #EducacionEnCuba #Covid-19 #CubaPorLaSalud #Inclusion

Retirado do página da embaixada de cuba em angola.

Na edição regional da América Latina e Caribe do Relatório Mundial de Monitoramento da Educação 2020 (Relatório GEM), publicado nesta quinta-feira, a UNESCO reconhece as conquistas de Cuba para garantir uma Educação inclusiva e de qualidade .

Informe UNESCO: Inclusión y Educación (I) - Fundación Novia Salcedo

Publicado sob o lema “Inclusão e educação: todos sem exceção”, foi elaborado pela equipe do Relatório GEM, em colaboração com o Escritório Regional de Educação para a América Latina e o Caribe (OREALC / UNESCO Santiago) e o Laboratório de Pesquisa e inovação em educação para a América Latina e o Caribe -SUMMA, o relatório avalia o progresso regional para alcançar uma educação inclusiva, de qualidade e ao longo da vida para todos e a resposta educacional dos países à crise do Covid 19 por meio de algumas das principais iniciativas realizadas para melhorar a inclusão, com base em vários estudos de caso da região.

Os resultados de Cuba nesta área demonstram a vontade política do governo cubano de garantir a educação como direito humano fundamental para todas as pessoas, apesar do impacto do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos.

O relatório destaca que em nosso país os alunos com deficiência em geral frequentam escolas especiais com professores com formação especializada e auxiliares multidisciplinares, e que meninos e meninas com graves limitações físico-motoras são atendidos em suas casas por professores itinerantes e em salas de aula especiais em hospitais.

CNCU | Comisión Nacional Cubana de la UNESCO

Também reconhece que um plano de transição é elaborado para cada aluno que passa de uma escola especial para uma convencional, em que as tarefas são atribuídas às escolas, famílias e comunidades. O trabalho de acompanhamento identifica os problemas que continuam a atrapalhar seu aprendizado.

Nesse sentido, faz-se referência ao esforço realizado desde 2017 no desenvolvimento de guias para professores, como ferramenta para melhorar a qualidade da educação recebida por crianças e jovens com deficiência que frequentam escolas convencionais. Ele acrescenta que em 2019, mais de 400 jovens formados em escolas pedagógicas ingressaram nas salas de aula das escolas especiais para apoiar os alunos na transição para o ensino regular.

Da mesma forma, afirma que Cuba conta com 203 Centros de Diagnóstico e Orientação, nos quais equipes multidisciplinares determinam e avaliam as necessidades dos alunos com deficiência aplicando um enfoque psicopedagógico e orientam as famílias. Esses centros também podem oferecer serviços de educação domiciliar.

O relatório mostra que a relação entre escolas e comunidades pode contribuir para a mudança de atitudes em relação às pessoas com deficiência. Nesse sentido, ele cita como exemplo o trabalho da companhia de teatro infantil La Colmenita, que reúne meninas, meninos e adolescentes com habilidades diversas no teatro e na música, demonstrando o papel decisivo da arte e da comunidade para a inclusão do alunos com deficiência.

Recomendaciones de la UNESCO sobre habilidades 21 - Fundación Santillana

O relatório incentiva a flexibilidade necessária dos sistemas educacionais para reconhecer a diversidade e atender às diferentes necessidades dos alunos e, assim, superar os obstáculos na interação com os alunos. Nesse sentido, enfatiza que Cuba possui um currículo único para cada nível de ensino, que pode ser adaptado aos alunos que dele necessitam. As escolas para alunos com deficiência intelectual têm a opção de oferecer um ciclo complementar, que visa preparar o mercado de trabalho para os que concluem o nono ano.

Também se reconhece que o Programa de Educação Sexual de Cuba com uma Abordagem de Gênero e Direitos Sexuais promove uma abordagem de gênero e direitos sexuais no currículo em todos os níveis educacionais, da pré-escola à educação profissional.

Quanto à resposta educativa à Covid 19, o documento destaca a publicação cubana “Vamos jogar: novo material cubano para enfrentar a Covid 19 por meio da recreação e da aprendizagem”, uma brochura com orientações sobre como dar apoio psicoemocional a crianças pequenas durante o confinamento por meio de brincadeiras e contribuem para a aprendizagem na primeira infância durante o isolamento devido à pandemia.

A Declaração de Incheon (2015) e a Estrutura de Ação de Educação 2030 indicam que o Relatório GEM é mandatado para ser “o mecanismo de monitoramento e relatório do ODS 4 e da educação nos outros ODS” missão de “relatar a implementação de estratégias nacionais e internacionais destinadas a ajudar todos os parceiros relevantes a prestarem contas de seus compromissos, como parte do monitoramento e avaliação global dos ODS”.

Esta edição regional do Relatório GEM analisa em profundidade alguns exemplos dos grandes desafios que ameaçam a inclusão na educação e conclui que, embora as leis e políticas da América Latina e do Caribe demonstrem a firme determinação em promover a inclusão, a realidade diária de alunos do sexo masculino e feminino sugerem que a aplicação prática está atrasada. As recomendações são feitas com o objetivo de promover sistemas de educação mais inclusivos em benefício de todas as crianças e jovens, sem distinção de origem, identidade ou habilidade.

As recomendações que oferece fornecem uma estrutura sistemática que identifica e remove barreiras para populações carentes, com base no princípio de que “cada aluno é importante e todos os alunos são igualmente importantes”.

(Cubaminrex- Missão Permanente de Cuba à Unesco)

Cuba denuncia na Unesco o impacto do bloqueio na luta contra o Covid-19.

Cubaminrex-Prensa Latina

O representante permanente de Cuba na Unesco, Yahima Esquivel, denunciou nesta sexta-feira em um fórum da organização os efeitos causados ​​pelo bloqueio dos EUA nos esforços da ilha para enfrentar o Covid-19.

Em discurso no Conselho Executivo da entidade multilateral, ele apontou que, em um momento em que os países deveriam colocar a solidariedade, a cooperação e o diálogo diante de diferenças e conflitos políticos, conforme exigido pela Diretora Geral da Unesco, Audrey Azoulay, Washington faz exatamente o oposto.

Nestes tempos difíceis, as medidas coercitivas unilaterais se intensificam e a crise do Covid-19 mostra as enormes limitações que o bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos contra Cuba gera para adquirir os medicamentos, equipamentos de saúde, materiais e suprimentos necessários, preciso.

Segundo Esquivel, apesar dessa hostilidade, a maior das Antilhas ratifica seu firme compromisso com o esforço coletivo, com o objetivo de promover a solidariedade, derrubar os muros e prestar ajuda a quem precisa.

Hoje, os contingentes médicos cubanos trabalham em 70 países para combater a pandemia, sob a liderança e autoridade dos governos nacionais, enquanto nas últimas semanas ou meses foram enviadas 38 brigadas de saúde para 35 países, disse ele.

O diplomata insistiu que a humanidade está passando por um momento particular e sem precedentes, após o impacto da pandemia.

O Covid-19 coloca a comunidade internacional diante de imensos desafios, em um cenário em que uma profunda crise sistêmica ameaça agravar e perpetuar os problemas estruturais já acumulados de subdesenvolvimento, disse ele nesta capital.

Esquivel alertou que o quadro complexo à frente representará um desafio ainda mais difícil para os países em desenvolvimento.

A Unesco deve desempenhar um papel de liderança na conscientização da crise, na mitigação e no enfrentamento de seus efeitos nos campos da educação, ciência, cultura e informação, disse ele.

Nesse contexto, o embaixador cubano afirmou no Conselho Executivo que a Ilha continuará profundamente comprometida com os valores da organização e confia em seu reforço com uma nova estratégia de médio prazo.

Diretor Geral da Unesco inicia atividades em #Cuba

Audrey Azoulay, diretora geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), inicia suas atividades em Cuba nesta quinta-feira, entre as quais se destaca o encontro com o ministro das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez. No dia anterior, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, anunciou no Twitter as boas-vindas ao representante da Unesco, que chegou ontem à noite em Havana.

Azoulay visitará nesta quinta-feira o Convento de Santa Clara, sede do projeto Caribe-União Europeia-Unesco, e a recentemente restaurada escola primária Rafael María de Mendive, antiga escola de San Pablo, onde estudou o Herói Nacional de Cuba, José Martí.

Na sexta-feira, o secretário geral da Unesco fará uma visita à reserva da biosfera Sierra del Rosario, na província ocidental de Artemisa.

Finalmente, no sábado, o visitante fará uma troca na Fábrica de Arte Cubana, em Havana, e apreciará uma amostra do patrimônio intangível da nação caribenha.

A Unesco tem entre seus objetivos promover a cooperação internacional e seus programas contribuem para a consecução dos objetivos de desenvolvimento sustentável definidos no Programa 2030, aprovado pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 2015.

Cuba destaca resultados do método “eu posso fazer” na Unesco

El método ha contribuido a disminuir el analfabetismo en todo el mundo. Foto: Radio Habana Cuba.

Como parte do Conselho Executivo da Unesco em Paris, Cuba destacou na quinta-feira os resultados do método de alfabetização “Eu posso fazer”, que permitiu que 10 milhões 500 mil pessoas aprendam a ler e escrever em 32 países.

O delegado Aimeé Pujadas enfatizou a importância que a Ilha atribui à cooperação Sul-Sul, Norte-Sul e triangular para a implementação da estratégia apresentada pela organização das Nações Unidas especializada em educação, ciência e cultura para a alfabetização. jovens e adultos no período 2020-2025.

O “eu posso fazer”, merecedor do Prêmio Rei Sejong de Alfabetização de 2006 da Unesco, foi concebido com caráter internacionalista e tem como objetivo principal a inserção ativa dos participantes no trabalho social, econômico e político do ambiente em que vivem, afirma Pujadas .

Segundo o diplomata, é um método econômico e flexível, por sua capacidade de se adaptar a qualquer país ou comunidade.

“Está disponível em vários idiomas e dialetos, além do sistema Braille, que favorece sua aplicação de maneira fácil, além de alfabetizar e transformar e educar”, afirmou.

Pujadas disse no Conselho Executivo que o programa foi atualizado para explorar melhor o potencial das Tecnologias de Informação e Comunicação.

O delegado enfatizou a disposição de Cuba de colocar essa ferramenta útil para os alfabetizados a serviço da implementação da nova estratégia da Unesco.

A vice-diretora geral de educação da Unesco, Stefania Giannini, apresentou há uma semana a nova estratégia de combate a um mal social que ainda assola 750 milhões de seres humanos, figura que constitui um forte desafio para a materialização de um dos objetivos da objetivo da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável relacionada à educação.

No fórum da organização, Cuba ratificou a importância que atribui à educação inclusiva e de qualidade, setor em que apresenta realizações reconhecidas, apesar do impacto sobre ela e em toda a sociedade o bloqueio econômico, comercial e financeiro do dos Estados Unidos, há 60 anos.

Eles pedem para unir forças em favor da paz.

Resultado de imagem para Imagenes de la paz en portugues
Havana será a anfitriã do 4º. Conferência Internacional Para o equilíbrio do mundo, em janeiro de 2019.

Abel Prieto Jiménez, presidente da Sociedade Cultural José Martí e diretor do Escritório do Programa Martiano, fez uma advertência global na terça-feira sobre a ascensão do fascismo, do racismo, da direita e da xenofobia ao falar no Centro. da International Press, de Havana.

A humanidade passa por um momento histórico “muito perigoso”, disse Prieto Jimenez em uma reunião com a imprensa sobre a celebração do quarto. Conferência Internacional para o equilíbrio do mundo, a ser realizada na capital cubana de 28 a 31 de janeiro de 2019.

No contexto atual, destacou, eventos como Para o equilíbrio do mundo se tornam mais relevantes, e também ressaltou que é um momento de crise cultural em que o entretenimento cada vez mais vazio substitui a verdadeira cultura.

Ele também presidente da comissão organizadora do evento pediu para participar deste grande fórum internacional do pensamento plural, porque é a opinião pública internacional, e não armas, que podem favorecer e promover uma mudança no curso dos acontecimentos em escala global.

Organizada pelo Projeto José Martí de Solidariedade Internacional, esta conferência tem como objetivo estimular, com um amplo e democrático debate de idéias, a construção de um mundo melhor, equilibrado, sustentável, mais justo e onde reine a paz. Continuar a ler “Eles pedem para unir forças em favor da paz.”

Memória do Tráfico de Escravos e sua Abolição.

As celebrações do 23 de Agosto, Dia Internacional da Memória do Tráfico de Escravos e sua Abolição, marcam hoje o encerramento do Colóquio Internacional sobre “Memória da Escravidão na Ilha de Moçambique: História, Resistência, Liberdade e Património”, que decorre desde segunda-feira em Nampula.

A efeméride foi consagrada pela UNESCO, Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, em homenagem à revolta de escravos ocorrida em 1791, na Ilha Santo Domingo, actual Haiti. “Essa luta, como a de tantos outros escravos, fortaleceu a consciência da igualdade de homens e mulheres, dos quais todos temos um legado e desfrutamos directamente”, afirmou o representante da UNESCO em Moçambique, Djaffar Mousa-Elkadhum. Continuar a ler “Memória do Tráfico de Escravos e sua Abolição.”