Posts Tagged With: Actualização do modelo económico cubano

Programa de atualização é garantia da Revolução, Raúl Castro

FONTE: PL

O presidente cubano, Raúl Castro, afirmou que é uma garantia para a Revolução contar com o programa de atualização aprovado pelo VI Congresso do Partido Comunista de Cuba, em abril do ano passado, destacou hoje a imprensa.

“Para nossa Revolução constitui uma garantia contar com um programa como este, discutido profundamente com toda a população, que teve a oportunidade de propor as modificações que estimou pertinentes, as quais foram tomadas em conta”, expressou.

Continuar a ler

Categories: ECONOMIA | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Entrevista com o Cônsul de Cuba no Brasil sobre reformas em seu país (+VIDEO)

FONTE: SOLIDARIOS

Em entrevista ao “Seu Jornal” da TVT ( TV dos Trabalhadores, gerida pelo sindicato dos metarlúgicos do ABC Paulista) o cônsul cubano em São Paulo, Lázaro Mendéz Cabrera, comenta sobre as mudanças econômicas e sociais em Cuba.

Categories: ECONOMIA | Etiquetas: , | Deixe um comentário

Cuba esperada chegar a meio milhão de trabalhadores independentes no final deste ano

Cuba esperada chegar a meio milhão de trabalhadores por conta própria no final deste ano integrados no sector privado, no âmbito das grandes reformas efectuadas o governo de Raul Castro ‘ Atualizar ‘ o modelo socialista.

O Vice-presidente da Associação Nacional de Economia e Contadores (ANEC) da ilha, Alberto Betancourt Roa, revelou em entrevista à Reuters durante uma visita a Madrid, que a ilha agora podem ser mostrados os resultados do pacote de medidas adoptado no ano passado, a decisão do partido comunista de Cuba.

Existem registrados actualmente, 380.000 trabalhadores independentes , dos quais cerca de 240.000 já foram registrados desde antes de colocar o projecto de orientações de política económica e Social do partido e a revolução.

Betancourt aponta para o objectivo: ser capaz de ‘mover 900.000 trabalhadores no do sector estatal para o sector não estatal num período de cinco anos’, isso excluindo aqueles que já exerceram a atividade privada antes das reformas.

O Mercado ao grosso foi uma das dificuldades que enfrentou o trabalho ‘independente’ para obter as matérias-primas ou produtos a fim de desenvolver a sua actividade a preços competitivos. Betancourt explicou que em Cuba ‘ não há um mercado ao grosso, tudo é varejo’, o que obrigou o governo a empreender grandes mudanças nesse sentido.

‘ Deve ser um sistema de venda ao grosso não com o sentido antigo que tínhamos. Agora ter que haver a possibilidade de que a fábrica tenha o poder de vender parte da produção com preços ao grosso e sem intermediários ‘, revelou.

Como parte das reformas, para os principais produtos de maior consumo- arroz, açúcar, e farinha esta a venda no mercado ao retalho com um desconto de 20% do valor da venta só para os trabalhadores independentes.

Sobre as perspectivas económicas, Betancourt revelou que o governo está prevendo um crescimento de 3,4 por cento para este ano.

Reforma Fiscal

A expansão  do setor privado modifico uma série de práticas que são muito inovadoras para os cubanos, como a obrigação de pagar impostos e para registrar para a segurança social.

Para regular estes processos, a Assembleia Nacional tem a intenção de realizar uma reforma fiscal que poderia começar a ser discutida no final do ano. O Deputado Luis Morlote disse à Europa Press que ainda não tem um projecto de lei, porque ainda não tem completado as consultas sobre esta questão, mas não descartam que poderia possivelmente começar o debate no plenário da Assembleia Nacional este ano, mas tudo vai depender de como evoluir outras questões primordiais para a sociedade cubana

‘O pais está fazendo uma grande renovação, mas tudo está sendo feito através de consultas,’ (com o povo)  sublinhado Morlote, lembrar as 163.000 assembléias populares que foram realizadas em toda a ilha e que permitiu modificar o 68 por cento das orientações aprovadas em Abril do ano passado.

CRÉDITOS BANCÁRIOS 

ECONOMIA CUBANA METAS

FONTE: REUTERS, TELESUR.

Categories: ECONOMIA, SOCIEDADE | Etiquetas: | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.