NANCY PELOSI inicia digressão asiática em meio à tensão EUA-China sobre Taiwan

#China #Taiwan #InjerenciaDeEEUU #NancyPelosi #GuerraEconómica

A economia dos EUA entra em recessão após dois trimestres consecutivos de declínio.

#EconomíaMundial #EstadosUnidos #MercadoFinanciero

CUBADEBATE

A economia dos EUA registou uma queda de 0,9% do PIB no segundo trimestre. Um valor que se soma à contracção de 1,6 por cento nos primeiros três meses do ano. Assim, entrou tecnicamente numa recessão, tendo acumulado dois trimestres consecutivos de declínio. A perspectiva pode tornar-se mais desanimadora se se acrescentar que a Reserva Federal aumentou novamente a taxa de juro de referência em 75 pontos base. Esta é a mesma magnitude que a caminhada de Junho. Desde o início da década de 1990 que não se verificam ajustamentos mensais tão grandes.

Sinal de Wall Street junto à Bolsa de Nova Iorque em Nova Iorque (EUA), 9 de Março de 2020. Foto: Carlo Allegri/Reuters.

Numa conferência de imprensa, o chefe da Reserva Federal, Jerome Powell, reiterou uma mensagem dura. Disse que não hesitará em aplicar todas as medidas contraccionistas necessárias para reconduzir a inflação a 2,0% ao ano. Os últimos dados sobre os preços tinham atingido o seu pico às 9.1. Por outras palavras: as autoridades económicas dos EUA estão preparadas para gerar e suportar toda a recessão necessária para refrear o processo inflacionário.

Contudo, no mundo dos negócios isto não parece ser inteiramente claro e a reacção de Wall Street nas últimas semanas é uma prova disso mesmo. O Dow Jones, o S&P e o Nasdaq acumularam ganhos entre 5 e 10% em Julho. Mas particularmente as empresas de tecnologia e inovação que tinham sentido o impacto do aumento das taxas de juro no primeiro trimestre mostraram impressionantes ressaltos.

Um dos exemplos é a subida das acções da Tesla, que nos primeiros 28 dias de Julho acumularam um aumento de 25%. Este comício permitiu-lhe cortar uma boa parte da queda acumulada do ano. Algo semelhante aconteceu com a Amazónia. Para além dos saltos nas primeiras semanas de Julho, apresentou o seu balanço trimestral. Os ganhos não estavam de acordo com as expectativas, mas as receitas da empresa excederam as expectativas. Após a divulgação dos dados, no comércio pós-mercado, as suas acções subiram mais de 11%.

Os analistas começam a pensar que a Reserva Federal será mais matizada na sua postura e que a política monetária será menos restritiva do que o esperado. Foi assim que foram interpretados os ajustamentos das taxas de Julho. Embora tenha havido um aumento de 75 pontos base, o cenário mais pessimista para os fundos de investimento, que considerava a possibilidade de um aumento de 100 pontos base, não ocorreu.

O pano de fundo é que a decisão de pôr fim ao ciclo do dinheiro barato, que começou em 2008 com a crise das hipotecas subprime, obrigou as autoridades monetárias americanas a enfrentar uma encruzilhada no início deste ano que continua por resolver por agora. Aumentar as taxas mais do que o necessário cria o risco de uma crise difícil de prever, devido ao seu efeito de arrastamento em várias responsabilidades, tais como a dívida das empresas. Mas aumentá-la menos pode fazer com que as expectativas de inflação percam a sua âncora. Esta é a opinião dos consultores de elite e críticos americanos do sistema, tais como o grego Yanis Varoufakis.

De momento, Wall Street parece estar a celebrar o facto de terem dado um primeiro passo para começar a desbloquear a encruzilhada e influenciar o curso da Reserva Federal. Eles acreditam que o aperto monetário será a meio caminho, embora não seja claro o que acontecerá aos preços e ao resto das macrovariáveis.

O Presidente da Câmara de Nova Iorque contradiz Biden. Ele diz que os EUA estão numa crise financeira como nunca antes.

#InjerenciaDeEEUU #GuerraEconómica #CrisisFinanciera

Os ‘neocons’: quem são eles e o que têm eles a ver com as guerras recentes?

#InjerenciaDeEEUU #ONU #Rusia #GuerraEconómica #Geopolítica

Inna Afinogenova

O bloqueio nem sequer acredita nos produtores dos EUA.

#ElBloqueoEsReal #EEUUBloquea #CubaViveYTrabaja #CubaNoEstaSola #CubaPorLaPaz

Autor: Granma | internet@granma.cu

O aperto do bloqueio económico, comercial e financeiro contra Cuba, resultado de uma política externa desviada pelo ódio, e um presidente que continua a não cumprir as suas promessas de campanha, bloquearam ontem uma proposta no Congresso dos EUA que procurava levantar a proibição de financiamento das exportações agrícolas para a ilha e expandir o comércio nesse sector.

Introduzido por Rashida Tlaib (D-Michigan), o projecto de lei falhou, recebendo 260 votos contra, para 163. O legislador agradeceu a Gregory Meeks (D-New York), presidente da Comissão dos Negócios Estrangeiros da Câmara, e Jim McGovern (Mass.), presidente da Comissão do Regimento, por apoiarem a emenda.

Foto: Adán

Nem mesmo porque a passagem teria ajudado os produtores agrícolas americanos, “incluindo muitos aqui no Michigan”, como disse Tlaib, ou que representaria a criação de milhares de empregos naquele país, foi a intenção subjacente à política macabra de Cuba.

Porquê? Porque os representantes anti-cubanos e os da ala mais conservadora estão a travar projectos de lei no Congresso que significariam uma aproximação entre os dois países, ou medidas que impediriam mais sofrimento para a população da ilha, sujeita ao cruel cerco unilateral, de acordo com os analistas.

Tanto que, sem esconder o seu ódio, o congressista Mario Díaz-Balart (R-Florida) disse que “embora as ditaduras marxistas tenham os seus apologistas dentro da maioria democrata, conseguimos derrotar a concessão de créditos aos opressores do povo cubano”, citou a Prensa Latina.

No entanto, na terceira Conferência de Negócios Agrícolas EUA-Cuba, realizada em Havana no passado mês de Abril, os agricultores americanos manifestaram a sua vontade de melhorar o comércio bilateral. Na altura, Paul Johnson, presidente da US-Cuba Agricultural Coalition, afirmou que a agricultura continua a ser o sector mais importante para os laços bilaterais. “O bloqueio limita significativamente o comércio porque não podemos exportar mais mercadorias para Cuba, mas devemos poder trabalhar com os produtores cubanos para aumentar a produção local, investir o nosso capital e conhecimentos em cooperação”, disse.

Ao contrário desta vontade, a administração de Joe Biden mantém os obstáculos ao comércio e não cumpre as suas promessas de campanha.

Porta-voz chinês: os EUA representam a maior ameaça nuclear para o mundo.

#China #InjerenciaDeEEUU #ManipulaciónMediática

Itália rebeldes contra as sanções europeias.

#Europa #InjerenciaDeEEUU #GasNatural #Petroleo #Italia

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo anunciou o encerramento das representações consulares na Letónia, Lituânia e Estónia.

#Rusia #Ucrania #InjerenciaDeEEUU #Europa #Diplomáticos #GuerraEconómica

A manifestação de guerra na Ucrânia é um macro projecto concebido pelo Ocidente.

#Ucrania #InjerenciaDeEEUU #ManiopulaciónMediática #Rusia #China #GuerraEconómica

%d bloggers like this: