Posts Tagged With: cultura

Angola/Cuba: Quatro décadas de forte relação

Desde os primórdios da independência nacional, precisamente há 45 anos, Angola e Cuba mantêm fortes laços de cooperação, amizade e irmandade.

dd

É, pois, quase impossível falar da história da afirmação de Angola como Estado livre e soberano, sem fazer menção ao contributo do povo e Governo do maior arquipélago do mar do Caribe ou Caraíbas.

As relações entre os dois Estados remontam à época da guerra fria (terminada em 1991), ou seja, logo depois da proclamação da independência nacional, em 1975.

Foi em pleno conflito pós-independência, com a então República Popular de Angola a lutar contra invasão de forças estrangeiras, que Cuba deu os primeiros sinais de aproximação e solidariedade.

Para a defesa e manutenção da sua soberania, Angola encontrou aconchego e ajuda no hemisfério norte, concretamente em Cuba, abrindo portas a uma cooperação que viria a ser profícua e duradoura.

A parceria entre os dois países iniciou-se com a colaboração técnico-militar, tendo em conta a situação de instabilidade na época, mas começou a mudar de figurino a partir de Fevereiro de 1976, com a assinatura do primeiro Acordo Geral de Cooperação.

Esse importante instrumento jurídico viria desembocar, mais tarde, na instituição de uma Comissão Bilateral entre Angola e Cuba.


Pelas circunstâncias políticas de então, o Acordo Geral de Cooperação continuou a privilegiar as acções de auxílio técnico-militar, até 1991, um ano antes da implantação do multipartidarismo em Angola.

No relacionamento entre os dois países, essa componente (militar) serviu de “rampa” de lançamento para uma parceria mais alargada, agora a outras áreas sociais, como a Educação e Saúde.

De forma tímida, mas significativa, o modelo de cooperação passou por reconfiguração e reforço, à medida que se aliviava a tensão militar no país, com dezenas de professores  cubanos a desempenharem papel preponderante na formação de quadros angolanos.

No mesmo sentido, esses profissionais de Cuba foram fundamentais na prestação de uma assistência médica e medicamentosa ideal e necessária para assegurar o bem-estar dos angolanos.


Assim, com o primeiro convênio de cooperação focado nos sectores da Saúde e Educação, Angola beneficiou-se da experiência de mais de 350 mil especialistas cubanos, entre médicos, enfermeiros, professores, militares, técnicos e pessoal de apoio.

A aposta em especialistas cubanos tornou-se cada vez mais sólida e intensa, com o passar dos anos, marcando passos firmes no reforço de quadros da Saúde e Educação.

Foi com esses dois sectores que Angola e Cuba consolidaram e solidificaram as relações de irmandade e amizade, mediante envio regular de bolseiros angolanos, para especialização naquele arquipélago, e de quadros cubanos para o país africano.

Essa nova abertura viabilizou a ida de centenas de jovens angolanos para Cuba, em formação em diversas áreas, e a vinda a Angola de vários milhares de especialistas cubanos (professores e médicos), criando bases sólidas para uma cooperação efectiva.

Só nos primeiros dois anos do Acordo Geral, Cuba recebeu cerca de 18 mil angolanos, maioritariamente crianças com vários níveis de escolaridade, para formação.

À luz da ajuda internacionalista cubana (1974-1991), as relações bilaterais entre Angola e Cuba transformaram-se, paralelamente, numa cooperação em vários domínios.

Além da Saúde e Educação, os dois Governos passaram a cooperar nos domínios da Energia, Defesa, Segurança, Ensino Superior, Petróleos e Indústria.

Formação de docentes

Entretanto, apesar de não ter o mesmo peso na balança de cooperação entre os dois países, a formação de professores angolanos em Cuba remonta aos anos 80, com a ida dos primeiros 845 profissionais em diversos níveis e instituições de ensino.

Dados apontam que, dos actuais 2.556 bolseiros angolanos em formação em Cuba, 77 fazem pedagogia a nível superior, em diversos estabelecimentos especializados.

Até 2017, conforme informações oficiais, Cuba recebia uma média de 40 estudantes angolanos, para formação nas áreas de ciências exactas e a nível pedagógico, nos centros especializados em Cienfuegos e Santiago de Cuba.

Para o efeito, as autoridades de Cuba têm colocado ao dispor dos estudantes angolanos organismos formadores, no âmbito dos acordos existentes entre os ministérios da Educação dos dois países.

Actualmente, os dados dão conta da existência de 1.105 profissionais cubanos no país, dos quais 258 médicos chegados recentemente, para apoio no combate à Covid-19.

Colaboradores cubanos de la salud comenzaron a llegar a las provincias de Angola. Foto: PL.

Desde a sua chegada a Angola, os mesmos estão espalhados por várias localidades do país, incluindo em zonas recônditas, para ajudar na prevenção e controlo de doenças.

Presentes em várias unidades sanitárias nacionais, esses quadros prestam também serviços em  áreas como combate às doenças cardiovasculares, malária e tuberculose.

Além da prevenção e do combate à Covid-19, os especialistas recém-chegados têm, igualmente, a tarefa de contribuir na prevenção de doenças materno-infantis, pediatria e transmissíveis, bem como no asseguramento da formação de técnicos angolanos.

Os protocolos de cooperação incluem ainda a componente formação local (on job), para capacitar os quadros nacionais com conhecimentos técnicos e práticos, a fim de atenderem as necessidades básicas sanitárias do país, a curto, médio e longo prazo.

Em sentido contrário, ao longo de várias décadas, Cuba tem sido o “pouso” de centenas de angolanos, quer a título individual, quer por intermédio de bolsas de estudo governamentais, que buscam conhecimento científico naquele país da América Central.

Actualmente, dos 2.556 bolseiros angolanos em formação em Cuba, 700 estão a ser formados em ciências ligadas à medicina, entre os quais 50 em cardiologia, cirurgia cardíaca, medicinal interna e cirurgia geral. O país tem menos de 500 especialistas.

Dados do Governo angolano indicam que, em 2018, regressaram ao país 133 quadros formados em Cuba, nas especialidades de medicina, engenharia informática, electrónica, biologia, pedagogia, telecomunicação electrónica, direito e outras.

Ao todo, conforme informação oficial, mais de 40 mil angolanos foram formados em Cuba, nas especialidades da agricultura, saúde, construção civil, comunicação social, educação, militar, defesa e segurança, transportes e ciências políticas, música e teatro, à luz do Acordo Geral de Cooperação.

Além da componente formativa em Cuba, Angola, apostada em aumentar os recursos humanos e melhorar o quadro sanitário, conta com docentes cubanos em cinco faculdades de medicina angolanas.

Apesar das melhorias que se têm registado no campo da assistência médico-medicamentosa, há necessidade de se trabalhar no profundamento das relações, no intuito de permitir às populações o acesso rápido aos serviços hospitalares.

O Sistema Nacional de Saúde comporta duas mil e 644 unidades sanitárias, sendo 15 hospitais nacionais, 25 provinciais, 45 gerais, 170 municipais, 442 centros de saúde, 67 centros materno-infantis, mil e 880 postos médicos e 37 outras infra-estruturas.

É assegurado por 69.816 trabalhadores, dos quais seis mil e 400 são médicos, 35.458 enfermeiros, oito mil e 78 técnicos de diagnóstico e terapeuta, 11.329 trabalhadores de apoio hospitalar e 11.576 administrativos.

Apesar do abrandamento registado entre 1991 e 2002, as relações diplomáticas entre Angola e Cuba mantiveram a mesma vitalidade, ao longo dos últimas anos.

É desejo dos dois Estados alargar e diversificar as relações bilaterais, com ênfase para as áreas de economia, comércio, finanças e investimentos.

Na base deste impulso, está um mecanismo lançado em 2019, em Luanda, que visa acelerar a implementação dos compromissos assinados por ambos os Estados, por via da Comissão Intergovernamental de Cooperação Económica e Técnico-Científica.

Trata-se de um passo importante para construir uma nova e dinâmica cooperação bilateral, que permitirá, aos dois países, a realização de diferentes iniciativas conjuntas.

Fonte: ANGOP/BA

Categories: "La epopeia de Angola", #CubaCoopera, #CubaCoopera, #CubaEsSalud, #Cuba, #salud, ÁFRICA, ·Medicos Cubanos, cooperação médica cubana, Cooperacion Cuba y Angola., CUBA - ÁFRICA, CUBA-ANGOLA, ECONOMIA, economia nacional, epidemia, INTERNACIONALISTAS DE ANGOLA, MasQueMedicos, Profesionales e la Salud, Uncategorized | Etiquetas: , , , , , , | Deixe um comentário

O delicado desmantelamento dos andaimes da catedral de Notre Dame começa nesta segunda-feira

Vista geral do trabalho de consolidação na fachada da Catedral de Notre Dame do Tour Montparnasseen Paris, França. Foto: EFE.

A catedral de Notre Dame de Paris experimentará a partir desta segunda-feira a última fase da delicada operação destinada a desmontar os andaimes instalados para restaurar a torre quando o fogo de 15 de abril de 2019 causou seu naufrágio e o de uma parte importante do telhado. Continuar a ler

Categories: Uncategorized | Etiquetas: , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Origens da “Quarentena”

Categories: #salud, cultura, História, Uncategorized | Etiquetas: , , , , | Deixe um comentário

RT 24 horas e em alta definição em Cuba.

Cuba abre suas portas para o sinal do canal de televisão RT em espanhol. Desde 25 de maio, a rede atinge milhões de casas na ilha, 24 horas por dia e em alta definição. O projeto responde a um investimento do governo cubano na digitalização da mídia do país. O presidente do Sindicato dos Jornalistas de Cuba, Ricardo Ronquillo, acredita que a população poderá acessar “informações equilibradas e equilibradas sobre o que está acontecendo no mundo hoje”.

Categories: # Cuba, Noticias de Cuba, Política, RUSIA, Uncategorized | Etiquetas: , , , | Deixe um comentário

Lembrando e comemorando o Dia da África.

Categories: 25 de maio celebra-se no Dia Mundial de África, Africa, ANGOLA, ÁFRICA, CUBA - ÁFRICA, CUBA-ANGOLA, História, HISTORIA DE CUBA, INTERNACIONALISTAS DE ANGOLA, Uncategorized | Etiquetas: , , , | Deixe um comentário

Neste novo dia da África, renovaremos nossa amizade e fraternidade com o continente irmão.

Este ano, comemoramos o Dia da África em Cuba em condições excepcionais devido à pandemia de Covid-19. No entanto, isso não impedirá um evento de importância extraordinária, como a criação, em 25 de maio de 1963, da Organização para a Unidade Africana (OUA), que se tornou a União Africana (UA) em 2002, lembramos como sempre fizemos. os cubanos.

Neste novo dia da África, renovaremos nossa amizade e fraternidade com o continente irmão ao qual estamos ligados por sangue, cultura e história.

O comandante em chefe da Revolução Cubana, Neste novo dia da África, renovaremos nossa amizade e fraternidade com o continente irmão. Fidel Castro Ruz , sempre destacou o “dever de compensação” que os cubanos têm com a África, pelo papel crucial desempenhado pelos africanos e seus descendentes nas guerras de independência de nosso país e sua contribuição para construindo nossa nação do Caribe.

Estávamos juntos nas lutas contra o colonialismo e o apartheid e nos esforços de desenvolvimento. Cerca de 6.000 colaboradores cubanos nas áreas de saúde, educação, esportes e agricultura prestam seus serviços em 32 países africanos. Quase 9000 bolseiros africanos estudam o ensino superior em nosso país.

A África é hoje um ator decisivo nos assuntos internacionais. Seus 55 estados membros compõem um terço da Assembléia Geral das Nações Unidas e metade em outros fóruns globais de concertação, como o Movimento Não-Alinhado e o Grupo dos 77 + China.

Cuba agradece o apoio unânime dos governos, líderes, organizações e povos da África na luta contra o bloqueio, incluindo a votação a favor da resolução “É preciso acabar com o bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América. Contra Cuba ”, que é aprovado anualmente pela Assembléia Geral das Nações Unidas, bem como a adoção por onze anos consecutivos de uma resolução contra o bloqueio na União Africana.

Nestas complexas circunstâncias que a humanidade enfrenta, Cuba insta a comunidade internacional a apoiar a África na luta contra a pandemia de Covid-19 e suas terríveis conseqüências econômicas, sociais e financeiras. Os povos africanos, que fizeram tanto pela humanidade, merecem isso.

Ratificamos que as relações de Cuba com os povos e governos da África são indestrutíveis e que, leais à nossa tradição histórica e solidária, continuaremos a fortalecer os laços de amizade e cooperação com esse irmão irmão.

Viva a irmandade entre África e Cuba!

(CubaMINREX)

Categories: # Cuba, #CubaCoopera, #CubaEsSalud, #Cuba, #salud, 25 de maio celebra-se no Dia Mundial de África, Africa, África, sempre digna, CUBA - ÁFRICA, epidemia, MINREX, Profesionales e la Salud, Uncategorized, União Africana | Etiquetas: , , , , , | Deixe um comentário

As raízes de um povo que cresce em todo o mundo #DeCaminoAlDíaDeÁfrica.

Uma amiga cubana compartilhou isso no mural dela e eu queria compartilhar com o meu blog. #DeCaminoAlDíaDeÁfrica uma iniciativa da EmbaCuba na Nigéria para apresentar um Zentangle dedicado a este amado continente. Desenhada pela artista Ana Chavely Bauza Pino, atualmente em Abuja e seu pai.
O Zentangle é uma reflexão artística que apóia relaxamento, concentração e inspiração e pode ser um maravilhoso ritual diário.
Nesse caso, convidamos os amantes da África a comentar esse desenho, no qual ocultam uma série de atributos, culturais, espirituais e de sua flora e fauna. Descubra-os, mencione-os e curta #AfricaEnLaSangre.

A imagem pode conter: 1 pessoa, desenho

Categories: 25 de maio celebra-se no Dia Mundial de África, Africa, África, sempre digna, CUBA - ÁFRICA, cultura, Culturales, DIA MUNDIAL A MULHER AFRICANA, Uncategorized, União Africana | Etiquetas: , , , | Deixe um comentário

“Reconversão da economia informal depende de infra-estruturas”

A reconversão da economia informal para formal em Angola passa, essencialmente, pela organização e infra-estruturação dos estabelecimentos comerciais e mercados, a sensibilização e obediência dos vendedores, afirmou, nesta quarta-feira, em Luanda, o técnico do Ministério da Indústria e Comércio, Artur Pinheiro.

dd

Ao dissertar sobre o tema “A migração da economia informal para a formal e organização e reorganização dos mercados”, o também docente universitário sustentou a necessidade da criação de infra-estruturas como sistema de abastecimento de água, energia eléctrica, bem como a melhoria dos acessos aos mercados, para facilitar o cadastramento dos vendedores e melhorar o controlo dos comerciantes.

Reconheceu que, apesar da informalidade ter um peso de cerca de 80 por cento na actividade comercial, também abrange outros sectores como a saúde, transporte, educação, entre outros.

Para minimizar essa situação, referiu, o sector do Comércio começou, em 2017, a fazer um trabolho de reconversão da economia que tem como foco o cadastramento dos vendedores ambulantes e informais.

Para o mesmo fim, avançou, o Ministério da Economia e Planeamento  também está a trabalhar no Programa de Reconversão da Economia Informal (PREI), para se definir uma nova estratégia de formalizar o comércio nacional.

Esses programas, reforçou, vão ajudar, em grande medida, a redefinir os actuais modelos dos mercados existentes no país.

Apesar desses programas, considerou ainda a informalidade como um fenómeno complexo que precisa da colaboração de todos cidadãos, cumprindo com as regras universalmente estabelecidas pelas autoridades vocacionadas.

Além da resistência e desobediência dos vendedores, Artur Pinheiro apontou, por outro lado, a pobreza e o conflito armado que o país viveu como as principais causas do excesso da informalidade em Angola.

Artur Pinheiro afirmou que esses factores motivaram a migração populacional das zonas rurais para urbanas, procurando as melhores condições de vida.

Angop

Categories: africa do sul, ANGOLA, Angola y Portugal, ECONOMIA, economia nacional, Uncategorized | Etiquetas: , , , , | Deixe um comentário

Reabertura ou isolamento.

Vários países europeus estão começando a abrir algumas lojas e locais públicos.

Categories: #salud, ECONOMIA, economia nacional, epidemia, EUROPA, Europa postura intervencionista, Organizacion Mundial de la Salud (OMS), Profesionales e la Salud, Uncategorized | Etiquetas: , , , , , , , , | Deixe um comentário

Morreu o pai da família mais numerosa de Angola

Angop apurou junto dos familiares, que o ancião de 72 anos padecia de cancro da próstata, doença que obrigou-lhe a deslocar, em 2018, a capital do país em tratamento médico, mas sem sucesso, acabando por falecer na sua própria residência, onde recebia cuidados paliativos. Francisco Tchikuteny, como era conhecido, tinha uma família composta por 580 pessoas, sendo 42 esposas, 152 filhos, netos e bisnetos. Segundo Sabalo Pedro, irmão da vitima, o ancião, enquanto em vida, sempre procurou manter a unidade e solidariedade entre a família, sobretudo das esposas e filhos.


“Aqui sempre existia uma regra de estarmos todos unidos e com direitos iguais. As mulheres eram orientadas pela esposa mais velha, de nome Eva, que ajuda as outras, sobretudo, as gestantes na hora do parto”, afirmou.
Os filhos lamentam a perda do pai, pois esperam que dias difíceis poderão tornar a família desamparada, sendo que “Tchikuteny” era o único que conduzia a vida social de cada um, sobretudo na vertente ensino aprendizagem.
“O nosso pai é que fazia tudo, inclusive para estudarmos e, com a sua morte, não sabemos o que será o amanhã. Era o único que era conhecido pelas entidades do governo. Agora tudo fica mais difícil para a nossa família”, lamentam os filhos.
O psicólogo José Pedro, em declarações a Angop, afirma que a morte deste ancião poderá provocar uma desestruturação familiar, pois estes os tinham como sendo um líder que resolvia todos os problemas.
Apelou às autoridades para acompanharem de perto esta família, dando o apoio necessário, sobretudo para os mais pequenos com idade escolar, para que possam ser formados e futuramente encontrarem emprego e sustentarem-se.
“É preciso que os costumes desta família sejam preservados, pois notamos que no seio destes existem homens e mulheres com vontade e esperança de um dia singrarem na vida. Agora cabe às autoridades dar este apoio, essencialmente na formação do homem para não se sentirem perdidos e caminharem pelo mundo da delinquência”, disse o psicólogo.
Esta família dedica-se à prática da agricultura familiar e da pecuária.

Categories: #salud, ANGOLA, Uncategorized | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: