Posts Tagged With: Duas ilhas

Duas ilhas, o mesmo mar de lutas, esperanças e futuro

O presidente cubano visitou lugares importantes na vida social e cultural da capital irlandesa. Foto: Estudos da Revolução

recorrido irlanda

Dublin, Irlanda – Horas antes do início oficial de sua agenda de atividades na Irlanda, o Presidente da República de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, aproveitou a tarde de outono do domingo para, juntamente com a delegação que o acompanhava, visitar lugares importantes da vida social e cultural da capital; não fazê-lo teria desperdiçado uma ocasião única.
Durante a turnê, que coincidiu com a data em que as Grandes Antilhas comemoraram o Dia da Cultura Cubana, o presidente lembrou a importância daquele dia para os cubanos e o fato de que 20 anos também são comemorados este mês do estabelecimento de relações diplomáticas com a Irlanda “, duas ilhas que compartilhamos o mesmo mar de lutas, esperanças e futuro”.
Isso foi escrito no livro de visitantes da Trinity College Library, a universidade mais antiga do país, fundada em 1592 pela rainha Isabel I. Díaz-Canel, acompanhada pelo Dr. Patrick Prendergast, reitor da prestigiada instituição, Ele aprendeu detalhes de um de seus tesouros mais sagrados, o Livro de Kells, um manuscrito do século IX, a obra de monges celtas belamente ilustrados.
O presidente visitou parte da Biblioteca da Universidade, onde mais de seis milhões de livros são preservados; os outros mais antigos são do século XV. Em particular, a visita do presidente cubano guarda cerca de 250.000 cópias. Há também 45 bustos de mármore, todos homens de destaque, já que a casa de estudos altos em outros tempos não recebia mulheres em suas salas de aula.
Hoje 60% de seus alunos são mulheres e, como explicaram ao presidente cubano, várias figuras femininas serão incorporadas em breve à exposição escultórica. A lista de propostas é encabeçada pela cientista polonesa Marie Curie, a primeira a receber o Prêmio Nobel.
Entre outras posses valiosas, a Biblioteca protege uma das poucas cópias restantes da Proclamação da Independência da Irlanda e, supostamente, a harpa mais antiga que foi encontrada na ilha européia. Acima de tudo, o presidente perguntou, sempre interessado em cultura e história.
Díaz-Canel foi então à Catedral de St. Patrick, erguida em homenagem ao patrono da Irlanda e o maior construído neste país. “Você não pode vir para a Irlanda sem conhecer St. Patrick”, disse ele após percorrer seus corredores, acompanhado pelo Rev. William Morton, reconhecido como um herói por suas contribuições diárias à comunidade.
O Presidente escreveu em sua caligrafia: «Há poucas horas, passeamos por espaços emblemáticos desta bela cidade de Dublin, em particular a Catedral de São Patrício, que é tão cativante e significativa para o povo irlandês. Com esta visita, você nos aproximou de sua rica história e cultura. Obrigado pela gentileza e atenção. Receba nossos sinceros agradecimentos, respeito e admiração. Os nossos povos distinguem-se pelo seu patriotismo e desejo de independência ».
Essa cortesia foi vivida pela delegação cubana nas ruas de Dublin e quando também visitou Saint Stephen Green, um dos mais antigos parques públicos do país. Foi assim que três crianças irlandesas informaram ao presidente cubano que, acompanhadas pelos pais, interromperam sua passagem pelo famoso jardim de Dublin para que ele soubesse que adorariam visitar Cuba, aquela outra ilha do outro lado do mundo, tão distante e ao mesmo tempo tão perto.

Autor: Leticia Martínez Hernández | internet@granma.cu

Categories: # Cuba, #Cuba, #Fidel Castro Ruz, #RevoluciónCubana, Uncategorized | Etiquetas: , , | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: