Posts Tagged With: Dia da Criança

Nosso amor imenso e um PARABÉNS desmedido para todas as crianças no seu dia. (I)

Cuba,  com outros 43 países, celebra hoje o dia da criança com o imenso orgulho de estar entre os primeiros países que dedicam seus esforços para proteger e educar seus meninos.

Nenhuma criatura ou adolescente, está fora dos mimos e cuidados na nossa bela ilha e são especialmente auxiliados aqueles que assim precisam, nas instituições em que o amor de cada educador emula em grandiosidade com aquele dos próprios pais.

Cinco dias de downloads em vídeos não seria bastante para partilhar convosco o imenso sobressalto que sentimos em nossos corações quando vemos as imagens tais como as que aqui trazemos-te.

Crianças autistas em Cuba não são diferentes das outras, são simplesmente “especiais”:

Apoio a crianças com autismo. Uma escola especial para os “amigos de outro planeta” em Cuba

http://www.youtube.com/watch?v=pjAeyHE5MhE

O nosso incomensurável amor para as criançass as quais  a injustiça, o dor e a guerra priva para desfrutar desta bela etapa de suas vidas.

Artigo de Tudoparaminhacuba.

Categories: SOCIEDADE | Etiquetas: | Deixe um comentário

Nosso amor imenso e um PARABÉNS desmedido para todas as crianças no seu dia. (II)

Navegando na net encontramos esta reflexão sobre as crianças, divertida, espirituosa e cheia de verdades, também a letra da canção irrepetível de Juan Manuel Serrate “Esses loucos baixinhos”.

Espero que gostem como nós

Criança

Entre a inocência da infância e a compostura da maturidade, há uma deliciosa criatura chamada criança. Embora se apresentem em tamanho, pesos e cores sortidos, todas as crianças tem o mesmo credo: aproveitar cada minuto de todas as horas de todos os dias e protestar ruidosamente (pois o barulho é sua única arma) quando seu último minuto é decretado e os adultos os empacotam e os colocam na cama.

Crianças são encontradas em toda parte: em cima de, em baixo de, dentro de, subindo em, balançando-se no, correndo em volta de, pulando para… As mães as adoram, irmãos e irmãs mais velhas as suportam, adultos as ignoram, o céu as protege.

Uma criança é a verdade com o rosto sujo, a beleza com um corte no dedo, a sabedoria com uma chiclete no cabelo, a esperança do futuro com uma rã no bolso.

Quando você está ocupado, uma criança é uma conversa fiada, intrometida e amolente.

Quando você deseja que ela cause boa impressão, seu cérebro vira geléia ou ela se transforma numa criatura sádica e selvagem empenhada em destruir o mundo ao seu redor.

Uma criança é um ser híbrido: o apetite de um cavalo, a energia de uma bomba atómica de bolso, a curiosidade de um gato, os pulmões de um ditador, a imaginação de um Júlio Verne, o retraimento de uma violeta, o entusiasmo de um bombeiro e quando se mete a fazer alguma coisa é como se tivesse cinco polegares em cada mão.

Gosta de sorvete, canivete, serrote, pedaços de pau, bichos grandes, dos pais, sábados, domingos e feriados e mangueiras d água.

Não é partidária do catecismo, escola, livros sem figuras, lições de música, colarinhos, barbeiros, agasalhos, adultos e “hora de dormir”.

Ninguém se levanta tão cedo, nem chega tão tarde para o jantar.

Ninguém se diverte tanto com árvores, cachorros e mosquitos.

Ninguém é capaz de colocar num só bolso: um canivete enferrujado, uma maçã comida pela metade, um metro e meio de barbante, um saco plástico, dois chicletes, três moedas, um estilingue e fragmentos de substância ignorada.

Uma criança é uma criatura mágica;

você pode mantê-la fora de seu escritório, mas não pode expulsá-la de seu coração.

Pode pô-la fora da sala de visitas, mas não pode tirá-la de sua mente.

Queira ou não, ele é seu captor, seu dono, seu patrão, um nanico, um saco de encrencas.

 Mas, quando, à noite você chega em casa com suas esperanças e seus sonhos reduzidos a pedaços, ela possui a magia de soldá-los num segundo, pronunciando duas simples palavras: “alô papai, alô mamãe”….

Tomado do site:

http://www.mensagenscomamor.com

 

Esses loucos baixinhos 

As crianças muitas vezes parecem-nos,

por isso, dê-nos a primeira satisfação;

aqueles que mexem com nossos gestos,

lançando mão para tudo que está à sua volta.

 

Esses loucos baixinhos que incorporam-se

Com os olhos bem abertos,

E sem respeito ao calendário ou aos costumes

e que, para seu bem, temos que domesticar.

 

Criança, para de brincar com a bola.

Criança, isso não se diz,

Isso não se faz,

Isso não se toca.


Carregado com nossos deuses e nossa língua,

nossos rancorosos e o nosso futuro.

È por isso que para nós parecem borrachas

 e  chega para eles as nossas histórias para dormir.

 

Nos obstinamos para levar suas vidas

sem saber ofício e vocação.

encaminhamos nossas frustrações

com o leite quente e em cada canção.

 

Criança, para de brincar com a bola…

 

Nada e ninguém pode impedir que sofram,

que as agulhas movam-se no relógio,

que decidam por eles,

que eles estejam errados,

que vão a crescer e que um dia

e diga-nos adeus.

 

Joan Manuel Serrat

Categories: SOCIEDADE | Etiquetas: | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.